História A Noiva do Meu Melhor Amigo - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Xerife Graham Humbert (Caçador), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Emma Swan, Morrilla, Once Upon A Time, Regina Mills, Swanqueen, Swen
Visualizações 273
Palavras 1.238
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 17 - Betrayal - Traição


 

A maior parte de nossas feridas podem sarar, deixando nada além de uma cicatriz. As pessoas possuem cicatrizes, que estão em todos os tipos de lugares inesperados.Mas algumas não curam. Algumas feridas podemos carregar conosco a todos os lugares, e embora o corte já não esteja mais presente há muito, a dor ainda permanece.

O que é pior, novas feridas que são horrivelmente dolorosas ou velhas feridas que deviam ter sarado anos atrás mas nunca o fizeram? Talvez velhas feridas nos ensinem algo. Elas nos lembram onde estivemos e o que superamos. Nos ensinam lições sobre o que evitar no futuro. É como gostamos de pensar. Mas não é o que acontece, é? Algumas coisas nós apenas temos que aprender de novo, e de novo, e de novo…

Cada cicatriz que temos é a confirmação de que uma ferida sara. Cicatrizes são marcas de superação que só uma verdadeira guerreira possui.

 

Regina Mills - 2018 - Nova York

.

..

...

..

.

Estávamos deitados na sala, eu no sofá e Killian em uma cama improvisada que fizemos no chão. Quando ele me acorda e fala:

- Geralmente amigos que se conhecem desde criança, se separam quando crescem, fico feliz que a gente não.

- Também acho. - Falo dando um sorriso.

- Nunca vai acontecer, né?

- Não! - Falo

- Que bom, pois eu acho que ninguém me conhece tão bem como você. Nem mesmo a Emma. - Ele fala emocionado e algumas lágrimas escapam de seus olhos. - Eu acho que estou muito sensível esses dias, deve ser por causa do casamento. - Fala limpando as lágrimas.

- Claro! Mas por que você está dizendo isso agora? - Digo e ele fica um pouco em silêncio pensando e depois responde:

- Eu não sei. Mas parece que quando a gente vai se casar, começa a pensar nos momentos marcantes da vida. E você está em quase todos eles.

- Para mim também. - Falo olhando para cima e pensando em tudo. - Killian? - Falo olhando para ele que parecia estar dormindo. - Killian? Está me ouvindo?

- Sim. - Ele disse bem baixo, de olhos fechados.

- Eu preciso de contar uma coisa… uma coisa que eu fiz. - Começo mas ele me interrompe.

- Regina, eu te considero minha irmã de outra mãe. E nunca vou deixar ninguém te machucar, nunca. E você nunca deixaria ninguém magoar seu irmãozinho aqui, não é?

- Não. - Falo. Não tive coragem de falar mais nada, apenas virei para o lado e dormi.

 

Algumas horas depois...

 

- Regina! Regina?

- O que, Killian? - Disse me levantando e olhando para ele que estava de pé na cozinha, com um café na mão e com uma cara de preocupado, ansioso ou sei lá o que. - Bom dia. - Digo sorrindo.

- Acha que eu devo me casar com a Emma?

- O que? - Falo me sentando no sofá.

- Quero dizer, se você acha que é uma boa ideia? Ninguém me conhece como você e você meio que conhece a Emma também. E você é mais esperta que eu, em coisas acadêmicas, claro! Mas o que quero dizer… é… você não me deixaria fazer nada idiota, não é?

- Killian? - Falo me levantando e indo até ele.

- Não, é sério. Por que eu sou capaz de fazer muita merda. - Ele fala e eu o levo em direção ao sofá e nos sentamos. - Eu amo a Emma. Eu a amo, sim! E eu sei o que ela também me ama. Mas ela nunca conheceu ninguém como eu, por que eu não levo a vida muito a sério. O que é verdade, pois eu sempre acho que tudo vai dar certo no final, até porque, sempre seu. Então, eu deixo ela mais leve e ela… me deixa mais pesada, mas de um jeito bom. Isso faz sentido?

- Faz. - Falo olhando para ele.

- E o que você disse aquele dia para mim usar como voto de casamento. Eu sinto aquilo! Especialmente quando disse...ham? - Ele faz uma pausa, aparece pensar. - O que foi mesmo que você disse?

- Que a vida sem ela seria inimaginável?

- Sim, isso mesmo. Mas isso só é suficiente para me casar?

- Eu acho que… - Não sei o que falar.

- Acha o que? - Ele pergunta.

- Eu acho… Que…. você…. deve…. se casar com ela. - Falo devagar.

- Obrigado, por isso. - Ele me diz me abraçando. - Você é a melhor amiga do mundo. - Diz ele ainda no abraço. - Então tudo bem eu ter traído ela, só um pouquinho? - Quando ele fala nos separamos do abraço e eu arregalei meus olhos e falei:

- O quê?

- Aahh, foi de leve. Foi uma vez só. - Ele fala gesticulando.

- E com quem foi?

- Bom, foi com uma pessoa do trabalho. E não foi nada, você me conhece, foi só sexo. E eu me senti horrível, o que é um bom sinal. Então tudo bem, né? - Confirmo com a cabeça, me desculpem, eu não conseguia falar nada, estava impactada.

- Além disso, Emma não quer mais transar comigo desde antes o feriado. - Ele fala e eu coloco a mão na boca para tampar minha surpresa. - Estou tão feliz de tirar esse peso da minha consciência. Odeio me sentir culpado, odeio. Estou muito melhor agora.

 

---//---//---


- Ah meu Deus. Quando vai contar para ele? - Robin me pergunta e eu olho para ele com um sorriso irônico. - Quer que eu conte? Eu adoraria contar.

- Olha, isso não é da sua conta. E eu falei para o Killian se casar com ela e agora eu estou saindo de cena.

- Regina, ele te contou que trai ela. É a sua oportunidade, use isso.

- Robin, pare! - Falo brava.

- Eu não entendo. Não entendo como você deixa ele vencer toda vez.

- Nossa!

- Não, “nossa” nada. Se fosse ao contrário, acha que ele deixaria você ficar com ela?

- Quer para com isso? Robin, qual é o seu problema? Por que você odeia tanto assim o Killian?

-  Como assim? Eu não odeio. Só odeio que você cede para ele toda vez. Por que faz isso? Por que deixa ele ganhar?

- Por que é isso que o Killian faz! Killian ganha! Ele sempre ganhou. Ele vê as coisas, ele quer as coisas e ele consegue as coisas. - Falo brava, saindo da casa de Robin

- Regina , eu entendo. - Ele vem atrás de mim. - Você está em uma posição difícil, por gostar dela. Mas precisa fazer alguma coisa a respeito. Ela está sendo covarde e se ela te machuca, eu vou bater nela. E provavelmente vou apanhar, porque ela já fez aulas de muay thai.

- Eu tenho que ir trabalhar. Robin, já chega! - Falo continuando a andar.

- Eu sei! Essa é a questão. Chegue atrasada, melhor ainda, se demite. Pelo menos seria uma decisão sua, Regina! Você vai para o inferno de todo o jeito, então faça algo por você. Uma vez. Você merece ser feliz Regina!

- Não se intrometa! - Falo me virando e olhando para ele. - Isso me deixaria feliz, vou resolver meus problemas sozinha.

- Que ótimo, depois me conta como foi. - Diz ele indo embora.



 


Notas Finais


Até Breve.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...