História A New Dark Life - Capítulo 14


Escrita por:

Visualizações 108
Palavras 4.639
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um cap, espero que gostem pessoal, boa leitura😘❤

Capítulo 14 - Change Of Plans


Fanfic / Fanfiction A New Dark Life - Capítulo 14 - Change Of Plans

  Mais tarde naquela noite, deixei Faith trancada no quarto e desci para jantar, não estava com a mínima vontade de ver a cara do Jeff e das outras creepypastas, mas eu não podia deixar que eles desconfiassem de que eu poderia estar escondendo alguém no meu quarto, então, tinha que agir normalmente. Todos já estavam sentados à mesa, cheguei e me sentei no meu lugar habitual, na ponta, de frente para Slender.

" Boa noite minha filha " - cumprimentou ele.

- Boa noite - respondi sorrindo fraco.

- O que vai querer comer senhorita? - me perguntou Bonnie, à essa altura eu já tinha conseguido diferenciá - la das outras empregadas esqueleto, e também já tinha percebido que era sempre ela que me atendia durante as refeições.

- Para ser sincera eu não estou com muita fome… - digo.

- Mas tem que comer senhorita, ainda está fraca e tem que comer bem para curar seus ferimentos! - ela aconselha - Já sei! Farei uma sopa de legumes, e de sobremesa uma salada de frutas, tudo bem? - sugere.

Sorri e assenti, ela então foi para a cozinha preparar minha comida, era engraçado vê - la tão atenciosa comigo. Me encostei na cadeira e fitei o teto, esperando que minha sopa chegasse.

- Como você está se sentindo? - ouvi Liu perguntar, ele estava sentado perto de mim.

- Estou bem…sem indícios de um novo surto, não se preocupe - afirmei sem abaixar meu olhar para ele.

- Acho que o que o Liu quer saber é se seus ferimentos ainda estão doendo - Jill diz me cutucando.

Abaixei meu olhar e percebi que Liu sorria e me olhava de uma maneira gentil.

- Ah isso, eu estou bem, já me acostumei com eles, as suturas nem incomodam tanto mais - explico.

- Ficamos felizes de saber que você está se recuperando - sorri Laughing Jack.

- Isso! Logo você vai poder nos acompanhar nas missões! - comemora Toby.

Encarei Slender com um semblante sério e ele pareceu ficar tenso.

" Tudo à seu tempo Toby, não se apresse " - diz Slender.

- É Toby, não se apresse, porque o " papai " nem teve a bondade de me perguntar se eu quero ser uma proxy - disse fuzilando Slender com o olhar.

- Acha que pode escolher? - pergunta Masky parecendo irritado, como de costume - Nenhum de nós pôde escolher isso, por que você poderia?

- Acho que já tivemos essa discussão Masky, bem depois de eu ter quebrado sua máscara, me lembro de ter dito que não estava interessada em ser uma proxy - lembrei - Não quero matar ninguém!

- Você não tem escolha! Acha que vai ficar aqui pra sempre sem dar nada em troca?! - Masky grita - Escuta aqui, você vai deixar de ser essa garotinha mimada logo depois de matar pela primeira vez, então fique tranquila, você será uma proxy, e isso não está mais em discussão!

- Vai pro inferno Masky! - gritei.

" Chega! Parem com isso já! " - ordena Slender.

- Vocês parecem crianças…. - diz Toby.

- Olha quem fala! - Masky e eu dissemos em uníssono.

- Ah eu desisto de vocês viu! - diz Toby.

- Agora mesmo é que eu não viro proxy, Masky é o líder e se ele vier me dar ordens eu vou ser obrigada a dar um soco na cara dele! Vou quebrar mais do que só a máscara! - afirmei.

- Bom, você pode tentar - ele me desafiou.

- Tudo bem, não me importo de machucar minha linda mão colocando ela em contato com essa sua cara feia! - rebati.

" Silêncio! " - gritou Slender, Masky e eu o obedecemos - " Vamos jantar em paz! Depois nós resolvemos esse assunto de forma civilizada! Sem discussões, nem ameaças, não vou tolerar mais esse tipo de coisa nessa casa! "

Depois disso ninguém mais se atreveu a falar nada, todos se concentraram em comer, e, quando minha refeição finalmente chegou eu também fiz o mesmo. Depois de tomar minha sopa, Bonnie trouxe a salada de frutas, foi quando me lembrei de Faith, pobrezinha, devia estar com fome, e precisaria ter energia se realmente quisesse sair dessa casa, decidi então levar a sobremesa para ela no quarto.

- Você já vai subir? - perguntou Jill quando viu eu me levantar da mesa.

- Ah sim, vou comer no quarto e descansar mais um pouco - menti.

- Vai comer ou vai levar para alguém? - provocou Jeff, ele ainda me encarava com ódio.

- O que está insinuando? - perguntei.

- Não estou insinuando nada, estou afirmando! Sei que foi você quem soltou a garota, não minta para mim! - grita ele se levantando da mesa e vindo em minha direção.

- Não me acuse! Não tem provas de que fui eu! - rebati.

- Não preciso de prova nenhuma! Eu vou te fazer pagar por ter se metido comigo! - ele segura o meu braço e o aperta com força.

- Solte ela Jeffrey! - pede Liu se levantando da mesa também.

- Nem pense em interferir nisso Liu! Não é da sua conta! - grita o coringa.

" Ei ei! O que está acontecendo? O que a Lucy fez Jeff? " - pergunta Slender confuso com aquela situação.

- Ela soltou uma das minhas vitimas da sala de tortura! - ele conta.

- Não fiz nada! O coringa é que ficou maluco! - digo puxando meu braço e o fazendo me soltar - Você pode pensar o que quiser Jeffrey, eu estou com a consciência limpa! - virei minhas costas para sair da sala de jantar, mas ele começou a falar novamente me fazendo parar para ouvir.

- Sério?! Então vamos fazer um acordo, se eu descobrir que você ajudou a garota a fugir… você fica no lugar dela! - ele sugeriu.

- Deixa disso Jeff… - pediu Ben, claro, ele sabia que eu tinha culpa naquela história, só não sei por que de repente quis me ajudar.

- Cala a boca anão de jardim! - ordenou o assassino.

- Tudo bem Jeff the killer, fique à vontade, não tenho medo de você - afirmei me virando para encará - lo.

- Deveria ter… - ele ameaça, alargando o sorriso enquanto fixa o olhar em mim.

- Lucy, o Jeff não está de brincadeira, se você fez mesmo isso é melhor falar agora - aconselha Jane.

- Obrigada pela sua preocupação Jane, mas eu não fiz nada! - afirmei - Mas eu aceito seu acordo Jeff, se você descobrir que eu ajudei a menina, pode me torturar no lugar dela!

Eu estava blefando, eu queria que ele desistisse daquilo ao ver que eu não demonstrava medo, mas infelizmente ele não voltou atrás, agora sim é que eu não podia deixar ele descobrir que a sua suspeita era válida.

- Ótimo! - comemora ele - E dessa vez, sem nenhum tipo de interferência - diz olhando de relance para Liu e Slender.

" Se você tocar na Lucy… " - começa Slender.

- Não, não é necessário que você me defenda Slender, eu dei a minha palavra - o interrompo.

- Mas não temos com que nos preocupar, não é Lucy? Você não fez nada mesmo… - Liu diz me olhando com certa preocupação.

O encarei por um momento, como se estivesse pedindo ajuda através do olhar.

- Não, não fiz nada Liu - menti novamente, espero estar sendo convincente.

- Pode mentir o quanto quiser, eu não ligo! - Jeff riu - Só espero que realmente cumpra a sua palavra quando chegar a hora - ele se aproximou de mim e acariciou meu rosto - Boa noite Lucy - disse e saiu da sala de jantar com aquele sorriso alargado horroroso.

- Eu disse que ele gosta de você… - disse Toby.

- Você está ferrada… - afirma Clockwork.

- É…disso eu já sei - concordei.

- Se o Jeff se machucar de novo por sua causa, eu acabo com você - Jane diz.

- Ah é Jane? Tô morrendo de medo de você - debochei.

- Eu até pensei que poderia ser sua amiga no começo, mas agora percebo que não dá mesmo! Você é insuportável! - ela grita.

- Sou tão insuportável quanto você é imbecil! - rebato - Que tipo de mulher compra briga por causa de um namorado babaca que nem o Jeff? Melhor! Que tipo de mulher aceita namorar com esse tipo de psicopata?!

- Isso é amor, não espero que você entenda, nunca deve ter amado ninguém na vida - diz ela.

- É claro que sim, não sou de pedra Jane, mas também não sou idiota! - digo - Você não percebe que o Jeff só brinca com você? Pelo pouco tempo que convivo com vocês já pude perceber que ele não te ama, ele te trata mal, é rude com você, tenho certeza que ele te trai e ainda por cima sei que quando vocês brigam feio ele te bate e realmente te machuca, e você deixa!

- O Jeff tem uma maneira diferente de demonstrar amor! Não fale como se nos conhecesse! - grita ela.

- Que amor?! Ele é um psicopata! Completamente maluco, ele não ama nada nem ninguém! Vê se coloca isso na sua cabeça Jane! Ele não te ama, e se você continuar com ele vai acabar morta! - afirmo.

- Cala a boca! Cuida da sua vida! - ela diz, pelo tom de sua voz pude perceber que ela estava quase chorando.

- Jane, você só está assim porque sabe que eu tenho razão…por favor, estou dizendo tudo isso pro seu bem… - digo.

- Eu não pedi conselho nenhum, eu já sou bem grandinha e sei o que faço da minha vida, então, não se meta, ou vou ser obrigada a te matar - ela me ameaça e sai da sala de jantar apressadamente.

Suspirei e passei a mão pelos cabelos, nervosa.

- Não se aborreça por isso Lucy, você não foi a primeira, todos nós já tentamos abrir os olhos da Jane, mas ela não escuta ninguém - afirma Jill.

- Sim, o amor doentio dela pelo Jeff a deixa completamente cega - concorda Clockwork.

- Eu até entendo ela, o Jeff é um gato, é o sonho de qualquer garota - diz Nina.

- O sonho de qualquer garota que tenha algum tipo de retardo mental, só se for - digo rindo - Tipo você, que foi idiota o bastante para trair o Eyeless com o Jeff.

- Vish… - Toby disse soltando os talheres com que comia e apoiando a cabeça nas mãos.

Todos na mesa se surpreenderam com a minha fala, consegui ouvir um riso baixo vindo de Eyeless, Nina se levantou da mesa na mesma hora, me fuzilando com o olhar.

- Quem você pensa que é pra falar assim comigo? - perguntou ela com uma voz sombria, não me abalei, coloquei o copo com a salada de frutas na mesa e dei alguns passos na direção dela.

- Lucy Cooper, ou Aurora Ferreira, como preferir - respondi com ironia.

- Já sei, está com coragem porque estão todos aqui não é? Não posso tocar em você porque senão o Slender vem ao seu resgate, por isso está me enfrentando - ela diz rindo.

- Ah não Nina, a partir de hoje quem resolve os meus problemas sou eu - digo rindo também - E vou começar fazendo você pagar por ter me esfaqueado.

- A hora que quiser querida - provoca ela.

- A hora em que eu estiver disposta a sujar minhas mãos com seu sangue imundo, garanto que será logo - digo.

- Pensei que não queria machucar as pessoas - me lembra Masky.

- É, pessoas - afirmo - Não disse nada sobre machucar piranhas.

- Nossa Lucy, me dá um autógrafo? - pediu Toby me encarando com animação, eu então comecei a rir.

- Muito engraçado - disse Nina - Não vejo a hora de acabar com essa sua pose.

- Vou estar esperando - pisco pra ela e volto a pegar o copo com a sobremesa - Boa noite " familia " - digo e então finalmente saio da sala de jantar.

Voltei para o quarto e encontrei Faith deitada na cama, ela sorriu ao me ver.

- Você demorou - ela disse.

- Desculpe, hoje era dia de treta - afirmei - Isso é pra você, coma, vai precisar de energia pra mais tarde - disse lhe entregando a sobremesa.

- Obrigada! Eu estou morrendo de fome - ela disse e rapidamente pegou o copo da minha mão - Mas me diz ai, por que disse que hoje era dia de treta?

- Ah, Jeff está me enchendo o saco, ele está suspeitando de que eu ajudei você a fugir, quer dizer, suspeitando não, acho que ele tem é certeza - expliquei - Ele vai me fazer ficar no seu lugar, se descobrir que te ajudei a fugir.

- O quê?! Isso é horrível! Não, não posso permitir que ele te machuque por minha causa! Você só está tentando me ajudar…não é justo… - ela diz assustada.

- Não se preocupe com isso, ninguém mais vai me machucar - afirmei com o semblante sério - E eu vou te tirar daqui, sã e salva.

- Obrigada Lucy - ela sorriu e logo voltou a comer.

- Faith, quantos anos você tem? - perguntei enquanto a observava.

- 17 - respondeu - E você?

- Tenho 18, faço aniversário daqui há um mês - respondi - E como pode ver, já recebi o meu presente, uma maravilhosa estadia nessa mansão cheia de pessoas alegres e bondosas - ironizei.

- Você deveria tentar ir embora comigo…aqui é perigoso - ela disse me encarando com preocupação.

- Não, eu não teria pra onde voltar - explico - É complicado…mas o Slender diz que eu tenho que tomar cuidado com meu pai, eu sinto que devo escutar o conselho dele e me preparar antes para esse reencontro.

- Mas…o que tem de errado com seu pai? - perguntou ela.

- Eu fui sequestrada há algumas semanas, fizeram coisas horríveis comigo, até que as pessoas dessa casa me resgataram, desde então estou presa aqui - contei - Não sei por que, mas algo me diz que meu pai tem algum tipo de participação no que aconteceu comigo.

- Isso é horrível… - ela diz parecendo estar com pena de mim - Sinto muito pelo que aconteceu.

- Não importa mais Faith, já passei por muita coisa, mesmo que em pouco tempo - disse, desviei o olhar para que ela não visse o quanto lembrar meus momentos de horror me deixava abalada - Vou superar.

Ela se levantou da cama e andou até mim, me surpreendi quando ela me deu um abraço.

- Eu sinto muito Lucy - ela repetiu.

- Está tudo bem! Sério! - disse dando alguns tapinhas em suas costas. Senti um nó na garganta, meus olhos lacrimejavam, meu rosto já se cortorcia, esboçando muita tristeza.

- Pode chorar se quiser viu, não vou contar à ninguém - ela disse - Você não será fraca se se render à um sentimento, você é humana.

" Ainda… " - completei mentalmente enquanto algumas lágrimas desciam involuntariamente pelo meu rosto.

Soltei Faith e imediatamente enxuguei minhas lágrimas.

- Está tudo bem, não preciso que você tenha pena de mim - afirmei - Deite - se e durma um pouco, vou ficar aqui esperando o Ben chegar.

- Tudo bem… - ela concordou.

---------------------------------X------------------------------------

**2:55**

Passaram - se algumas horas, eu ouvi quando as creepypastas saíram para " caçar ". Já devia ser bem tarde, Faith estava muito cansada, então, ela logo caiu no sono, e eu apenas fiquei esperando por Ben, eu realmente espero que ele venha.

De repente comecei a sentir um cheiro muito forte de sangue, olhei em volta procurando algum lugar de onde o cheiro poderia estar vindo, pensei ser alguma das creepypastas torturando alguém, mas descartei essa opção ao notar que não tinha ouvido ninguém gritar, e, além do mais, todos devem estar fora agora.

Me levantei do sofá e andei até a cama, queria ver se Faith estava bem, talvez seu ferimento na perna tivesse aberto durante a noite, isso explicaria o cheiro de sangue.

" Sou um cão farejador agora? Desde quando posso sentir cheiros assim com tanta clareza? " - me perguntei confusa.

Me assustei ao chegar na cama e perceber que Faith não estava ali.

" Onde ela está?! " - me perguntei com preocupação olhando para os lados.

- L - Lucy…. - alguém soltou um gemido de dor, era a voz dela.

- Faith?! - a chamei - Onde você está?!

- Socorro…. - ela respondeu.

- Faith! - tornei a chamar enquanto a procurava pelo quarto. Olhei em todos os lugares possíveis, no banheiro, debaixo da cama, no corredor do lado de fora, até cheguei a abrir a janela e olhar para baixo, pensei na possibilidade de eu ter dormido e ela ter caído da janela por algum motivo, eu não sei! Já estava desesperada, prometi que tiraria ela daqui, não posso deixar ela morrer!

- Faith! Fale alguma coisa! Faith! - eu já estava ofegante de tanto correr pelo quarto procurando - a, e pra piorar a situação, ela não falava mais nada, a ideia de Faith estar machucada e eu não conseguir salvá - la à tempo me deixou apavorada - FAITH!

Parei no meio do quarto e respirei fundo tentando me acalmar, foi quando percebi que tinha esquecido de procurar a garota em um lugar, no meu guarda - roupa.

- Faith? - a chamei andando lentamente até o grande móvel de madeira.

Abri a porta e pude ver a pobre jovem, ela estava sentada lá, morta, a garganta cortada de uma maneira horripilante, seu sangue estava escorrendo por todos os lados…mas o pior eram seus olhos, estavam abertos, sem nenhum brilho no olhar, ela me encarava como se estivesse indicando que eu era a culpada por aquilo, se eu tivesse cuidado melhor dela, talvez ela estaria viva.

- Ah não, não, não! - gritei caindo de joelhos no chão e tocando levemente o corpo da menina, ela estava parecendo uma pedra de gelo - Me perdoe Faith…

Me assustei e soltei um grito quando de repente ela abriu os olhos e segurou meu braço, apertou - o com força, como se fosse quebrá - lo, seu olhar agora expressava apenas ódio, muito ódio.

- Você foi a culpada pela minha morte Lucy! Vai pagar por isso! - ela gritou com uma voz quase demoníaca.

- O - o quê?! Me solta! - gritei em resposta puxando meu braço com força, me levantei e dei alguns passos para trás enquanto ela me encarava com um sorriso diabólico no rosto, parei quando esbarrei em alguém que estava parado atrás de mim, me virei e gelei quando vi Jeff parado bem ali na minha frente, segurando sua faca e me encarando com aquele olhar insano - J - Jeff… - gaguejei.

- O que foi? Você foi tão corajosa me desafiando hoje Lucy - ele disse se inclinando e aproximando seu rosto do meu - Vamos brincar um pouco agora - ele afirmou levando a ponta de sua faca até meu pescoço enquanto gargalhava loucamente.

No momento que ele ia cravar a faca no meu pescoço, soltei um grito tão alto e tão forte que me fez acordar e dar um pulo no sofá, foi quando percebi que tudo aquilo não tinha passado de um pesadelo, Faith ainda dormia tranquilamente na minha cama, e eu tinha cochilado enquanto esperava por Ben.

- Meu Deus…que loucura - sussurrei para mim mesma.

Voltei a me ajeitar confortavelmente no sofá quando o susto passou.

" Teria sido esse mais um dos meus sonhos premonitórios? Faith vai mesmo morrer? Não tem nada que eu possa fazer para impedir? Tantas perguntas sem resposta…queria que o Ruan estivesse aqui…talvez ele pudesse me ajudar, é uma pena eu estar sozinha nessa " - lamentei mentalmente.

Nesse momento ouvi umas batidinhas na porta do quarto.

- Lucy! Ei! Sou eu! - alguém sussurrou, era a voz de Ben. Fui até lá e abri a porta para ele.

- Demorou hein! - reclamei.

- Eu tinha coisas mais importantes para fazer! - ele responde.

- Espero que essas " coisas mais importantes " não sejam jogar vídeo game ou algo assim! O que vamos fazer hoje é muito sério, e é muito arriscado para os três! - digo.

- Disso eu sei! Mas me diz ai, o que deu em você no jantar? Desafiou o Jeff, deu lição de moral na Jane e ainda provocou a Nina…tá querendo decretar guerra à todos os The Killer? - ele perguntou.

- Só cansei de ficar calada… - respondi cruzando os braços.

- É, e aí você vendeu sua alma para o Jeff, se ele descobrir o que fizemos, ele vai acabar com você! Não devia ter dito nada daquilo, não sabe como o Jeff é louco! - ele me repreende.

- Não se preocupe Ben, não vou deixar ninguém mais me machucar, nem mesmo Jeff The Killer - afirmei.

- Você está muito confiante, mas não sabe lutar! Não sabe se defender, como pretende vencer o Jeff e as outras creepypastas que querem te machucar? - ele pergunta.

- Bem…eu consegui me defender do Rake aquela vez… - relembro.

- Sim, mas estava no meio de um surto, aquilo foi sorte, você estava recebendo uma descarga de adrenalina, era óbvio que conseguiria fazer coisas incríveis, como decepar a mão do Rake, aquilo foi foda mesmo - ele ri - Mas não tem como garantir que vai conseguir fazer o mesmo com os outros.

- Mas eu preciso tentar, não posso ficar dependendo dos meninos ou do Slender para me defender…tenho que fazer isso sozinha - afirmo - E é o que eu farei.

- Bem, boa sorte, só vou avisando pra não me meter no meio dessa história caso o Jeff descubra - pede ele.

- Relaxa Zelda, se o Jeff descobrir eu assumo a responsabilidade, afinal, sou eu quem ele quer - digo.

- É, ele gosta de você - afirma ele.

- Ah, você está falando igual ao Toby - reviro os olhos.

- Mas é a verdade, acho que o Jeff quer só fazer amizade com você, ele foi com a sua cara, dá pra perceber - diz ele.

- Fazer amizade me machucando? - pergunto confusa.

- O Jeff é estranho Lucy, melhor nem tentar entender, a questão é que, mesmo ele sendo um pé no saco, ninguém consegue viver sem ele, por isso ninguém o matou ainda, nem Slender, nem Jane e muito menos Liu, e olha que esses três tem muitos motivos pra isso - conta o loiro.

- Motivos? Que tipo de motivos? - pergunto curiosa.

- Bem, Jeff já foi muito babaca com o Slender, sempre fazendo piadinhas e enchendo o saco, os dois lutaram na primeira vez em que se viram, mas nenhum deles venceu…isso faz os dois serem rivais - explica - Já a história com Jane e Liu é bem mais pesada, ele matou os amigos e os pais de Jane, cortou um sorriso no rosto dela e a carbonizou, ele não gostou do resultado então deu aquela máscara que ela usa até hoje, o Liu ele tentou matar logo depois de matar os próprios pais, mas Liu sobreviveu milagrosamente com apenas os cortes no rosto que ele tem.

- Nossa, Jeff é realmente maluco - digo - Eu não entendo como eles conseguem viver na mesma casa que ele!

- É inexplicável…os dois devem amar muito o Jeff…ou sei lá, são tão loucos quanto ele - Ben dá de ombros.

- Acho que são loucos mesmo, todos nessa casa são - afirmo.

- Até você - ele completa.

- Sim Ben, até mesmo eu - concordo - Agora me diz ai, todos saíram para caçar? - pergunto.

- Parece que sim, não vi mais ninguém na casa depois das 2:55, e também não ouvi mais nada, tudo estava bem silencioso, estamos sozinhos - afirma.

- Certo, vamos pôr o plano em prática então, vou acordar a garota - digo.

- Por que quer tanto ajudá - la? Você a conhece? - pergunta ele.

- Não conheço, eu não sei bem o porque…mas quando olho para ela vejo à mim mesma, ela é tão jovem, bonita, tem a vida toda pela frente…tem uma família, tem sonhos…assim como eu também tinha - digo - Eu não quero que ela perca isso, porque eu sei como dói, eu posso não ser a pessoa mais legal do mundo Ben, mas não desejo que ninguém passe pelas coisas que eu passei, e ainda passo, por isso quero tirá - la daqui em segurança.

- Vamos nos arriscar por causa dela…espero que valha a pena - diz ele.

- É, eu também - respondi enquanto me aproximava de Faith e tocava levemente seu braço - Faith? Acorde, é hora de ir - a chamei.

- Você está mudando… - Ben disse de repente.

- Eu? Como assim? - perguntei confusa.

- Você está ficando boazinha, e nas circunstâncias em que você se encontra não sei se isso é bom ou ruim - disse ele cruzando os braços.

- Não diga besteiras, eu continuo sendo a mesma pessoa de quando cheguei aqui! - afirmei nervosa - Acorda Faith! - gritei, ela abriu os olhos assustada e me encarou.

- Nossa que susto Lucy! - ela disse se sentando na cama e esfregando os olhos.

- Você dormiu demais! Quer sair daqui ou não?! - perguntei.

- Quero sim… - disse ela.

- Então vamos! - disse pegando meu machado que estava sobre a penteadeira - Você vai na frente Ben - ordenei.

O garoto apenas sorriu e assentiu.

- Não pense que eu vou proteger vocês duas, se alguém aparecer eu vou cair fora - ele avisou.

- Tá bom, vamos logo - disse.

- Lucy…eu estou com medo - Faith disse, ao observá - la percebi o quão pálida estava, nem tinha conseguido se levantar da cama ainda.

Me aproximei dela e respirei fundo enquanto me sentava ao seu lado e segurava suas mãos.

- Faith, você precisa ter coragem agora, vai ficar tudo bem - afirmei e sorri fraco para tentar acalmá - la.

- Eu estou com um mau pressentimento - ela sussurrou.

- Não tem ninguém na casa, eu já disse, não precisa ficar assim - disse Ben - Só o Rake está lá fora, mas acho que a Lucy não vai ter problemas em enfrentar ele de novo enquanto você foge.

- É verdade, eu cuido dele - afirmei de um jeito confiante - Faith, temos que ir antes que os outros voltem.

Ela respirou fundo e se levantou da cama.

- Vocês tem razão, vai dar tudo certo - ela sorriu - Confio em vocês.

- Não deveria confiar tanto… - diz Ben.

- Cala a boca Zelda! - o repreendi - Vamos! - disse.

Nós três saímos do quarto, Ben ia na frente com cautela, enquanto Faith e eu o seguiamos de perto, a garota estava com tanto medo que chegou a segurar meu braço enquanto andávamos, infelizmente eu não poderia fazer nada para acalmá - la agora, afinal eu também estava com um mau pressentimento, e a cada passo que dávamos eu sentia que tinha alguém nos observando.

Descemos as escadas e finalmente chegamos até a sala.

- Estamos quase lá - comentou Ben - Vocês duas estão prontas para encontrar o…. - ele de repente se calou e seu olhar ficou tomado pelo susto quando ele olhou para algo atrás de nós.

Faith e eu nos viramos e vimos o que, ou melhor, quem, tinha deixado Ben tão assustado. Era Jeff, ele estava parado no topo da escada, olhava fixamente para nós enquanto esboçava seu sorriso habitual e brincava com sua faca.

Rapidamente puxei Faith para trás de mim quando ele começou a descer os degraus.

- Eu sabia que tinha sido você Lucy, só não podia imaginar que Ben estava te ajudando - disse ele fuzilando o garoto com o olhar - Cuido de você mais tarde pirralho.

- Merda… - disse o loiro.

Podia sentir o medo de Faith, ela estava tremendo muito, achei que a qualquer momento poderia ter um ataque.

- Ele não vai te machucar, não vou deixar - afirmei à ela enquanto empunhava meu machado, preparada para lutar contra ele - As coisas vão ficar bem feias por aqui.

- Isso vai ser divertido - afirmou ele se preparando para me atacar.

………………………………………………………………………………


Notas Finais


- Ana
É meus amigos, a coisa vai ficar feia😁 espero que tenham gostado, até o próximo😘😘❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...