História A Minha Madrasta - Imagine Jeon Jungkook - Capítulo 23


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Big Bang, EXO, Girls' Generation, Red Velvet, Super Junior, TWICE
Personagens Cho Kyuhyun, G-Dragon, Irene, Jeon Jeongguk (Jungkook), Kim Namjoon (RM), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Mina, Park Jimin (Jimin), Xiumin, Yuri
Tags Bts, Exo, Hoseok, Imagine Jungkook, Jin, Jungkook, Kook, Seokjin, Suga, Tae, Taehyung, Xiumin
Visualizações 225
Palavras 1.255
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Famí­lia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, meu amores. Tudo bom?
Espero que sim, e se não estiver tudo bem eu trouxe mais um capítulo pra voces pra se distrair.

Eu espero que gostem❤

Capítulo 23 - Chapter 22


Fanfic / Fanfiction A Minha Madrasta - Imagine Jeon Jungkook - Capítulo 23 - Chapter 22

P.O.V Rabech ON

Jiyong, mas conhecido como Gdragon. Ele era cinco anos mais velho do que eu. Nos conhecemos na época que eu ainda estudava, eu tinha 16 anos. Na época ele fazia faculdade e o seu caminho toda manhãs se passava em frente da minha escola.

Eu smepre era uma das primeiras a chegar na escola, então ficava no lado de fora esperando dá o horário dos portões abrirem. E nesse meio tempo sempre via ele passar e um desses dias ele parou pra falar comigo, nos apresentamos e chegamos até trocar nossos números.

Com o passar dos meses já estava apaixonada. Faltava algumas aulas da escola para passar a manhã todinha com ele. O mesmo morava sozinho era independente dos pais. Cheguei apresenta-lo aos meus pais e assumir o nosso namoro.

Um pouco mais de um ano de namoro, eu já tinha terminado a escola e resolvi fazer o vestibular para faculdade, quando contei pra ele, o mesmo não aceitou. Ele alegava que eu passaria menos tempo com ele e conhecia muito bem capazes de faculdade e não me deixaria ir por ciúmes.

Eu levei na esportiva, pensei que era brincadeira. Até que passei uma semana sem me comunicar direito com ele por conta dos estudos para o vestibular. Quando nos encontramos ele estava com raiva desse sumisso, então lhe expliquei que estava ocupada com os estudos.

Nesse dia eu estava em sua casa, quando me ouviu, me deu um tapa forte em meu rosto. Começou a gritar dizendo que eu tinha lhe desobedecido, e ainda me mandou parar com a ideia da faculdade. Depois desde dia fiquei com medo dele que mal consiguia estudar para o meu vestibular. Mas alguns dias ele apareceu e pediu desculpas. Ele estava mais doce, mais gentil, era o Jiyong que eu conheci. Então deixei as brigas e o tapa no passado e continuamos com o namoro.

Infelizmente poucos dias depois seria minha prova, e com o medo que eu tinha dele não conseguir estudar muito. Fiz a prova e depois de alguns dias a lista dos aprovados saiu, meu nome não estava na nela. Nesse mesmo dia fiquei com tanta raiva dele, a culpa era dele por não ter me deixado estudar e cheguei ao ponto de brigar com ele, é a unica coisa que ele fazia era rir e me avisando que era bem feito eu não ter passado.

Na mesma hora eu disse que faria a prova de novo e que era capaz de terminar o namoro com ele para que ele não me pertubasse mais. Falei que eu não iria desistir dos meus sonhos e pra isso é melhor acabar com aquele relacionamento ali mesmo.

Como já esperado ele não aceitou bem. Naquele mesmo dia em sua casa, ele me deu outro tapa, mas dessa vez mais forte. Ele gritou dizendo que eu nunca iria terminar com ele e que ele não deixaria isso acontecer. E foi nesse momento que vi o seu olhar, esse olhar que eu nunca iria esquecer.

Percebi que ele seria capaz de fazer qualquer coisa para ficar comigo pra sempre, e essas coisas podiam ser bem cruéis. Na mesma hora peguei minha bolsa e sair correndo daquela casa, ele até tentou me segurar mas conseguir me soltar e voltei pra minha casa.

Chamei meu pai para conversar e lhe contei tudo. Falei dos tapas e do modo que ele mudou durante esse tempo de namoro. Meu pai é advogado ele saberia me orientar bem. Ele me mandou me afastar de Jiyong, e o bloqueasse seu número para que ele não me ligasse e nem me mandasee mensagens. Sem hesitar obedeci meu pai, e fiquei nos meus estudos ainda mais determinada.

Chegou o dia da prova, e meu pai me deixou na porta da faculdade, e eu ainda não tinha notícias do Gdragon, pensei que ele tinha me deixado em paz. No mesmo dia quando terminei a prova liguei pro meu pai para me buscar, ele tinha me dito pra não ir sozinha para ligar algum. Fiquei esperando meu pai me buscar até avistar seu carro chegando.

Eu entrei no carro, e imediatamente as portas foram trancadas. Olhei para o motorista, que era pra ser meu pai, vi que era Gdragon. Eu gelei, gritei chamando por socorro, e até batia nele para faze-lo parar o carro.

Meu pai tinha chegado na faculdade mais eu não estava mais lá, ele me ligou e eu conseguir atender e gritar por socorro, até Gdragon arrancar o celular das minhas mãos e joga-lo pela janela do carro.

Ele me levou para sua casa, infelizmente meu pai não sabia onde era. Só quando saímos do carro vi que o carro que Jiyong usava era apenas da mesma marca e da mesma cor do carro do meu pai, era simplesmente outro carro, mas como eu ia adivinhar?!

Ele me deixou na sua casa durante alguns dias dentro de um quarto. Ele sempre me prendia na cabeceira da cama quando queria transar e ao dormir também ficava amarrada para que eu não fugisse. Em uma dessas noite em que ele queria transar, como sempre ele me amarrou, no meio do sexo ele mandou gemer, mas eu não o obedecia, eu estava sentindo nem um pingo de prazer.

Ele dava vários tapas na minhas coxas para que eu gemesse, mas comecei a gritar dizendo o tanto que eu o odiavae que sentia nojo dele. Enquanto ele ainda me penetrava ele começou a me dar vários socos por minhas pernas, coxas, no rosto e principalmente na minha barriga. Quando me batia mais forte, aumentava a velocidade das estocadas, ele tinha prazer ver aquela cena.

Eu olhei pra baixo e vi todo meu corpo roxo por seus soco, até que comecei me desesperar gritando para que ele parasse de me penetrar pois via sangue saindo da minha intimidade. Acabei me lembraneo que minha menstruação estava atrasada e que eu tinha quase certeza que estava grávida, mas que eu não ia conta-lo, e eu iria cuidar sozinha por que eu tinha a certeza que meus pais estariam ao meu lado.

Ele parou, e eu começei a gritar que ele tinha matado meu filho. Ele me desamarrou da cabeceira, vestiu uma calça as pressas e cobriu meu corpo com o lençol. Me botou no banco de trás do carro e me levou pro hospital, durante todo caminho ele gritava dizendo que se eu abrisse a boca e contar que fui sequestrada e ele tinha feito aqueles roxos no meu corpo, ele não pensaria duas vezes antes de me matar.

No hospital finalmente a policia me encontrou. No dia do sequestro meu pai tinha denunciado à Polícia e existiam noticiários sobre o meu sumisso. A médica me reconheceu dos jornais e chamou a polícia. Na mesma hora Jiyong foi preso. Naquela noite descobrir que eu realmente estava grávida de um mês de duas semanas, mas que infelizmente tinha perdido o bebê.

Depois de alguns dias no hospital me recuperando, a médica fez alguns exames e constatou que eu não podia mais ter filhos. Por conta das agressões constantes e principalmente na região da barriga, tive um bloqueio nas trompas que me impedi de engravidar novamente.

Meu pai como advogado ainda foi aos tribunais servir como promotor de julgamento do meu ex, ganhando a causa e fazendo com Gdragon recebesse mais ano na prisão do que iria receber.

É por isso que recolheci o olhar de Xiumin está noite, era o mesmo olhar de Gdragon à anos atrás. Eu não quero passar por aquilo de novo. Com tantos pensamentos na cabeça, me deixo levar pelo sono.


Notas Finais


@Bechinha

O que acharam?
Tadinha da Rabech, nunca mais poderá ter um bebezinho. Passo tenso esse que ela tem. Não é?!

Até o próximo capítulo.❤❤

Meus Imagines: https://www.spiritfanfiction.com/listas/meu-imagines3-3712376

Meus Oneshort: https://www.spiritfanfiction.com/listas/minhas-oneshort3-3489188


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...