História A nerd e o Popular - Gastina - Capítulo 30


Escrita por:

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Ámbar Benson, Gaston, Luna Valente, Matteo, Nina, Personagens Originais, Simón
Tags Gastina
Visualizações 150
Palavras 1.189
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Luta, Mistério, Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Maratona 4|4 Fim!
Espero que gostem
Boa leitura

Capítulo 30 - Cuidado para não matar a sua Simonetti Gaston


Fanfic / Fanfiction A nerd e o Popular - Gastina - Capítulo 30 - Cuidado para não matar a sua Simonetti Gaston

*Nina*

- Foi isso que vocês ouviram, eu e Matteo somos irmãos – eu digo

- ISSO É MUITO INACREDITAVEL!! – Gaston grita

- Calma Gaston – diz Matteo

- Pois é eu também acho muito inacreditável mas eu adorei, eu já desconfiava a um bom tempo e te amo mais ainda cunhadinha – Luna diz indo até mim me abraçando fortemente

Retribuo o abraço aliviada pela minha melhor amiga me aceitar, agora só falta Gaston, quando Luna se solta de mim olho Gaston receosa por sua reação, até que do nada ele começa a rir freneticamente, o olho com dúvida e digo:

- Qual é o motivo da graça? – eu pergunto seria cruzando os braços

- Não sei.... Só achei bem engraçado a reação de você quando eu gritei – ele diz se recuperando do ataque de risos

- Há, Há, Há que engraçado – digo sendo irônica e virando o rosto

- O meu bem, não fica assim foi só uma brincadeira – ele se levanta e me abraça

Não resisto a ele assim e acabo retribuindo o abraço, depois de um tempo me largo de seu abraço e ele vai abraçar Matteo

- Oi meu cunhadinho – ele diz e Matteo retribui o abraço

Eles ficam abraçados por um tempinho até que eles se separam e eu digo

- Vamos comer a sobremesa? – digo

Eles concordam e vamos até a cozinha, comemos e conversamos por um tempo até eles irem em bora, eu e Gaston tomamos banho juntos e não passou disso, estava me recuperando da noite passada e ele também, então acabamos só dormindo mesmo

*Uma semana depois*

Estava me arrumando para ir até a empresa, Gaston já tinha ido com carona de um amigo então eu ia no nosso carro, estava frio e parecia que ia chover quando eu voltasse para casa, mas não me importei, comecei a almoçar na pressa já que estava atrasada e o transito não iria colaborar com a minha ida, terminei de almoçar e deixei o parto na rua, corri para escovar os dentes e pegar a minha bolsa, entro no carro e dirijo até a empresa, chegando lá encontro Jazmin, sim ela trabalha na mesma empresa que eu e somos amigas, olha como o mundo é

- Oiiee amiga!! Como vai? – pergunta Jazmin

- Vou bem e você? – perguntei

- Estou ótima vamos entrar que temos muitas coisas para fazer – ela diz me arrastando para a sala que trabalhamos

Começamos a conversar sore tudo, ela diz que está quase noiva, que o seu “noivo” ainda não a pediu em casamento, mas ela sabe que ele vai pedir em fim Jazmin sendo Jazmin, termino tudo que tenho que fazer até que bem rápido, e Jazmin termina ao mesmo tempo que eu

- Quer carona amiga? – pergunta Jazmin

- Não tudo bem amiga estou de carro, mas obrigada mesmo assim pela gentileza – eu digo sorrindo e a agradeço

- Tudo bem eu entendo, agora vamos? – ela diz quando o elevador se abre

- Sim – digo a seguindo

Me despeço de Jazmin e entro no meu carro, quando estou quase chegando em casa eu paro o carro no sinal vermelho como sempre, quando vou indo eu olho os dois lados da rua para virar a próxima esquina até que eu vejo um carro vermelho derrapando na minha frente e não consigo parar meu carro foi tão rápido, quando percebi ele estava tão perto, tento parar e não consigo muito, percebo uma mulher meio bêbada ao volante, consigo parar mas mesmo assim bato em seu para-choque, ela sai do carro babada e extremamente furiosa, saio do carro já me explicando mas do nada ela começa a chorar e me abraça, bem estranho mas tudo bem, bato levemente em suas costas a consolando até que em um movimento rápido eu sinto uma agulhada em meu braço direito, me sinto tonta e vou apagando aos poucos, quando estou quase desmaiando ouso uma voz de fundo

- Uma das vantagens de ser tachado de psicopata, é que você pode ficar de camarote assistindo os imbecis se iludirem – ela diz e eu desmaio

 

 

*Gaston*

Chego em casa antes de Nina, um milagre porque a essas horas ela já está em casa com um pijama, suas pantufas e preparando o jantar, no começo fico preocupado mas depois passa, pensei que ela estava na casa de Luna e não me preocupei muito, fiz tudo que tinha que fazer, desde tomar banho até escovar os dentes e ir até a sala, demorei 30 minutos e a esse ponto pensei que Nina iria chegar mas isso não aconteceu, fiquei preocupado e liguei para Luna ela disse que Nina não passou ai e ficou preocupada igual a mim, disse para ela se acalmar que não era tão preocupante quanto pensávamos que era, desliguei o telefone e assim que ia ligar para Jazmin sua colega de trabalho recebo uma ligação anônima

- Olá Gaston Perida – diz

- Oi quem é? – perguntei

- O seu pior pesadelo, soube que está procurando a sua namorada não é? – a voz feminina perguntou

- Sim você é algum colega de trabalho? E porque o meu pior pesadelo – eu pergunto sem intender nada

- Eu não sou e nem quero ser amiga dessa peste, uma dica Gastonzinho, sequestrei sua amada e estou a torturando, se ligar para polícia ela não irá sobreviver – ela diz cínica – Ousa os gritos dela – eu começo a ouvir gritos ao fundo e logo reconheço que era Nina

- Por favor não á machuque eu não irei ligar para polícia, mas porque faz isso? Quem é você? O que devo fazer? – eu pergunto já desesperado

- Não se apresse Gaston e anote o que eu vou falar – ela diz e pego uma caneta e um papel que havia no escritório – eu sei que você já pegou e antes que você pergunte eu estou te observando, então não faça nenhum erro ok – eu me assusto e concordo olhando em volta – Ótimo, eu quero fazer isso por vingança, você não se lembra de mim Gaston , já namoramos antes, você disse que me amava e disse que um dia iramos nos casar, eu vi você se distanciando, depois simplesmente terminou comigo, sem mais nem menos, e eu sou a Julia, não se lembra? O grade amor de sua vida – ela diz simples

Flash backs vem a minha cabeça e lembro quem ela realmente é, minha namorada possessa e louca

- Você é louca Julia, uma psicopata – eu digo e ela dá uma risada maléfica do outro lado da linha

- Ai Gaston você é tão ingênuo, bom eu quero que você faça algumas coisas para mim se quiser a sua namorada de volta então comece a anotar – ela diz e eu faço o que ela manda

Sabia do que ela era capaz, ela quase matou uma garota que eu comecei a ficar depois do nosso relacionamento psicótico, não queria que ela fizesse mal a minha Simonetti, anotei tudo o que ela me dizia arregalando o olho para cada pedido, quando ela terminou de ditar as coisas ela disse:

- Cuidado para não matar a sua Simonetti Gaston – disse Julia cínica e desligou

 

Continuo? 


Notas Finais


Maratona acabou!
Que pena!
Gostaram?
Se sim comente
Um beijo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...