1. Spirit Fanfics >
  2. A Morte. >
  3. Capítulo único.

História A Morte. - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Capítulo único.


Fanfic / Fanfiction A Morte. - Capítulo 1 - Capítulo único.

Eu andava pelas ruas de Nova York, com meu corpo esquelético e meu manto preto, andava sempre fazendo meu trabalho, recolhendo almas para o submundo, era deprimente, eu não gostava de meu trabalho, pois pra que tantas almas, porque todos tem que morrer, essa era a pergunta que vivia batendo em minha cabeça, mas eu continuava sempre fazendo meu trabalho.

eu como sempre fazendo o mesmo caminho, andava em uma rua cheia de gente mas uma mulher em especifico chamou minha atenção, seus cabelos loiros lembravam a luz divina que eu vi quando eu nasci, então um de vários de mim começou a seguir a moça, a pele dela era branca e tão clara e bela como os pontinhos brilhantes que brilhava em nosso seu noturno, seus olhos eram reluzentes igual a vida que fazia qualquer pecador que olhasse para eles pararem de pecar, a alma dela era mais bela do que de um dos mais belos querubins.

Eu comecei a seguir ela todos os dias por longos anos, que para mim antes passava depressa, mas agora, passava tão lento quanto uma lesma em asfalto, meu peito era pressionado todas as vezes que ela mexia seus cabelos, ou dava um sorriso bobo, no aniversario de 30 anos dela, ela resolveu sair, e eu pensei em assumir dessa vez uma forma humana, e aparecer pra ela, então eu apareci com uma forma humana, com cabelos negros, pele pálida, e um terno, eu adentrei ao local que seria uma balada, e me sentei em um dos sofás, enquanto todos dançavam, eu fumava meu cigarro, e bebi meu whisky, whisky tão amargo quanto a vida, bom eu vi a garota, e fui logo me apresentar.

— Eu sou Jack. -dizia eu contente com um sorriso de cada lado do rosto- 

— Eu sou Lapin -ela falava com um sorriso contagiante que acelerava meu coração-

— Bom que tau bebermos um pouco -logo eu dava um sorriso, o que é estranho de minha parte normalmente-

— Eu topo -dizia ela segurando em minha mão e me puxando até o mini bar-

— Quero um whisky senhor -dizia eu pegando uma carteira com dinheiro-

— Quero o mesmo dele, só que whisky misturado com energético, eu te conheço de algum lugar  Jack?, sinto que lhe conheço. -dizia ele mexendo em seus cabelos e encarando no fundo dos meus olhos-

— Deduzo que não senhorita -dizia eu olhando homem que vinha com as bebidas, logo pegava a minha e dava uma golada, logo ela pega sua bebida e da uma golada, depois disso eu estava bêbado uma das desvantagens de ser humano, então não lembro muito do dialago, só lembro que foi uma noite incrível. -

Bom depois depois disso eu levei ela pra casa dela e dormimos juntos pelo que eu lembre, eu sei que quando acordei, eu deixei um bilhete de amor dizendo tudo que eu sentia por ela, e vazei pela janela, e decidi nunca mais olhar e falar com ela, até depois de 40 anos, chegou a vez dela, ela morava no mesmo apartamento, era no mesmo dia que eu e ela se encontramos na balada, ela estava casada com um velhinho, e tinha vários netos, e filhos, eu sabendo que era ela, me assumi com a mesma forma que se conhecemos, duvidava que ela lembraria, então passei uma ultima noite com ela e a família dela, era noite de natal, todos estavam reunidos, então eu lembro que assumi a forma que apareci pra ela da primeira vez.

Eu bati na porta e quem abriu foi um jovem, então eu falei que estava muito frio lá fora, e eu precisava de um lugar quente, se eu podia ficar lá aquela noite, eles aceitaram, logo eu adentrei o local e me sentei na mesa junto com eles, comi, bebi, mas não fiquei bêbado dessa vez, ela não me reconheceu ainda, bom, quando deu horário, de dormir eu desapareci, fiquei invisível, esperando ela ficar com sono, essa noite ela foi dormir primeiro que o marido, então eu fui junto com ela, pro quarto e deixei de ficar invisível, só que com aparência de morte desta vez, ela deu um sorriso ao me ver e deitou na sua cama.

— Eu amo você -dizia eu para a mulher enquanto eu acariciava o rosto dela-

— Você é o Jack né? -ela deu um sorriso bobo, eu fui surpreendido com a pergunta-

— Sim sou o Jack -Então resolvi assumir minha aparência juvenil novamente- 

— Eu também amo você Jack -dizia ela me dando um beijo na boca, meus olhos saiam lagrimas, frias, meu coração apertava intensamente, logo ela pegava uma corrente de prata e me dava.-

— Pra você, para lembrar sempre de mim. -dizia ela limpando minhas lagrimas, logo eu toquei no coração dela e arranquei a alma dela, eu claramente apaguei a memoria de todos que eu existi, tirando a dela.-

Depois deste acontecimento, a corrente dela eu transformei em uma foice, e eu prometi nunca largar essa foice, virando meu símbolo protetor, também eu prometi, nunca mais me apaixonar por uma alma, ou um ser. 

Dês daquele dia já se passou 40 anos, e eu continuo vagando pelas ruas, e toda vez que eu toco em minha foice, eu sinto o coração dela e me lembro dela e de seu amor por mim.


Notas Finais


Como referencia eu tive a morte endless de sandman, uma série de quadrinhos bem antiga da DC, tive também a fanfic do @mizukyy "O Sol." que recomendo você darem uma lida.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...