História A nova ordem mundial (Kim Jun-Myeon - Suho) - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Suho
Tags Exo, Suho
Visualizações 41
Palavras 738
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Famí­lia, Ficção, Ficção Científica, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 15 - 15


Senti meu coração desacelerando aos poucos, como se tivesse tomado um calmante. O sono rapidamente chegou novamente, e quando fechei os olhos, aqueles sentimentos ruins não voltaram.

 

Fizemos os turnos devidamente e eu dormi como uma criança. O dia já havia amanhecido e nós precisávamos achar comida e água urgentemente. Em algum lugar naquela floresta tinha que ter um rio e algumas frutas — Torcia muito para que tivesse.

 

Começamos a caminhar pela floresta, procurando alimento. Minha barriga doía muito. Não fazia ideia de quanto tempo estava sem comer. Minhas pernas estavam mais cansadas do que o normal e eu realmente precisava de um banho. As coisas estavam começando a se tornar realmente críticas.

 

– Quem vocês acham que nos colocaram nesse lugar? – Perguntou Jun-myeon enquanto olhava para as várias árvores.

 

– Um palpite? Os Illuminati – Tai respondeu calmamente – Eles tem todos os motivos do mundo para nos trancarem em um lugar para fazer testes.

 

– Honestamente, eu sempre suspeitei que eles existiam – Comentou Suho, checando uma árvore e se decepcionando em seguida.

 

– Eu ainda acho difícil de acreditar, mas diante de tudo… – Falei, suspirando em seguida.

 

– E o que você acha, Hyuk? – Suho perguntou, virando-se.

 

Ele havia sumido.

 

Nos encaramos, assustados.

 

– Ele estava bem atrás de nós! – Nomura disse.

 

– Gente…

 

Jun-myeon estava entre duas árvores, mais a frente, um pouco escondido por vários arbustos, estava uma pequena casa. Começamos a caminhar até ela com cautela. A casa estava caindo aos pedaços, parecia uma daquelas casas de filmes de terror. Dentro dela, a única coisa que se via era uma cadeira e uma TV ligada.

 

Hyuk estava sentado na cadeira e parecia estar assistindo aquela TV. Entramos na casa e fomos até ao lado do garoto. Naquela televisão passavam imagens estranhas, frases estranhas… Kim não piscava e parecia estar vidrado. Aquilo era muito perturbador.

 

– É uma lavagem cerebral – Informou Nomura.

 

Não sabia nem o que pensar sobre aquilo. O lugar em que estávamos era muito doentio.

 

– Isso me dá medo – Jun-myeon falou, olhando para as imagens.

 

Prestei atenção nas frases que passavam e meu coração parou por alguns segundos. Algumas delas estavam no livro… no livro… A Nova Ordem Mundial.

 

– Eles fizeram uma lavagem cerebral em mim também – Comentei, fazendo eles me observarem curiosos – Para que eu acreditasse em algo e… Bom, foi por causa disso que fui sequestrada.

 

– Vamos tirar ele dai e sair logo desse lugar – Disse Jun-myeon.

 

Mas antes que pudéssemos mover um músculo, ouvimos um barulho. Era um barulho de Tic-Tac, algo contando. Nos encaramos mais uma vez, ainda mais assustados que antes. Ficamos olhando para a pequena casa, procurando a origem do barulho, mas não havia nada ali.

 

Tai se ajoelhou no chão da casa e colocou o ouvido ali. Então ele começou a chutar a madeira dali, que já estava podre, então quebrou fácil. Assim que a madeira do chão foi quebrada, nós enxergamos uma…Uma bomba.

Meu corpo todo congelou e eu não soube o que fazer. Tai Nomura nos encarou e apenas disse:

 

– Isso era… Uma armadilha. CORRAM!

 

Tentei puxar Hyuk, mas Jun-myeon me agarrou pelo braço e me puxou pra fora com força. Foi o tempo de estarmos fora da pequena casa e tudo explodiu. E eu desmaiei. Quando acordei, senti meu corpo ardendo em várias partes, mas principalmente no meu braço. Um zumbido ecoava em meus ouvidos. Sentia o cheiro de fumaça no ar.

 

Me levantei o mais lentamente possível, sentindo todos os músculos do meu corpo gritando. Olhei para a pequena casa e andei até um pouco mais a frente, onde vi vários… Pedaços de alguém. Eu já sabia quem era e senti meu coração, meu corpo e minha alma sendo despedaçados ao mesmo tempo.

 

Caí de joelhos no chão, deixando as lágrimas escorrerem livres pelo meu rosto. Lembrei de seus lindos olhos verdes, que chamaram a minha atenção desde que o vi, e era com uma facada no meu peito. Isso era injusto demais, perverso demais. Desumano demais. Queria parar com tudo aquilo, desistir.

Então senti uma mão em meu ombro, fazendo eu me assustar. Jun-myeon logo se ajoelhou ao meu lado. Seu rosto tinha alguns cortes, mas ele continuava lindo.

 

– Hyuk… Ele…

 

E mais uma vez, eu desabei em lágrimas. Suho segurou o meu rosto, fazendo meus olhos embaçados olharem para seus olhos castanhos, que não estavam conseguindo segurar as lágrimas dessa vez.

 

– Você precisa me escutar agora, (S/N). Temos que sair desse inferno! Precisamos sair daqui! Você está comigo?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...