1. Spirit Fanfics >
  2. A New Horizon >
  3. Capítulo IV

História A New Horizon - Capítulo 5


Escrita por:


Capítulo 5 - Capítulo IV


- Ele realmente te disse isso? - perguntou Hanna sentada ao balcão vendo a amiga devorar a fatia de pizza, já estavam na segunda semana de aulas e Hanna perguntava curiosa sobre o interesse repentino de Jimin por Nanami.

- Sim - respondeu Nanami - Mas ele está apenas entediado e querendo algo para brincar.

- Ou ele gostou de você e tá investindo. - comentou Hae-song, que ouvia tudo do outro lado da cozinha

- Vocês sonham demais com essas coisas - responde pegando outra fatia

- Sei que você não gosta de pensar positivo mas deveria pelo descobrir mais sobre ele antes de excluir assim - Hanna pega sua segunda fatia assim que termina de falar, deixando Nanami pensativa.

Após o fim do jantar, Nanami e Hanna já se preparam para dormir, ou melhor, maratonar uma série até caírem no sono outra vez.

- Isso vai virar um vício - falou Nanami.

- Amada, isso já virou um vício - respondeu Hanna sentando ao lado da amiga com um balde de pipoca. Assistiram o que aguentaram até acabarem dormindo no sofá.

Hanna acordou primeiro como de costume e tratou de preparar o café antes de ir tomar banho. Enquanto Nanami dormia calmamente e sonhava com a mãe outra vez.

Terminado o banho, Hanna desce as escadas para acordar Nanami, mas começou a escutar alguém fungando como se estivesse chorando. Procurou a fonte do choro e viu que a amiga lagrimava e soluçava durante o sono.

- Nana! Acorda! É só um sonho, fique calma - falou preocupada enquanto balançava a amiga tentando fazê-la acordar. A garota abre os olhos espantada e ainda chorando, Hanna puxa a garota para os seus braços e passa as mãos na costa da amiga. - Calma, tá tudo bem, eu tô aqui.

- E-eu.. e-ela… que s-saudades d-dela, Hanna - chorava Nanami que voltou a sentir os pulsos formigando, tentou apertar o lugar mas suas mãos não tinham força.

- Eu sei, amor... eu sei que ela faz muita falta… - Falou Hanna que agora chorava junto. - Eu sinto muito, Nana..

Hanna ficou abraçada com a amiga esperando que esta se acalmasse, quando Hae-song desce as escadas e encontra as duas no sofá ainda.

- Bom dia, amiguinhas, dormiram bem? - perguntou sorridente até olhar para as sobrinhas com os rostos vermelhos e seu sorriso sumir - O que aconteceu? 

- Eu tive um pesadelo, tia, não se preocupe - Nanami forçou um sorriso, não queria causar mais preocupação - Vamos comer? Temos que ir para a aula - falou se levantando e indo tomar banho

- Ela está bem? - perguntou a tia vendo a menina sair da sala.

- Ela sonhou com a mãe, mas está bem, é apenas a saudade que machuca. - responde Hanna levantando e indo para a cozinha - não comente com ela, não quero fazê-la esquecer mas ficar fazendo ela se lembrar machuca muito.

Hae-song apenas concordou com a cabeça e ambas começaram a comer. Até Nanami aparecer na cozinha já arrumada e se sentar para comer. As três permaneceram em silêncio até a hora de sair, quando foram se despedir da tia e começarem seu caminho para a universidade.

- Você está bem? - perguntou Hanna preocupada que a amiga agr segurava o pulso direito por cima da manga comprida da blusa.

- Sim, apenas senti formigando - respondeu Nanami. Durante o banho acabou percebendo que os cortes que ainda estavam vermelhos e um pouco machucados já que esquecia deles e acabava batendo o braço fazendo a ferida abrir novamente, mas não contaria isso para Hanna.

- Depois podemos passar na enfermaria e pedir alguma pomada. - diz Hanna. 

Jogam conversa fora até chegar ao portão da universidade onde Jin estava conversando com Namjoon que nota as garotas chegando e levanta uma mão como saudação, fazendo Jin olhar e fazer o mesmo.

- Como estão? - pergunta Jin quando elas se aproximam. Hanna sorri simpática e Nanami tenta fazer o mesmo mas sem emoção.

- Estamos bem - diz Nanami - Jin, você saberia me dizer se temos uma enfermaria aqui? 

- Sim, fica no prédio D junto com os laboratórios. Posso te acompanhar se quiser, aconteceu algo? 

- Nada que precise se preocupar - diz Nanami tentando passar tranquilidade. - encontro vocês no refeitório depois.

- Vou com você - Hanna fala quando a amiga faz menção em se afastar.

- Não, vamos juntas até o prédio C, depois eu vou sozinha para a enfermaria, não precisa ir junto eu serei rápida - diz Nanami andando em direção ao prédio D, deixando Jin e Namjoon para trás.

- Você tem certeza que tá bem? - pergunta Hanna andando ao lado da amiga.

- Tenho sim, só preciso de algo para esse formigamento, está me agoniando. - responde Nanami ainda andando sem olhar para a garota que ainda parecia preocupada.

Deixou Hanna no prédio C e seguiu sozinha para o prédio D. Mas Hanna apenas esperou a amiga se afastar o suficiente e começou a seguir a garota, mantendo uma distância segura.

Nanami não sabia o que iria procurar, apenas precisava de algo para ficar calma, tinha feito uma promessa de nunca repetir aquilo mas sentia seu coração doer muito. Chegando no prédio D, andou apressada procurando pela enfermaria e encontrou com uma certa dificuldade, eram vários laboratórios que precisou perguntar para alguém fazendo força para não chorar.

A enfermaria estava vazia e Nanami começou a procurar no grande armário de remédios sem notar que Hanna estava observando tudo pela janela da porta.

- Só preciso de um para ansiedade - diz Nanami enquanto pega um frasco que tinha escrito "Rivotril" e despeja em sua mão.

"Só preciso de alguns… se eu tomar pelo menos alguns desse eu ficarei bem.. sem dor.." pensou Nanami enquanto sentia lágrimas quentes descerem pelo seu rosto. Olhava para sua mão com pelo menos 9 comprimidos e pensava em levar tudo a boca.

Hanna com a mão na maçaneta da porta observava a amiga na esperança de que ela parasse ou teria que intervir, mas Nanami precisava decidir sozinha.

Só que não conseguia, sentia a cabeça doer agora, mais do que antes. Seus pulsos latejavam e seu coração parecia que era esmagado a cada batida. Fechou os olhos levando os comprimidos até a boca e parou.

Não conseguia, pensou na melhor amiga que estaria na aula, tranquila de que iriam se encontrar no refeitório e suas pernas fraquejaram fazendo a garota se ajoelhar. Largou os comprimidos no chão e fechou o frasco, colocando na mesa ao seu lado.

Hanna com a mão na boca reprimindo o som do choro, observava a amiga sentada no chão junto ao remédio e ficou aliviada. Soltou a maçaneta da porta e andou de volta para o prédio C antes que a amiga resolvesse sair da sala.

Nanami ainda chorava no chão da sala quando a porta é aberta. A garota logo enxuga as lágrimas na manga da camisa e se levanta.

- Sinto muito, não tinha ninguém e eu precisava de um remédio para dor de cabeça. - virou e viu quem menos queria. - Arg, é você. 

- Você não tem um pingo de educação mesmo - falou Taehyung se aproximando da mesa para olhar o frasco que a garota deixou lá, após examinar observou o chão onde estavam os comprimidos - O que esperava fazer? 

- Isso não é da sua conta - puxou de volta para o ombro a bolsa que havia caído segue em direção a porta mas sente seu pulso sendo segurado pelo garoto. - Solte-me. - falou tentando manter a expressão calma enquanto sentia seu pulso arder mais do que antes.

- Ou o que? - perguntou desafiador - Você invadiu a enfermaria quando não tinha ninguém e quase ingeriu uma quantidade perigosa de um medicamento forte. Vai me contar o que iria fazer e eu poderei fazer meu trabalho. 

- Já disse que não é da sua conta, não se intrometa - falou puxando o braço, agora observava que ele usava um jaleco com o próprio nome no bolso do lado esquerdo. Seu braço ardia tanto que sentia o rosto tremer - V-você está me machucando...

- Tem razão, não é da minha conta, sou apenas o assistente aqui, talvez o reitor devesse saber sobre uma certa aluna que pretendia provocar uma overdose em si mesma. - ameaçou soltando o braço da garota quando viu que ela estava prestes a chorar de novo e voltando para o armário guardar o frasco.

- O que espera ganhar me ameaçando? - perguntou esfregando onde o garoto apertou.

- Apenas fazer meu trabalho aqui - falou observando ela apertar o pulso e seus olhos lagrimarem - Ah, me poupe, não apertei tão forte, você é muito fraca.

- Não se gabe, não está doendo - "não por sua causa" pensou Nanami. Mas o garoto ainda olhava para ela e começou a se aproximar.

- Mostre então - estendeu a mão para a menina que negou entregar o braço - Vou apertar mais forte se não mostrar por vontade própria e vou acabar vendo mesmo assim. Jeito fácil ou jeito difícil? - ela nada respondeu então Taehyung suspirou e puxou o braço da garota que não tinha força para lutar e sentiu a manga da camisa sendo levantada pelo garoto.

- Satisfeito? - perguntou Nanami olhando os cortes no braço que pareciam querer sangrar e cobriu-os com a manga da blusa, tampando a visão do mais alto.

- Satisfeito eu ficaria se você não fosse tão teimosa - respondeu ele puxando ela para uma das mesas de exame, com mais delicadeza que deixou a garota sem reação e apenas se deixou levar. Sentou e observou o garoto se afastar para logo voltar com uma bandeja prateada com alguns frascos, algodão e gaze.

- O que acha que vai fazer? - perguntou vendo ele se aproximar e deixar a bandeja do lado de Nanami.

- Apenas cale a boca e me deixe fazer meu trabalho - diz sem paciência enquanto coloca as luvas. Pega o braço que apertou antes e enrola a manga até o cotovelo. 

Nanami apenas observa ele trabalhando sem prestar muita atenção para o próprio braço, apesar de ser um completo idiota o rapaz ainda era muito lindo e quando estava concentrado era mais ainda. Estava tão cuidadoso com o braço da garota que ainda não conseguia acreditar que ele teria um lado assim.

- O que você acha que está olhando? - perguntou o garoto ainda fazendo seu serviço mas notando o olhar da menor.

- Estou olhando um ser completamente desprezível agindo como alguém com sentimentos - falou ouvindo uma risada do outro.

- Você até teria me magoado se eu realmente me importasse com sentimentos - diz Tae devolvendo o braço da garota para a mesa de exame e puxando o outro braço.

- Você sempre foi assim ou algum dia realmente teve coração? - perguntou quando o garoto começou a repetir o processo em seu outro braço.

- Acredito que o coração só serve para bombear o sangue pelo corpo, não para ter sentimentos. - respondeu ainda sem olhar para ela.

- Então sempre foi assim - disse Nanami em tom de decepção - Nasceu e vai terminar como um eterno Pinóquio, nunca será um menino de verdade. 

- Nossa, eu quase me importei - riu Taehyung novamente - Não tenho problema de viver como Pinóquio, com o tempo você também se acostuma. - olha para a garota enquanto devolve o segundo braço e tira as luvas. 

"Não me olhe assim… eu poderia acabar me apaixonando se não fosse tão idiota." Pensou Nanami.

- Agora já posso ir embora? - perguntou puxando as duas mangas para baixo, cobrindo os braços enrolados. 

- Ainda não - Tae andou até a mesa, quando voltou tinha um pirulito vermelho na mão, entregou para Nanami - sua recompensa, apesar de ser teimosa. - Nanami não conseguiu reprimir um sorriso e desceu da mesa. - Agora pode ir. - já estava na porta saindo quando virou para o rapaz que retirava a bandeja.

- Ah… - Tae observa a garota lutando internamente com as palavras - Obrigada.. - disse Nanami e saiu da enfermaria deixando o garoto sozinho.

- De nada - respondeu ele para a porta fechada, com um sorriso de lado estampado no rosto. 

*

Após o ocorrido com a amiga, Hanna se encaminha para sua turma. Não queria deixar Nana sozinha mas sabia que se interviesse a amiga saberia que estava sendo seguida e mesmo não demonstrando ficaria chateada.

 Hanna por sua vez sabia que precisaria fazer algo em uma situação como essa e como futura psicóloga sabia que ela precisava de ajuda profissional, o problema seria convencer a amiga.

Em meio a esses pensamentos, Hanna andava às pressas pelo corredor quando acabou esbarrando em alguém.

- Me desculpe! - fez uma pequena reverência como desculpa de cabeça baixa e logo que olhou para cima viu seu colega de turma, especificamente um cara completamente lindo e pálido como a neve.

- Vai querer mais uma foto? - disse o mais alto com tom de humor mas com expressão séria.

- Sabia que eu estava pensando nisso agora mesmo?! - debate a garota com intenção de fazê-lo rir ou ficar envergonhado novamente. A última opção prevaleceu e ela sorri com isso.

Yoongi observa a expressão da garota e percebe que apesar da conversa e do sorriso da menor, algo não estava certo. A pequena mantinha um sorriso nos lábios mas seus olhos transmitiam tanta tristeza que ele achou melhor não se intrometer. 

- Nos encontramos em outro momento, Min Yoongi - respondeu a garota com aquele mesmo sorriso doce e gentil, o rapaz nada disse em resposta. Esse sorriso fez Yoongi lembrar de alguém de não pensava há muito tempo, alguém que achou que tivesse superado mas que voltou para sua mente com mais força. Como teria se obrigado a esquecer alguém que já foi tão importante para ele? Tentou deixar seus pensamentos de lado e caminhou em direção a sala observando Hanna andando em sua frente.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...