1. Spirit Fanfics >
  2. A Nerd e O Popular (Imagine Jungkook) >
  3. A Volta De Uma Lembrança Nunca Esquecida

História A Nerd e O Popular (Imagine Jungkook) - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


boa leitura

Capítulo 7 - A Volta De Uma Lembrança Nunca Esquecida


Fanfic / Fanfiction A Nerd e O Popular (Imagine Jungkook) - Capítulo 7 - A Volta De Uma Lembrança Nunca Esquecida

∆ autora on ∆

Durante toda a viagem em diante S/n e o Jungkook ficaram em silêncio, ele estava pensativo, provavelmente pelo que ela havia dito a ele, mas é melhor não deixá-lo bravo ela também não queria estragar o encontro deles, hoje era o primeiro aniversário de S/n com alguém que não é tão próximo a sla quanto os outros e mesmo assim estava sendo um aniversário incrivelmente... Maravilhoso, ela poderia ficar horas, dias, semanas, meses e anos com Jungkook e ela não se cansaria de olha-lo, admira-lo, abraça-lo, beija-lo, toca-lo... É a primeira vez que ela ama alguém deste jeito como ela ama o seu Jungkook.

Sim eu sei, curiosos para saber o que aconteceu com o pai da S/n? Bom está na hora de contar vocês iriam saber de qualquer maneira. Mas vocês podem ficar chocados... Bom não digam que não avisei.

Nos Tempos De Antes...

Em uma noite em Miami Jacksonville, vivia S/n uma garotinha de 12 anos que havia viajado naquelas férias para Miami com sua mãe e seu pai, durante aquela noite a mãe de S/n havia saído com sua amiga que fizera em Miami alguns dias antes, ela deixara S/n com seu pai naquela noite deixando todas as instruções para que ela comesse e dormisse no horário já que ela estaria fora de casa naquela noite.

S/n estava deitada em sua cama assistindo televisão que havia em seu quarto naquela época, o seu pai entrou no seu quarto para ver se ela estava bem, a menina continuou assistindo enquanto o seu pai deitou em seu lado enquanto acariciava o seu cabelo.

Ele começou a passar a mão em suas pernas e ela estranhava um pouco, mas ele era seu pai então achava algo normal, só que de repente seu pai subiu em cima dela, beijando-a no pescoço, ele começou a tirar o vestido de sua filha que naquele tempo não usava sutiã então ela ficou apenas de calcinha, o pai de S/n havia tirado sua calça e em sua cueca dava para se notar que havia uma ereção e um pouco de sêmen na cueca, ele beijava sua filha no rosto e em suas intimidade enquanto ela gritava "papai! Para papai!.

Ele continuava a beijando e forçando os seus braços a ficarem parados para que ela não saísse do lugar, ele tirou a calcinha de sua filha com a maior facilidade sem nenhum remorço de fazer aquilo, ele enfiou os dedos dentro da intimidade da filha, ela repetia de novo e de novo "Pai! Tá machucando papai! para por favor!" ele não a soltava ele ouvia os gritos de horror de sua filha que eram carregados por soluços e lágrimas, só que ele gostava, ele amava sentir, ver e ouvir todos aqueles pedidos de socorro e ela continuava gritando e gritando, e se perguntava "por que ninguém me ajuda?" ela estava desesperada, ela podia sentir os dedos de seu pai penetrando a sua intimidade, ela olhou para o seu pai que estava com um sorriso no rosto enquanto ela chorava, de repente ela sentiu algo ainda maior entrando em sua intimidade, era o pênis de seu pai ele estava enfiando nela com força e com rapidez, ele tirava, trocava a camisinha cheia de gozo colocava outra no lugar e depois enfiava de novo, ele fazia isso constantemente rindo, enquanto ela gritava e chorava, ela não sabia por que ninguém à ouvia e nem a ajudava. De repente ouve o som da porta de seu quarto abrindo, ela olhou e percebeu que era sua mãe apenas pelo seu cabelo, pois não conseguia reconhecer mais nada já que seus olhos estavam embaçados por causa das lágrimas

- filha chegu...

- mamãe! Me ajuda mamãe! É o papai 

- filha! Larga a minha filha! Agora!

Ele a largou e começou a limpar sua boca depressa, começou a se vestir e não falava com a mãe de S/n, não havia expressão de medo em seu rosto frio, enquanto ela ligava para a polícia.

- alô? quero denunciar um abuso infantil- ela dizia soluçando,chorando, com as mãos trêmulas e suando frio ao ver a cena- sim eu passo o endereço, é rua XX número 479, venham rápido por favor.

Ela não sabia o porquê, mas seu pai não fugia, ficava lá andando de um lado para o outro, talvez por que ele era um homem rico e que conseguiria tudo, até sair da prisão apenas com o uso de seu dinheiro, era um pedófilo com privilégios. O tempo passava e finalmente a polícia havia chegado, levaram o pão de S/n algemado para a cadeia e estava depondo sobre o que havia feito

S/p on

A minha mulher havia chamado a polícia por  estuprando a minha filha de apenas 12 anos a S/n, eu não sei porque não sai de lá o mais rápido que eu podia, mas era só oferecer algum dinheiro para esses policiais corruptos e eles me soltam daqui facilmente. Um policial chegou e começou a fazer com que eu falasse.

- Olá, eu sou o policial James Sparks e quero que me conte tudo o que aconteceu com você e sua filha, pelo que consta no depoimento de sua mulher, ela chegou no quarto e você estava beijando sua filha enquanto ela gritava e chorava, sua filha deu quase exatamente o mesmo depoimento com todos os detalhes do estupro, então quero que fale a verdade senhor, você estuprou a sua filha S/n  de 12 nesta noite?

- olha, eu sou um homem muito rico, posso pagar o dobro, não o triplo, não o quádruplo do seu salário se disser que tudo foi uma grande farsa, e que elas estavam sobre o efeito da uma bebida, não sei, invente algo e eu lhe darei o quádruplo do que você recebe neste muquifo que você chama de trabalho.

O policial James não era um policial confiável, estava envolvido em tráfico dentro da prisão, e como já era corrupto aceitou a proposta do pai de S/n, e assim que eles saíram da delegacia, o policial James recebeu o seu quádruplo de salário, enquanto o pai de S/n, um pedófilo digamos assim, andava pela duas livremente podendo fazer o que quiser com outras crianças, por dinheiro apenas, o policial James colocou a vida de todas as crianças de Miami Jacksonville em risco, e se alguma delas morresse... Ele carregaria este peso para o resto de seus dias.

Nos Dias Atuais...

S/n on .

Durante toda a viajem até o cinema eu e o Jungkook ficamos em silêncio, já eram 17h32 estávamos quase chegando no shopping. Quando chegamos entramos no estacionamento e Jungkook estacionou o carro, saímos e fomos até a porta de entrada do shopping, entramos e fomos direto ao cinema, os ingressos já estavam comprados então faltava só comprar as pipocas, fomos até o balcão e pedimos 2 baldes de pipoca com muita manteiga, um para cada, eu pedi Coca-cola e o Jungkook pediu uma fanta laranja com muito gelo e depois fomos assistir o filme. Entramos e estavam quase acabando os trailers e então o filme começou era "The Call" como eu amo esse filme, a reviravolta é incrívelmente surpreendente. Eu acabei com o meu balde de pipoca e nem havia chegado no começo do filme, então eu decidi pegar a do Jungkook , enfiei a mão no balde e peguei a pipoca

- eii, minha pipoca- ele cochichou

- nossa pipoca- eu disse rindo e susurrando.

Rimos um pouco e continuamos assistindo ao filme, assim que a pipoca acabou eu e Jeon Jungkook tomamos só o refrigerante, nós ficamos com as nossas mão engorduradas de manteiga mas mesmo assim ficamos de mãos dadas até o filme terminar.

Assim que o filme acabou eu e o Jungkook saímos, eram 20h00 e assim que o filme terminou nós dois fomos comprar sorvete. Chegamos na lojinha e eu pedi de baunilha e ele de chocolate, ficamos andando até acabarmos o sorvete, eu adoro comer a casquinha... Assim que terminamos fomos até o carro eu recebi uma ligação da minha mãe.

∆ ligação on ∆

- oi filha, eu sei que você tá num encontro, mas venha pra casa rápido 

- por que mãe?

- filha... É o seu pai... Ele está aqui

- o que!? Eu tô indo pra aí agora mãe... Eu vou matar esse desgraçado!

- filha vem rápido o Kinrou tá querendo matar ele, e eu não estou brincando é sério venha rápido.

- to indo... Tchau 

∆ ligação off ∆

- amor desculpa, mas você precisa voltar pra minha casa rápido.

- o que aconteceu meu amor? Houve algo com sua mãe?

- Jungkook só vai logo por favor, o mais rápido que você puder, quando chegar lá você vai entender.

Jungkook saiu do estacionamento do shopping ele pisou rápido no acelerador, conseguimos chegar lá em apenas uma hora, eu saí do carro correndo e Jungkook veio atrás de mim, eu abri a porta ofegante.

E quando olhei tinha um homem, com um sorriso frio no rosto, com um terno e olhando pra mim.

- olá S/n... O papai voltou.

Continua???



Notas Finais


espero que tenham gostado e me desculpem qualquer erro, até mais pessoas


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...