História A Nova Coreógrafa - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Agust D / Suga, Jay Park
Tags Aomg, Apartamento, Brasil, Bts, Coréia, Coreógrafa, Dança, Empresa, Jay Park, Sexo, Suga, Você
Visualizações 19
Palavras 1.324
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiiie pessoal! Voltei com mais um capítulo.
MUITOOOOO OBRIGADA pelas vizualizações, pelos favoritos e pelas listas de leitura!!!
Nesse capítulo começa a parte clichê, que muitos amam e outros odeiam.
Espero que gostem, mesmo que o enredo esteja meio bosta ;-;
Quando chegar a parte clichê, recomendo que leiam ao som de Stay With Me, do Jay.
Boa leitura! <3

Capítulo 4 - Stay With Me


Você desligou a chamada telefônica, sentou-se no sofá e colocou o celular do seu lado. Perto de você, havia uma pilha de livros, entre eles haviam os títulos: O Improvável Presidente do Brasil, de FHC, Pensadores Que Inventaram o Brasil, de FHC, O Anticristo, de Nietzche, Misto quente, de Bukowski, Harry Potter e as Relíquias da Morte, de J.K. Rowling e etc. Você pegou Harry Potter para ler, já que não lia há algum tempo. Quando você estava na página 70, viu as horas no celular e, já eram 18h 50min. Você deixou o livro de lado e foi para o quarto.

Antes de entrar no banheiro, você se sentou na cama e abriu o guarda roupa, na parte em que haviam os vestidos. Você pegou o mais simples, o vestido preto tubinho. Levantou-se e foi tomar banho. Você era bem estilosa, do tipo que pegava qualquer roupa no armário e ficava incrível.

Ao terminar seu banho, você se enrolou na toalha e voltou para o quarto, vestiu roupas íntimas, passou desodorante e colocou o vestido preto. Soltou os cabelos e calçou tênis brancos da Adidas. Você passou uma colônia de perfume doce, passou sombras de tons escuros a claros em forma de degradê nas pálpebras, máscara de cílios preta, blush pêssego e gloss quase incolor nos lábios. Quando terminou de se arrumar, olhou as horas novamente no celular e já eram 19h 23min. Você pegou uma bolsa, colocou dinheiro e seu celular e, foi para a sala esperar Jay.

Às 19h 28min, o porteiro telefonou avisando que havia chegado um tal de Jay Park e, você disse que mandasse ele esperar, pois você já desceria. Você saiu do apartamento, colocou as chaves na bolsa, e entrou no elevador. Cerca de dois minutos depois, as portas se abriram e você logo viu Jay parado, de frente ao elevador, esperando-te., usando uma blusa comprida preta, calças jeans pretas, uma jaqueta jeans azul e tênis brancos.

- Oi S/n, você tá linda. – Disse Jay se aproximando de você, com o mesmo nervosismo de cedo, e passando o braço pela sua cintura, colando seus corpos pela lateral.

- Obrigada. As pessoas aqui na Coreia são bem pontuais, né? – Respondeu você, olhando para o rosto dele.

- Sim, vamos andando. – Disse ele te dando um beijo na bochecha e começando a andar.

O carro de Jay estava estacionado na entrada do prédio. Era uma Jaguar F-TYPE. Ele abriu a porta para você e fechou-a. Você imediatamente colocou o cinto de segurança. Jay deu a volta no carro e entrou, também colocando o cinto de segurança, a chave na ignição e dando partida.

- Aonde nós iremos? – Perguntou você, para quebrar o silêncio constrangedor.

- Ao restaurante XXXXX, lá tem comida brasileira. – Respondeu Jay, sem te encarar.

- Sério?! Que legal!! – Você logo abriu um sorriso de felicidade, feito uma criança quando ganha doce, e recebendo um riso de Jay em troca.

- Eu nunca comi comida brasileira. Dizem que churrasco é bom. –

- É óbvio que churrasco é bom. Bem melhor do que comer intestino de porco. Não tenho boas lembranças daquele dia, vomitei quando cheguei em casa. –

- Você ainda lembra disso? – Retornou Jay com aquele sorriso maravilhoso.

- Claro que eu lembro, quem disse que eu me esqueceria daquele gosto de bosta? –

- Para S/n, não é tão ruim. –

- É sim, cala boca. – Disse você com um tom autoritário na voz.

- Agressiva. –

- Dramático. –

- Chegamos. – Disse Jay, e estacionou o carro.

Você tirou o cinto de segurança, e Jay rapidamente saiu do carro e correu para abrir a sua porta.

- Você tá é cavalheiro, hein? – Disse você, pegando na mão estendida de Jay, e saindo do carro.

- Sempre fui. – Disse Jay com ar de soberania, com a outra mão no peito.

- Idiota. –

- Linda. –

Vocês entraram de mãos dadas no restaurante brasileiro. Não estava muito cheio, apenas algumas mesas estavam ocupadas, e boa parte das pessoas que estavam lá, eram ocidentais. Vocês se dirigiram a uma mesa para dois, próxima a uma janela, e sentaram-se nas cadeiras. Logo chegou um garçom:

- Boa noite. O que desejam? – Diz ele entregando dois cardápios.

- Ainda vamos decidir. – Disse Jay, sem olhar para o homem ao lado dele.

- Eu quero xxxxxx. E você, Jay? –

- O mesmo. Duas porções de xxxxxx, por favor. – Retornou Jay, ao garçom.

- Alguma bebida, senhores? – Perguntou o garçom mais uma vez, já recolhendo os cardápios.

- Pediremos quando a comida chegar. – Disse você, desta vez.

O garçom assentiu com a cabeça, e se retirou, indo em direção a um balcão.

- MiCha fez algo? Você parece nervoso. – Tornou você, voltando sua atenção a Jay.

- Eu, nervoso? Não, não. Até agora, pelo menos, ela não fez nada. Mas como eu disse, é a palavra dela contra a minha. Posso processá-la por calúnia. –

- Não faça isso. Você sabe que o que fizemos é verídico. Apenas afirme que o que ela diz é mentira. Não abra um processo judicial por besteira. –

- Você tem razão. –

- Eu sempre tenho razão. –

- Nem é convencida, ela. – O que Jay disse te fez rir.

- Ei, eu vou ali naquele balcão, já volto. – Tornou Jay.

- Okay. – Disse você simplista.

Jay, após cerca de 5 minutos, voltou do balcão que havia ido.

- Voltei. Pedi suco para a gente. Gosta de maracujá? -

- Gosto sim. Olhe! Vão cantar. – Disse você apontando com o dedo indicador para um palco, onde haviam algumas pessoas.

- Yeah. Mas acho que vão cantar Kpop. –

- Se for música, tá ótimo. –

Você e Jay conversaram e riram bastante ao longo da noite abafada de verão. Não era possível ver es estrelas no céu, devido a extrema poluição, trazida da China, e a excessiva emissão de luzes artificiais. Se no Brasil, ver estrelas nem sempre era possível, imagine na Coreia do Sul. Em compensação, podia-se ver, através da janela de vidro próxima a vocês, a lua cheia brilhante, amarelada, atraindo toda a atenção nas trevas, entre nuvens.

- Música chata do caralho, parece que alguém morreu. Credo. – Reclamou você, bebendo champanhe, levemente alterada.

- Para de beber, S/n. – Riu Jay de sua situação.

- Tá bom, parei. – Falou e colocou a taça na mesa.

- Já volto. – Repentinamente Park se levantou, mas desta vez, tendo como rumo o palco, onde cantavam uma música de velório, a qual você reclamara.

- Me deixou sozinha. Covardia. – Disse você, rindo de si mesma.

Uma nova melodia ecoava e alguém, de voz muito bela, começara a cantar. Você virou o rosto e viu Jay, segurando o microfone e cantando Stay With Me, de própria autoria. Aquilo era encantador. Você sorria e o encarava, serenamente. A voz de Jay lhe acalmava, fazia relaxar. Você, embora não soubesse muito de coreano, já havia visto a tradução daquela música, e mesmo que fosse extremamente clichê, era muito bonita, pois Jay tinha em seu repertório uma grande quantidade de músicas “pervertidas”, se é que podemos nos referi-las assim.

“I don’t never wanna
let u go no no
sesangi dolgo haega tteodo
nae sigani meomchwobeoryeo
my baby
baek nyeoni jinado yaksokhae
Please love me the same
the same the same
365il Everyday
girl ne sarangi piryohae
neo hanamaneuro chungbunhae
waenyamyeon
ingineun eonjenganeun
tteoreojige dwae
beon dondo eodiseonganeun
sseuge dwaeisseo
nal chajdeon saramdeuldo
tteonagessji
hajiman baby neon
nae gyeote isseojugil
nae gyeote isseojugil
byeonhaji anhgo yeongwonhi
nae gyeote isseojugil
baby, baby, baby”

Jay finalizou a música e agradeceu, tirando diversos aplausos do público, que ali estava, e um lindo sorriso seu, que foi correspondido imediatamente. Jay fez um movimento com a mão, indicando que estava chamando-te. Você deixou sua bolsa na cadeira e rumou ao palco. Quando já estava de frente a Jay, ele se ajoelhou, deixando-te um pouco espantada e incrédula. Ele tirou uma pequena caixinha vermelha e aveludada do bolso, e disse no microfone:

- S/n, você aceita namorar comigo? –

Continua...


Notas Finais


Muitoooo obrigada por terem lido! Espero que tenham gostado.
Link de Stay With Me: https://www.youtube.com/watch?v=1o8cfa5Angg
Desculpe qualquer erro <3
Comentem rsrsrs
Bye!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...