1. Spirit Fanfics >
  2. A Noiva - Sasuhina >
  3. Flashes

História A Noiva - Sasuhina - Capítulo 2


Escrita por: SayumiSaYu

Notas do Autor


Não ia postar tão já...mas como vi que gostaram da história... Então vamos com mais uma capítulo... Espero que gostem!! Boa leitura.

Capítulo 2 - Flashes


Fanfic / Fanfiction A Noiva - Sasuhina - Capítulo 2 - Flashes



Os Uchihas

- Bom dia! – disse Mikoto sorrindo enquanto observava Izumi e Itachi entrar na sala de jantar. Izumi sorriu para a sogra e bateu palmas alegremente quando viu a mesa recheada para o café da manhã – Dormiu bem, querida?

- Não! – bradou Itachi.

- Sim, Mikoto!! – Izumi olhou em advertência ao marido que apenas deu de ombros.

- Mãe!! Não vamos ficar naquele quarto!! – Itachi puxou a cadeira para Izumi e esperou que a morena sentasse.

- Itachi!! – repreendeu a esposa.

- Não! – disse ele sem paciência – Nem vem defender ele, Izumi!!

- Meu Deus!! – disse Mikoto já aflita – O que aconteceu?

- Nada dona Mikoto – sorriu a morena buscando o pão recheado à sua frente e o mordendo.

- Nada?! – bufou o mais velho – Você precisa descansar!! O quarto do bebê fica no mesmo corredor!! Nem a pau que ele vai trazer uma qualquer que encontrou na rua...

- O que?! – bradou Mikoto levantando da mesa – O que Sasuke fez?

 - Não escutou a sessão de gemedeira não?? – perguntou o Uchiha sentando ao lado da esposa e respirando fundo.

- Vai me dizer que nunca fez isso? – perguntou Izumi o olhando de canto – Pensei que Konoha fosse o seu matadouro!

- Hm... – riu sem humor – Nunca trouxe ninguém para casa... e não era do jeito que pensa!!

- Ah!! Claro que não!! – estalou a língua teimosamente e fingiu não escutar mais os resmungos de Itachi.

- Ele está certo Izumi – disse Mikoto fitando a escadaria que levava ao segundo andar – Sasuke....

- Droga!! – Itachi trincou os dentes enquanto fitava o relógio de pulso – Acabei perdendo a hora...

- Não vai esperar seu irmão? – perguntou Mikoto

- Acho que ele não vai acordar tão cedo – disse sem paciência – talvez seja até bom ele não estar presente nessa reunião...

- Por que? – perguntou a esposa confusa, mas Itachi sorriu de lado e deu um beijo nela, evitando mais conversa e deixando as duas ainda tomando café.

- Querida – chamou Mikoto respirando fundo e sorrindo docemente – que tal um passeio por Konoha? Podemos aproveitar e comprar mais algumas peças para o enxoval do bebê...

- Hum... que ótima ideia!! – disse Izumi sorrindo – Vou me trocar e podemos ir...

Hinata Hyuga

O sorriso dele foi a última coisa que vi assim que bati a porta daquele quarto. Fechei os olhos com força e respirei fundo, aquilo não podia estar acontecendo. Bufei abrindo os olhos e o corredor se estendeu à minha frente, mas algo nele era muito diferente. Caminhei com relutância pelo lugar e cheguei ao fim da sua extensão, a escadaria enorme se estendeu logo abaixo.

- Droga... – sussurrei ainda sem acreditar – Isso aqui não é um motel...

Vozes começaram a ecoar pelo lugar enorme, já estava muito ruim daquele jeito, se me pegassem ali pioraria e muito. Recuei meus passos, mordendo o lábio e me concentrando para não fazer barulho algum. Voltei para o corredor e me escorei contra a porta fechada para tentar, no mínimo, me esconder dos passos que se aproximavam. Aquilo seria um problema, a herdeira Hyuga perdida na casa de um estranho, descabelada e praticamente pega em flagrante.

- Ai!! – gemi quando meu corpo despencou para trás e tombei contra o carpete do quarto que acabava de se abrir.

- Opa... – a voz era descontraída e feminina, arregalei meus olhos quando a primeira coisa que enxerguei foi o volume arredondado.

- Ah... desculpa...desculpa, desculpa – disse me levantando devagar, as vozes aumentaram e fechei os olhos com força. Não tinha mais para onde escapar.

- Vem!! – disse a moça me puxando para dentro do quarto e fechando a porta antes das vozes se aproximarem.

A morena escorou contra a porta e a trancou, colocou o ouvido na madeira e esperou. Ainda estava muito perdida naquela imagem, quando o sorriso faceiro surgiu no rosto da jovem e logo depois seus olhos me fitaram.

- Já foram – disse sorridente e pôs a mão na barriga e ali senti a bile me voltar violentamente.

- Meu Deus!!! – levei a mão à boca – Ele é casado!!

- O que?!!! – ela olhou para sua mão que acariciava o volume e depois riu abertamente – Não...

- Desculpa, nossa...sinto muito... gente!!! Que canalha!! O que faço? Que idiota...Hinata você é uma idiota...

- Calma!! – disse ela aproximando – Não sou casada com ele... é meu cunhado...

- Ah!! Graças a Deus – sentei sobre o carpete tomando fôlego, ao menos isso era um alívio.

- Não parece uma qualquer... – sussurrou e a olhei confusa – Oh...perdão!!

- Pensaria da mesma forma se encontrasse alguém nessas condições em minha casa – confessei, mas ela abanou a mão negando e sorriu docemente.

- Bom... ele te trouxe para casa, acho que isso é um bom sinal...

- Ah!! Sem dúvida isso deve ser comum para alguém como ele – disse nervosa e ela estalou a língua.

- Não parece muito feliz – constatou a moça e concordei silenciosamente.

- Sem dúvida não estou – bufei e ela me olhou confusa – Desculpa, mas preciso muito sair daqui... E não pode ser pela porta da frente.

“- Izumi, querida – a voz chamou do outro lado da porta, encolhi o corpo no mesmo instante – Já está pronta?!”

- Sim! Já estou descendo dona Mikoto!! – a moça respondeu segurando em meu braço e me olhando compassiva – Vou tirar minha sogra daqui. Desce a escadaria e vire à direita, siga o corredor até a cozinha, a porta para os fundos do terreno fica lá... A casa está uma bagunça hoje e não vão reparar em você....

- Obrigada – sorri para a morena que devolveu o gesto no mesmo instante – Você salvou minha vida...

- Também já tive minha porção de aventura... – respondeu afastando e seguindo até a porta, mas me olhou antes de a fechar – Vou te ver de novo?

- Ah... – ri – Com certeza não...

Ela sorriu e deu de ombros se lamentando por aquilo, acenou brevemente e fechou a porta.

 

Senju H. Haruno


- Ei!! – bloqueou a porta quando tentei fechar.

- Naruto, não tô afim!!

- Precisamos conversar...

- Não precisamos não!! – forcei a porta, mas era impossível ganhar aquela disputa de força.

- Não tô pedindo – disse o loiro me arrastando junto com a porta, o corpo alto entrou sem cerimônia, sua mão fechou em meu pulso, me puxando contra ele e chutou a porta que se fechou bruscamente.

- Larga Naruto! - puxei minha mão, mas o loiro só largou depois de segundos me encarando.

- Por que não atendeu o celular?

- Por que não sou obrigada! - bradei me afastando dele.

- Ah não é não?! Sabe o que está em jogo aqui?! - disse aproximando. Parecia um touro raivoso, bufando e ofegante, ele estava diferente - Sabe de quem abri mão pra ficar com você?!

- Abriu mão?? Desde quando você considera a Hyuga alguém? Nem vem com essa, Naruto!!!

- Nem vem você, Sakura!! - Naruto aproximou e segurou meu braço bruscamente. Aquilo não combinava com ele, mas nem pensar que seria intimidada desse jeito - Disse que ficaria comigo. Agora essa merda toda tá escancarada!! O nome da Hinata tá em toda parte, sabe o que isso significa para os Hyuga? Depois de tudo, você quer pular fora?! Nem fodendo!!!

- Você sabia, não é?!! - indaguei para o loiro que me olhou confuso, aquele nervoso todo, aquela atitude, o desespero só tinha uma explicação - Sabia que ele está voltando!! Por isso fez tudo isso!!

- Do que você tá falando? - apertou mais meu braço.

- Que Sasuke está voltando!!

Naruto soltou meu braço e recuou. Aquilo caiu como uma bomba para o loiro que me olhou desnorteado. Sasuke era seu melhor amigo, era como seu irmão, mas não me enganava. Os Uzumaki tinham se erguido depois que os Uchihas deixaram Konoha, e isso ia muito além dos negócios, Naruto se dizia amigo de Sasuke, mas ali estava seu olhar perdido e sua raiva nítida.

- Sasuke? - indagou ainda desconfiado - Os Uchiha?

- No fim você conseguiu - ri sem humor - Me afastou dele e do Itachi, transou comigo e de quebra sorriu quando sua foto saiu no jornal!!

- Hum... - retribuiu o sorriso - Não precisei te afastar dele... Você que foi burra o suficiente pra dormir com os dois!!

Desferi um tapa em seu rosto com força. 

- Acabou!! - gritei, mas seus olhos furiosos se encontram com os meus e pela primeira vez senti medo dele.

- Eu decido quando acaba!!


Os Hyuga


- Caramba, Hinata!! – disse Hanabi me puxando para seu quarto e fechando a porta – onde você se meteu?

- Hana... e o papai? – perguntei temerosa, mas ela negou com a cabeça.

- Papai saiu ontem depois de você e chegou muito tarde e hoje pela manhã teve uma reunião – suspirou a mais nova – ele nem percebeu...

- Graças a Deus – pousei a mão sobre o peito.

- Mas o Neji sim!! – sussurrou a mais nova.

- Deixa que com ele eu me entendo! – estalei a língua nervosamente.

- Hinata – chamou a mais nova – Onde você estava?

Seus olhos me percorreram, não estava só descabelada, mas sem dúvida meu estado me entregava, parecia que um trator tinha me atropelado e por certo foi. Andei devagar pelo quarto de Hana e passei a mão para ajeitar os fios rebeldes, mordi o lábio tentando conter o nervoso que começava a se apoderar de mim.

- Preciso tomar um banho.... – Sussurrei e ela se aproximou.

- Hina...

- Tá tudo bem... – disse sorrindo para ela – Estou bem!!

Dei um beijo em sua testa e sai do seu quarto, com passos rápidos e silenciosos segui para o meu e me tranquei lá. Tirei a roupa que parecia me sufocar e me fechei no banheiro. Dei as costas para a banheira e liguei o chuveiro, o vapor inundou todo o lugar depois de segundos.

A água quente caiu em meu corpo dolorido, me deixei escorregar pelo azulejo molhado. Deslizei a mão pela minha pele branca, tinha manchas avermelhadas em meus seios, na minha barriga e em minhas pernas, eu estava completamente marcada. Toquei meu corpo e mesmo sentindo uma dor incômoda entre as pernas um súbito de prazer me tomou e o arrepio me percorreu assim que lembrei daquele sorriso... a última imagem que tive dele ao fechar a porta.

- Idiota – sussurrei respirando fundo. Toquei entre minhas pernas e a dor levemente aguda ainda estava lá, me lembrando do que perdi – Droga, Hinata... o que fez? Você é uma idiota.

[...]

O gemido, a mordida, o arrepio, o prazer...

- Terra para Hinata!! – gritou Hanabi – Tá com a cabeça no mundo da lua?

- Desculpa – disse sorrindo, mas eu realmente estava com a cabeça em outro lugar, nos flashes que começavam a preencher as lacunas vazias na minha memória.

- E então? – perguntou animada.

- Então o que?

- A festa Hinata!! – disse sem paciência.

- Mas de que festa você está falando? – perguntei espetando o garfo no pedaço de tomate perfeitamente avermelhado em meu prato.

- A festa beneficente – respondeu chateada.

- Ah... nem pensar – retruquei balançando a cabeça – Não vou nessa festa...

- Onde estava?!! – a voz ameaçadora me interrompeu e chegou antes da imagem de Neji – Onde estava, Hinata?

Respirei fundo enquanto Neji me fuzilava, o Hyuga jogou uma chave reserva, que julguei ser do meu carro, em cima da mesa e só ali me toquei que o tinha deixado no café-bar. Ainda tive a sorte de estar com minha bolsa e celular para chamar o táxi, para o carro poderia ter até uma boa desculpa esfarrapada, mas as milhares de ligações perdidas em meu celular, não.

- Neji....

- Não me diga que foi ver aquele filho da puta do Naruto!!

- O que? – ri com aquela constatação – Não... eu não fui ver o Uzumaki... eu... hum... acabei perdendo a hora quando estava com a ... Yamanaka!

- A Ino? – perguntou ele desconfiado e fiz que sim com a cabeça.

- Por que encontrei seu carro no estacionamento de um bar?

- Não, a pergunta certa é como fez isso? – indaguei com raiva.

- Rastreador – disse Hana sorrindo – Presentinho do papai, mana...

- Tá falando sério? – encarei Neji que desviou o olhar – Ok!! O que está acontecendo aqui? Pra que rastreador nos carros e esse monte de seguranças?

- Porque você são Hyuga!! – a voz rouca chamou nossa atenção, papai entrou na sala de jantar e sorriu curto antes de avançar e beijar-me na testa e depois Hana.

- Isso não é necessário...

- Sim, é Hinata – interrompeu.

- Tio – Neji chamou e no mesmo instante o olhei em aviso, ele deu de ombros e voltou sua atenção ao meu pai – E a reunião?

Papai não precisou responder, seu sorriso falava por si. Um suspiro longo e demorado foi dado pelo mais velho que passou pelo meu primo e o segurou pelo ombro.

- Melhor impossível – soltou – Pensei que já estariam se preparando para a festa... Mulheres costumam demorar para se preparar!

- A Hinata não vai – bufou Hana chateada.

- Sim, ela vai – rebateu o mais velho, abri a boca para contestar, mas meu pai levantou a mão pedindo que parasse – Minha primogênita passou 12 anos no exterior, essa não é somente uma festa beneficente, mas o seu retorno à sociedade.

- Pai, isso é completamente desnecessário – retruquei.

- Isso é só uma das surpresas da noite – aproximou o Hyuga e me beijou no rosto, não entendi aquele tom de papai e seu olhar brilhoso. Afastou depois de olhar para Neji, meu primo o seguiu, mas ainda me olhou uma última vez e desconfiado.

- O que o pai quis dizer com “uma das surpresas”? – perguntou Hanabi olhando para o mesmo lugar que os dois tinham seguido.

- Não sei – respondi, mas não gostava nada daquilo.

Os Senju

- Senhora – chamou ao entrar no escritório.

- E então? – perguntou enquanto soltava a fumaça do cigarro.

- Confirmado – respondeu aproximando e colocando algumas pastas sobre a mesa de vidro – Retornaram ontem.

- Sem mídia?

- Ninguém sabe do retorno...

- Excelente – lambeu os lábios e sorriu passando o dedo pela foto do arquivo que acabava de abrir. Os olhos fitaram a secretária que ainda permanecia de pé, bufou sem paciência e indicou que saísse, mas a moça continuou ali e juntou as mãos nervosamente. Irritada, fechou o arquivo e encarou a outra – O que foi?!

- O Hyuga foi visto saindo do escritório de Uchiha Madara...

- Tsc – estalou a língua e se escorou em sua cadeira – Deve ter sido o único trunfo daquele Hyuga maldito, já que o Uzumaki não é mais uma boa opção para ele... O Madara aceitaria qualquer migalha, aquele velho só pensa no próprio umbigo...

A Senju respirou fundo e sorriu de lado, menos um em seu caminho, estranhou a secretária ainda estar ali e rosnou para a moça que apenas se curvou em desculpas, mas ainda permaneceu de pé.

- Mais alguma coisa? – perguntou a Senju sem paciência.

- Fugaku e Itachi Uchiha também foram vistos...

- O que?! – berrou levantando e socando a mesa – Não acha que deveria ter citado esse detalhe antes?!! Saí daqui!!!!

 

Sasuke Uchiha

Sentei na cama ainda sentindo dor de cabeça, a ressaca tinha sido pior do que qualquer uma que já tive, talvez fosse porque estava em Konoha ou a parcela de culpa que senti quando me deparei com aquela mancha vermelha no lençol.

- Merda!! – bradei quando escutei as batidas na porta, joguei o travesseiro sobre a mancha, segui até a porta e a abri. Izumi apontou do outro lado e sorria de orelha a orelha e logo atrás dona Mikoto que me fuzilava – Bom dia... nossa... visita logo cedo?

- Ah, não está recebendo visitas? Curioso, pensei que fosse daqui a reclamação pela sessão de gemedeira – mamãe rosnou.

- Ai!! Caramba, mãe!! – pegou em minha orelha e puxou com força enquanto entrava em meu quarto. Aquilo só podia ser brincadeira.

Dona Mikoto observou o quarto com atenção, mas foi Izumi que entrou e aproximou da cama, com movimento rápido vi minha cunhada jogando a almofada que estava no chão sobre a cama e só ali vi que a mancha ainda estava visível.

- Não tem vergonha não, Sasuke?! – bradou ela – Trazer uma qualquer pra dentro de casa? Não tem respeito pela sua família?

- Ela não é uma qualquer – sussurrei para mim, mamãe cruzou os braços e bufou.

- AH!! E como devo chamar alguém que passa a noite desse jeito na casa da nossa família e foge pela manhã? -  Apontou para a cama completamente bagunçada – De santa?

- Mãe, não sou criança – suspirei fundo, mas ela continuou com seu jeito turrão – Tem um jeito de resolver isso...

- Nem se atreva!! – berrou ainda mais sem paciência – Você não vai sair dessa casa!!

- Meu Deus... – levantei a mão assustado com sua repentina aflição.

Mamãe me olhou chateada antes de sumir pela porta. Respirei fundo tentando me controlar. Mais um irritado ali não seria bom negócio. Não sabia qual era a birra de dona Mikoto por não aceitar que saíssemos de casa. Já era ridículo eu morando ali e ainda tinha Itachi e Izumi para piorar. Bufei me virando e só ali percebi que Izumi ainda estava no quarto e sorria de orelha a orelha.

- Ela é linda – sussurrou piscando e me peguei surpreso.

- É... ela é linda – confessei desconfortável.

Izumi aproximou e tocou em meu ombro antes de sair, voltou o olhar para a cama e depois pra mim e franziu a sobrancelha.

- Espero que tenha tomado cuidado – mordeu o lábio pensativa – ela com certeza não é uma qualquer...

[...]

- Ah!! Acordou? – perguntou Itachi enquanto surgia pela porta dupla da sala de jantar.

- Itachi, por favor – disse Izumi ajudando mamãe a pôr a mesa. Itachi revirou os olhos e sentou ao meu lado, observou a esposa com atenção e parecia nem perceber a sua cara de bobo.

A hora da refeição era uma hora sagrada em casa, ao menos o almoço e o jantar, todos nós nos reunimos em volta da mesa, naquele momento nem mesmo os empregados ficavam por perto. Mamãe fazia questão de ela mesma cozinhar nossa refeição, papai concordava e Izumi pareceu aceitar bem aquilo. Nossa família não era das mais comuns, mesmo com tudo que tínhamos, tentávamos conservar alguns momentos de simplicidade, a verdade é que também gostava daquilo, gostava de como nossa família seguia esse rito e como nada tirava isso de nós.

Papai chegou segundos depois de Itachi e com tio Madara a tiracolo, nos saudaram brevemente e sentaram, cada um em uma extremidade da mesa. Mamãe ainda me evitava e se mantinha durona, mas sabia que dona Mikoto não conseguia se afastar por muito tempo.

- Me dê um bom motivo para não estar presente na reunião – disse tio Madara se servindo do almoço sortido de dona Mikoto.

- Isso, irmão, nos de uma boa desculpa – Itachi reforçou enquanto cruzava os dedos sobre a mesa.

- Vai se ferrar – sussurrei pra ele e papai me fuzilou – Desculpa tio, não vai acontecer novamente ...

- Hum... – Madara estalou a língua e sorriu de lado – Na sua idade era do mesmo jeito.

- Deus me livre – Mikoto levou a mão ao peito e fitou meu tio – Nem se atreva a dizer isso do meu filho!!

- Ora!! O que quer dizer com isso Mikoto? – Madara a encarou confuso.

- Que você não presta!! – respondeu arrancando risadas de todos na mesa. Mamãe estava certa, por mais que eu tivesse alguma parcela de culpa, tio Madara era muito pior... muito pior que todos os Uchiha machos juntos.

- Era importante, filho - papai disse sem me olhar, e nem mesmo depois de falar aquilo levantou a cabeça, parecia me evitar.

- O que aconteceu, pai? – perguntei preocupado.

- Na festa você vai descobrir – Madara respondeu.

- Não vou a essa festa...

- Ah!! Você vai sim – mamãe disse ameaçadoramente. Quem se atreveria a dizer não depois daquilo. Nem mesmo o papai ousou a olhar naquele segundo. Ela realmente estava chateada comigo – Todos nós vamos a essa festa e, isso é para você Sasuke Uchiha, é bom não aprontar nada nessa festa... ou eu mesmo arranco o que tem no meio das suas pernas!!


 A Festa beneficente


“- Hoje à noite promete!! Sabe o que significa gente linda e milionária reunida para fazer uma boa-ação?! B.A.R.R.A.C.O!!!

- Ah!!! ADORO!! – a voz esganiçada gritou – Podem estender o tapete vermelho, porque as tops famílias vão passar!!

- O que todos querem saber!! Naruto e Sakura vão se assumir hoje? Os Senju e Uzumaki!! Ousou dizer que esse poder todo vai abafar a queridinha família Hyuga!!

- AHHH!!! Meu Deus... arregala os olhos porque eles estão chegando e, meu pai... que Loiro maravilhoso é esse?! Naruto quer infartar Konoha inteira desse jeito?!

- Gente... ele consegue me tirar o fôlego!! E não... ouviram meninas, ele não está acompanhado da rosada!!

- É... pelo jeito vão cozinhar ainda mais o romance por baixo dos panos.... Espera, espera, espera.... lá vem a querida e recauchutada Vovó Senju e sua mimada Neta, a topíssima Sakura...

- Linda como sempre – respirou fundo – Ino Yamanaka, a estilista e amiga da Senju, segue ao seu lado!! Daí vemos de onde vem o figurino maravilhoso... Opa!! O que é aquilo?

- Não pode ser? – indagou a voz engasgando

- Me diz que é mentira??

- Não!! Aquilo não é mentira e nem uma miragem.... Meu Deus!!! Vocês não vão acreditar no que nossos olhos estão vendo...

- Meu Deus... eu vou infartar!!!

- Segura o coração de vocês, amadas, porque o meu já infartou... como não sabíamos disso?? OS U.C.H.I.H.A!! É isso mesmo que escutaram... Estou diante da perfeição em formato de família e ainda sem acreditar, mas creem em mim, queridas... Itachi e Sasuke Uchiha estão de volta a KONOHA!!!!

- Mas o que é aquilo?... não... quem é aquela?? Gente... podem começar a chorar....

- Meus olhos sangram... – a voz choramingou – Será a namorada?

- Namorada? Tá cega agora?? Olha o tamanho da aliança e da barriga dela... – rosnou a outra - É minhas queridas... nosso deus grego não está mais disponível, sinto informar, mas agora a corrida para enlaçar um Uchiha só vale para Sasuke, porque Itachi Uchiha está CASADO!!

- Essa noite promete.... promete muito!!! E só está começando.”


- Nossa, está bem cheio aqui – disse Izumi mordendo o lábio, Itachi passou a mão pela cintura da esposa e a trouxe para mais perto, o moreno sorriu companheiro para a Izumi que se encolheu minimamente.

- Vamos embora assim que disser...

- Não... não, tudo bem – respondeu respirando fundo e seguindo seus sogros que já se afastavam.

- Sasuke – chamou Itachi e o mais novo o olhou entediado – Espere na sala de conferência...

- Por que? – perguntou sem entender, mas o irmão apenas o olhou firme e seguiu seu caminho. Sasuke bufou sem paciência enquanto seguia, literalmente, pelo tapete vermelho, os flashes pareciam entorpecer sua visão e atiçar a dor latente que ainda perturbava sua cabeça.

Olhou para a escadaria e foi inevitável não travar seus olhos nos cabelos rosados que balançavam suavemente pela nuca de Sakura, engoliu em seco e se praguejou por estar ali, era uma droga tudo aquilo, só para manter imagem, porque sabia quão inútil era uma festa daquelas que se gastava mais do que arrecadava.

Sasuke entrou no salão depois que teve certeza que a rosada já tinha se misturado entre os figurões de Konoha, passou a mão pelos cabelos arrepiados e escutou o grito que se seguiu pela fileira de espectadores que aguardavam pela entrada do lugar. Ainda aturdido com aquela reação, o Uchiha entrou no salão e desejou nunca ter feito aquilo.

[...]

- Sakura...

- Não – disse ela se afastando, mas seu punho foi segurado discretamente – Naruto, aqui não...

- Vou falar com sua avó!

 - Nem pensar! – rosnou a rosada puxando sua mão de volta – Eu já disse, esquece a gente, Naruto...

- Por que Sasuke vai voltar? É isso? – rosnou o loiro que teve sua fala perdida quando o burburinho se iniciou. O Uzumaki olhou para onde todos encaravam e engoliu em seco quando a família Uchiha desceu as escadas do grande salão. Sorriu de leve ao ver Itachi, nada podia se comparar a cara que Sakura fez ao ver o Uchiha, não só acompanhado, mas acompanhado de uma jovem linda e grávida – É, pelo jeito você foi esquecida mesmo!

Sakura mordeu o lábio com raiva, mas segurou sua respiração quando Sasuke parou sobre os degraus e fitou o salão por segundos. Seu mundo poderia parar bem ali. Estava da mesma forma que o tinha guardado na memória, só que muito melhor. Sasuke era como vinho, o tempo o tinha deixado ainda mais perfeito e agora só faltava provar.

Sakura olhou Naruto sobre o ombro e deu as costas para o Uzumaki, seguiu entre os convidados enquanto Sasuke descia a escadaria, mas não foi rápida o suficiente. Viu o Uchiha afastar e entrar na parte reservada da festa. Ali os seguranças bloquearam seu caminho e nem mesmo conseguiu chamar pelo moreno.

- Nossa... – reclamou quando sentiu ser empurrada por algumas senhoras que passavam apressadas – cuidado!

- Olá, Sakura – escutou a voz e respirou fundo para tomar paciência.

- Olá, Kushina – disse virando e sorrindo forçadamente.

- Você está linda – disse a Uzumaki sinceramente e recebeu um sorriso de resposta.

- Querida, ela chegou – Minato disse aproximando da esposa. Kushina sorriu abertamente e afastou-se de Sakura que, intrigada, seguiu a Uzumaki.

Não sabia o que estava acontecendo, mas sem dúvida tinha chamado muito atenção de todos. Olhou pelo salão e viu Naruto andando pelo lugar, os olhos azuis a fitavam quando sua atenção foi direcionada para o topo da escadaria, viu o Uzumaki parar de súbito e arregalar os olhos.

- Sakura!! – Sentiu seu braço sendo puxado e Ino a chamando.

Sakura travou ao ver os Hyuga descendo os degraus, Hiashi descia logo a frente com a Hanabi , mas o que chamava atenção mesmo era a acompanhante de Neji. Sakura pendeu a cabeça e sentiu-se mal, sorriu com desdém quando viu como as pessoas pareciam idolatrar a jovem, estalou a língua nervosamente quando viu que um dos que babava era Naruto.

- Quem é aquela? – perguntou com indiferença para Ino.

- Não está reconhecendo não? – Ino perguntou sorridente para a rosada que a fitou confusa – É a Hinata, Sakura!

- Hinata? – perguntou ainda abobalhada, seus olhos acompanharam o movimento dos Hyugas que seguiram pelo mesmo caminho restrito que Sasuke, ainda aturdida, piscou forte e percebeu que estava como todos no salão, completamente pasma com Hinata Hyuga.

- É, acho que ela não estava em um convento, nem com lepra e muito menos morta...

 Sasuke Uchiha

- O que?! – bradei ainda sem acreditar – Nem fodendo!!

- Sasuke!! – Itachi aproximou.

- Sasuke o caralho!! – afastei dele e passei a mão nervosamente pelo cabelo.

- Não adianta dar esse showzinho – disse Madara bufando e cruzando os braços.

- Showzinho? - perguntei com raiva – E acha que tenho cara de que para vocês decidirem isso pelas minhas costas?

- Não exagera, Sasuke – Itachi bufou.

- Ah! Legal!! Fácil você falar – ri seu humor – Não é o seu que tá na reta!!

- Sasuke!! – bradou meu pai sem paciência – Eles vão chegar a qualquer momento...

- Que se foda, pai!! – rosnei – Eu não vou casar com ninguém.... muito menos com uma pobre coitada que foi largada pelo Uzumaki!!

Ainda sentia fúria me tomando sem medida, fitei meu pai que parecia tão ou pior que eu, aquela merda toda era um teatro barato. Os Uchiha não precisavam de ninguém, de aliado algum e agora essa palhaçada. Dei as costas para eles e segui para a porta, não ficaria mais nenhum segundo naquele lugar, mas nem ao menos dei um passo e a porta se abriu à minha frente.

- Com licença, senhores, mas os Hyuga estão aqui – disse a jovem dando passagem ao velho Hiashi que entrou com seu ar altivo, bufei sem paciência, eles estando ali ou não, não ia fazer parte daquele circo.

Meus passos travaram e nem mesmo consegui me mover um centímetro a mais, o movimento sutil acompanhou o corpo curvilíneo, me faltou o ar. Não mais que no instante em que os olhos perolados me fitaram com assombro. Poderia estar só tendo uma alucinação, daquelas bem sacanas. Sabia que estava de boca aberta, não era pela surpresa de ter a mulher que dormiu em meus braços bem diante de mim, não... estava estarrecido, maravilhado e completamente pasmo por tê-la em minha frente mais uma vez e como um anjo, completamente perfeita.

- Sasuke – meu pai disse ao colocar a mão sobre meu ombro – Essa é Hinata Hyuga, sua noiva!



Notas Finais


😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...