1. Spirit Fanfics >
  2. A mulher da cachoeira >
  3. O começo de um grande final

História A mulher da cachoeira - Capítulo 19


Escrita por:


Capítulo 19 - O começo de um grande final


Fanfic / Fanfiction A mulher da cachoeira - Capítulo 19 - O começo de um grande final


Depois de Shaka entender que Millena não sairia da cabana e que sem dúvida ela queria ficar sozinha, ele resolveu que seria melhor esconder Itzal no santuário. De preferência bem longe de Milo.


Se teletransportando para casa de Áries, com o homem, chamou o Carneiro.


-Millena não quer conversar e não será bom pressioná-la agora. Itzal precisa ficar seguro. Ele pode passar essa noite aqui? -Shaka perguntou tristemente.


-O tempo que for necessário. -Mú sorriu para o homem. -Mas não podemos falar nada com Milo. Ele não vai entender e é melhor deixar Millena resolver isso.


-Bem meu amigo, não sei como ela resolverá alguma coisa agora. -Shaka suspirou. -A cabeça dela está bem bagunçada no momento. 


-Sinto muito mesmo. Falei com Athena que precisamos formular um plano. Algo que ninguém precise se sacrificar. Creio que ainda temos tempo e saberemos quando aquela coisa voltar. -Mú parou para pensar sobre o que falava. -Infelizmente, não sei o que falar. Também nunca me senti tão perdido. Quero estudar sobre essa entidade e entender mais sobre esse assunto. Possivelmente outros deuses irão ajudar.


Todos ficaram em silêncio.


-Você está bem, meu amigo? -Mú perguntou para Shaka.


Shaka assentiu. Não queria conversar mais. A angustia que sentia, não dava para ser descrita.


-Você gosta muito dela, certo?  -Itzal perguntou.


Shaka olhou profundamente para o homem e respondeu.


-Eu a amo.


Itzal ficou impressionado com a intensidade daquelas palavras. Aquele homem amava muito sua filha.

Mú preparou uma pequena refeição que Shaka aceitou de bom grado. Comeu e antes de se despedir, falou:


-Em hipótese ALGUMA Milo pode sair do santuário, Mú. Nossas vidas dependem que ele fique recluso aqui. Quanto mais tempo atrasarmos o retorno desse infeliz, mais tempo teremos para bolarmos um plano.


-Não deixarei. Ele não passará por Áries, tem minha palavra. -Mú suspirou. Entraria em uma guerra com Milo se fosse preciso. -Tem certeza que não quer ficar aqui essa noite?  


-Tenho. Ela precisa de mim. 


E dizendo isso, Shaka partiu para a floresta.


Chegando lá, Ferônia estava em frente à cabana. Parecia esperar por ele. 


-Preparamos uma cama para você, já que ela se recusa à abrir a porta. -E deusa sorriu melancolicamente.


-Obrigado. -Shaka murmurou. 


A deusa mostrou uma espécie de "ninho" em uma árvore alta.


-É bem seguro e não passará frio. -E falando isso a deusa sumiu.


--------------------------------------------------------------------------


Millena saiu da cabana para pegar um ar de manhã cedo. A noite foi horrível, Shaka não voltou para cabana e ela estava péssima. Deixou o desespero à dominar e afastou todos de perto dela.


Foi para a cachoeira e não encontrou Ferônia. Queria se desculpar. Decidiu mergulhar e ir meditar lá no fundo. Precisava acalmar o coração e a água sempre lhe ajudava à pensar com mais clareza.


Horas depois, mais calma, viu a sombra do cavaleiro na superfície. Subiu lentamente e colocou somente os olhos para fora da água. Ele se aproximou da beira e sentou em uma pedra.


-Está mais calma agora? -Ele perguntou sério.


Ela continuou somente o olhando. Como um animal prestes a dar o bote. Se aproximou mais, levantou o corpo despido se apoiando nas pernas dele e... Jogou a água que estava na boca, na camisa dele. Shaka não teve tempo de protestar. Ela o puxou para dentro da água.


-Você está tão estranha. Primeiro aquele surto e agora essa brincadeira estúpida. - o cavaleiro nadou para perto da margem. Quando ele tinha saído da água, Millena o empurrou para ele deitar na pedra. Shaka ainda tentou se levantar, estava irritado com a forma que ela estava levando a situação. Millena empurrou ele de novo com uma mão e com a outra segurou seu membro. 


Shaka finalmente entendeu o que ela queria e se deixou levar pelo desejo. 


Millena vendo que ele já não lutava mais, levantou a bata que ele usava e beijou seu tórax nu. Terminou de tirar a bata e desceu para a calça. Desabotoou e puxou, quase que com violência. O membro de Shaka saltou e Millena não perdeu tempo. Abocanhou o máximo que conseguiu. Shaka deitou completamente na pedra, sem forças. Millena fazia movimentos contínuos de sobe e desce. Em pouco tempo Shaka já estava se contorcendo e Millena sabendo que ele estava perto de gozar, subiu em cima dele e cavalgou intensamente. Shaka chegou ao ápice e ela deitou encima dele.


-Você ainda vai me deixar louco. -O virginiano falou ofegante.


-Pode ficar. Vou querer você mesmo se você ficar louco, cego, surdo, mudo... Quero você de qualquer jeito. Até moreno. -Ela riu da cara feia que ele fez.


-Eu podia ter pedido para o Mú comprar uma tinta para mim.


-E quem pintaria seu cabelo? -Millena sorriu travessa.


-Você. -Ele olhou pra ela estreitando os olhos.


-E o que eu ganharia em troca? -Millena provocou.


Shaka falou obscenidades no ouvido dela que a fizeram se arrepiar toda.


- Aceito. Ela riu perversamente. - Vem, vamos mergulhar. -Millena puxou o cavaleiro.


Nadaram, se beijaram e quando já estavam cansados, deitaram nas pedras.


-Então, está mais calma? -Shaka perguntou preocupado.


-Bem, digamos que calma ou nervosa, o resultado será o mesmo. Com a diferença que decidi que quero aproveitar todo o tempo que eu ainda tenho. -Millena falou fitando o céu.


-Você não precisa morrer necessariamente. Não é porque aconteceu no passado, que vai acontecer agora. -Shaka falou se virando para a amada.


-Assim que ele despertar, e sim, ele vai arrumar alguma forma de conseguir um corpo mortal, ele virá me procurar. Eu traí ele. Eu levei ele para uma armadilha e se eu não tivesse feito isso, todos os deuses teriam caído. Ele tem raiva dos deuses. Mas de mim, ele tem  ódio. Ou melhor, da ninfa que eu fui. -Millena olhou para Shaka. -É estranho pensar em mim como uma ninfa. Mas tem lógica isso sabe... toda a ligação que eu sempre tive com a água e com a natureza.


-Sabia que as ninfas matavam quem se banhava em suas cachoeiras? -Shaka falou sorrindo.


-Eu sei. Eu lembro. Lembro de tudo que eu vivi. Você quer que eu te mate agora cavaleiro?  -Millena sorriu perversamente.


-Só se for de prazer. -Shaka à beijou.


-O que me fez sentir mais dor foi a minha filha. Mas foi ela também que me deu mais forças para continuar com o plano. Eu não à vi crescer pois ela era mortal. Foi fruto de um relacionamento meu com um homem. Já morreu à milênios, eu sinto. Mas a sua descendência continua e eu e Milo somos parte dessa linhagem. Estranho né.. -Millena fitou Shaka.


-Você precisa encontrar Ferônia e continuar o treinamento. Ela deve querer que você aprenda alguma coisa importante.


-Eu já sei o que ela quer. Ela pretende fazer eu recuperar alguns poderes que eu tinha. 


-Que poderes? -Shaka estava curioso.


-Eu podia manipular a água, podia curar qualquer pessoa, causar amnésia, podia até me transformar em àgua se eu quisesse e era uma espécie de Oráculo. -Millena falou sorrindo.


-Ual... Isso é bem interessante. E você era imortal?  -Shaka perguntou curioso.


-Por ser filha de Ferônia com Zeus, sim. 


-Em falar em Ferônia, ela deve querer falar com você. -Shaka lembrou.


-Hoje não. Hoje não quero mais pensar nisso. Quero só ficar com você, escutar você, ter você... -Millena o beijou, fazendo o cavaleiro esquecer toda a razão.


----------------------------------------------------------


No dia seguinte Shaka acordou, se arrumou e foi preparar o café da manhã.


-Bom dia. O que vamos fazer hoje?   -Millena perguntou curiosa. -Pensei que fossemos passar o dia aqui na cabana.


-Não. Eu vou para o santuário. Athena não pode ficar com Itzal lá escondido. Teremos que falar com Milo e explicar para ele a situação. Enquanto isso, você vai procurar Ferônia. Vocês precisam conversar e você precisa voltar o treinamento. -Shaka falou fitando Millena no fundo dos olhos.


-Eu não quero. Não posso conversar agora Shaka... Olha só, vamos ficar juntos hoje e depois, quando a poeira ... -Millena não conseguiu terminar de falar. Shaka se aproximou e segurou os seus braços.


-Até quando?  Por quanto tempo você vai fugir Millena?  Até ele se levantar?  Aí vai ser TARDE demais. -Shaka suavizou o tom da voz. -Você precisa treinar e Ferônia é a única que pode te ajudar. Você acha que é a única que está com medo?  Pois eu te digo: Não é!! Precisamos encarar isso de frente e fugir não será uma opção para nós, escutou. Não temos tempo para sentirmos medo, para nos sentirmos vítimas. Precisamos agir e eu estarei com você até o fim. -Shaka abraçou a moça e beijou o topo de sua cabeça.


-Não sei o que seria de mim sem você, meu amor. -Millena sussurrou em seu ouvido.


-Não tente me seduzir, ninfa do sexo. -Shaka riu e deu um tapa em sua bunda. -Agora vá se arrumar e venha tomar o café da manhã comigo.
-Estou sem fome. Vou me arrumar e vou para a cachoeira. Boa sorte lá com meu irmão e não deixe ele matar nosso pai. -Millena sorriu e foi para o banheiro.


------------------------------


-ALÔÔÔÔÔ... Alguém está aí?  -Millena chegou gritando na cachoeira. 


-Psiuuuuuu... Pare de gritar, maluca. -Ferônia falou com raiva.


-Estou à horas te chamando e você não responde e nem aparece. Se gritar é a solução, vou fazer até você aparecer. -Millena falou divertida.


-Você acabou de chegar Millena. 


- Jura, parece que já se passaram horas. Essa vida de mortal está me deixando doida mesmo. -Millena ironizou.


-Você veio para brigar?  Se for, me avise para eu não perderei mais meu tempo com você. -A deusa realmente estava irritada com as atitudes de Millena.


-Você sabia o tempo todo, porque você não me contou. -Millena se sentou em uma pedra.


-Porque você precisava descobrir sozinha. Eu te disse isso várias vezes.


-Foi você que trouxe meu pai aqui. Você fez isso para acelerar meu processo de descoberta?  


-Fiz.


-Não pensou que isso seria extremamente doloroso para mim?  


-Seria doloroso de qualquer forma. Só que você estava demorando muito. 


-Você pode me explicar porque eu voltei como irmã de Milo?  


-Seu pai quando viu que ofereceu Milo para algo macabro, orou aos deuses. Ele pediu que enviássemos para ele algo que pudesse lutar contra esse mal. E nós enviamos você.


-Entendo. Sabe o que eu lembrei ontem. Eu conheço Helena e Isabella. Não por esses nomes, é claro. Mas elas também são ninfas, não são?  Mas permaneciam ao lado de Zeus como um estilo guarda costas dele.


-Correto. Você lembrou de algo mais?  -Ferônia perguntou curiosa. 


-Um pouco de tudo. Ainda é difícil pensar em tudo. Parece que é a história de outra pessoa e não a minha. -Millena suspirou. -Penso principalmente em minha filha.


-Você pensa isso porque está grávida. -Ferônia apareceu na frente de Millena. -Você pode enganar o Shaka, mas não pode me enganar porque eu vejo dentro de você. -Ela falou sorrindo.


-Não sei como contar à ele. -Millena suspirou. -Será que mais uma vez não poderei criar um filho com o homem que eu amo?  -Lágrimas escorriam por seu rosto.


-Ah criança. Você não sabe o dia de amanhã e não está sendo sentenciada à morte. À sempre um esperança. Conte para ele e aproveite esse momento. Mas brevemente. Precisamos voltar ao treinamento o quanto antes.


-------------------------------------------------------


Shaka chegou na cabana. Precisava contar para Millena que Itzal estava bem e seguro em uma casa na vila. Athena achou melhor colocá-lo lá para Milo não ver o homem e o reconhecer. Todos eles concordaram que Millena deveria estar lá para quando a verdade fosse revelada. Isso diminuiria a fúria do escorpião.


-Millena, cheguei. -Shaka falou procurando a companheira dentro da cabana e viu ela deitada, chorando na cama.


-Meu amor, meu amor, olhe pra mim. O que houve? -Shaka a pegou nos braços e a abraçou. Millena nada falou, somente chorava. Depois de um tempo, exausta, dormiu em seu colo.


De madrugada Millena acordou. Shaka dormia ainda. Ela sabia que precisava conversar com ele, mas não sabia como. Como contaria que esperava um filho dele? Como ele reagiria? Ele era um cavaleiro de Athena. Jamais iria querer a responsabilidade de criar um filho sozinho. Mesmo assim ele merecia saber.


Millena se levantou para tomar um ar. Estar naquela cama estava lhe dando náuseas.


-Vai me contar o que está havendo? -O cavaleiro perguntou à abraçando por trás. 


-Nada Shaka. Apenas angustia. -Millena mentiu. Não queria ter essa conversa hoje.


-É mentira. Eu já te conheço tão bem. Sei que tem algo acontecendo que você não quer me contar. E você está assim à dias.


"O que adiantaria adiar isso?" -Ela pensou. - "Ele só ficaria preocupado e ela angustiada. Tinha que se focar no treinamento com Ferônia e não poderia carregar essa omissão por muito tempo. "


-Estou grávida. -Millena falou e  voltou à chorar.


Shaka ficou alguns segundos em estado de choque. Nunca esperou que um dia, pudesse ser pai. Passado o susto, olhou para a mulher à sua frente, ela estava branca com cera. Estaria ela passando mal?


-Você está bem? -Shaka perguntou. 


-Estou péssima. Sei que você não quer ter um filho. Na verdade não pode, não com sua vida, seus compromissos e su... -Shaka interrompeu Millena com um beijo carinhoso.


-Meu compromisso agora é com você e com essa criança que é fruto do nosso amor. Quer se casar comigo?


Millena se jogou nos braços de Shaka e começou a chorar. Toda a angustia que ela sentia, indo embora com aquele tão desejado abraço.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...