1. Spirit Fanfics >
  2. A Noiva do Meu Irmão (Imagine Kim Jisoo) >
  3. O começo de tudo

História A Noiva do Meu Irmão (Imagine Kim Jisoo) - Capítulo 1


Escrita por: hyewooz e hyeojin

Notas do Autor


Estou repostando minhas estórias inacabadas, porque eu pretendo terminar todas esse ano para trazer mais novidades a vocês, espero que entendam

Capítulo 1 - O começo de tudo



  Go (SeuNome) point of view



    Flashback on


  Já faz um ano e meio que meu pai faleceu, e minha mãe, junto com meus irmãos, se mudaram para Seoul mas, eu acabei preferindo continuar na minha cidade de origem, Daegu. 


  Durante esse tempo eu optei por não saber notícia sobre eles, no caso, notícia sobre minha mãe. Eu não tenho uma relação muito boa com ela, já com meus irmãos, Chanhyuk e Haenim, é totalmente ao contrário, nós três nos damos tão bem. Graças a isso, Chanhyuk me convidou para o seu casamento. Eu ao menos sabia que ele estava noivo, porque ele nunca tocou no assunto sobre estar em um relacionamento. Isso foi uma grande surpresa para mim, pois meu irmão sempre preferiu focar em sua carreira como advogado, então ele nunca tinha tido um relacionamento com alguém por achar que isso poderia interferir na sua ocupação. 



 Minha mãe não gostou nem um pouco de saber que eu viria para o casamento do Hyuk, mas ela teve que me engolir para não ter escândalos. A noiva do meu irmão é uma pessoa muito importante no mundo da moda, qualquer mísera coisa que acontecer por aqui vai parar na mídia. Segundo Chanhyuk, tem alguém próximo da família que conta para imprensa tudo que acontece na casa com intuito de acabar com a carreira de sua noiva, mas até hoje ninguém descobriu quem é o tal. 









—  (SeuNome), você veio! 



  Vejo-o descer as escadas acompanhado por Haenim, que vestia seu uniforme escolar. 



— Chanhyuk, óbvio que eu viria, não perderia o casamento do meu irmão por nada. - sorrio. 



— (SeuApelido), que saudades. - minha irmã desceu correndo as escadas, ultrapassando Chanhyuk, logo vindo me abraçar. 



— Também estava com saudades, Nim. 



— Não está na hora de ir para escola, Haenim?! - argh! Essa voz. 



  Esse tom de autoridade. Seu olhar de julgamento sobre mim. 


  Era muito bom para ser verdade. 




— Tudo bem, mãe. - abaixou a cabeça - Preciso ir, unnie. Nos vemos mais tarde? - fixa seu olhar tristonho aos meus, e eu assenti.



— Você não cansa de tratá-la assim não, Yujin? - enfrento a mais velha, vendo-a franzir a testa. 



— Por Deus, (SeuNome)! Eu sei como educar minha filha, principalmente para que ela não se torne uma rebelde como você se tornou. - me olhou com desprezo. 



  Tudo bem, a frieza que minha própria mãe me trata não me afeta há tempos. A relação que eu tinha com minha mãe antigamente era totalmente diferente da maneira que ela me trata hoje em dia. Ela sempre me controlava, alegando que estava fazendo isso para o meu próprio bem, mas com o tempo percebi que era isso que me impedia de ser quem eu sou hoje, uma pessoa totalmente independente e com um futuro promissor.



— Venha, (SeuNome), não quero que você e a mamãe briguem antes mesmo do dia do meu casamento. - Chanhyuk me puxou pelo braço, me levando até o quarto que ficarei. Eu realmente não queria ficar hospedada no mesmo teto que minha mãe, mas meus irmãos imploraram tanto que eu acabei concordando com essa ideia louca - Daqui a pouco Jisoo chegará para irmos provar o buffer do casamento. Estou tão ansioso para vocês se conhecerem. 



— Ela deve ser uma garota de ouro pelo jeito que você a descreve. Você a ama muito, não é Hyuk?



— Você não tem noção, (SeuApelido). Graças a ela eu consegui correr atrás dos meus sonhos. - o mais velho sentou-se na beirada da cama - Eu não sei o que faria se ela me deixasse algum dia. 



— Eu ainda não a conheço, mas eu sei que ela deve te amar muito e que nunca irá te machucar. - sentei-me ao seu lado, o abraçando de lado - Mas se um dia ela fizer isso com você, eu juro que ela terá que se ver comigo. - cerro os punhos fazendo meu irmão rir. 



  Eu sei que o irmão que tem essa fama de protetor é o próprio Chanhyuk, por ser nosso irmão mais velho ele sempre protegeu a mim e a Haenim, mas eu não consigo pensar na ideia da vida dele ser estragada por causa de uma decepção amorosa. Só de pensar nisso meu sangue ferve. 



— Por acaso vocês estão falando de mim? - uma jovem moça aparece encostada no batente da porta. Em seu rosto estava estampado um sorriso de tirar o fôlego. 



  Céus! Alguém pode me dizer se ela é real?



— Meu amor! - Hyuk dá um pulo para fora da cama indo em direção à mulher, depositando um selinho casto nos seus lábios - Jisoo, esta é a minha irmã, (SeuNome). 



— Olá, (SeuNome). Chanhyuk fala muito sobre você. - sorri gentil, estendendo sua mão para que eu apertasse.  



— Fala muito sobre mim, é? - arqueio uma sobrancelha - E isso é bom?



— Sim, ele tem muito orgulho de você. - olha para o noivo ainda sem tirar o sorriso dos seus lábios. 



— Desculpe por não ter falado isso antes. - coça a nuca envergonhado - Mas você me orgulha muito. 



— Fico feliz que alguém nessa família tenha orgulho de mim. 



  Essa é a primeira vez que ouço alguém da família ter orgulho de mim. Normalmente sou julgada por Yujin o tempo todo, segundo ela, eu sou uma péssima influência para Haenim e por isso ela tenta me manter afastada da minha própria irmã o máximo.




— Suas artes são realmente incríveis. 



— Hum, arte? - pergunto confusa. 



— Você é realmente muito distraída, exatamente como Chanhyuk descreveu. Você ao menos nem reparou que ele já desceu. - ri. 



  Olho para trás de seus ombros confusa. Uau! A presença dela está começando a mexer com a minha sanidade. Eu fiquei tão inerte aos meus pensamentos e com a sua beleza que nem reparei que Hyuk nem estava mais aqui. 



— Oh, sente-se. Me conte um pouco sobre você. - dou espaço para que ela entrasse no quarto. 



— Não sou muito interessante. Eu apenas sou modelo. - dá de ombros - Você faz quadros incríveis, sabia? 



— Ah. Obrigada. - esboço um sorriso. 



— Eu queria dar um presente para o seu irmão. - muda de assunto - Então pensei... porque não dar um quadro com o meu retrato pintado pela irmãzinha querida dele. 



  Arregalo os olhos. Ela me acha tão talentosa a ponto de querer dar um auto-retrato pintado por mim para meu irmão?



— Nossa! Eu estou um pouco surpresa. - levo minhas mãos até meu cordão, puxando a joia para tentar acalmar o nervosismo. 



— Então, você vai fazer? - aproxima o seu rosto ao meu, me fazendo corar levemente. 



— T-tudo bem, eu faço. 



— Que ótimo! Obrigada, (SeuNome). - Jisoo pulou da cama me assustando - Eu preciso ir, senão Hyuk-ah ficará bravo comigo. Até, foi um prazer conhecê-la. 



    Flashback off






  Certamente eu não deveria ter aceitado o pedido dela. Eu acabei caindo na lábia da morena e agora estou apaixonada, mas infelizmente não posso tê-la porque ela não é minhae sim a noiva do meu irmão. 




  Eu sei que não nos conhecemos nem muito tempo, mas  nesses dias eu percebi que desenvolvi um sentimento muito forte por ela. Talvez eu já devesse estar apaixonada desde que a vi pela primeira vez. O típico amor à primeira vista. 




  Deus, por que isso teve que acontecer logo comigo? 







    Flashback on



— (SeuNome), eu tive uma ideia para a pintura. - Jisoo apareceu no quarto com as coisas que eu havia pedido para ela trazer. 



— Ótimo! Como você quer que seja a pintura? - vou até a morena e pego algumas coisas, ajeitando em um canto qualquer do ambiente. 



— Sem roupas. - arregalo os olhos. 



— S-sem roupas?! - começo a rir de nervoso tendo o olhar sério dela sobre mim. 



  Minha nossa! Pelo visto ela não está brincando. 



— Sim. Você fala como se fosse algo anormal. Ele já me viu nua antes, então, acho que não tem problema. - dá de ombros, como se aquilo não fosse grande coisa. 



— V-você tem certeza? - pergunto um pouco apreensiva de sua resposta. 



— Se você não quiser fazer tudo bem, eu posso arranjar outra pessoa. - me olha com um olhar tristonho. 



  Ela realmente sabe como convencer alguém sem fazer muito esforço. 



— Não! Eu faço. Sem problemas. - encaro o chão envergonhada, enquanto brincava com os meus dedos. 



— Muito obrigada, (SeuNome)! - sou surpreendida por um abraço apertado e um beijinho depositado em minha bochecha - Mais tarde eu volto para começarmos a pintura. 





          [...]




  Arrumava as coisas para que ficasse ao meu alcance os objetos de pintura para quando Jisoo chegasse. 



  Falando nela. Acabou de chegar. Está vestindo apenas um roupão. Merda! Eu esqueci completamente que ela vai pousar nua. Céus! Porque comigo?





— Está tudo pronto?! 



  Engulo em seco, e logo concordo com a cabeça.  



— Ótimo! Aonde fico? - franzo o cenho - Estou me referindo onde que eu vou ficar para você me pintar. 



  Balanço a cabeça negativamente, tentando afastar qualquer pensando impuro que invadia minha mente neste momento embaraçoso. 



— Pode ficar ali. - aponto para cama. 



  A morena sentou-se na cama e retirou o roupão, dando a visão do seu corpo nu. Confesso que não consegui tirar meus olhos dela, até que a mesma percebeu. 



— Perdeu algo? - cravou suas orbes em mim, com seu olhar debochado, me fazendo estremecer por inteira. 



— N-não.. é que - gelei assim que a mesma se levantou e veio em minha direção. Eu tentava de todas as formas evitar olhar para seu corpo, mas era inevitável. Ela por acaso era a filha de Aphrodite?



— Não sei porquê mas, você andou chamando minha atenção desde ontem. Seria errado eu querer te beijar agora? - arregalei os olhos, enquanto assentia com a cabeça repetidamente, e a Kim soltava uma gargalhada gostosa - Você é tão atraente... - seu rosto estava muito próximo que era inevitável não olhar para os seus lábios. 



  Céus, ela estava tão próxima. Sinto sua boca gélida em contato com a minha. Eu poderia ter separado nossos lábios se eu não tivesse sido tomada por esse desejo idiota. Apertei sua cintura, fazendo-a arfar durante o beijo, aproximando mais ainda seu corpo ao meu. O beijo foi se intensificando mais, após ela colocar sua língua para dentro da minha boca nossas línguas se enroscavam uma na outra, sua mão curiosa apalpou meu seio fazendo com que eu soltasse um gemido durante o beijo, que foi quebrado assim que a falta de ar veio presente. 



— Wow! Isso foi bom. 



— Sim, foi, mas mesmo assim foi errado. - empurro seu corpo para longe do meu, me dando conta do que acabou de acontecer e abraço meu próprio corpo. 



— Eu pensei que-



— Seja lá o que você pensou, pensou errado. Eu nunca ficaria com a noiva do meu irmão. De jeito nenhum. - balanço a cabeça em negação. 



  Jisoo revira os olhos. 



— Pelo visto você é a única certinha da família, mas eu pretendo mudar isso. - foi em direção à porta e a trancou - Eu preciso que você me toque..



  Ela veio até mim e me beijou novamente, um beijo lento dessa vez. Como eu estava totalmente paralisada, ela pegou minhas mãos levando-as para sua cintura e sem pressa levou as suas para minha cabeça. 



— Você tem certeza disso? - pergunto, assim que cessamos o beijo. 



  Eu sei que não deveria querer continuar com isso, mas o que posso fazer se o desejo de tê-la em meus braços estava aumentando. 




— Absoluta! - respondeu decidida. 



  Espero não me arrepender depois. 


  Guio Jisoo até a beirada do colchão, sentando no seu colo deixando uma perna para cada lado, começando a distribuir beijos pelo seu pescoço. Como ela já estava nua, facilitou bastante o meu trabalho. 



— Huh? Você não vai tirar sua blusa? - Jisoo perguntou, com o cenho franzido. Não respondi nada apenas levantei meus braços para que a morena retirasse meu blusão tendo a visão do meu sutiã bege. 



  Eu encarava seus seios que já estavam com o mamilos enrijecidos, tendo o olhar malicioso de Jisoo sobre mim. Sem pensar duas vezes, abocanhei minha boca em um dos seus seios enquanto apertava o outro com a mão fazendo a Kim gemer descontroladamente, sendo como músicas para meus ouvidos. 



— Hum.. e-eu p-preciso de v-você lá e-embaixo... Ah! - praticamente implorava por meio de gemidos, empurrando meus ombros. 



  Sendo assim. Como Jisoo estava na beirada da cama, eu só me ajoelhei diante dela levando meus lábios até sua intimidade, deixando um beijinho lá, e logo adentrando dois dedos em sua entrada. 



— Ah.. M-meu Deus! - movimentava meus dedos lentamente em sua intimidade, enquanto observava a Kim fazer as expressões mais pornograficas. Fazia movimentos de vai e vem, lentamente a torturando. Jisoo movimentada seus quadris buscando por mais contato, até que eu passei a ir mais rápido fazendo ela soltar um gemido alto. Suas pernas bambearam e eu senti seu íntimo apertar meus dedos, até eu sentir seu líquido viscoso escorrer pelos meus dedos. 



— Isso foi muito bom. - a morena se ajeitou na cama. 



— Mesmo sendo rápido? - arqueei uma sobrancelha. 



— Sim, mesmo sendo rápido. Afinal, não será nossa última vez. - deixou um selinho em meus lábios. 



    Flashback off






  Jisoo dormia tão serenamente, mesmo depois do que fizemos ontem a noite nesta cama. Um sorriso involuntário brotou em meus lábios, e novamente o tal pensamento voltou a atormentar minha mente: “Por que ela tem que ser a noiva do meu irmão?”


  Como eu poderia descrever Kim Jisoo? Seus cabelos negros, sua pele pálida e macia, seus lábios carnudos, não tem muito o que dizer, ela é simplesmente perfeita. Agora entendo perfeitamente o porquê Chanhyuk se apaixonou por ela. 



  Me levanto da cama com cuidado para não acordar a morena, mas talvez isso foi meio em vão, já que ela acordou bem na hora.  




— Já está acordada? - diz um pouco sonolenta. 



— Eu preciso ir. Meus irmãos vão me encher de perguntas sobre onde eu dormi. 



— E você já sabe o que vai responder caso eles perguntem? - morde os lábios. 



— Sim. Eu conversei com a Jennie, ela disse que não tinha problemas em falar que dormi na casa dela, caso eu precisasse. - comecei a recolher minhas roupas do chão. 



— Jennie?! - me olha espantada - Então você conhece essa garota? 



— Uhum. Crescemos juntas em Daegu. - respondo simplista - Você também conhece ela?



  Ela olha para um canto qualquer e suspira. 



— Ela é amante do seu irmão. - foi direta.



—Amante?! - gargalho - Hyuk nunca teria uma amante, ele não é um homem desse tipo. 



— Eu sei que ele é seu irmão, então isso é meio difícil de acreditar, mas eu não estou mentindo, eu juro. 



  Olho incrédula para ela. 



— Se você sabe que ele te trai, porque não termina logo com esse casamento fajuto. - Jisoo me olha pensativa por alguns segundos, provavelmente estava tentando reformular uma resposta. 



  Mas algo chamou minha atenção, que por um momento pude ver algum brilho nos seus olhos. 



— Eu não posso, eu o amo. Não entregarei ele de bandeja para a Jennie. - desviou o olhar do meu. 



  Bufo. Era muito bom para ser verdade. Afinal, se ela o ama, porque continua se encontrando comigo? Jisoo é tão misteriosa às vezes, talvez todo esse mistério me deixa ainda mais apaixonada. 



— Mas você pode amar outro alguém. 



— De novo essa história, (SeuNome)?! Eu já disse que não vamos ter nada sério. Isso é só uma vingança contra Chanhyuk. 



  Ou apenas eu seja seu brinquedinho de consolo



— Desculpa, Kim, mas não posso continuar traindo a confiança do meu irmão desse jeito. 



  Deveria ter falado isso desde aquele dia, que foi como tudo começou. 



— S-sobre o que você está falando? - perguntou com um certo receio. 



— Eu não quero continuar mais assim. Eu sou a única que está saindo machucada nesta relação, você ao menos se importa com isso, você só quer prazer e vingança. 



— Você tem certeza? - levanta da cama tentando se aproximar de mim, mas eu recuo um passo. 



— Amanhã é o seu casamento, não podemos continuar. - me virei de costas. Não posso deixá-la ver às lágrimas que insistiam em rolar pelos meus olhos - Saiba que amanhã mesmo, depois da cerimônia, irei voltar para Daegu, então nunca mais nos veremos



  Sinto suas mãos geladas afastarem meu cabelo que tampava meu pescoço. Seu hálito quente estava contra minha nuca, e ali ela deposita um selinho. 



— Me desculpe por te ferir, espero que você se sinta melhor se afastando de mim. - sinto seu corpo se afastar do meu e mais lágrimas rolarem pelo meu rosto. 





  Entrei no banheiro que tinha no quarto e deixei o restante das lágrimas rolaram pelo meu rosto. 



  Se eu tivesse impedido seus toques naquele dia nada disso estaria acontecendo hoje. 



   Certo? 



  Por que eu me deixei ser guiada por um desejo idiota?



Notas Finais


O primeiro capítulo dessa vai continuar o mesmo, mas a segunda parte eu mudei algumas coisinhas :))


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...