História A Morte 'Tá De Brincadeira! - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias EXO, Red Velvet
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Kris Wu, Personagens Originais, Wendy
Tags Chandy!brothers, Paradoxo Temporal, Viagens No Tempo
Visualizações 30
Palavras 1.442
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Romance e Novela, Sci-Fi, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, anjos! Olhem as notas finais e boa leitura <3

Capítulo 2 - Capítulo II: A madman on the prowl.


  15 de setembro, 2017.

     14 pm. 


O silêncio instalado entre eles era assustador, estranho e desconfortável. Os grandes olhos de Chanyeol duplicavam-se de tamanho cada vez que o homem trajado de preto fazia menção para mover-se. Contudo, ele permanecia parado e isso, de certo modo, incomodava os irmãos que encontravam-se atentos a qualquer movimento e barulho que surgisse. Os corações batiam freneticamente e os olhos astutos mantinham-se à procura de uma saída, os suores que desciam pela testa fria e as respirações abafadas e ofegantes, só enfatizavam ainda mais a cena de terror em que presenciavam. 


Chanyeol parecia assustado demais para fazer algo, estava congelado e enraizado ao solo sem conseguir mover os pés, fazer ou falar qualquer coisa que pensasse. O medo pairava sobre ele e o imobilizava de tal forma que, naquele momento, ele se assemelhava a um boneco maleável. Wendy estava quase da mesma forma, porém imersa aos pensamentos nem percebeu que seu irmão tentava falar consigo através de gestos indiscretos e sussurros, que ridiculamente, mais pareciam exclamações.


Ah, e o delinquente: ele estava achando graça da forma como os dois demonstravam explicitamente desespero, pois riu posterior da máscara de coelho ensanguentada. Suas risadas rudes, automaticamente despertaram os dois para agirem, logo Chanyeol, afobado, segurou a mão da menina e correu para longe da cozinha.


“Prudentes”. Sussurrou o de vestes extravagantes de maneira sarcástica e com uma voz invulgar. Depois evaporou no ar, deixando alguns pequenos rastros em evidência pelo cômodo.


Temendo por suas vidas os irmãos subiram as escadas apressados, e Chanyeol como um belo atrapalhado que era deixou que os pés ganhassem um encontro repentino com os degraus e com a força do atrito, caiu levando consigo sua irmã, que assustou-se de imediato com a queda. 


— Ai, seu tonto. — pôs a mão nos joelhos, massageando o lugar ferido e em seguida desferiu um tapa contra o ombro do irmão atrapalhado. 


— Wendy, a culpa é sua. — acusou, esfregando os ombros e os joelhos com os lábios entortados em desgosto. 


— O que? Como assim minha culpa? Que eu saiba, um certo garoto acabou tropeçando e não satisfeito, resolveu levar a pobre e doce irmã junto. — cruzou os braços, erguendo uma sobrancelha. 


— Garota, mas você… 


— Shh. — o interrompeu, colocando as mãos sobre a boca do irmão e respirou lentamente, tentando não fazer barulho e o induzindo a fazer o mesmo. 


Chanyeol, de início, assustou-se com a ação inesperada, mas o que viu em seguida foi mais assustador ainda: o mesmo homem trajado de preto e utilizando uma máscara ensanguentada de coelho estava bem ali, exatamente bem atrás de sua irmã. “Como ele chegou aqui tão rápido?”, perguntou-se inquieto. Seus olhos arregalados e seu semblante desesperado foram as características das quais fizeram Wendy virar para trás rapidamente. O susto foi grande pois os olhos praticamente saltaram do rosto, os lábios ficaram entreabertos aspirando o ar e forçando o pobre coração a triplicar o ritmo dos batimentos. 


Desta vez a figura assustadora não poupou esforços e, quando menos se esperava, ergueu os braços pálidos e sua faca encardida ficou à mostra. O fato do objeto conter resquícios de sangue e ter a aparência desgastada só dava mais ênfase à questão de que ela era extremamente velha. O sangue parecia já estar duro, e a textura da faca era feia e parecia estar enferrujada, como se fosse histórica. Os braços, pela primeira vez expostos, eram estranhos e de uma tonalidade bizarra da qual só pessoas que foram a óbito possuem. O maluco era completamente esquisito e tudo que nele havia e que estava com o mesmo só o deixava mais aterrorizador. 


Ele se aproximou guiando a faca tão rápido na direção da garota, que Chanyeol não teve muito tempo para pensar, por isso teve a brilhante ideia de puxar Wendy para trás. Porém, acabou esquecendo que ainda estavam prostrados em degraus de uma escada enorme e as consequências disso poderiam ser até piores do que morrer à facadas por um louco esquisito. Choramingos e lamúrias de uma garota irritada vieram a seguir, claro, e um Chanyeol todo arrependido e bobinho como complemento. 


— QUAL É O TEU PROBLEMA? — berrou, levantando-se do chão apressada. Afinal, não tinha tempo para sentir dor quando existia um louco a perseguindo.


— FIZ ISSO PRA TE SALVAR! ME DESCULPA POR TER IMPEDIDO QUE SEU OMBRO FOSSE PERFURADO, OK? — respondeu no mesmo tom, levantando-se logo após. Reprimindo a careta e tentando não prestar atenção na dor que sentia. 


— Droga! Não temos tempo pra brigar agora, tipo... — olhou para as escadas, mordeu os lábios tensa e voltou a olhar para o irmão. — Cadê… O louco? 


— Eu não se… 


— Chanyeol! CUIDADO! — gritou após ver uma figura maléfica se materializar atrás do garoto. 


O mascarado ignorou o garoto completamente e avançou em Wendy, totalmente decidido a matá-la. Chanyeol entrou na frente, empurrando-o para longe, mas suas mãos pareciam atravessar a bata preta do homem estranho. E se outrora o desespero não estava grande o suficiente, agora estava rompendo completamente todos os limites.


Chanyeol, como um bobão, tentou acertar o mascarado de qualquer forma. Pegou um vaso de flores e, desesperadamente, jogou no louco medonho. Com sorte o vidro acertou na cabeça do mesmo e o fez cambalear para trás, não levou muito tempo para que ele caísse no chão, mas também em segundos desapareceu. Os irmãos olharam cada canto do cômodo com receio e aflição. Seguraram as mãos um do outro e respiraram fundo. O ar estava cada vez mais rarefeito e abafadiço devido a grande tensão e adrenalina que os cercavam. 


— Corre e pede ajuda! — exclamou Chanyeol exasperado. — Vou cuidar disso. — respondeu antes mesmo da garota o questionar e ainda assegurou-a com um sorriso ladino e típico dele. A de madeixas castanhas correu para fora da residência, mas permaneceu ali perto, na esperança de ver o irmão e ir embora junto com ele. 


Chanyeol pegou o grande pedaço de vidro e saiu à procura do delinquente, todo desconfiado e atento aos pequenos detalhes. Era hora de acabar com todo esse pesadelo de uma só vez, porém nada poderia acontecer se não houvesse coragem. Por isso ergueu a cabeça e procurou a bravura dentro de si, estava completamente destemido e pronto para salvar sua vida e a de sua irmã. Depois de procurar na casa inteira, não achou sequer vestígios da figura que o aterrorizou. Saiu de sua residência e acabou dando de cara com Wendy, que ainda mantinha-se ali perto. 


— Você pediu ajuda? — largou o caco de vidro no chão e encarou a face machucada da irmã. 


— Não. Eu preferi te esperar. — respondeu, com o semblante apático. — Já o matou? 


— Não o achei. 


— Então, o que fazemos agora? — indagou, mordendo os lábios em resposta ao nervosismo. 


— Você quer dizer, o que você irá fazer, não é? — aproximou-se. — Você vai atravessar aquela pista e vai correr até a rua onde tem um departamento de polícia, vai pedir ajuda e chamar eles até aqui. Eu vou ficar e proteger nossa casa. Você entendeu o que vai fazer? — disse sério, enquanto tentava controlar a respiração frenética. 


— ‘Tá, mamãe. — respondeu irônica, dando uma leve risada e correndo para a pista. 


No mesmo momento, quando pisou os pés na estrada, um carro em alta velocidade apareceu e com força acertou-a, lançando seu corpo para longe como se fosse uma simples boneca. O veículo parou na hora e Wendy no chão caiu. Chanyeol correu o mais rápido que pôde até o corpo inconsciente da irmã, agachou-se ao lado da garota e em prantos abraçou-a. A perda de sangue foi brutal, seus ossos da costela se quebraram e ela não foi capaz de resistir, assim, falecendo nos braços do irmão que chorava como uma criança. 


Depois de minutos, levantou-se irado e segurando a garota nos braços, foi em direção ao carro parado no meio da estrada. Aproximou-se do vidro e assustou-se ao perceber que não havia nenhum motorista. O que isso significa? Por um acaso ele fugiu e eu não vi? Foi o que pensou, ainda deixando as lágrimas escaparem dos olhos vermelhos e inchados. Prostrou-se no chão, olhando para o rosto da irmã falecida e chorou incessantemente, totalmente inconsolável. 


Porém, ao longe, uma figura endiabrada encarava o garoto em estado de choque e sorria por detrás da macabra máscara de coelho, incrivelmente satisfeito de seu trabalho concluído. Logo, desfez-se no ar e foi à procura de outra vítima para cumprir o que jurou há anos fazer, toda vez,  nessa data e, à partir, desse horário em especial.


Notas Finais


OI OIIIII, O que acharam? Gostaram? Não gostaram? Deixem seus comentários se sentirem-se confortáveis ou se quiserem. Bom, me perdoem por demorar a atualizar, mas eu ando bem ocupada ultimamente e provavelmente o terceiro capítulo venha a demorar também. Porém, farei um esforço para atualizar o mais rápido possível. EEEEE, eu tenho alguns avisos para dar:

1) Eu vou dar uma de SHAKESPEARE no terceiro capítulo, porque eu preferi separá-lo para contar a estória do "delinquente da máscara de coelho" e porque ele mata nesse dia e horário em especial e porque ele matou a Wendy . Isso, no caso, é chamado de Verossimilhança. Já ouviram falar? Bom, espero que dê certo. Mas o que vocês acham disso?

2) A estória irá acabar no quarto capítulo, pois ela é short mesmo e eu não sei se há como ela possuir tantos capítulos assim.

3) A estória é uma mistura da SCI-FIC com suspense. O que vocês estão achando desse "mixed"?

É isto, espero de verdade não decepcionar vocês. Obrigada por lerem e até os próximos capítulos! Grandes beijos, fiquem com Deus <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...