História A New Age - Interativa! - Capítulo 3


Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags A New Age, Ficção Cientifica, Magia, Original, Sobrenatural
Visualizações 94
Palavras 2.117
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Drama (Tragédia), Esporte, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Self Inserction, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


O nome da Academia está HORRÍVEL. E sei muito bem disso, por isso peço para reconsiderar esta falta de criatividade. Qualquer dica será muito bem-vinda.

Se tiverem alguma ideia em mente e quiserem me contactar para divulgá-la, chamem-me por MP.

E por fim, se eu tiver escrito algo de errado sobre seu personagem POR FAVOR ME AVISEM! Corrijam-me mesmo. Sou lerda e esquecida na maioria das vezes.

Antes que me esqueça, terá uma surpresa em meio ao capítulo! Não é bem uma surpresa, acho. Penso que seja somente um acréscimo.


Desde já agradeço pela atenção!

Boa leitura!

<3

Capítulo 3 - Chapter 1 - The Arrival (parte 1)


The Arrival (parte 1)

~13/02/2020.

<Authoress>

 

O fim da manhã enfim chegara.

A tarde chegava juntamente a um calor tremendo, que fez com que os moradores de Tóquio saíssem de suas casas vestidos com regatas e shorts. Sorveterias estavam lotadas.

Madson Danish, uma garota canadense de apenas 16 anos, acabava de pousar suas malas e outras coisas importantes ao chão. Encarava o prédio enorme com certo divertimento no rosto, pouco a pouco adentrava o local em que seria aluna. A Academia de Preparação e Desenvolvimento Sobre-Humano.

Após despedir-se de seus irmãos mais novos, de sua avó materna e de sua rotina convencional no Canadá, Mad considerava-se pronta para os desafios de sua nova vida na Academia. Ainda se empolgava por pensar que era uma ‘super-humana’ com “super-poderes”, se sentia como nos filmes de super-heróis. Estava disposta a aceitar quaisquer desafios que lhe propusessem, mesmo os que consideravam perigosos.

Ansiava por conhecer o tipo das pessoas que seriam seus colegas, gostaria de arrumar algumas confusões, para falar a verdade. Seu jeito rebelde e curioso não havia se dissipado, a garota amava uma boa briga.

Dirigiu-se à um grande salão, neste havia dezenas e dezenas de pessoas, contendo jovens e os mais velhos que aparentavam ser professores e instrutores.

“Vai ser uma experiência e tanto!” Pensava enquanto infiltrava-se em uma das fileiras em frente ao palco médio e extremamente largo, neste ficava um homem à frente de pé, o chefe de estado do Japão. Mais atrás, os governadores de outros países. O falatório do presidente começava já havia um tempo.

— Antes de mais nada, tenho a certeza de que todos presentes aqui estão confusos, certo? A razão da maioria, os estrangeiros, estarem entendendo o que falo é a habilidade de minha filha. - O governador vira-se rapidamente para trás, olhando sua filha que estava junto aos outros chefes de estado. — Ela faz com que as línguas de cada país seja posto como uma só, fazendo com que uma pessoa entenda o que a outra diz como se fosse na sua língua. O mesmo só não acontece com a escrita, por este motivo todo o conteúdo que for exposto pelos hologramas nas aulas serão em inglês, a segunda língua oficial introduzida em todos os países. Caso um aluno não souber o inglês, há o tradutor automático presente nos computadores das salas de aula, basta pôr o fone ligado ao computador nas mesas.

Assim que o regente acaba sua explicação, alguns dos jovens estavam intrigados e sussurravam entre si, afinal, como isso tudo poderia ser tão indiferente? Seria normal pensar que havia alguém responsável por aquilo?

Madson não prestou atenção em sequer palavra que o chefe de estado dissera. Queria ir para as aulas logo, executar atividades práticas.

Antes que ela surtasse ali mesmo, um instrutor passou de fileira em fileira entregando chaves com números escritos em plaquinhas de metal aos alunos. Mad ficou ainda mais confusa assim que lhe entregaram uma chave com o número “24”, levou sua visão ao governador que novamente, dava uma explicação:

— Estas chaves entregues à vocês, são pertencentes ao dormitório em que ficarão. Cada um terá seu companheiro, sendo ele estrangeiro ou não. Obviamente, a ala dos homens é separada da ala das mulheres. Nada de brincadeiras e gracinhas nos quartos, não façam extremo barulho, não incomode o sono e estudos de seus vizinhos, nada de passeios pela ala oposta e, em hipótese alguma, causem confusões e brigas, principalmente se envolverem suas habilidades. Saiam apenas para refeições adentro à Academia, estudos na biblioteca, procura de algum professor, horário de aulas e urgências.

Deu uma pausa, como se tentasse lembrar de algo.

— Seus estudos serão divididos entre 10 matérias: Ciências, Biologia, Química, Física, Matemática, Geografia, História, Literatura, Educação Física e Educação Teórica. A sua supervisora e coordenadora ,Mahara Kyutan, irá lhes explicar os dias em que ficarão cada matéria.

Deu o lugar à uma mulher que aparentava ter um pouco mais de 40 anos, usava roupas formais e um óculos quadrado que deixava seus olhos ainda maiores.

— Boa tarde. Darei as informações sobre os dias e horários a respeito das matérias, então será melhor que prestem atenção e não fiquem à cochichar asneiras entre si. - Olhou com desdém para alguns alunos que estavam a trocar risos. — Na segunda-feira, ficarão as matérias Ciências e Biologia, com os professores Nekin e Agathe, respectivamente. Na terça, História, Geografia e Educação Teórica, com os professores Marthini, Dália e Diogo. Na quarta, Matemática, Química e Física, com os professores Alain, Thierry e Maruhi. Na quinta, Literatura, História e Artes, Literatura e Artes é com o professor Hans. E na sexta, somente Educação Física em todas as aulas com o professor Davi. E.F é a matéria que serve para treinamentos práticos, como simulações de lutas e aprendizagens sobre como manusear uma arma e como posicionar-se melhor em uma ‘briga’, ajuda também no uso das habilidades de cada um. Já a Educação Teórica serve para ensiná-los de uma forma mais teórica, obviamente, o combate de armas ou corpo a corpo, calcular melhor seus movimentos e por assim vai. Peço que agora os professores venham até aqui se apresentar aos seus alunos de agora em diante. Obrigada pela atenção.

Os sons das palmas foram dissipando-se assim que todos os professores encontravam-se no palco, em fileira, lado a lado. A supervisora caminhou em seguida para perto dos chefes de estado. Logo um homem alto de aparentemente 30 anos se pronuncia com uma animação evidente.

— Boa tarde, jovens! Me chamo Nekin e sinto prazer em conhecê-los! Serei o professor de Ciências de vocês, espero que todos sejam legais e…

— Tch. Falas demais da conta, Nekin. Boa tarde, me chamo Agathe e serei sua professora de biologia. - Uma mulher mais baixa, tinha supostamente 30 anos assim como o professor de Ciências, o interrompeu antes que passassem a tarde inteira ali a ouvir discursos.

— Olá crianças, eu sou a professora de Geografia de vocês! O meu nome é Dália e sinto-me honrada em conhecê-los! - Dália brilhava como o Sol, seu sorriso rasgado ia de orelha a orelha, era radiante e demonstrava uma alegria sincera. Tinha no máximo uns 28 anos.

— Chamo-me Maruhi, professora de Física. - Maruhi tinha 40, mas aparentava ter 30. Era bela aos olhos de qualquer um, fazia com que a matéria ficasse mais fácil de entender. Mantinha-se com uma postura calma, mas quando alguém lhe contrariava ou desobedecia, a sua língua afiada com respostas já preparadas era uma de suas características.

— Boa tarde, meus jovens. Sou o professor de História de cada um aqui, Marthini. Bem-vindos! - Marthini, um senhor simpático, apesar de já ter entrado na casa dos 50.

— Bom dia, boa tarde, boa noite! Para quem não me conhece, sou Hans! E para quem me conhece, ainda sou Hans! Professor de Literatura e Artes, muito prazer em lhes conhecer! - Aos olhos de uma pessoa ‘normal’, Hans não batia muito bem da cabeça. Com apenas 25 anos, poderia ser incomum e até insano, mas um insano que possuía imensa sabedoria e conhecimento.

— Boa tarde, sou Diogo e serei seu professor de Educação Teórica. Sejam todos bem-vindos. - Um professor calmo,porém calculista. Mantém sua postura serena mesmo nas situações mais desesperadoras. Já passou dos 30, mas continua com a aparência de jovem adulto.

— B-boa t-t-arde… e-eu sou o Alain e… p-professor de Matemática! - O professor não passava dos 26, mas era garantido a sua tamanha inteligência. Medroso e baixinho, escondia-se atrás de Thierry, o professor que logo tomou a voz.

— Thierry, professor de Química. Espero que todos se saiam bem na minha matéria. - Possuía um pequeno sorriso, era simpático com seus colegas de trabalho e sua calmaria chegava a contagiar os que estavam por perto, era bem jovem. Era o responsável por acalmar e tranquilizar alguém que não estivesse bem, ou até repreender confusões.

— Meu nome é Davi e serei o professor de Educação Física, irei logo avisando que não tolero covardes em minhas aulas, então é melhor ficarem espertos, pirralhos. - Davi se destacava em meio aos professores por sua cor escura, era negro como o carvão. Sempre fora muito respeitado, ao sair do Brasil como membro das forças especiais, até a Rússia no exército, chegou a ser Capitão.

A supervisora logo tomou a frente a medida que os professores iam se afastando mais e mais, então começou:

— As apresentações estão concluídas, agora dirijam-se à seus respectivos dormitórios e, nada de brincadeiras sem necessidade, Daren irá guiá-los à suas alas.

Assim que a mulher se cala, um senhor de no máximo 30 e poucos anos surge entre os alunos e começa a andar na direção da saída. Parecia um homem bem calmo.

“Beleza, agora é só entrar no dormitório e conhecer minha nova colega! Só espero que não seja irritante ou lerda.”  Mad perdia-se em pensamentos enquanto adentrava seu novo quarto.

Assim que Mad abre a porta de seu quarto, vê uma garota apenas de pijama e deitada em sua cama, parecia estar escrevendo em uma espécie de diário. A garota quando vê a outra entrando em seu quarto logo fecha seu caderno e pula da cama parando em frente a Madson.

— Bem-vinda! Como se chamas? Eu me chamo Akemi Himaru, mas pode chamar só de Akemi! - A garota sorria e parecia feliz em tentar fazer uma nova amiga, logo essa alegria contagiou pelo menos um pouco a mais nova.

— Madson Danish! Muito prazer! - Retribuiu o sorriso e deixou suas malas no chão, sentando-se na cama vendo a outra fazer o mesmo com a cama à sua frente.

“Hum, parece ser uma pessoa divertida.” Ao mesmo tempo que Mad se perdia em pensamentos novamente e guardava suas coisas em seu novo armário, Akemi conversava com ela e perguntava mil e uma coisas.

Olhava de soslaio e observava Akemi, a mesma tinha cabelos longos e castanhos, uma franja curta acima dos olhos e estes com uma coloração marrom-claro.   

“Preciso saber o tipo de pessoa que ela é…” Pensava Akemi, ela queria ficar perto de boas pessoas, não que fossem muito egocêntricas.

— E então, qual sua habilidade? A minha é invisibilidade. - A de cabelos castanhos perguntava mais uma vez, Mad já estava a perder a paciência.

— Posso controlar qualquer tipo de minério ou mineral, agora dá pra parar com esse interrogatório, garota? Se continuar, juro que hoje será seu último dia de vida. - Mad já estava nervosa, achava que Akemi seria uma pessoa divertida e que respeitaria o silêncio, mas a menina estava a irritá-la.

“É calada, mas também é direta e tem uma língua afiada… não é uma má pessoa.”  Akemi calou-se e deitou-se na cama, endireitando seus pensamentos sobre Madson.

— Perdão por falar demais, apenas queria saber seu tipo de pessoa…

— E aí? Que tipo de pessoa eu sou?

— Hum… é do tipo quieta no seu canto, mas quando a perturbam já é outra pessoa, mais ameaçadora…

— Que bom que sabe, não quero ter que lidar com interrogatórios todos os dias.

— Gostei de você, podemos ser amigas?

— Amigas? Assim, do nada? És estranha.

— Estranha é você, agora vamos ser amigas ou não?

— Okay, eu aceito, sua chata!

As duas riram e quando Mad terminou suas arrumações, puderam conversar melhor e passaram um bom tempo no refeitório, contavam coisas sobre si enquanto aproveitavam seu jantar. Mad falava alto às vezes, então Akemi a repreendia por isso e dizia que estava incomodando a refeição dos outros. Mad pouco se importava.

 

[...]

Na sala do diretor

[...]

 

— Mahara, o governador deu-me a posição de diretor nesta Academia, estou grato por isso, mas… - Um senhor de idade vestido formalmente estava sentando em sua cadeira e as mãos massageando as têmporas.

— Mas...? O que poderia estar errado? - A supervisora indagava, não entendia o porquê daquela angústia.

— Achas mesmo que um bando de adolescentes prematuros irão ser a “esperança” de um novo mundo? Isso é muita bobagem!

— Senhor Gate, com todo respeito, o senhor está sendo demasiado pessimista. Por que duvida dos tais “adolescentes prematuros” se eles possuem maturidade o suficiente para saber que têm de ser responsáveis? Contratamos os melhores dos professores para ensiná-los, o senhor está se preocupando à toa. Tenha fé neles.

— É difícil ter fé em crianças que mal sabem usar suas habilidades!

— Elas serão treinadas corretamente, o senhor não sabe o que pode acontecer, nem tens sequer uma habilidade, como poderia julgar as “crianças”?

O diretor calou-se após isso, a supervisora saiu da sala para não ter que se aborrecer mais ainda com aquele pessimismo todo.

 

 

 

 

 

Continua...

 


 


Notas Finais


Aparência dos professores:


-- Nekin: https://br.pinterest.com/pin/653514595902914173/

Alegre, simpático e eufórico. Nekin é um professor que não deixa nenhum de seus alunos fora de participação das suas aulas.

-- Agathe: https://br.pinterest.com/pin/653514595901344252/ (É a Android-18 de DB ;-;)

Odeia barulhos irritantes, demoras excessivas e ter que lidar com algum tipo de lerdo. Ela não tolera que seus alunos saiam de sala sem entender o conteúdo.

-- Dália: https://br.pinterest.com/pin/643311127996613807/

Radiante é a palavra que lhe descreve. Sempre é bem vista por todos, principalmente seus alunos.

-- Maruhi: https://br.pinterest.com/pin/791226228258996104/

Uma bela professora, encanta à todos. Porém ao ser contrariada ou ver algum sinal de desobediência, já prepara a sua língua afiada.

-- Marthini: https://br.pinterest.com/pin/389913280230010128/

Um senhor de 50 anos, muito simpático, possui 1001 histórias para contar de acontecimentos de sua vida e viagens que fez, é atencioso e gosta de ouvir seus alunos, assim como suas opiniões.

-- Hans: https://pinterest.com/pin/653514595902914208/?source_app=android

Um professor de 25 anos, meio louco, gosta de refletir muitas coisas com seus alunos e, como Nekin, nunca deixa seus alunos de fora da aula, porém fica sério em certas situações.

-- Diogo: https://pinterest.com/pin/567875834258115934/?source_app=android

Passou dos 30 anos, mas continua com aparência de um jovem de 20. É um homem calmo e calculista, em todas as situações, mesmo nas ocasiões de desespero.

-- Alain: https://pinterest.com/pin/653514595902957652/?source_app=android

Medroso, tímido e baixinho. Alain é um professor prodígio, com apenas 25 anos e realmente muito inteligente, porém só se abre para seu melhor amigo: Thierry. Não quer ,em hipótese alguma, arrumar confusão com os alunos.

-- Thierry: https://pinterest.com/pin/860609810017150909/?source_app=android (Imaginemos Thierry com roupas formais)

Tranquilo, simpático e um ótimo amigo. Sua atmosfera calma contagia todos ao seu redor, sempre ajuda seus colegas de trabalho quando pode e muitas vezes é responsável por repreender uma briga de alunos.

-- Davi: (Não achei imagem pra ele, mas pensem Davi um negro estilo brasileiro e todo bombado :V e também com aquela postura de Capitão)

Um exemplo para os outros professores, duro e rígido com seus alunos e faz com que todos na sua aula se esforcem para dar o seu melhor. O negro já foi Capitão no exército russo, após ter saído das forças especiais do Brasil.

Perdoem-me se o capítulo ficou muito curto ou ficou ruim, eu realmente não tive um tempo bom para parar e escrever melhor…

Apenas duas personagens aparecem neste capítulo, mas no próximo capítulo irei focar em outros. Não se preocupem.

E quanto às vagas, está tudo certo! Obrigada por divulgarem a fic :33

Apenas umas perguntinhas importantes para a fanfic:


Qual a data de nascimento de seu personagem?

Qual a música favorita do personagem?

Como ele ou ela luta sem armas e habilidades?

Qual será o tipo de relação do seu personagem com cada professor?

O que ele(a) faz nos tempos livres?


Obrigada por tudo mais uma vez!

Até o próximo capítulo <3


Sayonara!!!

:33


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...