História A Morte é Minha Melhor Amizade - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Bananablue, Fantasia, Originais, Zueira
Visualizações 9
Palavras 692
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fantasia, Harem, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Minha vida realmente é uma merda diferenciada


Eu tava suave na minha, até uma caminhonete se chocar com meu corpo totalmente fora de forma e sedentário. Vocês devem estar se perguntando, quem é esse virgem com voz de um muleque de doze anos que é um incômodo gigante para minha pessoa? Eu vou contar quem eu sou… depois de comer um chocolate, claro.

Eu sou futukei Seuku, um japonês de quinze anos que vive no Brasil desde que nasci. Aqui eu conheci o verdadeiro prazer dos funks, assaltos e um bom churrasquinho no alto da favela.

Mãe: Acorda seu vagabundo, eu não crio marginal sem futuro nessa casa não!

Seuku : Noza mãe, não bate na cara pra não estragar o velório.

O que os senhores viram aí é minha delicada mãe me acordando em uma bela segunda-feira para mais um dia de escola (prisão).

Mãe: Acorde sua irmã daqui a dez minutos, ela precisa de um sono de beleza já que ontem passou o dia inteiro me ajudando.

Seuku: Ata, beleza senhora, confia no pai que aqui nós mata as tarefas no peito e ainda chuta pro gol.

Andar até o quarto da minha irmã nunca foi uma tarefa muito fácil, principalmente quando eu preciso passar pelo corredor cheio de janelas com a ameaça de tomar uma bala perdida de resvegueio aqui na favela.

Seuku: Coe, acorda ae minha consagrada.

Irmã: Bom dia irmão, eu acho que mereço um abraço de você por acordar a tempo, correto?

Seuku: Saí mano, tu é adotada.

Essa mina ae é minha irmã adotiva, Alice. Ela possuí a mesma idade que eu e às vezes tenho a leve impressão que essa garota me ama demais.

Alice: Então irmão, vai para a escola comigo de novo?

Seuku: Não, vou dar um rolê até a escola com a Dani e com o Max.

Alice: Ah, o Max e a….Dani!?

Seuku: Sim porra, o que tem?

Alice: Quantas vezes eu já te disse para não andar com essa puta, irmão?

Seuku: A mesma quantidade de vezes que eu já te falei que tu é adotada.

Alice: Sim, muitas vezes, então porque ainda continua andando com ela?

Seuku: Talvez porque ela seja minha amiga de infância e eu conheça ela a mais tempo que você.

Alice: Como você é mal! Sabe muito bem que eu tenho ciúmes.

Seuku: E quem disse que isso é problema meu?

Depois dessa fantástica referência o que me restou fazer foi apenas sair e jogar o resto da minha dignidade fora andando pela rua com os meus amigos obviamente.

Max: Fala tu, menó.

Seuku: Diz ae, onde tá a Dani?

Max: Sei lá, eu falei pra ela ontem que era para nós se encontrar na frente da lanchonete do Renatão de quatro.

Seuku: Papo reto, vamos ficar parado aqui não, vai que nós é roubado.

Max: Concordo, bora pra escola.

Esse cara aí do meu lado é o Max, eu conheço ele já faz quatro anos. Sempre foi muito na dele e quase não demostra uma expressão facial, talvez por causa do seu rosto que é totalmente oculto pelo seu capuz do casaco e essa máscara branca de um ninja do Naruto. Mesmo a gente morando no Brasil com uma temperatura ao qual nós somos queimados vivos, ele usa essas roupas de frios. Eu tenho certeza que ele esconde maconha dentro deste casaco gigante.

Max: Coe viado, por que tu tá conversando com a calçada? Nós estamos atravessando a rua neste exato momento, mano.

Seuku: Ih caralho, agora fudeu.

Então…agora chegamos na cena que deu início a essa história de merda. Ela poderia terminar agora com a minha morte, mas infelizmente sempre tem que ter um evento ao qual vai mudar totalmente o rumo desta desgraça, né?

Max: Caralho mané, já é a quinta vez essa semana.

Seuku: Aí meu cu!

???: Meu deus! Eu me atrasei um pouco, foi mal galera.

Max: Ah, fala ae Dani. Ajuda esse arrombado, por algum motivo eu tô sentindo que de hoje ele não passa.

Dani: Relaxa, vai ficar tudo bem com ele.

Hum…eu esqueci de falar a parada anormal nessa história. Desde que eu conheço a Dani por "gente", ela é uma deusa.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...