História A n g e l - Jikook (REESCREVENDO) - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Angel, Anjo, Bts, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin
Visualizações 118
Palavras 3.520
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Lemon, LGBT, Luta, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Self Inserction, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


VOLTEEEI♡♡
VOLTEI MORRENDO COM ESSE COMEBACK! AAA MDS TA MUITO BOM
MORRI MAIS AINDA QUANDO VI O FT. DELES COM A NICKI, MANOO, MEUS DOIS FAVS NUMA MÚSICA SÓ
MEU CORPO ESTÁ NUM CAIXÃO NESTE MOMENTO, 69beijos
Gente eu iria postar essa semana que passou, mas o spirit apagou o capítulo, e como eu escrevo direto aqui, eu perdi praticamente 80% do capítulo
Então eu reescrevi tudo, espero que esteja bom.
Desculpem qualquer erro.
Esse ta com 3K de palavras, o maior da fanfic até então, aproveitem mores♡

Capítulo 11 - Sentimentos negados


Não sabia para onde Jungkook estava me levando, mas estava indo com ele, mesmo estando muito frio, mas para isso eu tinha o meu casaco salvador de frios.

Já estava andando com ele por alguns minutos, nossas mãos estavam entrelaçadas, fazendo-me sentir um calor gostoso pelo meu corpo. Jesus.

— Pra onde você 'tá me levando, Jungkook? — Pergunto pela milésima vez só em alguns minutos.

— Jimin, cala a boca. — Responde e eu bufo de raiva.

— Cala a boca você, seu escroto ridículo! Eu hein! Ta se achando demais. — Reviro os olhos e ele faz o mesmo. 

— Você que fica perguntando pra onde eu 'tô te levando toda hora! Confia em mim, 'pô!

— Difícil confiar, Jungkook, difícil! — Respondo e ele dá de ombros. — Ah, é, seu abusado?! Você vai ver só, eu vo...

— Cala a boca, a gente ja chegou, vem! — Diz me interrompendo e eu percebo que estavamos do lado de fora, ao lado do campo onde estavamos praticando esportes aquele dia. — Vem — Me estendeu a mão assim que subiu na escada, ah céus, estávamos subindo para o teto do prédio, onde eu cortei suas asas.

— Não preciso de ajuda, sei subir sozinho! — Digo ja subindo na escada e ele bufou, seguindo subindo. — Não vai me fazer cortar suas asas de novo não, né?!

— Não, Jimin, porra! Você só sabe perguntar, saco! — Fala enquanto chega no final da escada e da impulso para subir no teto.

— Eu vou embora, chega! — Estava prestes a descer a escada quando ele segurou meu braço com força e me encarou.

— Não vá! — Diz me encarando com sua cara de cachorro pidão e eu bufo.

— Por que não? Me dê motivos! — Digo e ele revira os olhos.

— Sério isso? — Pergunta e eu confirmo. — Aish... porque eu quero você aqui... eu te trouxe aqui pra isso, né! — Ah, juro que fiquei cheio de vergonha, mas disfarcei e subi as escadas novamente, agora dando impulso e subindo o teto, sendo puxado por Jungkook.

Caminhamos lado-a-lado até, meio que o centro, e nos sentamos lado-a-lado também. Fecho o zíper do casaco e abraço o meu próprio corpo, estava realmente muito frio esta noite.

— Jungkook... — Chamo-o, este que olhava para o horizonte, e passou a me olhar. — Por que me trouxe aqui?

— Ah... Aqui é meu lugar favorito, sabe, eu amo vir aqui à noite e observar as estrela, o céu, enfim, tudo. É o único lugar que me traz paz aqui nesse lugar... — Diz voltando a encarar o luar.

— Ah... — Volto minha atenção para o céu, estava repleto de estrelas, a lua estava linda, estava tudo tão lindo...

Sinto dois braços me envolvendo e percebo que era Jungkook me abraçando. Estranho. De começo eu fiquei meio exitante, mas retribui o abraço, sentindo seu aroma, e que aroma gostoso... Oi, quê?

— Desculpa... — Jungkook diz assim que quebrou o abraço, sentando normal, olhando para o horizonte novamente.

— Pelo quê? — Pergunto curioso e com um certo receio.

— Sabe, por te abraçar... Ah! Eu te beijei e nem sabia se você queria ou não, você provavelmente não queria e nem gostou, então desculpa, eu não deveria ter te abraçado. — Ele dizia tudo rápido e embolado, ele estava nervoso?

— Jungkook... — Fiquei nervoso também, mas jogaria tudo no ventilador, não estava nem ai! — E-Eu gostei... do beijo.

Ele me olhou com os olhos arregalados e depois de, eu acho, ter noção do que eu falei, ele soltou uma risadinha gostosa e seus lábios se formaram em um sorriso.

— Ah, é? — Pergunta e eu assinto. — E se eu te beijasse de novo? Você não acharia ruim? — Travo com a pergunta, mas mesmo assim nego. Ele sorri arduamente e me encara.

Sinto sua mão pegar no meu queixo cuidadosamente e ele acariciar, ainda sorrindo.

— Você é lindo... — Diz me encarando e eu sorrio tímido, porra Jungkook!

Sinto seus lábios se colarem aos meus, em um simples selinho de começo, ele logo começa um movimento simples, levando os meus lábios juntos aos seus, em uma dança lenta. Céus, eu estava ficando louco! Se Jungkook não me matar um dia, eu não sei do que morrerei.

Sem esperar que sua língua pedisse passagem, eu dou. Sua língua se choca com a minha, fazendo-me sentir um frio na barriga, estavamos nos beijando, afinal. Sinto seus lábios se movimentarem junto aos meus, estavamos nos encaixando tão bem juntos, céus!

°

°

Ficamos nos beijando por não sei quanto tempo, mas sei que paravamos um pouco para recuperar o fôlego e voltavamos a nos beijar, era um ciclo vicioso. Beijar Jungkook era viciante.

Agora estavamos conversando, ele estava sentado, encostado em um negócio de ferro, e eu estava deitado de barriga para cima com a cabeça em seu colo. Ele acariciava meu cabelo e eu estava de olhos fechados, aproveitando da sensação boa.

— Você fica muito lindo assim de olhos fechados no escuro. — Escuto ele dizer e rio alto. — Ei, que foi?

— Não fale besteira, Kook. Desde quando eu sou bonito? — Digo rindo e ee me encara sério. 

— Você é perfeito pra caralho, Jimin, nem vem! — Diz e eu rio alto novamente.

— Ata, até parece! — Digo e ele bufa, fazendo um biquinho. — Que fofo! — Aperto seu biquinho e ele revira os olhos.

— Jimin, fodeu! — Diz alto e eu me assusto.

— Que foi?! — Me sento e ele aponta pro céu, eu imediatamente olhei o mesmo e fiquei de boca aberta. — Já?! — Pergunto olhando o sol nascendo e a lua indo embora. Já estava amanhecendo.

— Jimin, a gente ficou a noite inteira aqui! — Diz rindo de um modo travesso e eu o acompanho.

— Ai, meu Deus, a gente ta fodido. — Digo me levantando e ele faz o mesmo. — Vamos embora logo!

°

°

Chegamos sorrateiramente no nosso quarto, e eu suspirei fundo ao ver minha cama. Estava com medo e sono. O medo já passou, pois estavamos no quarto e não fomos vistos, mas ainda estava morrendo de sono.

Ando até minha cama e me jogo nela, glorificando ao sentir meu conforto. Olho para Jungkook que também tinha deitado em sua cama. Poxa... Não queria ficar longe dele, queria sentir seu carinho novamente... Ok, Jimin, vá dormir.

°

°

— Jimin! Acorda, Jimin! — Abro os olhos sentindo a claridade enquanto meu corpo era balançando de um lado para o outro na cama.

— Tae? — Pergunto olhando ele, que me balançava e me chamava.

— Acorda, a gente 'tá atrasado, cacete! — Diz e eu sento na cama ainda quase caindo de sono. Porra, eu mal tinha dormido, se dormi por duas horas foi pouco!

— Atrasado pra quê? — Pergunto tentando deixar os olhos abertos, mas falhando.

— Hoje temos visitas! Tipo visitas dos parentes! — Disse e eu arregalei os olhos, mas logo os fechei.

— Caralho, será que a minha mãe veio? — Digo me levantando e indo até o banheiro. Lavei a cara e escovei os dentes, aproveitando para arrumar meu cabelo, que estava todo desarrumado. Saio do banheiro e vejo Tae me esperando na porta, olho para a cama de Jungkook e não o vejo ali. — Cade o Jungkook? — Pergunto à Tae.

— Já foi. Agora vamos logo, pelo amor de Deus! — Me puxa e eu apenas o sigo calado.

Caminhamos um pouco por alguns corredores até chegarmos à uma sala cujo tinha uma placa escrita "Sala de Visitas". Entraram pela porta de madeira e Tae saiu correndo, vi ele ir em direção a uma senhora e um senhor, devia ser os seus pais. Olho em volta e vejo minha mãe acenando para mim. Sorrio e vou em sua direção.

— Filho! — Ela me recebe de braços abertos e eu sinti vontade de chorar, mas me contive.

— Oi, mãe — Nos soltamos e eu me sento em sua frente, a encarando. Ela estava bonita, parecia ter rejuvenescido uns 15 anos. — Está bonita.

— Mesmo? — Pergunta sorrindo e eu assinto. — Larguei as drogas, eu acho que é por isso.

— Sério? — Pergunto e ela assente, fazendo-me abrir um sorriso. — Nossa, mãe, isso é realmente ótimo de se ouvir!

— Tem mais — Deu uma pausa. — Voltei a trabalhar! — Diz fazendo-me abrir a boca em um círculo perfeito.

— Mentira?! — Pergunto ainda sem acreditar.

— Verdade! — Diz sorrindo e eu a acompanho. — Sabe, depois que você veio para cá, eu meio que cai na real. Então decidi melhorar, por você!

— Mamãe, eu estou realmente muito orgulhoso de você! — Digo sorrindo e ela faz o mesmo, deixando uma lágrima escorrer pelo rosto. — Hey, não chore!

— Desculpa, só fiquei emocionada. — Diz e nós rimos. — Como está sendo aqui dentro, filho?

— Ah... Atualmente está normal, sabe — Digo me lembrando de hoje mais cedo, de eu e Jungkook no teto de madrugada. — Quando eu entrei tudo era tão... Estranho, mas agora está melhor, eu fiz amigos. — Digo olhando em volta, vendo todos os meus amigos com suas famílias. Mas estranhei porquê não vi Jungkook ali.

— Amigos? Que bom para você, só vivia sozinho no quarto. Devia ficar vendo pornô, só pode! — Ela disse um pouco alto e eu quase morri de vergonha. 

— Mãe, caralho, cala a boca, pelo amor de Deus! — Abaixo a cabeça com vergonha e ela deu de ombros.

— Só estou dizendo a verdade, neném! — Diz rindo alto e eu revirei os olhos.

— Mãe, como aquele homem te achou? Sabe, no dia que eu acordei com a ferida, eu gritei por você e logo você saiu e entrou com aquele homem, aquele de preto. Que me disse que eu era um anjo. — Pergunto tudo de uma vez e ela suspira, antes de começar a contar.

— Ele me procurou ainda quando você tinha acabado de nascer, algumas semanas depois, se não me engano. — Dá uma pausa e continua; — Ele me disse que todos que nasciam eles faziam um exame com o sangue, para saber se eram anjos ou não. Ele me disse que o seu sangue dava indícios de ser o tipo sanguíneo de anjo, mas somente descobririamos isso quando as asas começassem a se manifestar ou não. Então naquele dia elas se manifestaram e eu o chamei, ele estava morando na casa em frente, pois ele é contratado do governo e deste lugar. Então foi isso, aqui estamos nós.

— Então você sabia desde que eu nasci? — Pergunto e ela assente. — Nossa... Eu estou sem palavras. 

— Jimin, você é a porra de um anjo, e isso que importa! — Ela diz sorrindo e eu sorrio também.

— É... — Digo ainda a olhando, quando escuto um dos guardas gritando;

— Acabou o tempo de visita! Peço a todos os visitantes que se despeçam e venhan comigo, por favor! — Olhei para minha mãe e me levantei, ela fez o mesmo e veio em minha direção, me abraçando. 

— Foi bom passar esse tempo com você, filho, espero te ver em breve! — Diz e eu assinto, a soltando do abraço. 

— Também espero. — Ela dá um beijo em minha testa e me solta. — Te amo.

— Também te amo. — Ela diz, então se afastando aos poucos. — Tchau! — Deu um tchauzinho com a mão e seguiu o guarda.

— Tchau!

°

°

Entro na ala e vejo os meninos — menos  Jungkook — sentados em uma rodinha no chão, eles riam alto e conversavam. Caminho até eles e me sento ao lado de Yoongi.

— Jimin-ah! — Jin grita e eu sorrio. — Tudo bem?

— Aham, e você?

— 'Tô bem! — Diz ainda gritando.

— Por que você ta gritando? — Pergunto rindo e ele ri alto dando de ombros.

— Ele 'tá feliz, isso que importa! — Hoseok diz e eu concordo.

— Vocês estão fazendo o que aqui? — Pergunto e eles dão de ombros.

— Só estamos conversando mesmo — Yoongi responde.

— Gente, por que ninguém veio visitar o Jungkook hoje? — Pergunto e eles passam a me encarar, meio desconfortáveis. 

— É... Desde que eu entrei aqui eu nunca vi ele sendo visitado por ninguém, então né... — Jin diz e eu arregalo os olhos.

— Mas por quê? — Pergunto ja sentindo meu peito doer por pensar se Jungkook estava triste por isso.

— Ninguém sabe, ele não conta. A gente só sabe que ninguém nunca veio desde que ele entrou — Namjoon falou dando de ombros e eu abaixo a cabeça, brincando com meus dedos.

Por que ninguém nunca veio o visitar? Ele por acaso fez algo para a sua família não vir? Céus, eu estava realmente curioso e ao mesmo tempo preocupado. Queria ver ele agora, queria o abraçar e dizer que eu estou aqui, ao lado dele.

— Vai na festa hoje, Jimin? — Tae perguntou e eu franzi o cenho.

— Festa? Que festa? — Pergunto olhando para ele, que ficou surpreso.

— Não ta sabendo da festa que vai rolar hoje? — Pergunta e eu nego. — Vai ter uma festa hoje, o diretor autorizou somente hoje, então temos que aproveitar!

— Onde vai ser? — Pergunto.

— Na biblioteca — Diz e eu assinto.

— Vou aparecer lá então — Digo e ele me olha.

— Por que não vai logo com a gente? — Hoseok pergunta e eu penso um pouco, aceitando então.

— Ok, quando forem se arrumar me avisem então.

°

°

Entrei na biblioteca com os meninos e andei um pouco, observando a decoração do local que estava linda, a luz roxa e azul dominava o local. Desde que deitei para dormir não tinha visto mais o Jungkook, ele tinha sumido e eu não sei o porquê, mas estou esperando ele aparecer para conversarmos.

— Jimin, esse aqui é o Mark, Mark Tuan. Mark, esse é o Jimin, Park Jimin. — Namjoon diz quando um menino, que é o tal de Mark, veio até a gente.

— Oi, Jimin. Prazer! — Ele estendeu a mão e eu a apertei.

— Oi. — Respondo e ele solta minha mão, olhando para os meninos.

— Ele que organizou a festa — Tae fala no meu ouvido e eu murmuro um "Ata".

— Vou ir pegar uma bebida, ja volto, gente! — Digo aos meninos e me afasto, indo até uma mesa que tinha umas bebidas.

Paro em frente a mesma e pego um copo de plástico, enchendo-o com algum suco que estava em cima da mesa. Estava aguado, mas ja era de se esperar, porque o diretor não deve ter dado dinheiro ou muito menos alimentos para essa festa. Mark deve ter arrumado as coisas com os cozinheiros.

— Jimin! — Olho para o lado e encontro Taemin, que me olhava sorrindo.

— Hey — o cumprimento.

— Finalmente achei alguém pra conversar, vim aqui só ver como estava a festa, então te achei. — Falou enquanto pegava um copo e o enchia com o suco.

— Eu só estou aqui por causa dos meus amigos mesmo, caso contrário estaria dormindo. — Digo e ele ri.

— Gosta de dormir? — Pergunta e eu assinto.

— Claro! Dormir é a melhor coisa do mundo, mano!

— Eu também acho, mas faz tempo que não sei o que é um bom sono, ah... — Diz olhando as pessoas e eu franzi o cenho. 

— Por que não?

— Ah, umas coisas que aconteceram, mas não quero entrar em detalhes.

— Ok... — Assinto e ele me encara.

— Não quis ser grosso nem nada, mas é isso. — Concordo.

— Eu entendo, não precisa se justificar.

— Obrigado por entender.

Olho em volta e meus olhos captam Jungkook sentado num sofá no outro lado da sala, encarando a mim e Taemin com raiva. Quando notou que eu o encarava de volta, tirou sua atenção da gente e passou a olhar ao redor. Não sabe nem disfarçar.

— Taemin, vou sair rapidinho. Ja volto, ok? — Ele concorda e eu saio do seu lado, caminhando até Jungkook, que ainda não me notou indo até si.

Ando mais um pouco e chego nele, sento ao seu lado no sofá e passo a encará-lo. Ele ainda não me olhou, mas tenho certeza que queria.

— Jungkook? — Chamo por este, que me olhou na mesma hora. — Oi, bobo.

Osh, bobo por quê? — Pergunta me olhando e eu dou de ombros.

— Por causa do seu ciúmes bobo do Taemin. — Digo e ele me encara perplexo.

— Ciúmes? — Começa a rir alto. — Não sei que ciúmes, eu hein, ta sonhando de mais, Jimin, aproveita e volta lá pro seu namorado! — Revira os olhos e dessa vez eu que rio alto.

— Você é péssimo em esconder, Jungkook.

— Poxa, pensei que o meu discurso nada ciumento tinha funcionado! — Brinca e eu rio alto novamente. — Mas é sério, volta la pro seu namoradinho, ele deve estar te procurando. 

— Para Jungkook! Prefiro ficar aqui com você... — Digo o abraçando e ele suspira, me abraçando de volta.

— O bobo aqui é você. — Diz e eu dou de ombros.

— Não ligo.

— Nem eu.

— A gente não se falou o dia inteiro, você sumiu! Fiquei com saudades... — Digo baixinho e o sinto sorrir.

— Ficou, é? — Pergunta rindo baixinho e me puxando para me olhar. — Vamos sair daqui?

— Vamos.

°

°

Estava andando com Jungkook pelo prédio novamente, com nossas mãos entrelaçadas. Engraçado que eu só estou vivendo andando com Jungkook ultimamente.

— Chegamos. — Ele diz abrindo uma porta e me dando a visão deu escada de incêndio.

— Clássico! — Digo me referindo a escada de incêndio.

— No teto que eu não te levo de novo. — Diz entrando no local e fechando a porta assim que eu entrei.

— Por que não?

— Porque senão a gente vai virar a noite lá de novo. — Diz meio óbvio e eu concordo. — Mas agora... — Me impressou na parede e me encarou. — Eu quero te beijar.

— Quer? — Mordo os lábios e levo minhas mãos até sua nuca.

— Quero.

— Então beija.

E foi questão de segundos até eu sentir os lábios de Jungkook se colando aos meus, e céus, era muito bom. Depois de ter passado uma noite inteira o beijando eu acho que fiquei viciado, porque puta que pariu.

Sinto sua língua se enroscar na minha e acaricio sua nuca, ele segurava na minha cintura, enquanto movimentavamos nossas línguas umas contra a outra.

E, parecendo ser coisa do demônio, fomos interrompidos pela porta se abrindo. Paramos o beijo e olhamos para a porta e lá estava Yoongi de mãos dadas com um menino. Mereço mesmo...

— Caralho, desculpa ai! — Yoongi diz rindo. — Pensei que não tinha ninguém. Aproveitem bastante ai — Nos lançou um olhar malicioso e fechou a porta, indo embora.

— Quem é aquele menino com o Yoongi? — Pergunto e Jungkook da de ombros.

— Deve ser um dos peguetes dele.

— Uau. — Finjo surpresa e ele ri.

Jungkook se senta no terceiro degrau da escada e me puxa para o seu colo. Ok, confesso que achei bem estranho e desconfortável de início, mas depois que começamos a nos beijar eu fui acostumando, aos poucos, mas fui.

Jungkook segurava minha cintura com uma certa força e nos beijavamos, desta vez um pouco mais rápido e com desejo. As últimas vezes foram mais "sentimentais". Ja desta vez teve mais atração.

°

°

Depois de ficarmos bastante tempo nos beijando, decidimos voltar para a festa, afinal já tinhamos sumido por muito tempo.

Ao entrar na biblioteca, deixo Jungkook conversando com um menino que é seu amigo e vou até os meninos.

— Menino, onde tu se meteu? — Jin pergunta assim que me vê e eu tento criar uma mentira.

— Estava caminhando pelo campo lá fora. — Minto.

— Hm, sei... — Eu sabia que ele sabia que era mentira, mas os outros não sabiam, então estava ótimo.

— O Taemin estava te procurando — Hoseok diz e eu o olho.

— O que ele queria? — Pergunto e ele da da ombros. — Depois falo com ele.

°

°

— Entendeu a piada? — Jin pergunta rindo alto até demais e todo mundo nega. — Vocês não tem senso de humor mesmo, viu!

— Você que só conta piada ruim — Tae diz e Jin revira os olhos, dando de ombros em seguida.

Estava ficando tarde e eu ainda não tinha visto Jungkook desde que viemos da escada.

— Tae — o chamo ele me olha. — Vamos procurar o Jungkook comigo? Por favorzinho!

— Jungkook? Ok, vamos. — Se levantou e eu o segui.

Andamos por toda a festa e não o achamos. Decidimos então sair da biblioteca e ir o procurar pelo prédio. Andamos quase todo o prédio e mesmo assim não o encontramos.

— Porra, onde ele se meteu? — Tae pergunta e eu não o respondo.

— Eu ouvi a voz dele, vem! — O puxo e sigo a voz.

Caminhanos um pouco e nos aproximamos da porta do banheiro, que estava aberta.

— Jungkook, você gosta do Jimin sim ou não?! — Escutei a voz de Yoong vindo de dentro do banheiro, congelei com sua pergunta e me escondi na parede do lado de fora, junto à Taehyung.

— Yoongi, eu não gosto dele! — Disse com raiva e eu admito que doeu ouvir aquiilo. — Eu nunca vou gostar do Jimin! Ele não é o tipo de pessoa pra mim, eu não acho ele bonito. Eu nunca vou gostar dele.


Notas Finais


Nada a declarar.
~desviando das pedras~

Gente, convido vocês a darem uma olhadinha na minha nova fanfic Jikook

Liberdade;

Sinopse - Jungkook foi criado por pais super tradicionais e rígidos, uma família em que o dinheiro e a aparência são mais importantes do que o amor.
Sempre ouviu que, quando crescesse, entraria numa faculdade de medicina, pois seu pai almejava isto. E ele estava pronto para obedecê-lo e ser feito de fantoche, mas tudo mudou ao conhecer Park Jimin, um garoto que o despertou interesse, mas que nunca sonharia em tentar algo por causa de seus pais.
Jimin estava ali para o libertar; Jimin era sua liberdade.

Link - https://www.spiritfanfiction.com/historia/liberdade-14031207

Até♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...