História A Ninfomaníaca do EXO - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Byun Baek-hyun (Baekhyun), Do Kyung-soo (D.O), Kim Jong-dae (Chen), Kim Jong-in (Kai), Kim Jun-myeon (Suho), Kim Min-seok (Xiumin), Oh Se-hun (Sehun), Park Chan-yeol (Chanyeol), Personagens Originais, Zhang Yixing (Lay)
Tags Exo, Pampisdesign
Visualizações 129
Palavras 2.015
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


É... assim gente... da até uma vergonha de postar esse capítulo...
Mas como estou indo além da minha zona de conforto e já está escrito mesmo...
Se não gostarem me digam. Se ficarem muito chocadas me digam.
Enfim me falem tudo que passar na cabeça de vocês.
Beijosssss
Kellxinha com vergonha

Capítulo 5 - Capítulo 5


- O que é isso? - eu cheguei em casa para encontrar balões por todos os lados 

- É o aniversário do Kai. - Chen falou enquanto passava, carregando alguns jogos. 

- Ninguém me falou. - eu disse triste e os meninos me olharam em silêncio. 

- Desculpa - Xiumin pediu

- Eu também moro aqui sabe, eu gostaria de ter ajudado. - resmunguei. 

- Então ajuda agora, eu já estou cansado. - Baekhyun falou

- Só vou deixar a bolsa no quarto. - subi irritada. Eu morava ali mas não fazia parte deles. D.O. falou que eu devia me enturmar, mas eu não sei se queria isso. As coisas estavam tão boas sem envolvimento, não estavam? Não tinha sido assim minha vida inteira? Era bom, era seguro, era só sexo. Era isso que eu ia fazer. Resolvi ficar pelo quarto, troquei de roupa e peguei o celular. Alguém bateu na porta.

- Entra. 

- Você não vai descer? - Baekhyun falou. - Kai já vai chegar. 

- Vou dar meu presente a ele depois. - falei. 

- S/N. - ele entrou no quarto fechando a porta. - Ele vai ficar triste se você não descer. Vai achar que é pessoal. 

- Não é pessoal, é que é uma festa de vocês. 

- Nossa. - disse

- De vocês. 

- Você também mora aqui. 

- Ninguém lembrou disso hoje. - falei irritada. 

- Me desculpe. Tenho certeza que achamos que alguém ia falar. Você não é só um pedaço de carne aqui S/N. 

- É melhor que seja assim. 

- Vem, desce. 

- Não quero.

- Vem desce. 

- Não quero. 

- Está certo. - ele falou irritado. - Mas se você quer ser tratada assim não fique chateada quando for. - e saiu batendo a porta. Minutos depois ouvi o barulho lá embaixo e eles cantando parabéns. Meu peito apertou. Me senti mal por Kai, ele não tinha culpa dos meninos não terem me contado. Levantei e desci as escadas devagar e silenciosamente, sem chamar a atenção parei no primeiro degrau. Kai tinha bolo no rosto e ria lindamente. Ele percebeu que eu estava ali e me deu um sorriso. 

- Onde você estava S/N? Vem comer bolo. - ele me chamou, os meninos pareciam sem jeito. Caminhei até ele e tirei um pouco de cobertura da sua boca, levando a minha em seguida. Ele engoliu seco. Aproximei minha boca da dele. 

- Feliz Aniversário! - falei e lhe puxei para um beijo. Ele segurou minha cintura me puxando para ele. 

- Hun Hun. - ouvi alguém limpar a garganta. - Hun Hun. - nos separamos. 

- Vem comer bolo, S/N. - ele repetiu. 

- Só porque você está pedindo. - falei alto para os outros ouvirem. Ele me serviu de bolo. - Me dá na boca oppa? - ele sentou comigo no sofá e me deu um pedaço de bolo. eu ri e tirei o garfo de sua mão, lhe dando um pouco. Os meninos se sentaram em volta de nós em conversas paralelas. - Oppa. quero que você me coma bem gostoso hoje. - sussurrei em seu ouvido. Ele engasgou com o bolo, chamando a atenção dos outros. 

- Senta aqui. - Me puxou para sentar em seu colo. - Quer mais bolo? - assenti. 

- Vamos jogar! - Chen falou pegando jenga e montando no meio da mesa de centro. era um jogo de blocos. - Quem perder toma uma dose. 

- Kai começa depois segue dele para a direita. - Xiumin falou - S/N é a segunda. 

- Vamos lá. - Kai se mexeu sem me tirar do seu colo e tirou a primeira peça com facilidade. Senti seu um pouco do seu membro embaixo de mim e ele deu um suspiro. Tirei uma peça também com facilidade, ele levou a mão à minha cintura e a apertou. 

= Vocês vão ficar assim na nossa frente? - Sehun perguntou. Baekhyun fez a torre tremer mas ela não caiu. 

- Não estamos fazendo nada demais. - Kai falou. Olhei em volta e os meninos pareciam desconfortáveis. 

- É estranho para quem já esteve com ela. - Xiumin falou

- Para quem não esteve também. - D.O. disse. 

- Eu não ligo se eles transarem aqui. - Baekhyun falou e os meninos o encararam. 

- Ninguém vai transar aqui. - eu disse. 

- Esse papo tá ficando estranho - Suho falou. Todos concordamos.Xiumin derrubou a torre. Todos rimos e ele bebeu uma dose de soju. Agora ele era o primeiro a jogar. Senti meu desejo começar a apontar e me mexi incomodada. Fiquei quieta um segundo depois me mexi de novo. 

- Está tudo bem? - Kai perguntou no meu ouvido. Assenti. Sehun derrubou a torre. rimos e ele bebeu. Me mexi de novo. Seu pau duro de encontro a mim. - S/N? 

- Preciso beber algo. - falei e ele me deu o copo dele. Virei. Eu não era forte para bebida e essa provavelmente não era uma boa idéia, mas eu queria lhe dar uma boa transa de aniversário. - Enche pra mim. - Ele obedeceu. 

- S/N… - D.O. que estava perto chamou minha atenção mas ignorei virando a segunda dose. - Isso não vai dar certo. - ele sussurrou para os meninos. 

- Deixa ela beber D.O. Ela já é adulta. - Baekhyun falou. 

- Mais. - eu disse. Eles agora jogavam jenga no automático. 

- Alguém transou com ela hoje? - Suho perguntou preocupado. Já eram quatro da tarde. Todos negaram. 

- Mais. - eu falei sentindo o alcool me tomar. Ninguém me deu outra dose. Peguei a garrafa da mão de Kai e bebi no gargalo. Me inclinei para trás encostando minhas costas em seu tronco e rebolei. 

- O.K. - Chen falou com a voz esganiçada. - Vamos subir. 

- Não, fiquem. - eu falei rebolando mais. 

- S/N, vamos subir, nós dois? - Kai falou no meu ouvido. 

- Não. - tirei minha blusa, estava sem sutiã e meus mamilos estavam eriçados. - Deixa eles olharem. 

- Eles não querem. - Kai falou. 

- Querem sim. 

- Fudeu, ela tá louca. - Sehun falou

- Vamos subir. - D.O. falou e começou a se levantar. 

- NÃO! - eu gritei, lágrimas descendo pelo meu rosto. - Eu vou fuder vocês. - Silêncio. Tirei o short e a calcinha e derrubei o jogo de cima da mesa de centro, me deitei em cima dela, uma perna de cada lado, bem aberta. Levei minha mão ao meu clitóris e comecei a me masturbar. - Quem vem? - perguntei. Ninguém se mexeu. - QUEM? - gritei chorando. Vi uma peça de jenga e a peguei, chupei com a boca e levei para minha entrada. 

- Não, NÃO. - Suho gritou. Alguém segurou meus braços, acho que foi o D.O. Eu soluçava. Já estava doendo e eu só queria que parasse. Alguém me abraçou por trás, me prendendo. Senti uma mão em meu clitóres. Abri os olhos. D.O. me masturbava sério enquanto alguém me continha. Percebi que a sala estava mais vazia. 

- Me fode. D.O. - pedi choramingando. Ele se posicionou, me segurando pelo quadril e caiu de boca em mim. Passei os braços em volta dos que me abraçavam e joguei a cabeça para trás. 

- Só sente. - era a voz do Xiu. 

- Era isso que você queria? - Sehun perguntou a D.O. mostrando algumas coisas. - Não é mais fácil alguém fuder ela? 

- Ninguém vai transar com ela assim. - D.O. falou serio. - Ela está descontrolada. 

- Eu quero transar! Eu preciso! - Eu falei me agitando voltando a soluçar. 

- Shiuuuu. - Xiumin tentou me acalmar. - Deixa o D.O. cuidar de você. 

- Segura ela mais embaixo, hyung, isso, por baixo dos seios. - D.O. falou. Ouvi um clique e senti uma dor no meu mamilo, depois no outro. Era uma dorzinha que vinha com prazer.  - São grampos de mamilo. - completou. Ouvi o barulho de um vibrador e senti algo me preencher. 

- Nãoooooo. Quero você. - choraminguei. 

- Calma, só sente S/N. Respira. - Xiumin falou. Comecei a me acalmar, tentei me concentrar na sensação do vibrador em mim, era vazia. 

- Agora isso é uma Magic Wand, mostrou um massageador enorme. - D.O. falou. Primeiro ele encostou no meu clitóris desligado, em seguida ele o moveu de um lado pro outro. Quando ele o ligou, tive um choque, a velocidade era muito alta. Em segundos senti o prazer.

- Hummm. - gemi. - Ahhhhhh. 

- Está funcionando - Baekhyun falou. 

- Essa é uma casa de loucos. - Chen disse, acho que era sua frase favorita. - Olha essa situação. 

- Pode soltar ela hyung. - D.O. falou

- Não! - eu gritei e segurei seus braços com força. Senti a velocidade do massageador aumentar e me contorci rebolando. Uma explosão me tomou e comecei a tremer. Senti um alívio nos meus seios quando ele retirou os grampos. D.O. desligou o massageador e tirou o vibrador de mim. Queria gritar que não, que eu queria mais, que eu precisava de mais. Solucei. O silêncio voltou a tomar conta da sala, quebrado apenas por meus soluços. Xiumin me soltou e me encolhi, me abraçando. Não sei quanto tempo fiquei assim, os meninos não diziam nada. 

- Desculpe. - falei envergonhada quebrando o silêncio. 

- Porquê você não transou com ninguém hoje? - D.O. perguntou sério. 

- Eu estava bem e precisava resolver algumas coisas. - eu disse baixo. - Achei que ia ficar tudo bem. - Senti uma pontada de desejo. - Eu preciso de mais. 

- Eu sei, foi intencional, para você poder subir com o Kai. - D.O. disse

- Se ele ainda me quiser. - Falei baixo. 

- Se eu quero? Olha para isso! - apontou para sua ereção. 

- Vamos subir então. - falei. 

- Na verdade - Kai falou sem jeito. - Eu queria fazer aqui se os meninos não se importarem. Os meninos murmuraram, alguns deram de ombros, mas foram saindo. Assim que ficamos só nós dois ele se despiu e sentou no sofá. - Merda, preciso da camisinha. 

- Eu vou lá pegar. - Subi correndo as escadas e quando estava descendo ouvi gemidos atrás de uma porta entreaberta. Vi que era D.O., ele estava se masturbando. - sorri e retomei meu caminho. Kai massageava seu membro com a cabeça jogada para trás. era uma cena linda. Me ajoelhei em frente a ele, chamando sua atenção e levei a boca até seu membro o abocanhando. 

- Assim. Mais fundo. - ele segurou minha cabeça mostrando como queria e prontamente atendi. - Arggg. - gemeu rouco. - Arggg.- Massageei a parte do seu membro que não cabia em minha boca. - Senta em mim. Não, senta de costas pra mim. - ele disse quando ia me sentar de frente para ele, obedeci. Sentei em seu pau me sentindo preenchida. - Rebola gostoso. - Kai gostava de mandar, interessante. Rebolei nele mantendo o ritmo, ele tinha as mãos eu meus seios. Eu não estava com pressa, nem dor, o que era surpreendente e fazia de tudo isso algo muito gostoso. Ele levantava seu quadril me estocando, me virei e fiquei de frente para ele puxando-o para um beijo. Senti ele atingir meu ponto de prazer e gemi alto. Ouvindo isso ele aumentou o ritmo das estocadas. 

- Ahhhhhh. - gritei, ele me segurou pelo quadril aumentando a pressão entre nós. Senti uma onda de prazer me tomar e relaxei sobre seus, lhe abraçando. Ele me estocou fundo mais algumas vezes antes de se soltar um gemido. 

- Desculpa gente, eu meio que estou atrasado e tenho que ir trabalhar. - Suho disse e o encaramos surpresos. Ele passou correndo pela sala em direção à porta. Nós rimos. 

- Mais alguém precisa passar ou fazer alguma coisa na sala? - Kai gritou alto. - 3 minutos para o round 2! 


Notas Finais


Então... foi isso... intervenção do D.O.
Vou atualizar Meu Músico - Park Chanyeol agora.
Beijosss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...