História A negação da herança indesejada - Capítulo 30


Escrita por:

Postado
Categorias The Big Bang Theory
Tags Amor, Amy Farrah Fowler, Drama, Romance, Shamy, Sheldon Cooper, Tbbt
Visualizações 27
Palavras 991
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 30 - Novo conflito


"Como foi sua pesquisa com os caras?" Amy tenta ser casual e não mostrar seu desapontamento ao fato que seu marido não havia compartilhado essa novidade com ela, mas os assuntos relacionados à ciência são geralmente perigosos nessa família.

"Foi bem legal", diz Sheldon. "Espero que tenhamos feito progressos reais."

"Estou feliz em ouvir isso e ansiosa para lê-lo. Tenho certeza que é brilhante." Amy elogia-o com um leve sorriso.

"Amy, eu não preciso da sua pena. Todos nós sabemos que isso não é um avanço." Ele balança a cabeça parecendo muito cansado.

"Sheldon. Eu não tenho pena de você. Estou orgulhosa de você." Ela diz isso com um rosto muito sério.

"Claro que você está. Adicione Bazinga a isso." O físico soa muito amargo.

"Sheldon, você está sendo realmente injusto. Por favor, eu sei que é difícil para você aceitar que ..." Amy não termina essa frase, mas morde os lábios.

"Para aceitar o quê?", Ele pergunta.

"Por favor, pare com isso. Você acabou de chegar em casa. Sente-se à mesa com sua família e vamos jantar em paz." Ela olha para ele apologética.

"Para aceitar o quê?", Sheldon repete. A tensão é inacreditável. Olivia estava quase tremendo enquanto Thomas estava petrificado.

"Sheldon, por favor. Eu não quis dizer isso" Amy quase implorava agora.

"Não. Você sabe como me sinto sobre o fechamento. Para aceitar o quê?" Sheldon repete a pergunta, agora muito alto.

"Para aceitar que ela é mais bem sucedida do que você é." As palavras deixaram a boca do primogênito tão rápido que surpreendeu até ele mesmo.

"Nick!" Amy parece surpresa e irritada.

"O quê? É verdade. E todos nós sabemos que você estava pensando o mesmo." O menino completou. Nicky realmente não compreendia qual era o problema em dizer aquilo.

"Obrigado, Amy, por você criar nossos filhos para acreditar que o pai deles é um fracassado. Na verdade, eu estava sendo sarcástico dessa vez. Eu não sou grato por isso." Sheldon diz.

"Eu não eduquei nossos filhos dessa maneira. Mas mesmo se eu fizesse, pelo menos eu os criaria de alguma forma. Você passa o seu tempo assistindo alguma ficção científica idiota e jogando jogos online ou estando com os caras fazendo alguma pesquisa, enquanto eu passo o meu cuidando dos seus filhos e até mesmo do seu sobrinho enquanto ainda arrumo tempo para me dedicar ao meu trabalho", diz enquanto se levanta e deixa a mesa.

Olívia parece assustada, come três mordidas e vai para o quarto. Thomas nem chega a comer, se levantando após Amy e correndo para o piano.

Na mesa ficam apenas Sheldon e Nicholas que comem em silêncio, sem sequer olhar um para o outro. Funciona melhor para eles desse jeito.

Mais tarde, Olivia vai ao quarto de Nick que pensa que ela foi lá como embaixadora de sua mãe, mas em vez disso ela pergunta o que ele sabe sobre seus pais. Ela parece realmente assustada. Normalmente, ele diria a ela para sair mas, agora ele sente muito por ela, então ele não a manda embora.

"Olívia, está tudo bem. Eles estão brigando o tempo todo."

"Eu sei. Eu odeio isso. Mas é pior agora, não é?", Ela pergunta. 

"Eu não sei. Talvez seja." Ele finge que não é grande coisa.

"Como você percebeu?", Ela pergunta.

"Bem, você não se lembra, porque você era realmente pequena naquela época, mas eles eram realmente diferentes ... Quando vivíamos em Los Robles ... Tudo era diferente" Ele diz baixinho e tenta não chorar.

 "Mamãe e papai sempre tiveram opiniões fortes e muitas vezes diferentes, sobre a vida, trabalho, mas não brigavam. Quando eu tinha a sua idade, eu olhava para eles e queria ser como eles e odiava quando me sentia excluído, porque era muito pequeno. Eu queria estar entre eles o tempo todo escutando eles falando sobre essas coisas inteligentes. Mas eu não podia porque, se houvesse uma piada, só os dois entendiam. Agora eu entendo quase tudo, não quero mais ficar entre eles, embora eu sempre acabe lá, mas não é mais engraçado. É realmente muito ruim e eu sempre acabo sendo punido".

Olívia olha para o teto e respira fundo. "Você acha que eles vão se divorciar?"

Ele não sabe como responder isso. Se ele fosse honesto, diria sim. Ele também diria que às vezes, desejava que eles se divorciassem finalmente. Na opinião do garoto, seria melhor para todos. Mas ele duvida que Olívia gostaria de ouvir isso.

"Eu não sei. Talvez. Mas provavelmente não."

"Eu tenho que viver com papai se eles o fizerem?" Ela pergunta.

"Eu não penso assim. Por quê? Eu pensei que você quisesse viver com ele. Ele permite que você faça basicamente qualquer coisa. Você é a única que nunca o incomoda. Eu sou o único que fica em apuros todo o tempo e ambos são tão rigorosos comigo. Meu quarto meio vazio ilustra minha situação", mas Olívia apenas balança a cabeça.

"Nick, e se nos separarmos?"

"Vamos lá. Por que você acha que é uma possibilidade?"

"Cathy. Você sabe, da pré-escola. Os pais dela se divorciaram e ela mora com a mãe dela enquanto a irmã mora agora com o pai".

"Mas essa é a família de Cathy, não a nossa. Você não deveria se preocupar com isso. Além disso, você ficando velha o suficiente, pode escolher onde quer morar."

"Isso é muito tempo. De qualquer forma, Nick, você é mais velho. Se você for perguntado ... Eu só queria que você soubesse que eu espero que você escolha onde eu tiver que viver. Eu quero morar onde você mora" ela diz.

Ele estava totalmente em choque.

"Olívia, você não deveria se preocupar com isso."

"Apenas me prometa. Você sabe. Apenas no caso."

"É totalmente sem sentido e eu não tenho idade suficiente."

"Por favor, Nick. Apenas prometa que, se depender de você, você escolhe morar comigo."

"Tudo bem, eu prometo".

Ela sorri e corre de volta para seu próprio quarto antes que seus pais notem que ela ainda está acordada depois da hora de dormir.

   Nicholas por sua vez, tenta pegar no sono, mas esta conversa permanece com ele, e continuaria, aparecendo em sua cabeça de vez em quando, nos próximos dias.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...