1. Spirit Fanfics >
  2. A minha paixão - Jikook. >
  3. Esperança

História A minha paixão - Jikook. - Capítulo 31


Escrita por: Jk-shi

Capítulo 31 - Esperança


Foi muito baixo, mas fez meu coração bater tão forte que achei que ele tinha ouvido..eu coloquei a mão no peito,meu Deus, parecia que eu ia explodir em milhões de Jimins felizes. Minhas bochechas quase rasgaram de tanto sorrir.

_Ele..ele me ama. Ele disse com todas as letras que me ama...ele disse as palavras.. Jungkook me ama.. tá acontecendo de verdade..alguém realmente me ama..eu estou tão feliz..Ele...ele me ama..

Eu saí pulando no mesmo lugar, aquilo me fazia feliz, Jungkook me fazia feliz. Quando estiquei minhas mãos pra cima o corte doeu muito. Eu segurei a mão.

_Ai! 

Foi automático meu lamento, assim como ato de dar beijinhos na palma da minha mão igual o meu amor fez, mas acho que os meus beijos não estão certos, ainda dói.

Eu coloquei a mão na maçaneta da porta e passei a abri, queria pedir beijinho porque a mão doía..parei na hora..o meu coração é que está machucado no momento.

"Quer dizer, eu amava.

"Agora não ama mais!? Como assim Jeon?"

Eu também queria saber..o que eu fiz? Nem no quarto estou! Me apoiei novamente na porta. 

"Eu amava o meu esposo, mas isso era em outra época. Uma na qual eu era obedecido, e não agora que-

_A!

A porta onde me apoiei abriu, eu nem tinha notado que tinha destravado o trinco, dei de cara no chão, esmaguei meu pobre narizinho. Eu sentei no chão com as mãos segurando minha cara. Jungkook e o médico me encaravam curiosos.

_Como eu ia dizendo, uma era em que eu era obedecido e não agora que meu baby deu pra me desobedecer. 

Eu me encolhi envergonhado.

_É...desculpa?

Jungkook balançou a cabeça de um lado para o outro.

_Mais uma punição. Que baby difícil de treinar. Hum, não pode me desobedecer quando bem entender. Sou seu Daddy, seu guia. Sei o que estou fazendo.

_Sim, Daddy.

_Agora entre nesse banheiro, se troque e vá almoçar, não esqueça seu remédio. Eu não vou falar de novo, mocinho. Se eu souber que você não foi almoçar, eu vou deixar você com fome até o jantar, está me ouvindo?!

_Mais, Daddy…

_ Agora, Park Jimin!!

Eu abaixei a cabeça. Passei por ele no caminho pro banheiro. Ele me segurou pela mão, eu olhei pra ele.

_Não faça mais isso, Jimin, me deixa triste e me faz desconfiar de você. Como saberei que dei uma ordem e você cumpriu? Não dá pra confiar, quer que eu fique desconfiado de você o tempo todo?

_Não, Daddy.

_Então não me desobedeça mais.

_Sim senhor.

_Me dá um beijo.

Nos demos um selinho, depois um semi beijo..ele mordeu meu biquinho.

_Vai lá, meu bem.

_Daddy..

_Hum?

_Eu te amo.

Eu queria que ele me respondesse com todas as letras.

_Também..vai.

Suspirei pesado no caminho para o banheiro....pra mim ele não consegue…

………………………….

Jungkook estava tão concentrado em seu novo parceiro que ignorou minha existência completamente, não que isso seja difícil de acontecer, mas assim, eu pude observar um pouco da relação dos dois.

 Jungkook parece muito complicado, mas é simples se olharmos mais de perto. Jungkook tem um desejo simples: Não se parecer com o pai. O que dá errado? Ele se parece com o pai. Ele se sabota o tempo inteiro. 

Eu comecei a tratar Jungkook quando era criança, queria curar ele, mas o objetivo de Jungkook é deixar tudo o que ele passou sob controle dentro dele. O que acontece quando ingerimos algo tóxico? Morremos devagar de dentro para fora. É o que está acontecendo. Não são apenas as altas doses de remédio, é Jungkook não querer encarar o que aconteceu ..a mente e o corpo dele não vão suportar por muito mais tempo... São muitos anos. Ele está sucumbindo à dor. Está matando ele silenciosamente. A anos que eu peço pra ele tentar a hipnose comigo, mas ele jamais aceitou reviver o passado, ver o que tem lá...prefere ignorar o passado .mas ele depende de Jungkook pra sobreviver...vai sugar cada gotinha de Jungkook que tiver, até não restar mais nada. Por isso, quando Namjoon me ligou dizendo que Jungkook pediu para marcar uma sessão com hipnose comigo, eu achei que era brincadeira. Então ele me explicou que surgiu alguém especial na vida de Jungkook. Soube que essa pessoa tem uma influência muito grande sobre ele. Parado aqui, diante de um Jungkook jovial, bonito, sorridente e esperançoso, eu posso afirmar, ele influencia e muito o senhor Jeon, só não sei se ele faz bem ou não. Verdade que o senhor Jeon está diferente, mas Namjoon se mostrou muito preocupado com o que tem acontecido com o filho adotivo dele. Foram muitas internações, muitos remédios..esse menino trás o passado de Jungkook de volta na mesma medida que parece levar ele pra um futuro melhor. Jungkook tem que se tratar agora ou esse menino vai levar ele à morte. Eu vou ter que suspender todos os remédios dele, foi remédio demais, Jungkook mal se mexe.

Ele está diferente... dá pra ver só de olhar. Está sorrindo grande, ele nunca sorri assim, não sem um tom sacana no meio. E os olhos dele..estão vivos.

Eu lembro quando me contaram o caso dele. Eu tinha visto na televisão. Vários colegas meus recusaram cuidar do caso dele, afinal, ele vai precisar de terapia o resto da vida. Eu aceitei porque sou pai, eu tive dó daquela pobre criança, a primeira coisa que lembro quando o conheci foram os seus olhos..escuros, vazios, não tinha nada ali. Fizeram algo muito errado na época. Contaram a ele que o pai o estava estuprando, usando e torturando ele. Não é assim que se conta a alguém que foi manipulado como ele, você precisa aos poucos fazer ele perceber, ir com calma... traumatizaram ainda mais o menino. A assistente social queria ficar ao lado dele, mas ele não quis. Eu estava sentado à minha mesa quando aquela criança entrou sozinha e sentou à minha frente. Ele olhava direto para dentro dos meus olhos, me deixou desconcertado, ele não piscava..eu encarei de volta até que eu mesmo pisquei.

Flashback on

_Perdeu. 

Aquela criança anunciou a minha frente.

_Perdi? Mas não me avisou que estávamos brincando.

_As pessoas nunca avisam quando querem brincar com você, elas vão lá e brincam... você só perde. Aliás, é muito perigoso fechar os olhos perto de alguém que não conhece, eu poderia ter atacado o senhor. O senhor tem que se proteger de alguma maneira, não é?

_Me proteger do que?

_Dos monstros da vida. Eles parecem gentis, mas são monstros disfarçados de boas pessoas. O senhor parece uma boa pessoa.. é um monstro Também?

Flashback off

………………………………

Aquele garoto tinha apenas tristeza, agonia, medo e desesperança, tudo escondido dentro de si. Mesmo assim, nunca levantava a voz, nenhuma alteração, esperava eu virar pra poder piscar.

 As crises..aos poucos as crises aconteceram..quanto mais ele crescia, mais descontrolado ele ficava..a mente dele era devorada ...depois da primeira internação, eu dei remédio pra ele..ele ficou bem rápido, ele passou a associar remédio a paz, então ele passou a faltar a terapia, eu quase não o vejo.. Namjoon pedia apenas os remédios, mais e mais remédios...ele mudou mais ainda. Fechado, agressivo, sem sentimentos, calado..o corpo se feria em crises, eu já estava desistindo… ele não me ouvida.. Jungkook estava se transformando no pai dele. Eu nunca disse a ele porque isso o agitava muito, mas ele era muito parecido: Era grosseiro, inseguro, passou a usar as pessoas, sem amigos, sozinho, sem sentimentos, sem amor, sexo era apenas sexo, o BDSM uma desculpa falsa pra forçar o prazer...em outras palavras: Ele apenas existia. Eu vejo a pintura dele desde criança..eu ainda via alguma tristeza, alguma agonia..aos poucos até isso sumiu.. até sua arte ficou vazia... Jungkook deixou de ser humano..a muito tempo que eu só assino as receitas para lhe dar algum alívio até chegar ao fim. Eu já perdi alguns pacientes, mas Jungkook é o que eu mais senti perder….aquele menino contava comigo e eu não consegui ajudar em nada. Agora que ele deixou eu me aproximar, não vou deixar passar. Eu já vi que ele falou a verdade, ele ama esse menino. Eu não sei como ele conseguiu amar, mas aconteceu...por muito tempo eu achei que Jungkook fosse o único no mundo incapaz de amar, mas aconteceu.. é a oportunidade perfeita..os olhos dele exalam luz vida, tudo isso por passar tão pouco tempo com o baby dele..ele mudou a voz, ficou doce, explicou com carinho ainda que incisivo, se sentiu culpado por deixar o baby triste..e Jungkook o beijou na boca, isso é mais do que raro.. finalmente, Jungkook está virando mortal.

_Como sabia que ele estava ouvindo?

_Hum? Não sabia. Eu joguei verde, até porque ele estava demorando muito. Jimin é um bom menino, só precisa de orientação. Você viu como ele ficou triste? Será que exagerei? Eu não quero que fique zangado, apenas que entenda que o que fez foi errado. Prometi a Jimin ser uma pessoa melhor.. está sendo muito difícil..eu falho quase sempre, mas..eu estou tentando ..tentando de verdade dessa vez. Eu sei, é estranho...Jimin me faz sentir fora da minha zona de controle, mas sabe..eu descobri que..tudo bem não está no controle sempre, não é? Pelo menos eu acho.

Foi a minha vez de sorrir. Eu não acredito..olha o jeito que ele está falando .preocupado com o menino, com o que ele sente. Ele está falante... está falando gentilmente, diferente do que falava antes..eu estava achando exagero de Namjoon, mas não.. é só olhar pra ele sorrindo assim..ainda há uma chance.

_Hum? Porque está chorando? Estranho, ultimamente algumas pessoas tem chorado quando eu falo do Jimin..nem tente me separar dele, já vou logo avisando eu não vou a! O que..porque tá me abraçando?! Sabe que não gosto de toque?! O que há com o senhor?! Não era eu que precisava de apoio psicológico?! Que inferno, me larga!

Eu soltei Jungkook limpando minhas lágrimas olhando ele arrumando os cabelos que eu deixei assanhado. Por causa do que houve, Jungkook tem problemas com toque de outras pessoas. Eu não sou considerado alguém tão próximo como a família dele, ele ainda me rejeita nesse sentido.

_Não foi nada, Jungkook...me desculpa, eu só..eu só…

_Daddy eu...o ..o moço tá chorando.

Jimin saiu do banheiro me olhando assustado, ele ficou sério e olhou pra Jungkook.

_Jeon Jungkook! O senhor não foi grosseiro com o pobre moço, foi mocinho?! Você não fez isso, não é, Daddy?

Jungkook se encolheu na cama como uma criança que fez algo errado.

_Não! Amor, eu juro! Eu não fiz nada com ele! Ele começou a chorar do nada e aí me abraçou! Eu não gosto de abraço então eu afastei ele, eu não fiz-

_Daddy! Ele deve estar triste! Não se faz isso com uma pessoa tristonha. Como se sentiria se fosse abraçar o Jimin triste e eu recusasse? Ia doer no coraçãozinho, não ia? Eu ia ser muito malvado. Você quer ser malvado?

_Hum.. não.

_Então pode abraçar ele.

_Mais-

_Agora, Jeon Jungkook!

_Tá bom, tá bom!

Acompanhei Jimin ajudando Jungkook a se levantar e caminhar até mim.

_Hum..

_Daddyyy!!!

_Tô indo! Calma aí! Isso é difícil, pera.

Jungkook estava analisando meu corpo, tentando descobrir como me abraçar..acabamos nos encaixando num abraço desajeitado, ele passou poucos segundo comigo..mas foi tão terno...ele me abraçou pela primeira vez. Nos separamos.

_Pronto.

Ele se virou pra voltar pra cama.

_Daddy, não está esquecendo de nada não? 

Jungkook suspirou e virou pra mim, estava desconfortável, mas falou enfim.

_Eu sinto muito ter sido grosseiro, eu apenas me assustei, não lido bem com o toque, mas...o senhor não é uma ameaça então.. é isso, me desculpa. Está bom assim, Baby?!

Jungkook se virou para conferir se estava fazendo certo…

_Não sei, ele ainda não perdoou.

Só então eu notei que tinha que falar alguma coisa.

_Sim! Eu desculpo sim.

_Obrigado.

Jungkook me agradeceu.

_Muito bem, Daddy!

Jimin, veio abraçar e beijar o marido, Jungkook sorriu daquele jeito com o elogio dele. Depois ele voltou pra cama.

_Daddy, eu estou com fome, vou lá, eu vou pedi pra trazer comidinha pro Daddy, tá bom?

_Certo, meu bem. Um beijo...agora vá.

_Tchau, Daddy, seja bonzinho com o moço.

_Eu serei. Aliás, Jimin, esse é Taemin, meu piscicológo. Comprimente ele. Sem abraço, ouviu?

_Como Daddy? A mão machucou..

_Acene com a outra.

_Hum..Oi! Sou Jimin o esposo do Daddy! Prazer! 

Eu respondi o aceno...eu acho que ele faz bem sim... é, Jeon, pode deixar, não tentarei tirar ele de você.. é por causa dele..que você agora tem uma chance.

.....................

O médico não é tão malvado assim..eu saí do quarto, mas logo voltei para perto do Daddy. Entrei mostrando minha mãozinha machucada.

_Mô, eu esqueci! Dá beijinho? Tá muito dolorido, eu dei beijinho mas não adiantou, eu acho que tem que ser do Daddy. Beija com muito amor, tá?

_Certo. Me dê aqui sua mão.

Jungkook beijou várias vezes, eu sorri encantado.

_Tá melhor?

_Sim, amor.

_Se voltar a doer, pede remédio pra dor, tá bom?

_Tá, mas o amor vai me dar mais beijinhos pra melhorar mais rápido, né?

_Vou sim, Baby, vai lá.

Um beijo depois e eu estava indo pra fora do quarto, eu fui primeiro pro Yoongi.

_Yooniii! O Daddy tá com fome! Compra comidinha?! Bem saudável porque o Daddy tá doente hoje. A, traz pro moço Também, ele vai sentir fome.

_Certo, mas e você? 

_Hum..o Daddy pediu pra me levarem pra comer.

_Opa, eu levo!

_Taehyung ...hum.. tá bom.

Eu sorri pra ele, acho que tudo bem eu almoçar com ele..



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...