História Maybe; - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, TWICE
Personagens Dahyun, Jennie, Jeon Jungkook (Jungkook), Jisoo, Jung Hoseok (J-Hope), Jungyeon, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lisa, Min Yoongi (Suga), Mina, Momo, Nayeon, Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Rosé, Sana, Tzuyu
Visualizações 285
Palavras 1.578
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei babes♥

Sentiram minha falta? Irei postar, provavelmente, as quintas ou sextas, ok?

Fiz esse capítulo contando o porquê Jungkook se juntou a Yoongi na questão do pacto. Uma hora, todos os segredos serão revelados!

Espero que gostem!
Boa leitura♥

Capítulo 13 - 1.3


Maybe • Capítulo 1.3



- Jungkook! Acorda logo!- senti algo em cima de mim e abri meus olhos lentamente.- Ah, finalmente!- vi Chaeyoung cair com o corpo para trás e dei risada.

- O que está fazendo? Esta de pijama! Vai se arrumar, é segunda-feira.- eu disse, me sentando na cama.

- Exatamente! Esse final de semana fomos para o colégio devido as provas e aos estudos, certo?- perguntou e eu acenti.- Vão deixar segunda e terça livres, já que os alunos têm que ter pelo menos um descanso.

Sorriu e eu abri um largo sorriso também, abraçando a garota e a puxando para meu corpo. Percebi que ela se assustou um pouco com o meu ato e eu acabei rindo. Aos poucos, ela retribuiu o abraço timidamente.

- Sua mãe disse que vai nos levar no shopping hoje, para a gente se distrair.- ela disse e apoiou os braços no meu peito.- O que acha?

- Sei lá, acho que vou ficar.- eu respondi e ela fez bico.- Você tem que conhecer e se dar bem com sua futura sogra.- sorri provocativo e vi ela ficar vermelha.- Você é muito fofa.- sorri.

- Ani, pabo!- sorriu e me dei um tapa no braço.

Coloquei meus mãos na cintura dela e ela deitou a cabeça no meu peito novamente. Ouvi ela dar um longo suspiro.

- Eita!- meu irmão entrou no quarto e Chaeyoung saiu de cima de mim, rapidamente.- Seus safadinhos.- sorriu provocativo.- É melhor pararem de pegação, imagina se fosse a mamãe que tivesse pegado vocês.- disse e eu olhei para Chae, que se encontrava como um pimentão.

- Ele tem razão, eu vou para meu quarto.- falou baixinho e eu acenti, vendo a garota sair de cima da cama e ir para fora.

- Não se aproveita da inocência da menina Jungguk.- meu irmão disse e eu joguei uma almofada nele.

- Nunca faria isso.- eu disse baixo, assim que meu irmão saiu do quarto.

Levantei da minha cama e fui direto tomar um banho. Levei uns vinte minutos dentro da banheira e logo depois sai. Fui até meu quarto e coloquei uma calça jeans rasgada, um blusa branca de mangas compridas e uma bota Timberland. Arrumei meu cabelo, deixando ele meio bagunçado e desci as escadas, enquanto dava uma olhada nas minhas redes sociais.

- Sem celular na mesa Jungkook.- minha mãe disse e eu desliguei-o na hora.

- Desculpe a demora.- disse Chaeyoung, descendo as escadas correndo.

Ela estava bonita demais. Estava vestida com uma calça jeans clara cintura alta, um blusa de lã curta e uma bota preta. Ela abriu um sorriso quando me viu e se virou para minha mãe novamente.

- Precisei arrumar o quarto.- sorriu e minha mãe acentiu.

Tomamos café em silêncio. A maior parte das vezes, eu e Chaeyoung trocavamos alguns olhares e sorrisos discretos.

Assim que Chaeyoung terminou o café, ela fez reverência e correu para o quarto dela. Esperei uns cinco minutos e depois sai atrás dela. Andei pelo corredor até que ela saiu do quarto dela, ela virou para mim e eu fiz um sinal de negação empurrando ela para dentro do quarto dela e a colocando contra a parede.

- O que está fazen…- fiz um sinal de silêncio.

- Posso te beijar de novo.?- perguntei e vi ela ficar vermelha.

Ela não respondeu, porém colocou as mãos na minha nuca e aproximou mais ainda nossos rostos. Acabei com o espaço entre nós e coloquei as mãos na cintura da garota, apertando ela contra mim.

Ela fazia um carinho leve com suas unhas na minha nuca, me deixando arrepiado. Apertei um pouco a cintura dela e separei o beijo, dando uma mordida leve no lábio dela.

- Isso foi muito bom.- sorri, encostando nossas testas.

- Deveriamos fazer mais vezes.- falou baixinho e sorriu fraco.

- Acabei de converter minha Chaeng fofinha e inocente.- eu disse e vi ela sorrir.

- Melhor a gente descer, se não sua mãe vai vir nos procurar.- disse e eu fiz biquinho.- Vamos Jungguk, me solte.- disse manhosa e eu sorri, dando um leve selar nos lábios dela, soltando-a.

Esperei alguns minutos e desci as escadas, ajeitando meu cabelo. Fui até o carro onde todos já estavam e me sentei ao lado de Chaeng, sorrindo para a mesma.

- Vamos crianças.- disse meu pai e ligou o carro.

Seguros discretamente a mão da Chaeng, que sorriu tímida. Paramos em frente ao shopping e saímos do carro.

[…]

- Estou exausta!- gritou Chaeng se jogando no carro, fazendo todos rirem.

- Nem me fale, meus pés estão doendo.- disse minha mãe, tirando os saltos.

O durante o começo caminho para casa foi engraçado. Relembramos as vergonhas que eu, Chaeng e meus pais tínhamos passado em frente ao carro.

Quando estávamos no meio do caminho, o silêncio reinou no carro. Levei minha mão para a coxa de Chaeng, fazendo um carinho ali, sem malícia alguma. Senti ela encostar a cabeça no meu ombro e eu encostei a minha sobre a dela, fechando meus olhos.

Assim que chegamos em casa, abri a porta delicadamente e peguei Chaeng no colo com cuidado, carregando a dorminhoca até seu quarto. Andei devagar para não acorda-la enquanto alternava meu olhar para o rosto dela e os degraus da escada. Abri a porta do quarto, coloquei ela com cuidado na cama e tirei as botas do pé dela. Quando eu estava prestes a levantar da cama para ir para meu quarto, senti algo puxar meu braço.

- Fique comigo.- disse, meio sonolenta.

- Pensei que estivesse dormindo.- eu disse, deitando ao lado dela.- Parecia estar do sétimo sono.- ri fraco.

- Eu estava no meio termo, sabe?- acenti e rimos.

Senti ela respirar fundo e se aconchegar no meu peito. Levei minhas mãos até o canela da garota, fazendo um carinho ali.

- Estou com saudades da minha família, unida.- disse.- Ficar com vocês é tão bom, mas eu queria ter uma família para aproveitar assim.

- Você tem a mim, sei que não é muita coisa, mas estarei aqui quando você precisar.- respondi e ela me apertou mais.

- Você é muito para mim, o suficiente para eu não me sentir vazia.- sorri com a fala dela.

- Você é o suficiente para eu parecer um bobo.- eu disse e ouvi ela dar uma gargalhada.

- Parecer nada, você já é bobo.- disse e eu revirei os olhos.- Você não é um Bad Boy, Jeon Jungkookie.- disse em um tom provocativo, se sentando e arqueando as sobrancelhas.

- Está mesmo me provocando, Park?- perguntei desafiador e ela estalou a língua no céu da boca, rindo.- Está mexendo com a pessoa errada.

Fechei os olhos, sorrindo de maneira debochado. Ela estava mesmo debochando de mim.

Me aproximei dela e a deitei na cama, subindo por cima dela e deixando nossos rosto bem próximos. Dei um selinho nos lábios dela e comecei a dar leves mordidas e beijos no maxilar da garota, descendo para o pescoço branquinho da garota, que estava com as mãos nos meus braços e com os olhos fechados.

- Omo, da água pa-ra o vi-nho.- disse sôfrega e eu ri.

Voltei minha atenção aos lábios dela e iniciei um beijo lento, porém quente. Coloquei ela por cima e apertei a cintura dela, sem separar nossos lábios.

Devido a falta de ar, nós nos separamos e eu colei nossas testas.

- Não me provoque, da próxima vez será bem pior.- sorri debochado, vendo ela corar.- Boa noite meu amor.

Deitei-a novamente na cama. Me aproximei e dei um selinho demorado nos lábios da menor, logo depois, saindo dali.

Andei pelo corredor com um sorriso bobo no rosto e entrei no meu quarto. Fui até o banheiro, liguei a banheira e me despi, entrando dentro dela. Senti meus músculos se relaxarem e fechei os olhos, jogando minha cabeça para trás.

Aos poucos, algumas lembranças vieram a minha mente. Muitas delas envolviam Park Chaeyoung, como no dia que Jungseok tentou toca-la.

- Desgraçado.- sussurrei e fechei meu punho.

Outra lembrança veio a minha mente, fazendo meu coração se apertar. O motivo de todo o meu medo do amor se chamava Park Sewon.

Quatro anos atrás, nós meus quatorze anos de idade. Eu era o novato da turma. Tímido, desengonçado e magrelo estava eu, a frente de toda a turma com as bochechas quentes e todo o corpo a mil.

De primeira, avistei ela, uma garota muito bonita. Cabelos longos e negros, aparentemente alta e magra e bem extrovertida pelo fato de que conversava alegremente com o fundão da sala.

Nossos olhares se encontraram e eu fiquei ainda mais tímido. Ela lançou um sorriso e eu coçei a nuca, desviando meu olhar.

Assim começou um lindo romance, digno de um filme.

Ainda me lembro bem do dia. Era uma sexta-feira, tínhamos acabado de sair da aula de artes, a qual era a última do dia. Peguei na minha cama uma caixinha vermelha de veludo, onde dentro havia um pequeno anel, delicado como ela.

Me aproximei dela, com as mãos trêmulas. Cutuquei ela e me ajoelhei, mostrando a caixinha a ela e lhe entregando o meu coração enquanto ditava meus sentimentos em voz alta. O texto era ensaiado e eu agradecia mentalmente por ter planejado tudo, para não ser humilhado. Mas…

Ela alternava o olhar para mim e para a caixinha. Ela ficou minutos em silêncio, mas logo começou a rir estericamente.

Ela me humilhou, me xingou e disse que toda a nossa aproximação não passava de uma aposta para conquistar o "merda" da escola.

Naquele dia, eu encontrei com Min Yoongi, Park Jimin e Kim Taehyung, os quais já haviam criado o pacto. Visivelmente derrotado, humilhado e revoltado eu entrei, disposto a nunca mais me apaixonar e cair em uma cilada.

Mas, como destino é foda, aqui estou eu.

Visivelmente, apaixonado.


Notas Finais


O que acharam? Comentem!

Vim divulgar também a fic da @Eu_sou_uma_army
É incrível, então por favor leiam e dêem muito amor a ela.
Link: https://www.spiritfanfiction.com/historia/passeio-na-primavera-azul-imagine-min-yoongi-13762054

Amo vocês ♥
Meu perfil: @_jungguk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...