História A Monster is Born - The Walking Dead - Capítulo 24


Escrita por:


Notas do Autor


Já falei que sou horrivel com títulos? Então, sou horrível com títulos.

Explição rápida:
Desde o início vocês já devem ter visto que a Luci da uns surtos de raiva e não, ela não ficou assim depois dos testes, ela tem isso desde de pequena. Mas na maioria das vezes ela é sempre um amor de pessoa.

Explicação terminada, podem ler agora.

Capítulo 24 - Sem ele, sem mim.


Daryl pov:

Como uma garota daquele tamanho poderia chutar tão forte? Eu já estava andando com os outros mas minha barriga ainda doia e eu ainda tinha que aturar as piadinhas do Merle sobre isso, que maravilha. Mas ela não precisava fazer isso, estávamos levantando a voz um pro outro? Sim, mas não era como se eu fosse agredir ela ou algo do tipo.

Agora ela estava lá na frente afastada de todos, o garotinho estava do seu lado e segurava sua mão enquanto andava, ele simplesmente aceitou ser levado por ela sem nem ao menos ficar assustado. Mesmo que ela tenha o salvado, ainda continua sendo uma completa desconhecida para ele. Pude notar ela passar a mão livre em seu rosto algumas vezes, acho que estava chorando mas não queria que ninguém visse, é tão difícil entender ela, não que eu seja um livro aberto mas ela poderia se abrir mais.

Pelo o que eu já andei notando, ela consegue se abrir com a Maggie e no máximo o Carl, mas tenho certeza que ela não fala muito por ele ser ainda uma criança, mesmo bancando o adulto muitas vezes e isso é muito estranho da minha parte mas eu gostaria de poder ajudar ela o problema é que eu não sei como e não pediria ajuda pra alguém para poder fazer isso.

— Pensando na garota, Darlyna? — Reviro meus olhos e bufo.

— Cala a boca, Merle! — Resmungo olhando para frente.

— Meu irmãozinho está pensando sim, seu malandro. — Merle fala me dando um soco em meu ombro e faço uma breve careta. — Sabe, as selvagens são as melhores, mesmo que sejam difíceis de conseguir.

— Eu não penso em nela assim, agora para de falar merda. — Me viro para frente e logo avisto o carro em que viemos e vejo Glenn vir em nossa direção.

— Rick, que bom que vocês estão bem! — Glenn falou animado.

— Estamos com um problema aqui, preciso que você volte. — Falou Rick erguendo sua mão mas Glenn rapidamente sacou a arma dele e apontou para Merle, notei que a Luci puxou o garotinho para trás dela e saiu da frente de Glenn.

— O que ele está fazendo aqui?! — Perguntou Glenn raivoso.

— Vamos nos acalmar, abaixa a arma Glenn. — Disse Rick.

— Estamos nessa situação por causa dele e você ainda o ajuda? — Glenn olhou para a mulher, Michone. — Atirou em você e ainda ajudou a traze-lo?

— Estávamos com a sua amiguinha que estáva em outro mundo e agora uma criança, acha que minha vontade não é de enfiar minha espada no coração dele?

— Calma ai boneca. — Merle fala e me viro para ele o mandando calar a boca com o olhar.

— Você também o ajudou Lucille? — Glenn se virou em direção a Luci que tinha seu olhar no chão enquanto suas mãos protegiam o menino que estava abraçado a sua perna.

— Eu não.... — A mesma é interrompida por ele.

— Ele apontou uma arma pra cabeça da sua amiga e você o trás até aqui! — Glenn aumentava seu tom de voz e notei Luci encolher seus ombros, do mesmo jeito quando briguei com ela por ter travado quando o Hershel perdeu a perna.

— Glenn se acalma, ela não teve culpa de nada. — Maggie tentava o acalmar.

— Ela nunca tem culpa, é a santa aqui.

— Ei, já chega Glenn! — Rick falou tentando manter a calma enquanto o olhava sério. — Você está nervoso, a gente entende isso mas não é razão para descontar na Lucille.

— Ela viu o que a gente passou, mas parece que não foi nada pra ela, gostou de recordar os velhos tempos? — Acho que Glenn se tocou o que falou pois arregalou seus olhos. — Luci, me desculpa eu... — Quando ele tentou se desculpar já era tarde de mais, Lucille já tinha se aproximado dele e acertado um soco em seu rosto o fazendo andar para trás. Rapidamente Rick a segurou por trás enquanto ela tentava se soltar e Merle, segurava o riso, idiota.

Lucille pov:

— Nunca mais fale esse tipo de merda pra mim. — Falo raivosa com as lágrimas descendo pelas minhas bochechas enquanto Rick me puxava.

— Já chega todo mundo! — Rick disse sério me apertando em seus braços. — Tem uma criança aqui e não queremos chamar mais atenção do que já estamos. — Mordo o interior da minha bochecha desviando o meu olhar e Rick me vira para poder me olhar. — Você Lucille, vai se acalmar e ficar com o garoto, entendeu? — Apenas aceno e me solto de suas mãos andando até o garotinho que estava mais afastado enquanto eu mexia meus dedos da mão que eu tinha usado para acertar o rosto de Glenn. Me sento no chão e vejo o garotinho me olhar um pouco assustado.

— Desculpe. — Sussurro e ele anda ate mim me dando um abraço, se eu tivesse em outro momento acharia a coisa mais fofa do mundo e estaria o apertando, mas no momento queria me enfiar dentro de um buraco.

Rick pov:

Nunca pensei que ia ver a Lucille tão descontrolada como vi ela hoje, certo que ela já teve momentos de raiva antes mas nada como hoje.

— Imagina essa garota na cama, deve ser uma loucura. — Merle murmura e quando vou para xinga-lo, Daryl é mais rápido.

— Cala a porra da boca Merle!

— O que foi maninho, virou um primitivo?

— Não mais do que você andando com aquelas pessoas. — Daryl falava com raiva.

— Pois é, ele é um encanto e anda dando uma calibrada naquela sua amiguinha, Andréa. — Merle falou olhando para Michonne e apenas virei meu rosto para olha-la.

— O que? A Andrea esta em Woodbury? — Glenn perguntou surpreso e não era para menos.

— Ela tá do lado do governador. — Daryl falou nos olhando e vi Michonne tirar sua espada das costas e avançar na direção de Merle.

— ABAIXA ISSO! — Grito para Michonne e a mesma abaixa a espada meio hesitante. — Você conhece a Andrea? — Mas não recebo resposta e me aproximo mais dela. — Ei, conhece a Andrea?

— Conhece sim. — Merle respondeu enquanto eu a olhava. — Ela e a loira passaram o inverno todo no chamego dentro da floresta. — Ele riu e eu apoio meu peso em minha perna esquerda. — Essa minha rainha ai, tinha dois mordedores de estimação, sem braços e mandíbulas, acorrentados pelo pescoço. Meio irônico não é.

— Da pra calar a boca Merle! — Daryl já estava se irritando.

— Qual é maninho, a gente pegou as suas na floresta e Andrea tava praticamente morrendo.

— É por isso que ela tá com ele? — Maggie perguntou.

— Sim, como um casal de pombinhos. — Merle riu nos olhando. — O que vai fazer agora xerife? Cercado por bandidos, mentirosos e covardes.

— QUIETO! — Grito com ele.

— Isso é patético, cheios de armas mas nem uma bala.

— Chega Merle! — Daryl falou.

— Não, chega vo... — Já cansado de ouvir a voz dele, dou uma coronhada em sua nuca quando o mesmo se vira de costas para mim.

— Imbecil. — Daryl sussurra e Glenn se afasta, passo a mão em minha testa e vejo Luci deitada no chão com o garotinho sobre ela.

— Luci, vo... — Vejo a mesma levantar sua destra e levar sua mão até sua boca encostando seu indicador em seus lábios fazendo sinal de silêncio. Suspiro cansado e começo andar com os outros até o carro, deixamos Merle no chão e a Luci, bom, parecia que ela estava meditando enquanto o menino estava deitado sobre ela.

- - - - - - - - - - -

— Você só pode estar brincando. — Glenn reclamava, já estávamos discutindo a um certo tempo e parecia que não íamos chegar a lugar nem um. — Quer mesmo deixar ele dormir no mesmo lugar que a Carol e a Luci?

— Ele não é nem um estuprador. — Daryl o defende.

— Mas o amigo dele é. — Glenn murmura e vejo Maggie o olhar com certa raiva.

— Ele não tem mais amigos, não depois de ontem.

— Não tem como o Merle morar com a gente sem que alguém não queira avançar no pescoço um do outro. — Murmuro colocando minhas mãos em minha cintura.

— Quer deixar o Merle e levar a última samurai? — Daryl reclama me olhando.

— Ela não fez nada para a gente. — Falo já cansado.

— A mulher não tem como ficar sozinha agora. — Maggie a defendeu.

— E ela levou vocês até a gente. — Glenn a apoiou.

— Mas depois nos deixou. — Digo enquanto a olhava.

— Ela é imprevisível. O Merle é da família. — Daryl disse calmamente.

— Não Daryl, ele é seu irmão. Os meus irmão e minha família estão bem aqui e esperando pela gente na prisão. — Glenn retrucou o olhando.

— E você faz parte dela Daryl, assim como a Luci também faz mas o Merle não tem como, ele não é. — Troco meu peso de perna.

— Então ta bom, a gente se vira sozinho.

— Daryl, não foi isso o que eu quis dizer. — Glenn tentou se concertar.

— Não precisa fazer isso. — Maggie falou com um pesar na voz.

— Era só eu e ele antes disso tudo.

— Você vai ir embora? — Nós viramos e Lucille estava parada com o menino "desmaiado" em seu colo, acho que ele deve estar exausto depois de tudo isso, o cabelo dela estava com algumas folhas secas, eu até daria risada se não estivéssemos em um momento tão tenso.

— Vou. — Foi apenas o que Daryl respondeu e pude ver os dois trocarem um olhar triste um para o outro, nem parece que estão sempre querendo se matar.

Lucille pov:

— Vai deixar sua família por causa dele? — Pergunto arrumando o menino melhor em meu colo.

— Ele é meu irmão. — Olho para ele e até que eu podia entender seu lado mas largar esse grupo por aquilo que ele chama de irmão, era como se eu desistisse de morar com meu pai e fosse morar com a louca da mulher que me deu a luz.

— O que vamos falar para a Carol? — Glenn perguntou e espera, eles acharam a Carol, ai Deus, quero abraçar ela e eu não pensei que isso iria passar pela minha cabeça algum dia de novo.

— Ela vai entender. — Duvido muito que vai. — Da tchau pro seu pai por mim. — Daryl falou já nos dando as costas e seguro o menino por baixo e ando atrás dele com o Rick e o seguro pelo pulso.

— Deve ter outro jeito. — Falo enquanto o olhava sem o soltar.

— Luci está certa. — Rick incentivou e Daryl nos olha mas nega com a cabeça soltando seu pulso da minha mão.

— Não vou deixar ele, já fiz isso uma vez e não vou fazer de novo.

— Você viu que começamos uma coisa ontem. — Rick murmurou e pude notar seu leve tom de desespero.

— Sem ele, sem mim. — Mesmo a gente vivendo em pé de guerra na maioria das vezes, eu não queria passar por essa sensação de "abandono" novamente. — Cuida da bravinha e do Carl, o garoto é durão. — Ele pegou sua mochila e algumas coisas no porta-malas do carro e se virou deixando eu e Rick plantados no lugar, dou alguns passos pra frente e o chamo.

— Daryl! — Ele para se virando em minha direção. — Eu perdi o taco que você me deu, promete me conseguir outro? — Ele me olha confuso e Rick fez o mesmo. — Promete me levar outro na prisão, por favor. — O vejo apertar um pouco a alça da besta.

— Prometo, Lucia. — Vejo um rápido sorriso em seus lábios e o mesmo volta a andar, sorrio ladino com lágrimas em meus olhos, falando meu nome errado só pra me irritar, até nesse momento, eu mereço.

Vejo Merle rir como se fosse uma vitoria para ele, o mesmo coloca seu braço sobre os ombros de Daryl e nos lança um sorriso convencido, andando juntos, os dois desaparecem entre as árvores. Agora precisávamos voltar para casa, mas sem uma pessoa que é importante para nós.


Notas Finais


Espero que não tenha nem um erro e "cala a boca Merle", obrigado por ler '-')sz

-W


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...