1. Spirit Fanfics >
  2. A missão de uma cupido. >
  3. Aproveitador.

História A missão de uma cupido. - Capítulo 8


Escrita por: Catzinhaloka

Notas do Autor


Mais um capítulo meus amores e de madrugada kkk, gente assim o sono não bate a gente termina o cap e da nisso.
Boa leitura.

Capítulo 8 - Aproveitador.


Fanfic / Fanfiction A missão de uma cupido. - Capítulo 8 - Aproveitador.


Depois de olhar aquela garota ficar toda feliz só por causa de um algodão-doce, eu realmente me pergunto o que eu vejo nela, ela é irritante, chora muito fácil por qualquer coisa e isso me irrita demais, tá sempre sorrindo querendo mostrar os dentes, sendo muito simpática e feliz, ela não pode ser assim o tempo todo, tem que ter um lado horrível nela e eu vou descobrir o que é.

Então olhei ela colocar seu dedo indicador na boca só para comer o doce que grudou nele.

- Não coloca o dedo na boca, é nojento - Chamo sua atenção e ela tira o dedo da boca.

- Mas tá tão gostoso, prova - Ela coloca sua mão suja de doce aberta na minha frente e eu tiro da minha cara.

- Qual parte do é nojento, você não entendeu? - Respondo sendo grosso e ela não fica nem um pouco surpresa.

- Chato, não sabe aproveitar os momentos, depois reclama que eu não converso com você - Ela resmunga e eu seguro sua mão com os dedos sujos de doce.

Dou um suspiro já me arrependendo do que ia fazer, então eu coloco o seu polegar na minha boca e chupando sentindo o gosto de açúcar.

- Não gosto de doce, satisfeita - Perguntei após tirar o seu dedo da minha boca e percebi que a mesma me olhava chocada com o que eu havia feito - Por que me olha desse jeito, quer que eu chupe outra coisa?

- Tipo o quê? - Perguntou ela ainda me olhando chocada e eu dou um sorriso malicioso e a olho de cima a baixo, já pensando nas coisas improprias que poderia fazer com ela e fato de ela ser boba deixa tudo mais divertido.

- Quer descobrir? - Estava provocando e ela puxa sua mão de volta me fazendo soltá-la, percebi que ela ficou completamente sem graça.

- Seu machucado - Ela fala apontando o dedo no corte pequeno do canto do meu lábio, só para mudar de assunto e eu percebi seu olhar triste agora - Deve ter doído?

- Não foi nada demais - Arrumo meu blazer a e mesma já segura na minha mão olhando os machucado nas juntas dos meus dedos.

- Não devia brigar com um ser celestial, eles podem se curar e você é um humano - Ela me puxa indo até o sofá e me empurrando fazendo eu sentar nele, não tem nem um pingo de delicadeza essa garota.

- O quê vai fazer? - Perguntei a olhando e ela pega a caixa de primeiros socorros que tinha no armário da sala, não sei como ela sabia que tinha uma ali.

- Vou cuidar de você, querendo ou não você ainda é a minha missão e preciso que esteja bem - Aquela garota vinha na minha direção e coloca a caixa de primeiros socorros do meu lado - Fisicamente e emocionalmente.

- Eu estou bem, não preciso... - Tento me levantar do sofá, mas como ela na minha frente a mesma me empurra de volta e senta no meu colo de frente para mim.

Eu realmente fiquei surpreso com a atitude dela, para mim ela é sempre boba e inocente, estou começando a pensar que ela esta andando demais comigo, mas ter ela sentada daquele jeito em mim me deixa um tanto nervoso, não que nunca tenhamos ficado próximos, porém, daquele jeito faz eu pensar em coisas que não seria permitido no horário nobre.

- Claro que precisa, eu hein garoto teimoso - Comenta ela pegando um cotonete e uma pomada - Se você se machucar, eu me machuco também, a sua dor é a minha dor, mesmo que você seja um cara chato e mal-humorado, eu entendo o seu lado e fico triste por você que teve que lidar longos anos de solidão, eu não sei como é ficar sozinho por muito tempo, até porque eu raramente estava sozinha, mas eu vejo o quanto você precisa que cuidem de você, também sei que quer ser cuidado, do contrário não deixaria eu nem te tocar.

- Acho incrível como se importa comigo - Comento a fazendo rir, não sei qual era a graça.

- É claro que eu me importaria, afinal você é meu amigo - Ela responde me olhando e sorri para mim, ninguém nunca  tinha se importado tanto comigo igual ela.

- E sua missão - Completo o que ela iria falar em seguida e a mesma fica sem graça.

Fico olhando ela passar a pomada na minha mão toda concentrada, olhar ela daquele jeito faz meu coração bater mais rápido, me deixando bem nervoso e com vontades que jamais diria em voz alta, se não eu apanharia, quando eu sinto dor em uma parte bem machucada e mexo a mão por arder a fazendo me olhar.

- Cuidado - Falo bravo com aquilo e ela sorri para mim, parecendo se divertir com meu sofrimento.

- Desculpa - Ela assopra meu machucado e voltou a se concentrar a passar a pomada eu fico a encarando pensando no quanto ela é linda para estar com aquele sujeito mole, que com certeza nem deve conversar com essa garota direito e ainda acreditam que podem me enganar com essa de namorados, ah tá bom, no dia que ela recusar eu beijo e disser que não está interessada em mim, eu vou acreditar - Tá doendo muito?

- Não - Respondo ainda a olhando e pensando que agora eu entendo o que vejo nela.

Reparei no jeito fofo que ela mordia o lábio para não errar nenhum lugar e principalmente tentar ser o mais delicada possível, aquilo por algum motivo me fez sorrir, por fim ela faz um curativo e dando um beijo em cima.

- Por quê um beijo? - Perguntei sem entender e a mesma me olha sem graça.

- É que eu acredito que recebermos um beijo com amor no machucado, ele cura mais rápido, principalmente se for de um cupido, então se considere sortudo - Responde ela e eu dou um sorriso com aquilo já pensando em algo que poderia me beneficiar naquele momento, então ela tenta sair do meu colo, mas eu a puxo a fazendo se sentar de volta.

- Você tem que fazer isso direito, não vê que eu tenho outro machucado aqui - Falo me referindo ao corte no canto do meu lábio e ela me olha brava já percebendo as minhas intenções, não tenho culpa se gosto de beijar ela - Você mesma disse que cura mais rápido.

- Você é um aproveitador, sábia? - Ela fala segurando no meu queixo com a mão se aproximando e me dando um beijinho no canto do meu lábio, aquela aproximação repentina me deixou tão nervoso que me coração estava batendo bem rápido, então ela se afasta - Pronto.

Ela tenta sair do meu colo de novo, mas eu a seguro de volta e a mesmo coloca a mão sobre meu peito provavelmente sentindo o meu coração que batia bem rápido e por causa dela.

- Tá de brincadeira comigo? - Perguntei bravo a olhando, dessa vez eu seguro no seu queixo e me aproximo para beijá-la.

Meus lábios tocam os dela e a mesma retribui meu beijo de imediato, apesar de a dor no corte em meu lábio estar ali com ela deixava tudo mais agradável, minha mão desliza para seu pescoço, percebi que ela se arrepiou com meu toque e eu sinto suas mãos nos meus ombros, eu quero muito mais que só beijos, me pergunto se ela deixaria eu ultrapassar a linha que estávamos.

Encosto-me no sofá com ela ainda me beijando, sinto sua mão sobre minha nuca me causando um ligeiro arrepio, assim eu coloco minhas mãos sobre suas coxas e apertando, ela solta um gemido baixo entre o beijo, mas eu ouvi e acabei dando um sorriso na hora, quando eu ia beijá-la de novo alguém começa a tossir na sala.

- Foi mal, eu não quis acabar com o clima quente que estava rolando entre os dois, só estou passando por aqui mesmo, podem continuar - Klaus fala olhando a gente com aquele olhar malicioso e um sorrisinho no rosto, então a Dina sai de cima do meu colo e saiu dali o mais rápido possível.

- Valeu Klaus - Falo bravo com meu irmão que atrapalhou um momento bom e ele vem se sentar do meu lado.

- Até quando vai ficar se aproveitando da bichinha, ela pode começar a gostar de você de verdade se agir assim - Klaus chama minha atenção e eu sorrio com aquilo.

- Se ela se apaixonar por mim, será uma boba - Respondo olhando ele.

- Mais ela é bobinha, você não vê o jeito dela Cinco, olha que essa história de ficar fingindo de tá apaixonado para brincar com os sentimentos da coitada, isso não vai dar bom para você - Klaus queria me alertar e eu rio da cara - O jeito que você quer beijar me fazendo pensar, que você é o emocionado aqui.

- Claro que não, eu só quero descobrir quem ela é de verdade e se para isso eu precisar agir do jeito que ela precisa, eu faço - Respondo ficando pensativo se eu deveria contar a ela que aquela tal poção não surtiu efeito nenhum em mim, então eu suspiro olhando o curativo que ela fez na minha mão.

- Por que eu acredito que você tá se apaixonando por ela? E só o sentimento de culpa vindo né maninho - Klaus fala me olhando sorrindo.

- Cala a boca - Digo e saio dali sem querer ouvir mais nenhuma palavra dele.

*******************

No dia seguinte...

*******************

Estava no meu quarto me arrumando para mais um dia de trabalho em busca do amor perfeito para o Cinco, mas eu acabo sem querer pensando no beijo que eu tive com ele ontem na sala, na forma em que ele segurou em meu queixo e se aproximou para me beijar e... Dina, para com isso agora.

- Existem certas coisas que você não pode ter, então para de ser doida e iludida - Falo comigo mesma olhando no espelho e me dou um tapa na cara, eu precisava disso - Eu não posso tê-lo e nem ele pode me ter, não se iluda por algo que vai ser impossível.

Dou aquela dose de senso para mim e fiquei me olhando no espelho triste, ele só me quer por causa da maldita poção, do contrário ele nem gostaria de mim, eu preciso colocar isso na minha cabeça urgente.

Termino de me arrumar e ao quando abro a portado meu quarto para sair, eu vejo o Cinco parado com a mão fechada levantada, como se ele estivesse pronto para bater na minha porta.

- Oi!? - Sorrio ao vê-lo, mas paro porque ele pode interpretar errado meu sorriso e não quero que ele pense que gosto dele de verdade.

- Eu ia de chamar para sair hoje, tipo dar uma volta no parque? - Ele estava todo educado, achei estranho porque geralmente, ele fala para mim já ir com ele no jeito mandão dele.

- Eu ia adorar, mas eu não posso ir - Respondo sem saber o que ia dizer como desculpa para ele me deixar em paz hoje.

- Ah é esqueci, que vai se encontrar com o corno - Ele comenta sendo sarcástico e eu saio do meu quarto.

- Ele não é corno - Eu nem sequer sabia o que significava aquela palavra que ele tanto dizia, mas eu não me importo com isso, preciso fazer esse garoto me esquecer - Ele é gentil, legal e meu namorado.

- Você me beijou mais três vezes, isso por si só já prova que você traiu ele - Ele joga a culpa em mim e eu fico brava.

- Todas às vezes, você que me beijou, não eu - Respondi andando na frente e com ele me seguindo.

- Mas retribuiu o meu beijo mesmo assim, o que não deixa de ser uma traição - Ele quer me provocar e eu fico com vontade de bater nele, que desgraçado, mas eu mantenho o auto controle.

- Cinco, o que quer de mim? Uma validação por ter me beijado mais de três vezes - Perguntei sendo direta, eu realmente não entendo ele às vezes.

- O que eu quero? - Ele parecia confuso em responder e eu estranho, geralmente ele tem sempre uma resposta na ponta da língua.

Então quando ele ia me responder, a campainha toca e eu vou até à porta atender e para a minha alegria era o meu amigo e falso namorado, o Gabriel.

- Ai graça a deus - Falo saindo para fora e o puxando comigo, antes que o Cinco começasse a me seguir - Eu tenho uma pergunta, você pode voltar para o paraíso a hora que quiser?

- Claro que posso, onde acha que passo minhas noites? - Ele responde e eu sorrio pensando em algo que meu amigo poderia me ajudar.

- Eu vou precisar de um favor seu e depois eu prometo te dar o que quiser, mas só dessa vez me salve - Falo implorando por sua ajuda e ele me olha estranhando.

- Lá vem bomba, fala - A curiosidade dele ganha e eu sorrio ao fazer meu pedido a ele.

- Eu vou precisar que traga uma coisa para mim, que vai me ajudar a resolver o problema com o garoto - Digo com um sorriso maligno, eu tenho um plano de descobrir se o efeito da poção do Cinco passou ou não.

- O que seria? - Gabriel pergunta cansado de eu ficar fazendo suspense e eu vejo que o Cinco saiu para fora e ficou olhando a gente, credo garoto perseguidor ciumento do que não é dele, como eu posso pensar que gosto disso.

Me aproximo de Gabriel e falo em seu ouvido, o meu pedido e assim que acabo ele me olha indignado, por saber que seria difícil de ele conseguir o que eu queria.

- É sério? - Ele pergunta e eu balanço a cabeça confirmando e o mesmo solta um suspiro cansado - Vai ficar me devendo uma.
- Eu sabia que podia contar com você - Digo o abraçando ficando toda feliz e fica um clima estranho por estarmos muito perto - Tchau!? Até daqui a pouco.

- Tá bom - Ele fala me olhando se separar dele e voltar a entrar na casa, assim passando por Cinco que me olha bravo, mas eu não ligo e mantenho meu sorriso no rosto.

Vou para sala e me sento no sofá e o Cinco senta do meu lado me olhando e eu evito olhá-lo.

- Parece que está livre agora? - Ele chama minha atenção e eu sorrio.

- Eu não quero sair mais de casa hoje, só quero ficar de boa - Respondo feliz que logo vou conseguir tirar toda a essência da poção nele e ele finalmente ira me esquecer.

- E o que pretende fazer? - Ele pergunta me olhando e ao ter contato visual com ele, meu coração começou a bater rápido, droga, odeio quando esse garoto me olha assim, faz eu ficar apaixonada.

- Não sei, mas eu preciso falar com o Klaus, agora e em particular - Me levanto do sofá e saio da sala bem rápido já indo direto para o quarto do meu amigo, que estava dormindo para variar, então me aproximo dele já o acordando - Eu acho que estou apaixonada pelo o Cinco?

- O quê? - Meu amigo pergunta com cara de sono e me olhando sem entender o que eu disse.

- Tipo o meu coração dispara toda vez que olho para ele, às vezes eu sinto que vou ficar sem ar, meu corpo inteiro arrepia quando ele coloca a mão no meu pescoço, a momentos em que fico muito nervosa com ele, principalmente quando ele me beija de forma inesperada e sei que é errado gostar dos seus beijos, mas eu gosto e isso me deixa cada vez mais agoniada, isso significa o quê? - Estava sentada na cama do meu amigo e ele sorri para mim antes de falar qualquer coisa.

- Você pensa nele, quando está sozinha? - Ele pergunta parecendo curioso e eu estranho.

- Claro que sim, ele é minha missão, esta constantemente na minha cabeça - Respondi olhando ele e o mesmo se senta na cama  já segurando minhas mãos, como se fosse dar uma notícia muito ruim para mim, mas seja o que for, eu estou mais que preparada.

- Os dois tem se beijado constantemente, eu não julgo, também estaria beijando o crush a toda hora, mas você já parou para pensar em algum beijo que tiveram e sorriu por gostar de lembrar da sensação gostosa que teve? - Ele me pergunta e eu fico um pouco pensativa.

- Talvez - Respondo ficando mais nervosa com aquela conversa e já aceitando a minha resposta para minha pergunta inicial.

- É amiga, você esta apaixonadíssima - Klaus me da um tapinhas das minhas costas e eu dou um suspiro ficando triste - Por que parece triste?

- Eu não posso amar um humano, coisas ruins podem acontecer, por tanto Klaus me prometa que jamais ira contar isso a alguém? - Digo o olhando séria, aquilo realmente não era uma brincadeira - Me diga que nunca vai contar isso ao seu irmão e nem a mais ninguém.

- Mais por quê... Ah! Aquele bagulho de cupido né, desculpa às vezes que esqueço que é um ser celestial - Klaus se distraia e eu o belisco no braço fazendo ele ter foco - Ai, eu prometo que a minha boca é um tumulo.

- Ótimo - Falo ficando mais calma e me levantando da cama.

- Mas o que pretende fazer em relação aos seus sentimentos? - Klaus queria mesmo saber daquilo e eu o olho ao chegar perto da sua porta.

- Vou escondê-los até completar minha missão, depois que voltar para o paraíso, eu com certeza vou esquecê-lo - Respondo e saio do seu quarto já ficando apreensiva com toda aquela história.

Esconder meus sentimentos será o mais sensato a se fazer, eu preciso focar na missão que é encontrar um amor para o Cinco e essa pessoa não pode ser eu, não quero morrer para viver com um amor de mentira de homem que jamais me daria garantia que vai me amar. 


Notas Finais


Eita, quero nem ver quando a Dina descobrir que a poção fez efeito nenhum nele e que o bonitinho só tá atuando pra descobrir a verdade dela, sendo que ela mesma já contou, aiai esse Cinco.
Até o próximo capítulo meus amores bjss.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...