1. Spirit Fanfics >
  2. A noiva >
  3. Boston

História A noiva - Capítulo 9


Escrita por: Lari_a

Notas do Autor


Bom diaa,
Espero que gostem do capítulo.

Capítulo 9 - Boston


Fanfic / Fanfiction A noiva - Capítulo 9 - Boston

—Acredito meu filho, que o melhor seja deixar que nossos convidados descansem—Uma madame alta e velha disse. Lembrava a madrasta da Cinderela—Não queremos ser grosseiros com o futuro rei—ela disse exibindo um sorriso quase irônico.

—Alfred! Leve os convidados para seus aposentos—a mulher disse.


Um mordomo alto e magro apareceu em segundos. E nos guiou para longe. O castelo era bem decorado e grande, apesar de menor que o nosso e possuía menos ouro também. Mas era bonito e elegante. 


—O quarto do monsieur—o homem disse em referência a Jason. 

—Agradecido—Jason disse entrando na porta de forma cordial.


Seguimos o mordomo por mais alguns corredores. E paramos em frente a uma porta dupla.


—O quarto do casal, a suíte master— o mordomo sorriu ao terminar de falar.


Um quarto? Espera ficaremos juntos. Justin entrou no quarto sem dizer uma única palavra.


—Obrigada— disse antes de segui-lo. 


Ao entrar o encontro começando a se dispir. Rapidamente levo a mão aos olhos. O que eu estava esperando afinal? Somos casados, é natural. Quer dizer quando a viajem foi anunciada não me ative a esse detalhe. E realmente havia me habituado a nossa vida de casal peculiar.


—Não precisa se preocupar. Eu não vou tocar em você— a voz rouca e controlada de Justin me fez tirar a mãos dos olhos.

—Não vai ?—questionei e meu olhar foi para seu tronco nu. Ele ainda usava as calças, mas minha visão ficou petrificada em seu abdômen definido. A guerra lhe fez bem. 


Que raios estou pensando?! Forcei meu olhar a voltar para sua face. Onde tive o vislumbre de um sorriso divertido que desapereceu rapidamente sem deixar vestígios. 


—Fique com a cama— ele disse e começou a arrumar um pequeno sofá que estava ali com cobertas.


—Obrigada—disse.


As nossas malas já haviam sido entregues no quarto. Fiz meu caminho até minha mala e caçei nela algo confortável para dormir. Era uma tarefa difícil, pois todas as minhas peças pareciam reveladoras demais para a ocasião. Acabei pegando um vestidinho verde. Corri para a cama. E me senti idiota ao me esconder nas cobertas para me trocar. Assim que me vesti a vergonha me tomou. Era tolo agir daquela forma. No fim das contas ele era meu marido.


—Justin!—chamei tirando a cabeça das cobertas. 


Ele permanecia de costas para mim sentado no sofá.


—Sim—ele respondeu parecendo distante.

—Você pode dormir na cama se quiser—disse. E torci para receber uma resposta positiva.

—Não se preocupe comigo—foi a única coisa que ele disse.


Eu esperei que ele mudasse de ideia. O tempo foi passando e ele continuava ali, sentado no sofá. O vi levantar e ir ao banheiro. Mas ele não veio para cama quando voltou. Acabei dormir sem vê-lo ir dormir. Acordei horas mais tarde. Não sabia que horas eram, porém ainda estava a noite, porque via a lua pela janela. Justin permanecia sentado no sofá. Parte do corpo coberta, entretanto bem longe de qualquer definição de sono. Ele sempre teve grandes olheiras sob os olhos. Porém, até aquele momento eu não tinha me tocado que Justin não dormia a um bom tempo. Vez ou outra seus olhos se fechavam, mas tornavam a se abrir em segundos em uma expressão alerta. Parecia em transe, ou algo do tipo. Como uma luta interna entre seu corpo cansado e a mente perturbada e alerta.


—Você está bem?— questionei me levantando da cama.


Minha palavras não pareceram ser compreendidas. Já que ele não demostrou reação alguma a elas. Então com certo receio toquei seu braço de forma carinhosa. Seu olhar se direcionou a mim, mas ele não disse nada. E seus olhos se fecharam novamente. Segundos de silêncio. E pareceu que um espasmo percorreu seu corpo. Um pesadelo? E seus olhos alertas se abriram novamente.


—Que?—ele disse. 


Estava visivelmente cansado. E parecia alheio ao que acontecia ao seu redor. Apenas em um lapso de consciência.  Senti-me comovida em vê-lo daquela forma. Algo grave devia lhe atormentar. O esperado de um homem que passou tanto tempo na guerra. Inicialmente não soube o que fazer. No fim, agi por impulso.


—Vem—Disse autoritária o guiando para cama.


Justin estava mole e foi relativamente fácil guia-lo para cama. E quando chegamos, eu o ajudei a se deitar. Alisei seus cabelos loiros de forma carinhosa, retirando os fios rebeldes de sua testa úmida de suor. 


—Eles vão nos pegar—sua voz parecia preocupada.

—Ninguém pode pegar você aqui, Justin. Eu não vou deixar—disse segurando sua mão tentando transmitir confiança.


Alguns segundos de silêncio se estabeleceram entre nós. Onde meus olhos passeavam pela sua face harmônica e encantadora. E os seus faziam o mesmo.


—Você é tão linda—ele disse acariciando minha bochecha com o polegar. Esse simples comentários me acendeu como luzes de natal.

—Durma um pouco—disse o cobrindo, ciente de que provavelmente ele se quer se lembraria desta conversa no dia seguinte.


Quando seus olhos se fecharam, demorei alguns minutos para decidir se deveria ir para a poltrona próxima ou assumir seu antigo lugar no sofá. Entretanto, nossas mãos entrelaçadas me impediam de ir longe sem acorda-lo. Acabei por fim, deitando cuidadosamente e dormindo ao seu lado.


[...]



No dia seguinte, acordo sentindo algo me prendendo. Ao abrir os olhos, percebo ser os braços de Justin que envolviam minha cintura. E inicialmente quase morri do coração. Mas quando ele ameaçou acordar. Resolvi que o melhor era aproveitar aquele momento.  Deixando que meus olhos viajassem pelo seu corpo esbelto e sua face angelical. Esforcei-me para gravar cada traço de sua face e eternizar o momento em minha memória.


Justin Bieber


Quando acordei, vi o corpo frágil e belo de Stefany em meus braços. Tão encantadora em seu sono profundo que me recusei a me mover para não acorda-la. E então fui inundado de culpa. Como pude dormir em um lugar tão perigoso. Na minha posição atual, minha cabeça e a de Stefany estão a prêmio. Porém, tive o estalo de consciência, ontem eu realmente dormi. Após cerca de 1 ano vivendo sobre cochilos rápidos. Eu entrei em sono profundo. Sentia-me estranhamente revigorado e enérgico. Quase como se tivesse sido lavado de tudo de ruim que me assombrava. Meu olhar foi de encontro do rosto tranquilo e angelical de Stefany que babava em sono profundo, com dedos ainda entrelaçados aos meus. Contive um riso. E por um segundo me questionei “está mulher, poderia realmente possuir alguma habilidade mágica?” Eu realmente havia dormido e devo dizer que não me sentia tão bem em anos. Estes questionamentos me atormentaram. Mas resolvi pelo menos por mais algumas horas esquecê-los e dormir mais um pouco. A puxei para mais perto a envolvendo em meus braços. Deixando-me levar pela ideia de que éramos um casal normal, unidos por amor. Não que eu acredite em amor ou em qualquer bobagem do tipo. Talvez aquele ato fosse mais egoísta do que amoroso. Acho que no fundo só queria arrumar uma forma de usufruir de seu poder mágico se realmente houver algum.



Stefany Bieber


Em algum momento, enquanto admirava a beleza de Justin acabei dormindo. E quando acordei horas mais tarde ele não se encontrava mais no quarto. Então segui para o banheiro. Quando voltei notei sobre a poltrona uma peça de tecido. Ao me aproximar vi que se tratava de um vestido negro. 

Pego a peça admirada. E o visto. Quando termino de me arrumar analiso minha imagem no espelho. O vestido longo tocava o chão, o tecido negro pesado se mantinha quente, parecia de um tecido resistente à água o que ajudaria no tempo chuvoso. Por fim, ao redor do pescoço estavam fios de ouro que lembravam uma juba de leão. Usava uma tiara de ouro com um grandioso diamante. Apenas o vestido parecia uma grande afronta aos Boston. Como se gritasse que leão estava no trono. A porta foi aberta e a figura de Jason surgiu.


—exatamente como eu imaginei. Fantástica—ele sorriu.

—Acho que não agradará os anfitriões— disse.

—Não estamos aqui para agradá-los— ele disse e sorriu travesso.


Por algum motivo sorri de volta. Sentindo a confiança e a adrenalina em minhas veias. Estava animada para ver a cara dos nossos amigos Boston ao me ver. 


Notas Finais


Obrigada novamente a todos os comentários. E a todos os favoritos. Se você lê a fic todos dia, plss favorite.
Bjss.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...