1. Spirit Fanfics >
  2. A Minute of Silence - Imagine BTS >
  3. Um Minuto de Silêncio para Minha Dignidade

História A Minute of Silence - Imagine BTS - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Hello! Prometi que postaria essa semana, e todo esse negócio de COVID-19 ta mexendo com geral, inclusive com a vida da autora que está desesperada com toda matéria que ficará acumulada!

Então, aqui temos mais um capítulo, já percebemos que cada capítulo é de um integrante? Não é mesmo?

Agora é a vez do Lindo Jonnie! Aaaa amo esse homi.

Chega de falar!
XoXo Jizzy 💋

Capítulo 3 - Um Minuto de Silêncio para Minha Dignidade


Fanfic / Fanfiction A Minute of Silence - Imagine BTS - Capítulo 3 - Um Minuto de Silêncio para Minha Dignidade

Sabe aquele sensação de que você já se acostuma com a ideia da morte? Quando a sua mãe ameaça te dar uma coça e você não tá nem ligando mais pra nada?

Já vou morrer mesmo.

Esse é o pensamento constante na sua cabeça.

Jeon Jungkook não é só um cara convencido, descobri agora que ele pode ser bem maléfico também. Com aquela carta em mãos e me encurralando no meio do corredor sem pudor algum, só podia significar uma coisa: “Chantagem”.

— Me diz o que você quer…

— Calma aí… — Ele sorriu. — Você acha que eu sou esse tipo de garoto? — Ele pôs uma de suas mãos sobre o peito fingindo estar ofendido. — Se achou isso, você está certa, porque como você mesma disse naquela carta… “não tem nada admirável no meu caráter.”

Oh não! Será que ele estaria ofendido com essas palavras?

— Olha me desculpa se eu te ofendi com alguma coisa, seja por ter te seguido, invadido sua privacidade ou por causa do que eu falei. — Eu estremeci com o olhar analisador dele sobre mim.

Ele parou de me encurralar e colocou as mãos sobre os bolsos. Seu rosto gritava malícia.

— Eu vou te perdoar por isso… — Ele abriu mais o sorriso. — Mas… Você precisa realmente demonstrar que está arrependida.

Querido, você não sabe o quanto!

— Tá. — Por fim me dou por vencida. — O que você quer que eu faça?

— Quero que jure fidelidade a mim.

— Ãn? — Faço uma cara do tipo: “que que 'cê tá dizendo doido?”

— Você vai fazer tudo que eu mandar! — Ele disse explicitamente. — E eu vou confiar em você pra isso. Aliás… Acho que posso acabar fazendo você passar a ser bem visível para todos, ninguém vai esquecer a garota sem nome.

Cretino!

Não consegui respondê-lo. Definitivamente não quero me envolver com esse garoto. Não quero mais me meter em confusão, mas o que vai acontecer comigo caso Jungkook fale sobre os sentimentos que eu já tive por ele?

Ah, sério? Como eu fui gostar desse cara? Maldita hora em que resolvi escrever uma carta para ele. Jungkook a guardou no bolso e por fim falou:

— Depois da aula, me espere em frente a caixa de correio, garota sem nome. — Ele sorriu. — Vou considerar esse seu silêncio como um sim! Assim o meu silêncio também vai permanecer.

Jeon Jungkook, assim como eu imaginava, é um grande canalha, um grande idiota como costumava pensar, e agora ele me tinha em suas mãos, porque eu não quero estragar tudo agora.

 

(...)

 

Eu ainda espero pela hora da minha morte. Que tipo de desculpa daria para minha mãe? Ela não é controladora, mas quando se trata de me fazer pagar mico ela é profissional.

Não tenho a mínima vontade nem de estar mais na escola. E por isso fingi estar com cólica na aula de educação física e Yoongi deu a desculpa de ter asma, mas acho que não… Inclusive, esse professor nem liga para os alunos, por isso esse é o tempo que tenho para pensar sobre o que eu tenho feito com a minha vida. As besteiras que fiz com ela.

— S/N? O que você tem? — Ouço a voz de Yoongi que me despertou dos meus pensamentos.

— Ah! Nada! — Menti.

— Você está muito quieta… Isso é estranho.

— E você tá muito acordado, e nem por isso 'tô te achando estranho. — Rebati com um sorriso no rosto.

— Porque agora eu tenho você para me manter acordado, mas não vai adiantar de nada se você estiver calada feito uma porta.

— Desde quando portas falam?

— E desde quando você é pensativa?

— Aish! Não posso mais ter meu momento não?

— E eu não posso ter minha amiga quando eu preciso não? — Ele retribuiu cruzando os braços.

Senti minhas bochechas ficarem coradas. Então ele estava ali clamando por atenção? E eu aqui perdendo o meu tempo pensando em Jeon Jungkook?

— Então… Sobre o que você quer falar? — Resolvi perguntar vendo a cara dele ficar meio sem jeito.

— S/N, você por acaso já recebeu uma carta de amor? — Senti a minha garganta ficar seca e meus pensamentos já estavam voltados para meios de fuga caso ele perguntasse se a carta é minha.

— Não… — Fingi tentar recordar. — Nunca na vida. Por quê?

— Bom… — Ele coçou a cabeça como se estivesse sem graça. — É porque eu recebi essa carta e foi justo na hora em que eu tava dormindo.

Ele retirou do bolso a minha carta e a abriu. Revirei os olhos.

— E quando é que você não está dormindo, Min Yoongi? — Brinquei e vi a cara dele ficar meio emburrada.

— É sério, S/N!

— Tá, tá! — Me dei por vencida, tomara que essa conversa não pare onde eu espero que ela vá acabar. — E então…

— A garota diz que gosta de mim. — Ele engoliu em seco.

— Mas essa não é a lógica das cartas de amor?

— A questão é! — Ele deu ênfase. — Não tem nem como eu ver a caligrafia dela! Ela foi cuidadosa.

— E o que você quer que eu faça? — Fui logo na questão.

Como será que Yoongi reagiria caso soubesse que eu sou a autora daquela carta? Será que ele riria? Me rejeitaria? Não sei do que ele seria capaz, mas com certeza ele não iria me chantagear.

Olha só! Voltei de novo a lembrar por que eu tava com raiva!

— Me ajude a descobrir quem é ela! — Ele disse me olhando como se aquela fosse a melhor solução possível.

Sério? Ele quer me conhecer?

— Você quer conhecer a autora da carta? — Perguntei reparando o quanto ele estava ansioso com aquilo.

— Bom, primeiro eu gostaria de perguntar por que ela foi gostar justo de mim… — Ele abriu um sorriso amarelo. — E depois tentaria conhecê-la melhor… Talvez, né? Aconteça alguma coisa.

Quase tive um treco com aquela possibilidade. Ele quer ir mesmo a frente com isso?

— Yoongi… — Engulo em seco. — Eu te ajudo.

— Que bom que eu posso contar com você. — Ele suspirou. — Eu pareço um louco por querer ir procurar por ela, né?

— Não… — Olho para a quadra e avisto Jungkook jogando bola. — Você seria louco caso quisesse apenas conhecer essa menina para desprezá-la.

— É mesmo? — Ele riu. — Que bom, porque ela podia gostar de vários outros caras, poderia gostar do playboyzinho da nossa sala, mas ela acabou gostando justo de mim.

— Playboyzinho? — Repeti o apelido para ter certeza se era mesmo a peça que eu estava pensando.

— Jeon Jungkook! — Ele riu. — Acho que todas as garotas da nossa sala gostam dele.

Por que será, né? Eu por pior que pareça não tava muito diferente.

— Yoongi, você tem muitas qualidades! — Rebati. — Não fale como se você fosse pior que ele. Jungkook é apenas o tipinho jogador e metido a gato!

— Nossa, S/N! — Ele pôs a mão sobre o peito. — Eu achei que você fosse mais uma do time namoradas do Jeon Jungkook, mas que bom que tenho uma apoiadora.

Querido, eu era do time namoradas do Jungkook, agora fui rebaixada para uma escrava, por tenho certeza que é isso que ele vai fazer: me tornar sua escrava.

— Estou aqui pra isso.

— Depois dessa quero você como meu travesseiro. — Ele sorriu e deitou a cabeça sobre meu colo, o que fez a minha cara toda ficar vermelha.

— Aish! Não tá muito folgado não? — Perguntei em tom de repreensão.

— Shii! Meu travesseiro não fala! — Ele disse logo em seguida fechou os olhos e senti que ele realmente iria dormir.

Resolvi ignorar, aquele seria mais um momento em que eu teria a oportunidade de estar perto de Yoongi e de poder saber como é estar amando alguém bacana, bonito, e por melhor que pareça não é ninguém da minha família.

Olho pra quadra onde os garotos comemoram mais uma vitória e onde Jeon Jungkook estava mandando beijos para sua platéia. Mas o pior de tudo foi quando ele olhou diretamente na minha direção e piscou para mim, como se ele fosse a última bolacha do pacote.

Ele está me provocando!

Ah Jungkook! Eu ainda vou me livrar de você.

 

(...)

 

Como havia marcado com Jungkook, lá estava eu, em frente a caixa de correio, plantada a mais de meia hora.

Além de canalha ainda se atrasa?

Olhei para os lados e tudo estava praticamente deserto, nenhum sinal de vida na rua. Jeon Jungkook realmente não pensa em ninguém além de si mesmo, já que eu, uma donzela indefesa, estou aqui nessa rua deserta. Se bem que os alvos costumam ser garotas bonitas… Mas isso não vem ao caso!!

Senti um tremendo frio na espinha quando ouvi um barulho bem na esquina, mas constatei que era apenas um gato mexendo em uma lata de lixo, o bichano estava todo maltrapilho, mas não deixava de ser fofo.

Esse se chamará Jeon Jungkook, o cretino de boa aparência.

— BU! — Dei um grito muito alto ao sentir as mãos de alguém na minha cintura. Sério! Isso não se faz.

Olhei para trás indignada e dei de cara com Jungkook, este que estava com um sorriso sapeca.

— Ficou louco? — Perguntei um pouco alterada. — Achei que ia morrer!

Ele soltou mais risadas como se aquilo fosse muito engraçado.

— Não precisa de drama. — Ele sorriu sacana. — Aliás, fui eu que te “peguei”, isso não é algo bom para você?

Eu claramente entendi em qual sentido ele estava levando a conversa, ao lado mais vergonhoso, lembrar que eu acho ele muito, mas muito gato.

— Não! Não é nada bom você me “pegar!!” — Bati o pé e cruzei os braços. — Então? Pra quê você me chamou aqui?

— Bom… — Ele apontou para a caixa de correio. — Primeiro vim te mostrar onde as cartas devem ser postas, caso você não saiba é na caixa de correio.

Senti uma pontada dentro de mim. Ele está pedindo um belo murro na cara. Sei muito bem onde podemos enviar uma carta! Mas eu não tava afim de botar meu nome e um selo nela.

— Eu sei muito bem pra que serve o correio, Jeon Jungkook!

— E segundo… — Ele disse sussurrando e depois chegou bem perto de mim. — Nós estamos esperando uma carona.

Carona? Que história é essa?

— Aonde você pretende me levar Jungkook? — Digo receosa. — Eu não posso ficar muito tempo na rua, minha mãe vai ficar preocupada.

— Eu não vou abusar de você se é o que está pensando. — Ele riu. — Bem que você queria, mas não é isso. Agora que você é oficialmente fiel a mim, irá me acompanhar junto com os meus amigos.

— Seus amigos? Achei que não tivesse nenhum. — O que era de fato verdade, já que eu só o via cercado de garotas e nenhum garoto, já que eles seriam facilmente ofuscados pela presença dele, assim como os garotos claramente não gostam dele.

— Eu tenho! Não sou amigo de ninguém da nossa sala, assim também como não considero nenhuma daquelas garotas como minhas amigas... — Ele colocou um sorriso safado no rosto me fazendo compreender que ele não tinha intenção de ser amigo, e sim mais um amante para elas. — Meus amigos são uns caras do terceiro ano.

Terceiro ano? Jura?

Caras do terceiro ano são tratados como deuses, já que estão prestes a ir para faculdade. Também são os caras que tem mais fama de “não virgens” e sim! São como os reis da escola.

Ainda não entendi por que as escolas têm esse tipo de hierarquia, já que em feiras culturais, preparo para provas e até com a diretoria da escola os alunos do terceiro ano tem prioridade.

— Aí vem eles.

Fui tirada dos meus pensamentos e vi um carro vindo em nossa direção, mais especificamente uma picape verde escura, mas essa não foi a pior parte. A pior parte é que as pessoas que eram para estar dentro do carro, estavam sentadas na parte de carga.

A janela do carro se abaixou e um garoto com uma cara de malandro estava dentro. Ele usa óculos escuros assim como podia ver algo que parecia ser tatuagens em suas mãos, o seu cabelo era um pouco raspado e tinha um penteado bem exótico, uma espécie de topete, mesmo assim o cara não deixa de ser um gato.

— Namjoon hyung! — Jungkook abriu um sorriso e comprimentou esse garoto extremamente bonito no carro. Eles trocaram os comprimentos e logo em seguida senti o olhar dessa cara sobre mim.

— E quem é a gatinha? — Ele perguntou abrindo um sorrisinho e exibindo seu dentes perfeitamente brancos.

— Ah… Essa é a S/N! — Ele me puxou para perto da janela do carro. — Ela meio que agora vai fazer parte da turma. — Senti o braço de Jungkook passar por detrás do meu pescoço e pôr sua mão “gentilmente" sobre o meu ombro, me puxando para perto dele.

Olhei assustada para Jungkook que tinha uma expressão que gritava malícia. Ele provavelmente estava querendo dizer que minha vida de escrava seria muito longa.

Namjoon abriu um sorriso sacana e retirou os óculos. Ele me olhou dos pés a cabeça e eu juro por Deus! Ele mordeu o lábio!

Não acredito. Um cara do terceiro ano estava explicitamente me olhando como eu olho para um hambúrguer!

— Sei… — Ele disse com a voz sussurrante. — Entra aí! As gatinhas tem prioridades!

Jungkook novamente me puxou como se eu fosse um animalzinho na coleira, com uma habilidade incrível subiu na parte traseira da picareta e me estendeu a mão para que eu subisse também.

— Eu não posso ir dentro do carro? Sinto que é mais seguro! — Disse vendo o olhar de todos os outros sobre mim. Ao todo eram 4 meninos também muito bonitos.

Jungkook revirou os olhos e novamente balançou a mão em um recado para que eu subisse logo.

— Deixa disso. — Ele disse um pouco ríspido. — Você é muito certinha, aprenda a burlar um pouco as regras.

Por fim, decidi desistir da ideia de contrariar ele, já que todos ali estavam querendo muito ir logo. Segurei firme em sua mão e com força ele me puxou para dentro da picape.

Eu meio atrapalhada quase cai em cima dele, mas acabei sendo amparada pelo mesmo, fazendo com que uma de minhas mãos parassem em seu peito. Olhei um pouco para cima e dei de cara com aquele maldito sorriso convencido dele, só depois reparei que eu ainda segurava firmemente a mão dele. Corei de imediato e soltei as pressas minha mão da dele.

Ouvi um riso baixo dele, e assim como ele os outros caras estavam vendo a cena com um sorriso, como se eu fosse muito óbvia, como se eu fosse uma garota tonta e apaixonada por Jungkook.

— Então você se chama S/N? — Um garoto loiro se pronunciou a minha frente. Corei ao ver como ele é bonito, estava usando uma regata que deixava seus braços de fora. — Meu nome é Jackson Wang e eu, de modéstia parte, sou o mais lindo daqui, já já você esquece esse garotinho. — Disse provocativo e apontando o queixo para Jungkook.

Juro que preciso de um lugar para me enterrar. Não tô conseguindo lidar. Olhei para Jungkook que balançou a cabeça negativamente enquanto tinha um sorriso no rosto.

— Deixa a menina cara! — Um moreno se pronunciou ao seu lado, ele usava uma calça que parecia ser de educação física azul e uma camisa branca. — Meu nome é Jinyoung e eu estou aqui para não deixar esses caras fazerem besteira.

Besteira? Que tipo de besteira?

— Como assim fazer besteira? — Perguntei um pouco receosa se realmente aqueles garotos eram boa companhia.

— Não é nada demais, não são crimes se é o que está pensando. — Jinyoung falou enquanto abria um sorriso meigo no rosto. — É que esses caras são muito loucos às vezes.

— Não venha se fazer de certinho! — O outro garoto que usava brincos e o cabelo meio bagunçado chamou atenção de todos para si. — Eu sei muito bem que você também adora se meter em confusão. — Esse garoto me fita e coloca o punho sobre a minha frente em um gesto silencioso de “toca aqui” e eu acabei consentindo. — Meu nome é Jaebum e sou o rei desses caras! Confusão é comigo mesmo.

— Que blefe! — Jungkook comentou e arrancou uma risada por parte dos outros.

— O único de nós que toca o terror na escola é o Namjoon, esse sim gosta de confusão! — Comentou Jackson como se recordasse de algo. — Ele não dispensa mesmo um bom perigo.

Ele tem cara mesmo.

— Ele briga na escola? Mas ele não seria expulso por causa disso? — Perguntei com uma dúvida eminente no meu rosto.

— Não são bem brigas… — Jinyoung coçou a cabeça. — É que são os namorados das garotas que querem matá-lo.

— Resumido: Namjoon ama pegar uma garota comprometida. — Jungkook completou olhando bem em meus olhos. — Ele provavelmente achou que você S/N é minha namorada ou algo do tipo e já ficou bem interessado.

Isso explica aquela mordida de lábio!!!

— Pera! Ela não é sua namorada? — Jackson falou assustado e Jungkook afirmou com a cabeça. — E eu aqui respeitando o espaço dela!

Jackson em um movimento rápido engatinhou até perto de mim e se sentou ao meu lado, com um sorriso convencido no rosto. Eu ainda não sei qual é a desse garoto.

— Jackson Wang! O homem dos seus sonhos! — Estendeu a mão como se estivesse se apresentando novamente.

— Não, não é. — Rebati na lata.

— Nossa! — Ele fingiu surpresa. — Sabe, eu gosto das mais difíceis.

Lhe olhei de modo como se o que ele estivesse fazendo era coisa de outro mundo, aliás, por que todo mundo dentro daquele carro estava tentando ser legal comigo?

— Acho melhor fazer alguma coisa Jungkook. — Jinyoung falou com um sorriso. — Jackson não vai deixá-la em paz até você fazer algo.

Jungkook abriu um sorriso maléfico e abriu o celular.

— Sabe Jackson… — Ele iniciou seu discurso enquanto olhava o celular. — Eu ainda tenho algumas fotos daquela festa na casa da Yun e você tem uns belos closes nela…

Jackson arregalou os olhos como se estivesse com medo. Parece que eu não sou a única que sofre de chantagem aqui no grupo deles.

— Jungkook, nem brinca com isso. — Jackson pôs as mãos em frente ao corpo em forma de súplica. — Eu tava bêbado.

— Seria bacana mostrá-las para S/N. — Jungkook mexeu mais ainda no celular, o que fez com que Jackson imediatamente voltasse para o seu lugar de antes.

— Mais uma vítima de Jungkook! — Jaebum comemorou enquanto dava risadas.

Conhecendo melhor Jungkook agora, posso ver que isso faz sim parte da sua personalidade, a chantagem é uma forma de poder dele e parece que ele não a usa só comigo.

O carro finalmente parou e vi que nós estávamos parados em frente a uma loja de conveniência pouco movimentada, parecia mais um mini mercado, e tudo me indica que é aqui que as confusões acontecem.

Todos desceram da picape. Tive que descer com a ajuda de Jungkook, como sou azarada não duvido nada de que eu caia de cara no chão.

— Vamos lá comprar as bebidas! — Namjoon anuncia saindo do carro e pude reparar mais no quanto ele é alto e bonito. Usava um estilo bem despojado, calças jeans meio rasgadas, uma camiseta preta e um casaco verde musgo que lhe caia muito bem.

Pera, bebidas? Ele não está dirigindo? E eu não posso beber em hipótese alguma, se minha mãe descobrir ela me mata.

— Para as crianças vai ser refrigerante. — Namjoon avisa e depois dá uma espécie de peteleco em Jungkook, que fica meio irritado pelo ato.

— Hyung! Já disse que eu não sou mais criança. — Jungkook reclama pelo fato de ser tratado assim.

— Ainda assim, está sob minha responsabilidade agora. — Ele abre um sorriso. — Aliás, você não quer passar uma imagem ruim para sua garota, não é?

Senti o olhar dele pousar sobre mim e acabei corando. Namjoon sabe como ser sensual e ao mesmo tempo muito legal. Ele me mandou uma piscada e logo em seguida andou em direção a loja de conveniência.

— S/N… — Jungkook chegou até perto de mim. — Vá e me compre um refrigerante.

Ele estendeu a mão com o dinheiro e eu arqueei a sobrancelha, me perguntando se aquilo realmente era sério.

— Você é muito folgado. — Cruzei os braços o que fez com que Jungkook ficasse um pouco mais ansioso.

— E eu devo te lembrar o porquê você está aqui? — Disse provocativo.

Por fim desisti da ideia de rebater e acabei indo comprar o bendito refrigerante pra ele. Assim que voltei, Jungkook olhou para a sacola e fechou a cara.

— Eu não gosto desse refrigerante! — Ele olhou para a latinha e fez uma careta. — Vá lá e me compre outro!

Estendo a mão para que ele me desse o dinheiro e ele fingiu não perceber.

—Você que desperdiçou o meu dinheiro! — Ele disse provocativo. — Vá lá e compre com seu dinheiro.

Vai pra puta que pariu!!!!

Senti uma imensa vontade de jogar esse refrigerante na cabeça dele, tava na minha cara que eu queria matá-lo e todos os garotos perceberam isso.

Senti uma mão sobre o meu ombro e vi que era Namjoon com um olhar acolhedor.

— Calma aí S/N... — Ele sorriu. — Eu vou lá e compro um com o meu dinheiro mesmo.

Juro para vocês que eu vi asas de anjo e um aro dourado aparecer em cima da cabeça dele, porque ele só pode ser um anjo para me salvar assim.

Andei até a lojinha novamente e vi como Namjoon era alguém muito legal para ser amigo do Jungkook. Ele comprou o refrigerante e por fim me encarou me entregando a sacola com o refrigerante preferido do Jungkook, que para minha informação agora é uma Pepsi.

— Não liga para as provocações dele S/N. — Ele disse em um tom sério, parecia até um irmão mais velho. — Ele deve estar com raiva porque eu não deixei ele beber, agora está descontando em você. Atitude de uma criança birrenta. — Ele riu.

É realmente, isso é atitude de uma criança birrenta.

Saímos do estabelecimento, e eu fiquei um pouco surpresa com a cena que vi. Jungkook estava dentro de um carrinho do mercado igual uma criança, se divertindo enquanto Jackson o empurrava e Jinyoung e Jaebum competiam junto deles em uma corrida.

— Jungkook! — Gritei. — Está aqui o seu refrigerante!

— Agora eu não quero mais! — Ele gritou novamente o que me fez bufar irritada.

Andei em círculos esperando e resolvi descansar um pouco. Essa chantagem está me matando. Sentei na calçada bem de frente para os garotos que se divertiam como crianças no estacionamento, andando de um lado pro outro dentro de um carrinho.

Olhei para o lado e reparei que Namjoon estava ali, calado e fumando um cigarro.

Ele olhou para o alto e soprou a fumaça presa em seus pulmões, aquele olhar parecia bem distante, coisas parecidas com os filmes com os protagonistas que são lobos solitários. Não é atoa que esse cara chama atenção das garotas.

— Então S/N, qual é a carta que Jungkook tem contra você? — Namjoon me perguntou sem ao menos me encarar nos olhos.

Ele tem literalmente uma “carta” contra mim.

— Ãn? — Me fiz de desentendida.

— Tá bem na cara que ele tá te chantageando. — Namjoon riu. — Isso é bem a cara desse moleque, aprendeu desde de cedo a ser bem sacana com os outros.

Namjoon realmente conhece Jungkook, não é atoa que ele o conhece desde de criança.

— Não sei se eu posso te dizer… — Fico um pouco corada. Como digo que eu, como uma imbecil, fui pega no flagra entregando minha tão idiota carta?

— Tudo bem. Se não quiser dizer não diga. — Namjoon tragou o cigarro novamente e sorriu. — Sabe… Esse moleque desde pequeno faz esse tipo de coisa, mas a única pessoa com quem ele não pode fazer isso é comigo.

— Ele nunca fez isso com você? — Perguntei sem acreditar.

— Não! Sabe por quê? — Ele riu. — Porque quem deve demais, teme o que pode acontecer.

— O que isso quer dizer?

— Que eu sei todos os podres dele. Não há como ele tentar me manipular através de chantagem, S/N, eu arrumaria um jeito de me livrar e ele sabe muito bem disso. — Namjoon falou dessa vez me olhando nos olhos.

— O que está tentando me dizer? — Perguntei sem entender o rumo daquela conversa.

— Tente rebater, S/N! — Disse encorajador — Não se prenda a essa chantagem, com certeza ele espera que você abaixe a cabeça e fique assim.

E é exatamente isso que eu ia fazer.

— Mas o que eu faço?

— Olha… Acho que eu não devia fazer isso, mas também acho que já está na hora de dar uma lição naquele moleque. — Ele sorriu maléfico e eu vi muita semelhança nesse sorriso com o do Jungkook, se ele aprendeu a ser mal caráter, deve ter sido com o Namjoon. — Jungkook aparenta ser assim, um garoto bom em tudo, mas ele…

 

(...)

 

Virou agora uma espécie de costume Jungkook me chamar por mensagem para cumprir alguma coisa para ele. Isso já está me deixando fora de mim. Se ele quer guerra, ele vai ter!

Já disse para vocês que eu gostei do jeito do Namjoon? Pois então, ele foi de grande ajuda, e por isso escrevi outra carta, digitalizada dessa vez.

 

"Querido Namjoon,

Não sou mais uma admiradora e nem mais uma das garotas que quer ser sua namorada, eu apenas estou aqui para dizer que: 'Eu te amo!'

Não no sentido romântico, mas sabe? Como você pode ser tão legal? Estou aqui para lhe dizer que você é o melhor para mim.

 

De: Garota sem nome

Para: O lobo solitário."

 

Não é bem uma carta o que eu escrevi, é mais como um bilhete de agradecimento, já qur o que estou prestes a fazer não seria possível sem ele.

Antes de entrar na sala, liguei o gravador do meu celular e criei o máximo de coragem que eu tinha para acabar com aquilo

Para acabar com Jungkook.

Entro na sala de ciências na qual Jungkook havia me pedido para encontrá-lo e lá estava ele, deitado sobre os bancos lendo um mangá de ação qualquer. Estava tão concentrado que nem me olhou.

— Você demorou demais.

— E você é um chato! — Reclamei. — Tem mais de dez mensagens suas aqui, não é como se eu fosse sua escrava.

Jungkook arqueou a sobrancelha e se levantou, chegou bem próximo a mim e me puxou pela gola da camisa. Ele fez menção de se aproximar dos meus lábios, mas antes disso ele soltou um riso e chegou bem perto do meu ouvido.

— Outras garotas estariam se matando para estar no seu lugar, fazendo o que está fazendo agora. — Ele riu. — Você não gosta disso, S/N? Não era isso que queria? Minha atenção?

Senti minha garganta ficar seca por um instante, cerrei os punhos e franzi a sobrancelhas.

— Que se dane você! — Disse com raiva.

Jungkook pareceu surpreso com a minha atitude e eu me livrei do seu aperto.

— Você que sabe! — Ele sorriu e novamente tirou aquela carta do seu bolso. — Você vai se entender com as outras garotas.

— Jungkook, você gosta de pagar uma de bonzão, de "o rei das garotas", mas não passa de um garoto mimado! — Senti o ego dele ser cutucado. Provavelmente ele odeia ser comparado a uma criança.

— E quem é você para julgar isso? — Ele riu. — Uma garota que se esconde atrás das cartas, que nunca sequer deve ter beijado na vida!

— Pelo menos eu não broxei na minha primeira vez. — Fiz o comentário maldoso e esperei o resultado.

Jungkook estava paralisado, não sabia ao certo o que falar, mas ele apontou o dedo para mim e perguntou:

— Quem te contou isso? — Ele perguntou assustado, como se realmente fosse verdade e bingo! Realmente era.

— Um passarinho verde.

Dêem um minuto de silêncio para minha dignidade, pois ela foi para o ralo... Ou não.


Notas Finais


Palavra chave: CHUPAAA!

GOT7 e BTS são parças né meus amores? Inclusive Jackson e Namjoon.

GOT7 fazendo um feat AQUI só de bobeiras.

De quem será o próximo?

Bjsss XoXo Jizzy 💋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...