1. Spirit Fanfics >
  2. A Nerd In Trouble >
  3. Uma Dura Realidade

História A Nerd In Trouble - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Uma Dura Realidade


Fanfic / Fanfiction A Nerd In Trouble - Capítulo 4 - Uma Dura Realidade

Respirando fundo algumas vezes antes de sair do carro, Lauren tomou uma dose de coragem. Em companhia de Oliver, adentrou o local e agradeceu mentalmente que Camila ainda não tivesse chegado.

O local era simpático, havia uma música ambiente tocando sob o som das conversas aleatórias e o cheiro de comida italiana era sem dúvidas, agradável. Indo até à mesa que costumava ocupar quando frequentavam aquele lugar, Lauren se acomodou.

— Até que seu gosto não é tão ruim. — Oliver comentou enquanto permanecia apoiado na parede atrás de si e analisava distraidamente o local ao seu redor.

— Amo a fé que as pessoas e os fantasmas depositam em mim. — resmungou enquanto revirava os olhos em impaciência.

— Voltando ao foco da questão, você veio aqui porque quer uma chance de provar que é uma mulher responsável então peça por essa chance e mostre que é capaz.

— Falar é fácil. — respondeu fitando o rapaz e atraindo o olhar de um dos garçons.

— Eu vou estar aqui o tempo todo.

— Isso deveria ser encorajador?

— Você e o tio Louis em uma linha reta a 80 km/h quem é mais ranzinza? — Oliver murmurou enquanto arrumava o cabelo.

— Quem diabos é Louis?

— Falei demais, mas isso não vem ao caso agora. Porque não bebe uma água e relaxa até a Camila chegar?

Camila acabou se atrasando um pouco, mas assim que adentrou o local teve a sua presença notada por Lauren. A mulher usava um terninho preto e tinha o cabelo preso em um coque. Na mão direita o celular enquanto uma bolsa também preta pendia do seu braço esquerdo. Ela parecia ter saído de um desfile de alta costura, mas estava apenas em seu intervalo do escritório.

— Deus. — Lauren murmurou para si mesma admirando a beleza de Camila.

— Se levanta e cumprimenta ela apenas com um beijo no rosto. — Aconselhou Oliver.

Lauren seguiu o conselho agindo melhor que o planejado ajudando Camila a sentar e recebendo um sorriso animado do rapaz.

— Desculpa pela demora, tive uma reunião de última hora. — iniciou Camila, lançando um olhar atento para a morena.

— Tudo bem. Ahm você deve estar com fome, vamos pedir algo. Podemos conversar depois.

— Tem certeza?

Lauren apenas moveu a cabeça em afirmação sob o olhar atento da latina. Era bom ter a companhia da latina mais uma vez.

Fizeram seus pedidos e após alguns instantes de um silêncio confortável, Camila tomou um gole do seu suco antes de iniciar uma conversa.

— Você está… diferente.

— É que… bem, você disse que eu era um irresponsável e desorganizada e estou tentado mudar isso.

— Você sabe que eu não disse isso para te magoar não é?

— Eu sei, mas é que…

— Hey, quero apenas que você veja que não pode mais continuar agindo como se a única coisa importante fosse um joguinho no seu celular ou o próximo filme que vai ser lançado. Sei que essas coisas são importantes para você, mas somos adultas agora e precisamos lidar com isso.

— Entendo o que quer dizer. Eu sei que preciso ser mais responsável, mas é que as vezes é meio difícil associar as coisas sabe? Em um momento eu preciso passar de fase no jogo e do nada tenho que me preocupar com compras e faturas.

— Coisas da vida adulta, Lo. — Camila disse em um tom carinhoso enquanto colocava sua mão sobre a de Lauren.

— Eu quero provar que posso ser realmente responsável. — disse fitando os olhos de Camila. — Quer dizer eu consigo cuidar da Nat e da loja eu não sou assim tão ruim.

— Não, não é. Você precisa apenas se organizar, quanto tempo tem que você arruma os documentos da loja que estão na sua casa ou até mesmo fez uma refeição de verdade que não tenho sido a base de fast food?

— Okay, você me pegou. — murmurou com um suspiro enquanto brincava distraidamente com os dedos de Camila. — Esses dias sem você foram estranhos, não tem graça chegar em casa e não te encontrar no escritório, concentrada nesses papéis ou até mesmo assistindo o jornal.

— Também preciso admitir que não tem graça chegar do trabalho a noite e não te encontrar conversando com a Nat.

— Está tudo bem agora?

— Vamos com calma, okay? Não têm motivos para apressar as coisas, eu não vou fugir de você ou qualquer coisa do tipo.

— Isso quer dizer que…

— Ainda há essa necessidade de um espaço para organizar as coisas, mas não quer dizer que precisamos ficar afastadas. Acho que já provamos que isso é ruim o suficiente.

— Isso garota! — Oliver comemorou atraindo um olhar de Lauren.

Ela, que havia esquecido totalmente da presença do rapaz, lançou um olhar meio irritado para ele atraindo a atenção de Camila para um ponto aleatório da parede onde não era possível ver nada.

— Tudo bem?

— Sim, eu apenas me distrai. — disse voltando a fitar Camila com um sorriso no rosto. — Quando você vai voltar a dormir lá em casa?

— Lembre-se do que eu disse, sem pressa. — ao fim da frase seu celular notificou a fazendo revirar os olhos, impaciente com o conteúdo da mensagem. — Eu preciso ir, conseguiram fazer bagunça em um departamento completamente organizado.

— Podemos nos ver depois?

Camila guardou o seu celular na bolsa e se levantou aproximando-se de Lauren. Sua mão esquerda foi direto para o rosto da mesma em um carinho suave antes de segurar seu queixo e se inclinar brevemente para deixar um demorado selinho em seus lábios.

— Claro que sim. — voltou a repetir o ato antes de sair.

— Que mulher. — Lauren comentou com um suspiro enquanto observava a latina desfilar em direção a saída.

— Isso foi fofo e você se saiu muito bem, merece até um biscoito Scooby.

— Sério? Eu merecia uma caixa completa.

— Não seja tão convencida.


(...)



Concentrada em seu computador, Lauren não notou a chegada da mulher até que a mesma chamou seu nome em um tom baixo. Desviando o olhar para porta encontrou-a apoiada na mesma com os braços cruzados.

— Camila. — murmurou com um sorriso, feliz pela presença da latina.

— Eu achei que seria interessante te fazer uma rápida visita. — ela murmurou enquanto se aproximava.

Caminhando lentamente ela parou atrás de Lauren apoiando as mãos em seus ombros e desviando sua atenção para o computador onde algumas planilhas eram exibidas.

— Tem um pequeno erro aqui. — apontou para um ponto em específico da elaborada planilha.

— Okay, talvez eu esteja um pouco distraída.

— Estressada? — Camila indagou enquanto suas mãos iniciavam uma massagem nos ombros tensos da maior.

— Aham. — confirmou enquanto fechava os olhos, sentido as mãos habilidosas de Camila apertarem seus ombros.

— Vamos dar um jeito nisso.

A voz de Camila soou em um tom baixo e rouco que causou arrepios em Lauren. Assim como a mão direita da latina que abandonou o seu ombro para deslizar até o pescoço adentrando os cabelos negros logo em seguida, os puxando com certa força.

Ela sorriu maliciosa ao ver a respiração de Lauren se tornar ofegante e deixou um beijo sobre o seu ponto de pulso.

— Camz. — murmurou ainda de olhos fechados, sentido a respiração quente da latina em seu pescoço.

— Shh! Fique quietinha.

Aquele não era um pedido, era uma ordem. E Lauren acatou sem questionar.

Sentiu Camila se afastar e ao abrir os olhos a encontrou parada a poucos centímetros. Sob as luzes de led do escritório, que brilhavam em um erótico tom de vermelho, notou que os olhos castanhos tinham um brilho perverso que conhecia muito bem.

Camila não perdeu tempo, sentando-se no colo da morena. Movendo a cabeça em negação ao ver que a mesma levou as mãos a suas coxas.

— Eu não te dei permissão para me tocar. — disse enquanto sua mão agarrava firmemente o queixo da mulher — Você vai manter a suas mãos longe de mim ou vai ter que aguentar as consequências, entendido?

Viu a morena mover a cabeça em afirmação enquanto suas mãos se agarravam com força aos braços da cadeira e moveu-se sobre o colo da mulher sentido a excitação da mesma, mordendo os lábios antes de inclinar-se sobre ela para sussurrar.

— Tão apressada, Laur.

Lauren engoliu em seco sentido um arrepio quando uma gota de suor deslizou pela sua nuca.

Camila aproximou sua boca dos lábios de Lauren ameaçando beija-la e recuando brevemente quando ela tentou avançar. Sua mão esquerda se apossou dos cabelos negros com certa agressividade arrancando um suspiro da morena que a fitou profundamente, os olhos verdes escuros pela excitação.

Aquele sorriso malicioso que se apossou dos lábios da latina fez Lauren mover-se inquieta. Seus dedos apertavam a cadeira com força, enquanto seus olhos admiravam a mulher imponente sobre seu colo, contendo a sua vontade de levar as mãos as coxas torneadas.

A latina voltou a provocar mordendo seu lábio inferior enquanto se movia lentamente sobre seu colo, arrancando um gemido baixo e rouco.

Aquilo agradou Camila que não perdeu tempo avançando sobre os lábios de Lauren com voracidade.9


— Lauren! Lauren! Abre a porra dessa porta!

Abrindo os olhos Lauren se sentou sobressaltada. Com a respiração ofegante fitou o ambiente ao seu redor tentando se situar. Levou alguns segundos para se dar conta de que havia dormido no sofá do seu escritório e que a visita de Camila não havia passado de um sonho.

Um maldito sonho que a havia deixado em um estado vergonhoso.

— Lauren Michelle, abra a merda dessa porta! — A voz de Dinah parecia irritada e pelo modo como ela batia na porta parecia a ponto de derrubar a mesma.

— Merda! — rosnou ao levantar caminhando pelo cômodo em busca de uma solução, não poderia atender a porta naquele estado — Só um minuto.

“Pense em coisas nojentas”

Ouviu Dinah bater na porta mais uma vez e fechou os olhos tentando seguir sua estranha linha de raciocínio.

— Dinah, será que você pode deixar a porta inteira? — A voz de Ally resmungou.

— Parece que você vai ter um infarto a qualquer momento. — Oliver se fez presente a assustando.

— Mais que inferno! Qual o plano de vocês, me matar?

— Vai com calma aí!

— Merda!

Respirou fundo algumas vezes e continuou com a sua árdua tarefa por mais alguns minutos. Com a situação finalmente controlada, seguiu a até a porta recebendo um olhar desconfiando de Dinah assim que a mesma foi aberta.

— Assistindo pornô, Jauragay?

— Dinah! — Ally repreendeu movendo a cabeça em negação e cogitando seriamente ir embora.

— Hey, você estava mesmo assistindo pornô? — o rapaz indagou com uma careta.

— O que? — Dinah indagou sob o olhar impaciente de Ally. — Não é óbvio? Ela está toda vermelha, demorou para atender e ainda está com essa expressão suspeita.

— Alguém me mate agora por favor. — Lauren murmurou para si mesma enquanto levava as mãos ao rosto esfregando em um ato de puro nervosismo.

— Será que podemos conversar como mulheres adultas? — Ally indagou ignorado o fato de que Dinah lançava um olhar malicioso para Lauren.

— Entrem.

— De jeito nenhum. — Dinah contestou fazendo uma careta — Eu não sei o que você estava fazendo aí dentro, então por favor lave bem as mãos e vamos até a cafeteria da esquina.

— Por que sou sua amiga mesmo? — indagou após um suspiro vencido seguindo até a sua mesa em busca das suas chaves.

— Porque você necessita da minha nobre pessoa para trazer brilho a sua vida sem graça. — explicou jogando o cabelo sobre o ombro esquerdo.

— Nobre pessoa — resmungou enquanto andava pelo local a procura do celular. — Nobre pessoa. Narcisismo do caralho.

— As mãos, Jauregay.

Resmungando palavrões desconexos ela foi até o banheiro lavando as mãos enquanto podia ouvir a risada de Oliver.

— Cala a boca você também.

— Pelo amor de Deus, me diz que você não está conversando com o seu amigo imaginário. — Ally disse assim que viu a mulher sair do banheiro.

— Eu não estava conversando com um amigo imaginário, estava conversando com o fantasma intrometido dos infernos.

— Já posso mandar internar? — Dinah perguntou com um sorriso divertido.


Notas Finais


Hey babies! Tudo bem?

Mais alguém aí foi tapeado pelo sonho da Lauren?

Até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...