1. Spirit Fanfics >
  2. A namorada do meu melhor amigo >
  3. Capítulo 9

História A namorada do meu melhor amigo - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que gostem e boa leitura ❤

Capítulo 15 - Capítulo 9


O professor de Direito Penal ainda não havia passado todo o historico do caso para o trabalho, mas eu estava empolgado demais para ficar parado. Por isso, quase todo meu tempo livre eu passava no computador fazendo pesquisas. E era exatamente o que eu fazia naquele domingo quando o Krys ligou depois do almoço me chamando para ir a sede do Pitangueiras jogar basquete. Minha coordenação motora não era muito boa para o esporte, a bola era grande demais e a cesta, muito pequena, jamais consegui fazer um ponto que fosse em alguma partida, então recusei o convite.

Eu navegava pela internet, mas, com poucos detalhes sobre o caso, ficava difícil pesquisar. Esfregue o rosto, olhei de relance para a estante que ficava ao lado da mesa do computador e vi minha coleção de livros de ficção. Nunca fui muito de ler, mas alguns daqueles títulos envolviam advogados, tribunais, causas perdidas. Eu me lembrei que um dos livros contava a história de homens acusados sem provas concretas e comecei a folheá-lo. Já tinha lido, mas apenas por lazer, e agora decidi ler com outra visão, como se fosse um advogado. Talvez tivesse alguma coisa útil para o meu trabalho. Peguei um caderno e uma caneta e coloquei junto com o livro em cima do meu criado-mudo. Anotações durante a leitura ajudariam muito.

Decidi esticar as pernas e fui até a cozinha. Lá, encontrei meu pai e tia Carmen em uma conversa animada 

Josh: Oi tia - comprimentei, e percebi que ela colocava petiscos em travessas

Carmen: Olá, Josh. Estamos arrumando algumas comidinhas para o torneio de baralho. Quer alguma coisa?

Josh: Se não for atrapalhar o lanche de vocês, eu aceito 

Tia Carmen arrumou em uma bandeja alguns minissanduíches, pastilhas de vários sabores, torradas, biscoitos, tudo pra mim

Josh: Ei tia, vamos com calma. Só um pouco está bom - Brinquei, tirando um refri da geladeira

Pai do josh: Você não ia sair hoje? - meu pai perguntou e eu me espantei,  porque o tom não era de repreensão, e sim como quem fala vai lá, sai, está tudo bem.

Josh: O Krys me chamou pra jogar basquete, mas não me animei. Devo aparecer mais tarde lá no Bebe Aqui

Peguei minha bandeja e saí da cozinha para deixar os dois a sós. Faz um bom tempo que não via meu pai tão descontraído e feliz 

Voltei para o meu quarto, coloquei a bandeja em cima da cama e desliguei o computador. Em seguida liguei o rádio e me sentei para comer . Não sabia nem por onde começar de tanta coisa gostosa que tinha ali

Peguei um minissanduíche, que era muito míni, e como de uma vez. Estava perdido em meus pensamentos quando ouvi uma batida na porta

Josh: Entra - disse, imaginando ser meu pai, e me surpreendi ao ver Any

Any: Oi - Ela sorriu e entrou, fechando a porta

Josh: Que surpresa - Eu me levantei da cama e dei um beijo em seu rosto 

Any: Vim com meus pais te fazer uma visita. Como nos velhos tempos - Ela sorriu e fiquei sem graça, lembrando o quanto eu detestava que ela viesse até minha casa com seus pais aos domingos, quando éramos crianças 

Josh: Senta aí. Lanche comigo? - perguntei, indicando a cama

Any: Sim - Ela se sentou na cama, encostando na cabeceira. Eu me sentei no chão, ao lado dela - Você está mal-acomodado, roubei seu lugar

Josh: Que é isso? Fica aí. Estou ótimo. - E estava mesmo. A visão dela ali na minha cama me deixou muito feliz. - Seu namorado sabe que você está aqui? - Não sei por que fiz essa pergunta estúpida. Acho que é um defeito dos apaixonados, falar besteira sem pensar

Any: Sabe. Ele vem pra cá depois

Josh: Ah. - Apesar de adorar o Noah, não gostei muito do que ouvi. Pensei que teria uma tarde inteira sozinho com a Any

Any: O que você estava fazendo antes de eu chegar? Não quero atrapalhar

Josh: De modo algum. - Sorri e ela retribuiu. - Estava só lanchando. Antes, estava fazendo uma pesquisa para um trabalho da faculdade

Any: Trabalho de quê? - perguntou ela, com real interesse

Josh: De Direito Penal. É em dupla e eu vou fazer com o Noah mas já vi que vou fazer o trabalho sozinho

Any: Não sabia que o Noah era de deixar tudo nas suas costas

Josh: Não, não. É que ele não tem interesse nessa área, e é justamente a que eu mais gosto. Então, não vou me importar de fazer sozinho. Pra dizer a verdade, acho até que prefiro

Any: Entendi - Ela ficou quieta, comendo o minissanduíche. Aí contrário de mim, dava algumas mordidas a mais na microcomida

Josh: E você? Está gostando de estudar no Instituto novamente?

Any: Claro. Sempre adorei aquela escola. E é bom ter a Yoon comigo - Ela começou a rir enquanto me encarava.

Josh: O que foi? 

Any: A Yoon me contou de ontem do churrasco

Balancei a cabeça e passei uma das mãos no cabelo

Josh: A Heyoon fica fazendo esses joguinhos e isso ainda vai dar confusão 

Any: Eu te falei que ela gosta de você; voce não quis acreditar

Josh: Não quero pensar nisso. Noah me mata só de eu pensar, imagina se fizer alguma coisa!

Any parou de rir e deu um suspiro. Pegou outro minissanduíche, mas não comeu. Ficou olhando pra comida e depois olhou pra mim

Any: E você quer fazer alguma coisa?

Josh: Não, claro que não!! Já te falei 

Any: Eu sei. Mas é que todos os garotos da cidade parecem gostar dela

Josh: Tem garotos aqui que não gostam dela

Any: O Noah né? - Ela riu

Josh: O Noah não conta - Ri tbm - O Krys, eu

Any: Mas você mesmo já disse que teve vontade de ficar com ela uma vez

Josh: Tive vontade, não tenho mais. Como dizem, vontade é uma coisa que dá e passa. Você nunca teve vontade de ficar com um carinha bonito lá em Porto Alegre e depois passou?

Ela levantou os ombros, sem responder. Depois de um tempo, mudou de assunto

Any: E a sua mãe? Como está?

Josh: Está bem. Ela se casou novamente e está feliz

Any: Que bom 

Josh:  É.  Gosto  de  vê-la  feliz.  Ah,  tenho  um irmãozinho, acredita? Três anos - Any deu uma risada gostosa e eu me levantei para pegar um porta-retrato na estante. - Este é o meu irmão 

Ela pegou o porta-retrato das minhas  mãos  e nossos  dedos  se  tocaram  levemente.  Senti  meu coração disparar, mas ela pareceu não ter reparado no toque

Any: Ele é muito fofo. Parece com você quando era menor 

Josh: Não diga isso perto do meu pai que ele é capaz de morrer - Eu me sentei

Any: Ele não aceitou a separação né?

Josh: Não. Já tem o que? Uns cinco anos? Ele não  consegue  esquecer  minha  mãe.  Ou  não  se acostumou a ficar sozinho, sei lá

Any: Por  isso  agora  você  quer  arrumar  uma namorada pra ele

Josh:  É,  e  também  pra  ele  me  esquecer  um pouco. Está pegando muito no.meu pé ultimamente. Não sei  se essa  ideia  do  Krys  vai  dar  certo,  ainda tenho minhas duvidas, mas seria bom se desse

Any se inclinou e passou a mão no meu cabelo. Fechei os  olhos,  sentindo  o  toque  descer  até  meu rosto. Meu coração disparou ainda mais e eu fiquei um pouco ofegante. Abri os olhos e a vi ali, um pouco inclinada  e  com  um  leve  sorriso  nos  lábios.  Tive vontade  de  me  levantar,  creio  que  cheguei  a  me inclinar   um   pouco  em  sua  direção,  mas  fomos interrompidos pelo Noah  que entrou no quarto.

Noah: O que você faz  com  a  minha  namorada no    seu    quarto?    -    perguntou    ele,    rindo,     me cumprimentando  e  dando  um  beijo  em  Any.  Mal sabia ele, em sua inocência, que se demorasse mais um  pouco  alguma  coisa  muito  errada  poderia  ter acontecido

Josh:  Estamos  lanchando,  aceita? -  perguntei, tentando demonstrar naturalidade e olhando para a bandeja,  que  já  estava  quase  vazia. -  Posso  pegar mais lá embaixo 

Noah:  E  estragar  o  clima  dos casais lá?  Nem pensar - disse ele, se sentando ao lado de Any, com um braço  em  volta  dos  ombros  dela.  Olhei  aquele casal   perfeito   ali   e   senti   que   estava   sobrando, literalmente.

Any: Então temos um clima lá embaixo?

Noah: Não, só estava enchendo - Noah pegou um minissanduíche e comeu. - Isto está uma delicia

Josh: A tia Carmen que fez

Noah: E o Krys, por onde anda?

Josh: Foi jogar basquete no Pitangueiras. De noite vai pro Bebe Aqui

Noah: E nós vamos também, claro

Any: Claro. - Eu corri para ele e depois para Any, que sorria de volta pra mim


Notas Finais


Espero que tenham gostado e perdoem os erros de português ❤
Beijos de luz e até o próximo capítulo ❤🌟


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...