1. Spirit Fanfics >
  2. A (nossa) verdade nua e crua >
  3. I know i'ts gonna be you.

História A (nossa) verdade nua e crua - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - I know i'ts gonna be you.


Rony se via confuso com o motivo de não conseguir levantar o olhar para Zabine, talvez o outro o deixasse intimidado? Ele sentia que não era isso, mas que outra explicação haveria?

"Ron... Acho que se a gente não se falar, não vai dar pra combinar onde faremos o nosso trabalho, certo?" Rony ao terminar de escutar a pergunta de Zabine franze as sobrancelhas na direção do mesmo.

"Você... Você me chamou do que Zabine?"

"Chamei de Ron... Além de tapado é surdo agora é?" Blaise diz com um tom de deboche e o ruivo revira os olhos cruzando os braços ao encarar o novo parceiro nas aulas.

"Fala assim comigo de novo querido e surdo quem vai ficar é você com o tabefe que eu vou te dar" Zabine faz uma careta com um sorriso de divertimento depois da fala do ruivo deixando um Rony confuso e emburrado "virei palhaço agora pra me olhar com essa cara Zabine?"

"Se você virou palhaço eu não sei, mas você fica uma gracinha com essa cara vermelha Ron, ficou muito gato" O moreno rebate ainda com o sorriso divertido e debochado no rosto.

"Credo Zabine, você soou muito gay agora" Rony diz rindo, o que na visão de Zabine havia sido um comentário apenas de brincadeira e não homofóbico. Mal ele sabia o quão errado estava.

"Engraçadinho" Blaise zomba logo parando de rir aos poucos e ficando com um singelo sorriso nos lábios "podemos fazer na Slytherin o que acha?"

"E eu entrar no ninho de cobrar por vontade própria? Ai Zabine, não sabia o quão iludido você era" o Wesley termina sua fala com uma risada forçada.

"Não vou revidar porque minha família me deu educação, mas fale assim da minha Comunal de novo que você verá que eu posso baixar o nível Weasley" Zabine rebate desfazendo o sorriso e colocando a típica expressão neutra no rosto, o que faz Rony se desesperar e se xingar de tudo que podia mentalmente, então tentando fazer o outro sorrir, ele tenta novamente.

"Fala sério Zabine, eu tenho certeza que você também não estaria animado para ser devorado por leõezinhos na minha Comunal... Mas podemos fazer na Slytherin sim, vocês são ricos, deve ter muita comida lá" ao terminar de falar percebe o moreno revirar os olhos e tentar esconder um mínimo sorriso no canto de seus lábios "mas eu já aviso, se alguém me picar eu devoro você" Rony tenta brincar, o sorriso estranho na face de Blaise já havia sido um grande avanço na opinião do ruivo.

"Ah Weasley, essa sua frase soou tão errada... Mas se for assim pode deixar que eu pico e devoro você"

"O que? Eu realmente não entendi nada que você disse agora... seu estranho" o ruivo fala com o cenho franzido mas um tom divertido, deixando um Blaise gargalhando pela lerdeza do Gryffindor.

"Deixa pra lá Weasley, deixa pra lá" fala abrindo um pequeno sorriso de novo pela lerdeza do mais baixo, chegava a ser engraçado.

"Então... Você percebeu que estamos sozinhos aqui pelo que parece alguns minutos e perdendo o precioso tempo do jantar certo?" O ruivo diz olhando em volta, o que faz Zabine repetir sua ação e com uma expressão séria se dirigir até a porta rapidamente e sair da sala sem falar nenhuma palavra, fazendo Rony estranhar, mas no final dar de ombros e ir encontrar Harry e Hermione.

Ao chegar na mesa ele encontrou um Harry realmente bravo e com uma expressão de birra e uma Hermione já perdendo a paciência, seria engraçado se não fosse trágico.

"Harry por favor entenda, eu nã..." A cacheada é interrompida pelo moreno irritado.

"Hermione você me traiu sim! Eu confiei e amei você com todo meu ser, como você pode?" Ao escutar a fala do melhor amigo o Weasley arregala os olhos, como assim seus melhores amigos estavam tendo um relacionamento e ele não sabia? Aquilo era chocante de mais para ele conseguir soltar qualquer palavra, então apenas ficou olhando a discussão alheia.

"Harry Potter!" A cacheada exclama explodindo e respira fundo fechando os olhos, abrindo alguns segundos depois mais calma "Deu de drama, pelas barbas de Dumbledore! Eu não trai você, pode parar por favor?"

"Hermione você podia ter feito isso com qualquer pessoa no Universo, até se fosse o Theo Nott eu entenderia" a menina revira os olhos sabendo que não, ele não entenderia mas o deixou continuar com o drama "mas tinha que ser logo o Malfoy? Aquele loiro oxigenado e patético? E pra piorar ele ainda é podre por dentro e por fora" Harry não havia percebido, mas em um lugar próximo a ele, um certo platinado havia saído do salão principal com uma expressão fria depois de escutar suas palavras.

Naquele momento um coração já quebrado e partido havia se despedaçado mais ainda, um passo mais perto do precipício sem fim da vida. E da destruição.

"Harry deu! Você nem o conhece de verdade pra falar assim dele, essa implicância de vocês está indo longe de mais da sua parte, Harry olha as coisas que você está dizendo! Essas palavras podem magoar alguém sabia? Não importa o que você ache dele, você não o conhece o suficiente pra falar algo assim. Sinceramente você passou dos limites e espero que perceba isso. Depois a gente conversa Harry Potter" a cacheada levanta e sai atrás de um certo platinado que havia chamado sua atenção ao sair depois das palavras duras de seu amigo.

Rony ainda chocado com tudo se senta em frente a Harry e só o da um olhar de 'explique-se', fazendo o moreno suspirar e fazer um bico de negação.

"Harry, uma vez apenas na minha vida toda eu vi a Hermione ficar brava, e a gente se conhece desde sempre! Então trate de falar o que você fez!"

"Ela defendeu Draco e eu me irritei, ela é minha amiga, tem que ficar do meu lado!" O de óculos redondos suspira e volta a falar com uma expressão arrependida "confesso que passei dos limites, mas não entendi o motivo dela se irritar por eu criticar o... Malfoy?"

"Harry, você conhece a Hermione. Ela não gosta de injustiças e por mais que você e o Malfoy se odeiem, sabemos que você não tem argumentos pra falar mal dele, pelo menos de um jeito tão íntimo como você fez o chamando de podre por dentro"

E então o resto da janta foi assim, Harry e Rony conversando sobre o mal comportamento de Harry. E o moreno sabia que se vinha de Rony aquela conversa, ele realmente devia ter sido rude de mais. Mas do outro lado da escola, no campo de Lacrosse estava Malfoy e Granger sentados na arquibancada.

"Me desculpe pelo que Harry falou... Ele não quis dizer aquilo de verdade, eu sei que não" a cacheada tenta se desculpar pelo amigo.

"Ele quis dizer aquilo sim Granger, sabemos que os sentimentos do Potter por mim não são dos mais positivos e acolhedores"

"Bom, me desculpe pelo Harry de qualquer maneira" a cacheada não tirava da cabeça as palavras de Parkinson, e por mais que Harry não soubesse como Malfoy ficava mal com aquele tipo de ofensa, a mesma estava irritada com o amigo.

"Por que... Por que você está aqui conversando comigo? E por que você brigou com o Potter por me criticar se vocês nunca se importaram?" O platinado pergunta o que faz Hermione ficar um pouco nervosa, não queria dedurar' Pansy então apenas suspirou e tentou distorcer a verdade.

"Bom, eu não gostaria que ninguém falasse de mim daquele jeito e... Eu não tenho nada contra você se formos pensar, suas brigas são com Harry e Rony, não exatamente comigo"

"Eu chamava você de sangue-ruim Granger" o platinado a lembra, fazendo os dois fazerem uma pequena careta enquanto se encaravam.

"E você parou, olha agora, só de se lembrar disso já achou um absurdo, e bom... eu sei que não sou rica e não tenho uma família poderosa como a sua mas eu mereço estar aqui tanto quanto você..."

"Olha, se você contar pra alguém que eu disse isso eu nego até a morte" Draco fala um pouco baixo e incerto se falava mesmo, mas decidi dar um fim a culpa e olha nos olhos de Hermione "me desculpe, eu não deveria te chamar assim e falar que você não merece estar aqui por não ser rica, foi uma grosseria tremenda da minha parte"

A cacheada sorri, fazendo o platinado não aguentar e sorrir também, sabendo que fez o certo.

"Agora só falta admitir que eu sou a melhor  aluna e você será a pessoa mais sincera que conheço" Granger brinca fazendo Draco gargalhar alto e verdadeiramente.

"Granger, não exagera, sabemos que eu sou o melhor em todas as aulas, sem excessões"

"Você fez um grande sacrifício hoje, acho que posso fazer também..." Hermione diz fazendo um pequeno silêncio de mistério, logo após ri e volta a falar "Você realmente é o melhor nas aulas Draco"

"Ai Merlin, vou sair gritando para todos que você disse isso Granger!"

"Eu nego até a morte!" os dois se encaram e começam a rir, nem percebendo a chegada de uma Pansy Parkinson confusa com o que via.

"An... Oi gente?"

"Oi Panpan, onde estava?" o platinado diz, contendo as risadas e olhando feliz para a amiga.

"Ah, Tom me pediu ajuda naquele nosso projeto sabe, e fiquei a tarde toda lá" Draco fica sério ao escutar e suspira para a amiga, falando por olhar um 'você está bem?' , Pansy apenas assenti e olha para Granger.

"Bom, vocês parecem querer conversar vou indo, e Malfoy, me desculpe de novo, irei falar com ele" ela diz dando um sorriso fraco em direção ao menino e vira para Pansy enquanto caminhava atrás dos amigos "te vejo mais tarde Pansy"

"Até mais tarde Granger" a morena diz e fica encarando a menina Gryffindor ir embora, quando a mesma desaparece da visão dos Slytherin, Draco olha para a amiga preocupado.

"O que aconteceu lá? Está bem agora? O que vocês treinaram dessa vez?"

"O de sempre, o sr.Parkinson vulgo meu pai, ordenou que Tom, que agora quer que chamemos ele de Voldmort quando relacionado a esse assunto me fizesse provar que sou confiável para saber o plano todo, eu nunca me acostumo com essa tortura Dray, eu odeio chorar e me sentir fraca, queria ser forte como você que aguentou até o final tudo aquilo." a morena suspira lembrando da dor e sentindo seu corpo dolorido ainda.

"Eu tive que aguentar, você conhece meu pai, ele é o braço direito do Lorde, eu seria deserdado se não aguentasse aquela dor" o platinado murmúrra sentindo seu corpo arrepiar e uma dor enorme no coração por não poder impedir Pansy de passar por aquilo.

"Eu sinto vontade de morrer todas as vezes que ele injeta aquele líquido nas minhas veias, fico gritando por horas com aquela maldita coisa que ele chama de Crucius, eu não sei se aguento mais Dray, quanto mais vai durar pra eu provar que podem confiar em mim? As facadas eu até aguentaria mais, mas aquilo? É uma maldição!"

"Calma Pansy, no final tudo vai valer a pena, você sabe que estamos fazendo o certo, Lorde Riddle mostrou a verdade para nossos pais, devemos fazer o que eles julgam ser o certo" O platinado diz estendo os braços para Pansy, que engole em seco e vai para o abraço do amigo se sentindo confortável, em casa e principalmente segura. Algo que Dray e Blaise sempre conseguiam. Ainda no abraço, Pansy aperta Draco o sentindo apertar de volta e não a soltar.

"Obrigada Dray, eu amo você" Pansy sussurra enfiando o rosto no pescoço do amigo e sentindo o mesmo apoiar o queixo em sua cabeça, aquele momento era um dos muitos que sentia o amigo ser o seu apoio, assim como sempre seria o dele.

"Eu amo você Panpan" Draco sussurra de volta, sabendo que a amiga odiava quando diziam 'eu também' por parecer estar sendo obrigado a dizer, e não por querer dizer aquilo "eu e Blaise sempre estaremos aqui pra você, sempre"

"Eu sei, é recíproco"a morena diz finalmente soltando o amigo e limpando o resquício de sua única lágrima das bochechas "precisamos ir encontrar ele falando nisso, o Lorde quer o ver mais tarde"

E assim os dois foram um pouco tensos a procura do amigo negro o encontrando no salão principal. Logo logo a confiança de Blaise seria testada também com o Crucius e aquilo amedrontava os dois.

"Onde estavam?" o moreno pergunta preocupado ao ver a cara nada boa dos amigos.

"Acabei me incomodando com algo que Potter disse como sempre e resolvi esperar você e Pansy na frente da Comunal, acabei me intertendo com Hermione e é isso"

"Conta isso direito Dray, quero detalhes" Pansy diz animada, sentando ao lado de Blaise e abraçando o mesmo de lado pela cintura, que retribuiu o abraço colocando suas mãos na cintura da mais baixa, a menina precisava ficar nos braços de seus portos seguros para enfrentar o Crucius mais tarde novamente. Zabine acariciava as madeixas da amiga enquanto ria das caras e bocas que Draco fazia ao contar a história detalhadamente.

Momentos como aquele eram a preciosidade do trio de prata, pois sabiam que depois que Tom Riddle realizasse o plano, talvez nunca mais tivessem aqueles momentos novamente. O dia de amanhã era incerto para os três ali, mais que para qualquer um então eles faziam de tudo para aproveitar do jeito certo. Juntos.


Notas Finais


Gente, eu achei que já tinha publicado, daí terminei o capítulo 5 pra postar e booom, esse daqui tava ainda nos rascunhos... DESCULPA KKK❤️

Obs: Eu amo o FRIENDshipp Dramione, meu coração nn guenta kkk, nn pude deixar de fora na minha fic.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...