História A n g e l - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Angel, Anjo, Bts, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin
Visualizações 29
Palavras 1.332
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Lemon, LGBT, Luta, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Self Inserction, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


VOLTEI NENÊS!
Não queria dizer mas uma leitora ai adivinhou uma coisa sobre o Jk e a doutora Yiana.
Whel, prestem BASTANTE ATENÇÃO nesse capítulo, tem muitas informações.
Ele é narrado pelo Jungkook.
Enjoy♡

Capítulo 9 - Asas Prematuras


Estava indo em direção a sala do doutor Wangl, até que ouvi alguns gritos... e se eu não estou louco eu conheço esta voz... Jimin! É, é ele mesmo. Que merda está acontecendo para ele estar gritando assim? E ainda tem outra voz. Decido chegar mais perto para ver o que era, até que vi um garoto o jogar no chão e partir pra cima dele, rapidamente corri e quando o punho do garoto ia de encontro a face de Jimin, eu o segurei.

— Mas o quê?! — O garoto disse e imediatamente eu o joguei longe.

— Jungkook... — Escutei Jimin dizer baixinho, o olhei antes de ir pra cima do garoto.

Pego em seu pescoço com força e observo seus olhos se esbugalharem.

— Nunca mais mexa com ele, desgraçado! — Falei e dei um soco em sua cara, logo após saindo de cima dele.

Olhei na direção de Jimin, este que estava paralisado me olhando, respirei fundo e andei até ele.

— O que houve aqui? — Perguntei e ele respirou fundo.

— Esse retardado estava batendo no maluquinho — apontou para o o lado, mas não tinha ninguém ali. — Ahn? Ele estava bem aqui, mas que louco...

— Sei... — Proferi baixinho, olhando para os meus próprios pés.

— Jungkook...?

— Hm? — O olhei.

— Por quê... por que me defendeu? — Perguntou me olhando, querendo uma resposta.

Ai está uma questão. Por que eu o defendi? Poderia muito bem ignorar e deixá-lo cuidar disso sozinho, mas não sou tão covarde a este ponto. Mesmo que defende-lo traga-me possíveis "inimigos", eu não estou pouco me fodendo. Jimin é meu...? Colega...?

— Jungkook...? — Despertou-me dos meus devaneios.

— Ah... bem, você é meu companheiro de quarto, digamos que um colega. Então eu meio que me vi na "obrigação" de te ajudar.

— Ah, sim... enfim, obrigado, Jungkook — ele sorriu pra mim e, me abraçou, deixando-me completamente imóvel.

Jimin está me abraçando. O fato é; eu não costumo e não gosto de abraçar pessoas.

— Disponha... — Respondi ainda imóvel.

Ele sorriu e saiu andando, deixando-me ali parado por minutos. Pensando em tudo. Não sei o porquê mas tenho olhado muito para Jimin estes últimos dias. Não deve ser nada demais.

Com estes pensamentos, saio da sala e caminho até o escritório do doutor Wangl, chegando em frente, bato na porta devagar.

— Entre! — Escuto sua voz nojenta do outro lado da porta.

Abro a mesma e entro sem cerimônias, sentando-me na cadeira em frente a sua mesa. Ele bebia alguma coisa alcóolica que eu não identifiquei e, agora, me olhava sorrindo.

— Jeon, Jeon... quanto tempo, não? Parece que não liga para os familiares... — Ele disse me encarando 

— Olha só, eu só vim aqui lhe perguntar quando poderei sair deste lugar! — Fui curto e grosso e ele abriu mais ainda o sorriso.

— Quando suas asas nascerem, talvez... e, mesmo assim, acha mesmo que sairá daqui assim virar um completo anjo?! — Ele disse sarcástico. — Ha-Ha, precisamos rir de vez em quando, Jeon...

— Você é podre... — Digo com o resto de vontade de falar com ele e me levanto.

— Olha quem diz isso! — Disse rindo alto — Você que é podre, Jeon, nunca será como um de nós. Sabe os humanos normais, Jeon? Você nunca será como nós. — Disse se curvando na mesa e me encarando.

— Sabe de uma coisa? — Me curvei sobre a mesa também e o encarei. — Estou pouco me fodendo, doutor Wangl. — Sorri satisfeito assim que sua expressão mudou. — Diga a mamãe que eu a amo, somente a ela.

Depois de dizer esta última palavra, sai de sua sala. Andei com raiva pelo corredor até chegar no consultório da doutora Yiana. Bati em sua porta e esperei.

— Entra logo, pelo amor — disse impaciente. Adentrei o local e olhei em volta. — Oh, Jungkookie! — Ela ficou animada assim que me viu.

— Oi... é, eu vim ver o meu horário com Saaky, ja que você disse que meus horários estavam com você. Pode aproveitar e me entrega-los? — Entrei na sala e fiquei em pé em frente a ela, esperando por sua resposta.

— Ah, claro, seus horários — ela pegou uns papéis numa gaveta, folheando-os, até achar o meu. Ela levantou-se e veio em minha direção. — Aqui esta, Jungkookie... — ela me entregou e tocou meu abdômen, fazendo um carinho na região.

Respirei fundo, ja sabendo o que viria a seguir...

°

°

Depois de sair do consultório da doutora Yiana, segui até o outro corredor; onde era o consultório da doutora Saaky, que, por mim, é a única pessoa de boa alma aqui dentro.

Andei pelo corredor até chegar em seu consultório, bati na porta três vezes e ela gritou mandando-me entrar.

— 00001! — Disse meu número e levantou-se. — Tudo bem?

— Aham. — Menti. Não estava nem um pouco bem, mas não sou de espalhar sentimentos por ai.

— Temos meia hora, então venha cá; sente-se, por favor — apontou para a maca. Sem pestenejar fui até a maca e sentei-me nela. — Pode tirar a blusa, por favor?

— Aham... — Ja estava acostumado, tirei a blusa e a segurei com as mãos.

Ela posicionou-se atrás de mim; examinando minhas costas. Ela tinha uma pinça e sua mão vestia luvas de plástico.

— Jungkook... ja percebeu que suas asas estão crescendo, certo?

— Aham... — Respondi ja temendo o que viria a seguir.

— Então... teremos de cortá-las...

— Como?! — Respondi ja me levantando da maca e a encarando.

— Elas estão crescendo de um modo errado, se crescer assim, o prejudicará no futuro. Como ela ainda é uma asa, digamos, prematura, podemos corta-la que ela irá crescer novamente. Não tenha medo.

— Não estou com medo... mas como se cortam elas? — Digo ja colocando minha camisa novamente.

— Simples; pega algo laminoso e a corte. Basta cortar no ossinho que liga a asa com o corpo.

— Ah, sim, mas doi?

— Com certeza.

— E quem cortará?

— Infelizmente será a dourora Yiana... eu não posso fazer estes tipos de trabalhos...

— Ah, não...

— Desculpa.

°

°

Entro na ala e percebo que estava tudo totalmente escuro, olho para o relógio e vejo que ja marcava 23:48PM. Será que todos ja foram dormir? Impossível...

Vou até meu quarto, abro a porta e a primeira visão que eu tenho é de Jimin sentado na cama, lendo um livro. Ele fica extremamente lindo de óculos... mas o quê?! Que porra de pensamento.

— Jimin? — O chamo e o mesmo me olha.

— Oi? — Diz deixando o livro de lado e me olhando.

— Pode... — hesito em pertuntar, mas decido seguir em frente. — Pode vir em um lugar comigo...?

Ele paralisa por alguns segundos de boca aberta me olhando, logo dizendo;

— Pra onde? — Pergunta tirando seus óculos.

— Segredo. — Digo e ele bufa. — Vai ou não?

— Hm... ta, ok, eu vou... — Ele se levanta da cama e calça o chinelo, logo me acompanhando pela ala.

Saímos da ala e eu segui na frente, guiando o baixinho que está comigo, fui até o jardim e segui pelos fundos, onde tinha uma escada de emergência que dava direto para o telhado do edifício.

— Sério que você vai subir ai? — Jimin pergunta e eu concordo. — Porra, é muito alto... — Ele diz meio acanhado.

— Hey... eu estou aqui, ok? — Estendi minha mão para ele segurar, percebi que ele ainda assim estava com medo, então dei um sorriso passando segurança.

Depois de hesitar um pouco, ele acabou aceitando, segurou minha mão e subiu comigo pela grande escada de ferro até chegarmos no teto do edifício.

— Nossa, aqui realmente é cheio de mato em volta... — Ele disse assim que olhou para o horizonte. — Sinto falta da minha liberdade...

— Todos sentimos... principalmente quem já está aqui há três anos... — Respondi me sentando e olhando o horizonte, costumo sempre vir aqui, digamos que, para respirar.

— Quem está aqui há três anos? — Ele perguntou e eu sorri divertido.

— O mais fodido de todos... — Respondi sarcástico, mas realista.

— Hm... — respondeu ainda olhando o horizonte.

— Jimin?

— Sim?

— Você poderia cortar minhas asas?


Notas Finais


EITAAAAAAAA
Parei ai msm, sou mto fdp? SOU!
Mas sou um abor♡
Gente, SÉRIO, eu deixei muitas informações IMPORTANTES nesse capítulo, além dele ser meio pequeno pra mim, ele está carregado de informações.
Juro que trago o próximo capítulo o mais rápido possível, só falta terminar ele.
Eh isso mesmo, amo vocês♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...