1. Spirit Fanfics >
  2. A noiva >
  3. Julgamento

História A noiva - Capítulo 12


Escrita por: Lari_a

Notas do Autor


Bom dia leitoras,
Gostaria de aproveitar esse espaço para perguntar a opinião de vocês a respeito da criação de algum grupo com a galera que gosta da fic a ideia veio da @fanfiqueirasanonimas e gostaria de saber a opinião de vocês. Poderia ser um grupo no Whats, mas eu acho que mais fácil um servidor no Discord, porque deixo o link do servidor aqui e assim não terá o perigo de usarem o número de alguém de maneira indevida ou quem não gosta de compartilhar essa informação se sentirá mais seguro. E aí o que vocês acham ?

Capítulo 12 - Julgamento


Fanfic / Fanfiction A noiva - Capítulo 12 - Julgamento

Stefany Bieber 


Quando eu retomei a consciência não senti o chão e sabia que estava em movimento. Demorou alguns segundos para entender que estava sendo carregada pelo Justin. Ouvi os gritos distantes de desespero e tomei consciência que se tratava da Anastasia.


—O que houve com ela?—reconheço a voz de Jason.

—Vamos dar o fora daqui! Eles são maioria—Justin disse.

—Guardas! Matem-nos!— reconheci a voz da mãe do Will ao longe.


Abri os olhos e envolvi meus braços no pescoço do Justin. 


—Você acordou, não se preocupe. Eu vou cuidar de você. Onde te machucaram?— ele questionou.


Na mesma hora me lembrei da facada que Anastasia me deu. Não sentia dor no local e julguei que se devia ao fato do desmaio ter me anestesiado.  


—Não se preocupe comigo agora—disse e minha voz saiu muito mais baixa e fraca do que eu esperava.


Vi Jason nocautear um cocheiro qualquer.


—Assuntos da realeza, está carruagem está confiscada—Jason disse para o podre homem no chão.


E Justin entrou na carruagem me carregando e Jason começou a guiar os cavalos.


—Para onde vamos irmão?—ouvi ele dizer.

—Para o castelo Boston. Não vou deixar Maximus naquele lugar— ele disse.

—O cavalo?—questionou Jason.

—Apenas faça— Justin diz.


Em minutos estamos de volta ao Castelo Black Rose. Convenço os dois de que sou capaz de andar e após abandonar a carruagem do desconhecido de qualquer forma na entrada, corremos diretamente para o estábulo. Ao nos aproximar Justin assobia e Maximus responde agitado. Bieber rapidamente o liberta. 


—E aí velho amigo—Jason diz para a mula manca que o havia feito companhia no passeio mais cedo.


Presumo que seu bom humor vinha do fato do álcool ainda estar em suas veias, mesmo que ele aparentasse estar mais sóbrio agora.


Rapidamente fui libertar a égua e o cavalo que ganhei dos Macmillan de presente, com o plano de montar a égua e deixar Jason com o cavalo. Quando uma movimentação pareceu acontecer no castelo me apressei. Logo podíamos notar os gritos desesperados e antes que qualquer um se aproximasse do estábulo. Já galopávamos pelos campos escurecidos pela noite de outono.  Os cavalos negros Macmillan eram rápidos. A pelagem escura desaparecia na mata. E os olhos vermelhos dos animais que mais pareciam máquinas de corrida devam a cena do nosso galope sincronizado um momento digno de uma pintura. As celas douradas vez ou outra refletiam alguma luz. Justin e Maximus lideravam o caminho. Eu e Jason o seguíamos cegamente e confesso que não tinha noção alguma de para onde estávamos indo. Ao contrário de mim, Justin mantinha uma expressão dura e decidida e nos guiava pela floresta como se a conhecesse a anos. Escuto um som alto e percebo que algo está nos seguindo.


—Tem alguém atrás de nós—digo.

—Eu sei—foi a única coisa que Justin respondeu.


Jason ao meu lado parecia alheio a tudo e sua feição entregava que ele estava passando mal. Não queria admitir mas sentia pontadas abaixo da costela que julguei ser consequência da facada. E Justin parecia consciente do fato de que ele era único capaz de sobreviver em uma luta. O som dos galhos se quebrando com o peso de algo se tornava cada vez mais próximo. E meu cérebro parecia em completo alerta. Sem pensar desvio minha atenção do caminho para vascular entre as árvores atrás do nosso inimigo invisível. Inicialmente meus olhos não conseguem definir nada  e então consigo ter o deslumbre de algo branco. Inexplicavelmente sinto alívio me dominar ao identificar a figura do cavalo branco. Demônio nos seguia mas não estava montada por ninguém. Sorri.


—Justin, é demônio, o cavalo—disse pensando em reduzir para que ele nos alcançar, mas Justin não pareceu disposto.


—Esqueça o cavalo, há sete carruagens com guardas a menos de 3 quilômetros de nós— ele disse e sua precisão me espantou. Realmente Justin sabia o que estava fazendo.


Graziella Taylor


Nós fomos convocados pelo ciclo. Então me juntei a Pietro no gran salão.


—Estamos aqui, senhoras e senhores, porque nesta manhã fomos informados do assassinato de William Terceiro Boston. Ao que tudo indica Justin Drew Bieber foi seu assassino—o gran líder disse.


Houve comoção por todo o salão. Agora a convocação do ciclo fazia sentido. Balancei meu leque aguardando o desenrolar do comício. E observei os murmúrios agitados dos nobres ao meu redor.


— Silêncio, agora a palavra a atual líder da família Boston, Anastasia— o gran líder disse.

—Senhores, eu devo dizer que os Boston receberam o futuro rei com muito esmero. Fizemos um cronograma diversificado e buscamos acolher o casal real da melhor forma possível. Porém,  fomos apunhalados pelas costas durante as festividades de ontem à noite. Eu estou desolada e peso humildemente que o criminoso pague por seus atos independente de sua posição de privilégio—Anastasia chorava a medida que as palavras saiam de sua boca.


Terrível! Ouvi alguém dizer na plateia.


—Vamos ouvir a defesa, primeiro senhorita Anastasia—O gran Líder disse.

—como pode ver gran líder os Bieber não mandaram nenhuma defesa— Anastasia disse dando de ombros.


Vasculhei com o olhar o salão incrédula. Assim como muitos, e novos sussurros percorreram o salão.


—Aí que você se engana minha cara—vejo então o belo Bieber desfilar até o centro do salão—Meu irmão tinha alguns assuntos para resolver, mas estou aqui para apresentar sua defesa—Jason disse exibindo os dentes perfeitos e causando suspiros na plateia.

—O que seria mais importante que sua honra?—Anastasia questiona.

—Protesto gran líder isso não tem relevância perante este tribunal. Gostaria de lembrá-la minha cara de que a lei não diz em artigo algum que o Bieber acusado deve se apresentar na primeira convocação. E sendo esta a primeira, e creio eu a última convocação, eu posso perfeitamente representá-lo—Jason rebateu.

—Bem, sendo assim explique Bieber o que motivou o seu irmão a assassinar brutalmente meu amado marido—Anastasia disse levando a mão a face como se em dor profunda.

—Eu alego, legítima defesa!—Jason disse.

—Defesa? Eu tenho vários cidadãos que provam que a vida dos Bieber jamais foi ameaçada em minha propriedade—Anastasia disse.

—Tragam a testemunha—o gran líder disse.


Naquele momento foi ao centro do ciclo um senhor de meia idade.


—Este é Alfred, mordomo na família Boston a anos e também nos acompanhou integralmente nas atividades da manhã. Questiono-lhe caro senhor. O que foi feito com os Bieber durante amanhã do fatídico dia?—Anastasia disse drasticamente.


—Os acompanhei ao Museu, passeamos pela cidade capital e assistimos uma peça de teatro, era “ Romeo e Julieta” se não me engano— Alfred disse.

—Os Bieber pareceram incomodados ou acuados em algum momento?—o líder perguntou.

—Não senhor—Alfred disse.

—A defesa tem alguma pergunta?—o gran líder questionou.

—Não, gran líder—Jason disse.

—Próxima testemunha—o promotor disse.


Foi quando uma senhora caminhou até o centro.


—Está é Margarete, uma camponesa, quero dizer que é uma mulher honesta e trabalhadora. Margarete na tarde do dia em questão nós levamos o casal real para que conhecessem a economia local, como manda o protocolo, descreva o estado de espírito de ambos—Anastasia disse.

—Ambos pareciam se divertir muitíssimo, tinham um ar leve. Se me permite dizer são um belo casal. Jovem e animado—ela disse.

—O que quero que me diga Margarete é se eles pareciam ter recebido alguma ameaça— Anastasia disse.

—Oh, não, de jeito nenhum. Eles estavam um pouco molhados por brincar no lago mas só—ela disse e nossos sussurros percorreram a plateia.

—Eu terminei—Anastasia disse e um sorriso vitorioso brilhou em sua face.

—Alguma pergunta Bieber?— o promotor questionou.

—Não, senhor!—Jason disse. Aparentando ansiedade.

—Bem, devo trazer algum dos muitos habitantes presentes na festa da colheita ou já trouxe depoimentos suficientes que provam que os Bieber não podem ter se defendido se a suas vidas jamais foram ameaçadas—Anastasia disse se exibindo no centro do ciclo.

—Tem algo a apresentar, Bieber?— O gran líder deu um olhar pesado e severo ao Jason.

—Só uma coisinha— Jason fez sinal de diminutivo. 


Jason pegou um pacote e entregou ao gran líder.


—Explique do que se trata— ele disse.

— Com muito prazer—Jason praticamente deslizou pelo salão para o centro do ciclo—boa tarde, nobres colegas. Devo dizer que é um infortúnio revê-los em tal situação. Então sejamos diretos. O objeto que entreguei ao Gran Líder se trata de uma adaga de prata. Objeto este que possui em seu corpo desenhos, não qualquer desenhos, mais formatos belíssimos de rosas. Se isso lembrou a vocês da família Boston não foi à toa. Já que uma pesquisa rápida é mais que suficiente para saber que a adaga, já que é feita de prata não foi concebida em terras de Storm Hill. Ela foi retirada das jazidas de Gronstem e é um presente dos Macmillan ao casal Boston, que foi dado claro em seu casamento. Quem se lembra? Vamos gente estávamos todos lá no dia—ouve uma nova comoção na plateia. Que subitamente parecia agora concordar com Jason.


—Mas meus caros colegas devem se questionar como tal objeto está sobre minha pose agora? Simples o objeto foi tirado das mãos do agressor por meu irmão momentos após o ataque a minha cunhada na Mansão Soprano. Local histórico na cidade capital de Storm Hill. Que apenas é usado durante as festas anuais da colheita, onde serve de casa dos horrores ou spooky house. Fato esse que pode ser confirmado por qualquer cidadão e pelo documento que permitia a família Boston o uso exclusivo do local na noite de ontem. Mas questiono-me como o agressor poderia dispor de uma lâmina Boston e estar num ambiente exclusivo para os Boston se não fosse membro da família ou tendo permissão da família? Bem, na realidade não pode. Principalmente porque na adaga apresentada foi gravado o nome de seu dono “Anastasia”. Claro que um objeto de uso pessoal, o fato pode ser confirmado pelo mordomo da família. Não é mesmo Alfred?— Jason disse e vi o senhor de idade ficar pálido.


—Como se defende senhorita Anastasia?—O gran líder disse.


Anastasia ficou pálida.


—Claro que eu não ataquei ninguém, sou incapaz de cometer um ato tão bárbaro— a mulher disse.

—Então devo presumir que seu marido que era o único que também possuía a chave da caixa de prata que trancava a adaga, foi quem pegou e  utilizou naquela noite—Jason disse.


Um silêncio se instaurou.


—É possível—Anastasia concluiu entre dentes.

—Pergunto agora a você Gran Líder, minha cunhada foi atacada. Ao seu lado seu marido vê a cena e sem saber o que fazer ataca o agressor. No fim o pobre coitado acaba morrendo mas no escuro da casa de horrores não tinha como meu irmão avaliar bem a situação. Ele agiu para salvar a vida da esposa. Me diga como se carateriza o evento?—Jason disse se sentando em uma das cadeiras vagas no jure. Exalando confiança.


—Legítima defesa. Eu declaro caso encerrado—o gran líder disse.


Ninguém pareceu questionar. Pelo menos não diretamente. E aos poucos todos foram abandonando o gran salão.


No fim, não importava todo aquele julgamento. A verdade é que tinham muitos que estavam infelizes com o desenrolar da história e como nosso novo rei estava chegando ao trono. Era questão de tempo para uma guerra explodir e a pergunta pairando no ar era. Quem ficaria de cada lado?


Notas Finais


Espero que tenham gostado. E vou passar a deixar perguntinhas nesse espaço final.

O que acharam do Julgamento? E a tal da Graziella vocês acham que será amiga ou inimiga?

Lembrando que o personagem na capa do capítulo é a Anastasia.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...