História A mudança do destino - Capítulo 9


Escrita por:

Visualizações 3
Palavras 1.650
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Finalmente eu trouxe mais um capitulo!! Atrasada mais trouxe kkk
Estou com bloqueio ;-;
Desfrutem de minha obra prima.

Capítulo 9 - Conhecendo o inimigo.


Fanfic / Fanfiction A mudança do destino - Capítulo 9 - Conhecendo o inimigo.

Capítulo 9

Algo de errado esta acontecendo, eu estou fazendo neve!! Com as mãos!! Isso é impossível.

Claro que existe o sobrenatural, mas era cientificamente impossível!! Mesmo assustada, eu fico brincando com os flocos de neve, não eram gelados, eram como água congelada com a consistência de algodão.

Era tão bonito, flocos voam e voltam para mim, incrivelmente legal, então uma luz tampou minha visão, e quando percebi, era a sensei!! Ela estava em minha frente, porem, diferente.

Ela estava vestida em uma capa escura, e carregava um cajado, legal.

- Ja consegue controlar a neve, muito bom!!- Falou batendo palmas para mim, com um gesto de estou satisfeita. - Seu lado híbrido está começando a se formar.-

- Lado híbrido? Eu tenho mais poderes?- Pergunto curiosa, controlar gelo ja é bom, imagina ter outros poderes.

- Sim, e você ja tem que começar a treinar suas habilidades o quanto antes, temos que ir para um lugar privado.- Falou pondo sua mão no queixo, como se estivesse pensando.

- Na minha mente?- pelo menos dei uma ideia, ja que é la que nós nos encontramos.

- Nós só nos comunicamos na sua mente, tem que ser um lugar real.. Gosta de área de tiro?- Perguntou ela ainda na dúvida.

- Logico que não!! Odeio armas!! Tenho pavor!! - Eu tenho pavor de armas, principalmente porque...


Flashback on

- Não!! Para!! - Gritava aisha, minha melhor amiga enquanto estava sendo chicoteada pelos bandidos.

Eu estava acorrentada pelas mãos e pés na parede, não podia fazer nada a não ser observar ela sofrer.

- Cala a boca sua vagabunda!!- Gritava chicoteando ainda mais, eu estava vendo a sangrar.

- Agora sua vez!- Senti mãos em minha cintura, subindo até minhas mãos, a libertando das correntes.

Logo, dois homens me põe de quatro no chão, e arrancam minha blusa, eu estava apavorada, tentava me mexer, mas era em vão, os homens eram muito fortes.

Senti uma coisa arder em minhas costas, me queimava por dentro e fora.

Eu gritava de dor, como se estivessem cortando minhas costas com tesouras, gritava, mas parece que isso só piorava a situação.

Até que, uma luz surgiu, gritos e mais gritos, sons de arrombamentos e tiros.. muitos tiros, Então, vi alguem pegar minh amiga, que estava do meu lado, a força, estava a forçando a acompanha-lo.

Ela estava gritando, pedindo socorro, e chamando meu nome.. Eu estava imovel e em pânico, minhas costas ardiam, e eu não tinha forças mas pernas, faz 4 dias que nós e mais 5 garotas estavamos feitas de reféns.

- Está tudo bem? Está me ouvindo?- Um homem, com uma voz calma estava falando comigo, não conseguia reconhece-lo, minha visão estava embassada.

Me esforcei para tentar ver seu rosto, mas notei que sua roupa, condizia com um roupa militar, era uma policial!!

Tentei me mover, mas era em vão, então, senti seus braços se envolverem meu corpo fraco, me pegando no colo, me levando para fora daquele galpão.

Não sei como eles nos acharam, mas eu so posso agradecer, então, o policial me leva para dentro da viatura blindada, não tinha como se destrancar por dentro, mas tinha uma pequena janela, que assim, pude ver o que estava acontecendo lá fora.

Eu entrei em pânico, quando vi aisha com uma pistola na cabeça, o bandido estava usando ela como escudo humano, vi que os policiais estavam tentando negociar.

Ela gritava, e eu, estava chorando de preocupação, se não fosse de nós não reagissimos naquele assalto, não estariamos aqui.

Parecia que o bandido estava aceitando a troca, mas, eu saio doeu corpo, quando vejo, ele disparar...

Sangue escorria, gritos... Ela estava caindo no chão.. Eu vi...

Ela foi baleada.. Minha amiga foi morta!!

A viatura em que eu estava, estava se movendo, eu tentava sair, ainda dava para salva-la, ainda podia te-la comigo.

-AISHA!! NÃO!!-


Flashback off

Estava perdida no meu pesadelo, sentimentos de culpa e tristeza dominaram meu corpo, e quando fui perceber, eu estava cheia de lagrimas nos olhos.

- Sinto muito.- Falou ela do nada, acho que como ela tem acesso a minha mente, sabe o que estou pensando.

- Tudo bem... É passado.. Foco no presente, ja até me esqueci.- Fingi um sorriso, sei que ela não acreditou, mas tentei, nunca consegui esquecer aquela cena, tudo culpa minha...

- Você controla o fogo..- cuchichou ela, mas deu para eu escutar.

- O que?? Fogo?? Como??- Acho que ela revelou isso para mudar de assunto, e conseguiu.

- Uhum, Mas!!! Sera quando... Deixa pra lá!- Opa!! Algo estas a esconder essa minha sensei.

- Agora fala!!!- Fiz cara de raivosa, mas como ela é uma espirita imortal, acho que não a assustei.

- Ok... Você só vai controlar todos seus elementos, quando o seu ódio te dominar, e reze para que isso não aconteça.- Quando eu começo a falar, a batida na porta de meu quarto nos enterrompi.

- Filha? Está ai?- A sensei some do nada.

- Estou sim mãe.- Respondo tentando disfarçar que eu estava fazendo neve no meu quarto.

- Ok, Jaja desça para almocar.- Falou ela indo para a cozinha

Que alívio, nada descoberto, e parece que so verei a sensei nos meus sonhos mesmo. Agora só foco, mas não preciso focar so nos meus poderes, alias, tenho que pensar em coisas posistivas... Sim.. O beijo.

Foi a melhor coisa que me ocorreu desde que eu vim para Tokyo, ai meu coração, minha primeira paixão, amo essa sensação.

Enquanto viajo nas nuvens, meu celular toca, fico curiosa e olho, uma mensagem de um desconhecido.


Oi


Eu: Quem é?


Eu só quero sua ajuda, pfv


Eu: Q?


Me ajuda a segurar essa barra?


Eu: que barra?


Essa barra que é gostar de você ieeee, dididiidi é ,didiididi é kkkk

Sou eu


Eu: kkkkkk seu maluko

Podia ser um bandido querendo me sequestrar e vender meus órgãos


Credo, estragou o clima


Eu: Kkkk, sorry, então

Ja esta com sdds? Kkk


Sim, e eu queria...

Te chamar para sair hj...

Aceita?


Eu: hmmmm

N


Poxa..


Eu: Claro q sim kkkk

Sabe brincar n?


Sei kkk

Onde vc gostaria de ir?


Eu: sla, um restaurante chique? 


Hmmm

Pode ser


Eu: Ei!!! Eu so estava brincando!!

Pode ser em uma lanchonete msm


Mas eu gostei da ideia, meu amigo esta me devendo um favor, e ele é gerente de um grande restaurante aq em tokyo, ou seja, comida de graça, aceita? 


Eu: Aceito!!! <3


Conversamos por horas, depois, nos despedimos e fomos almoçar, me troquei e desci para a cozinha, onde minha mãe me aguarda para comer.

- Demorou em? - Falou ela rindo de minha cara.

Sentei me na cadeira e pus meus temakis, ela não parava de olhar para mim rindo, isso me assustava.

- Estava se pegando no estacionamento da escola?- O pedaço de temaki que eu comi saiu voando, quase me engasguei, como ela sabe disso?

- Que nada! Quem falou isso?- eu estava rindo de nervoso, meus amigos não contaria, não tinha ninguém além deles, a não ser...

- Uhum..Jacob me falou, você se esqueceu das câmeras ne?- A.. Poha de câmera... Merda.. Jacob seu vacilão, agora eu sei porque ate agora ele não me mandou mensagem.

Tentei explicar a situação, sem falar que é o rodrigo claro, ela me compreendeu, meio desconfiada mas aceitou minhas falas.

Ficamos conversando enquanto almoçavamos, e depois fui fazer uma faxina na casa, eita casa grande, pensei que nunca iria acabar, gente do céu.

Eu estou muito cansada, e quando olhei a hora, falta meia hora para 19:00, me apressei e fui tomar banho.

Entrei no banheiro, tirei a roupa, perdi minha coragem para tomar banho no chuveiro.

Não, o encontro será 20:00, acho que da tempo tomar banho de banheira.. Vai ser e pronto!

Liguei a banheira, e entrei na mesma, rapidamente ela encheu, haaaa, água morna, amo.

Estava desfrutando da água, estava uma delicia, mas estava tedioso... Então, me ergui um pouco para verificar se a porta estava trancada. Ok, estava.

Lembrei aleatoriamente das cenas dos nossos beijos, estava me excitando. Porque não? Desci minha mão devagar de minha barriga até minha parte intima.

Estava começando a me tocar, é uma sensação tão prazerosa, faz um tempo que eu não me toco.

Gemo bem baixinho para minha mãe não ouvir, então, acelero um pouco as socadas, eu não quero parar.

A cada socada, sinto que estou mais proxima do meu orgasmo, uma série de cenas de sexo aparecem em minha mente, me fazendo gozar.

Me senti aliviada, estava tão gostoso.

Olho para o relógio, já são 19:10!! Saio da banheira, me enrolo na toalha e vou para meu quartoe arrumar.

Pego um cropped preto, e um short jeans curto, um pequeno salto preto com detalhes brancos, ponho meus aneis e pulseira, ponho o colar da cruz que ele me deu e vou me maquiar no banheiro.

Estava escolhendo qual delineador passar, e quando vou botar.

O meu reflexo some, e no lugar, esta de.. Uma criança.. Uma criança com cicatrizes..

Ela sorri, um sorriso conturbador, e então some... Isso me assusta, talvez seja algo da sensei, deixa para la! Ja estou atrasada mesmo.

Me maqueio e então, a mensagem chega no meu celular.


Cheguei, ja pode vim


Eu: ok


Desco rapidinho, e falo para minha mãe aonde vou.

- Ja vou, se cuida mãe.- Quando estava prestes a fechar a porta, ela...

- Usa camisinha ta?- Aquilo acabou com meu emocional, eu fiquei mais vermelha que sangue humano, rapidamente corri para o carro do rodrigo.

Ele abriu a porta para mim, depois entrou e saímos para o restaurante, nos beijamos e ele perguntou.

- Porque estas vermelha? Aconteceu algo?- Neguei, falando que exagerei no blush, sendo que é mentira.

- Nada não, que tal focarmos no nosso presente?- Dei um grande sorriso para ele.

- Mas é claro minha baby.- Retribuiu o sorriso me dando um selinho.

Essa vai ser uma noite inesquecível.



Continua.....


Notas Finais


Beijo na bunda, boa semana para vocês, i love you


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...