História A Nova Vida de Vergil - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Devil May Cry
Personagens Dante, Lady, Nero, Personagens Originais, Trish, Vergil
Tags Dante, Devil May Cry, Lira, Nero, Vergil
Visualizações 16
Palavras 2.574
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Dessa vez os Devil Hunters foram se divertir um pouco.

Capítulo 13 - Lira


Após a noite na casa de Vergil o sol batia na janela do quarto e quando Lira abriu os olhos devagar com sua visão ofuscada pela luz ela se virou e cobriu o rosto novamente tentou chamar por Vergil, mas não ouviu resposta ela se virou novamente e viu uma roupa dobrada no travesseiro ao lado. Lira se levantou e vestiu sua roupa de baixo e a camisa branca que ficou grande e larga para ela com a gola caindo para um lado dos ombros mas deixou os shorts que também estavam lá fez a cama e depois saiu a procura de Vergil. Assim que saiu do quarto ela passava devagar por cada cômodo observando os moveis e detalhes da casa dele tudo bem organizado e colocado todos bem polidos e limpos quando se aproximou da cozinha e sentiu o cheiro que a atraiu. Ela se aproximou e pulou no pescoço dele.

- Bom dia Vergiee! E beijou seu rosto ele largou a colher na frigideira onde ele prepara panquecas se virou abraçou ela e lhe deu um beijo.

- Bom dia! Estou preparando o café da manhã senta aí. Então Lira sentou se na mesa e se apoiando em seus cotovelos estava vendo Vergil cozinhar ele estava apenas com shorts azuis e o cabelo despenteado e caído. Ele foi até o armário e colocou dois pratos a mesa depois pegou uma cestinha com torradas e dois potes um de geleia de frutas vermelhas e o outro com creme de cacau com avelã e na geladeira ele pegou uma jarra com suco de uva outra com leite, voltou para o fogão pegou a frigideira e serviu nos pratos as panquecas e por fim despejou um pouco de calda por cima delas.

- O café esta servido! Vergil se sentou ao lado de Lira e os dois comeram conversando e rindo do apagão na noite passada e sobre algumas situações engraçadas que passaram. Assim que terminaram Vergil levou a louça para a pia para lavar e Lira o ajudou eles terminaram e ele foi trocar a fuselagem do padrão principal de energia enquanto ela esperava por ele na varanda o sol brilhava forte e o céu azul sem nuvens e ela vendo Vergil trabalhar teve uma ideia.

- Vergiee cadê o seu celular? Ela perguntava apoiada em um pequeno cercado na varanda próximo a algumas cadeiras.

- No meu quarto, por que?

- Eu vou pegar ele, vamos fazer uma coisa hoje.

Assim que Lira pegou o celular ela procurou um número e discou.

- Alo Dante é a Lira namorada do Vergil pega o carro e chama as garotas vamos sair todos juntos...

Assim que desligou ela pegou suas sacolas e procurou algo para vestir e poucos minutos saiu ao encontro de Vergil vestindo um biquíni estampado branco com azul uma blusa quase transparente e um lenço enrolado na cintura e óculos escuros.

- Onde vai desse jeito? Vergil perguntou olhando a dos pés à cabeça.

- Onde vamos! Chamei Dante e as garotas para irmos ao clube está muito quente hoje então vá se trocar pois eles não devem demorar. Ela disse tirando os óculos e se apoiando no parapeito da varanda.

Vergil entrou e se trocou, vestiu um calção azul e uma blusa esporte branca larga de abotoar com desenhos tribais em um lado e os chinelos de dedo e pegou óculos escuro quadrado que lhe caia bem no rosto. Pouco tempo depois que ele terminou uma buzina soou em seu portão. Lira foi verificar e era Dante dirigindo um Cadilac El Dorado 1959 azul claro com o interior branco uma verdadeira perola do mundo automotivo e ela adorou o carro Vergil estava pegando toalhas e protetor solar e mais algumas coisas. Quando desceu e viu o carro também se encantou e se perguntou como Dante poderia ter um carro naquele estado se ele era tão desleixado

Ele jogou a mochila no banco de trás Dante estava ao volante vestindo uma bermuda preta e uma blusa floral aberta vermelha e um boné virado para trás que deixava mechas de seu cabelo branco caindo na testa e nas laterais do boné ao seu lado estava Lady vestindo um maio preto liso com o decote mais discreto e os óculos escuros que também se escondiam embaixo de um chapéu de renda Vergil deu a mão para ajudar lira a pular no banco de trás e depois pulou eles se cumprimentaram e Dante se gabando com o carrão.

- E então gostaram do carro. Disse ele com um grande sorriso.

- Realmente é um carro muito bonito até me espanta saber que você tem um. Disse Vergil ao irmão.

- Então é melhor você cuidar muito bem dele pois se aranhar eu terei que descontar do seu próximo trabalho que fizer para mim. Disse Lady cruzando os braços enquanto Dante fazia sinal para ela não contar. Risadas soaram no banco de trás e rapidamente foram caladas pelo som estridente de uma Ducati 899, vermelha nova pilotando ela estava Trish com seus cabelos louros soltos usando um raiban dourado com lentes espelhadas ela vestia um biquíni vermelho escuro e um short jeans e mais atrás chegou outra moto uma Multistrada preta pilotada por Nero que estava usando óculos de aviador uma camiseta preta fina e bermudas brancas e na garupa estava Kyrie com um vestido branco liso de amarra na cintura.

- E o que estamos esperando! Disse Nero acelerando fundo sua moto e arrancando na frente seguido por Trish que saiu cantando pneu.

- Segurem se! Disse Dante seguido de um grito de diversão arrancando o carro em alta fazendo Lady segurar o chapéu. O clube ficava a alguns quilômetros e os três veículos pareciam apostar um pequeno racha entre ultrapassagens e sorrisos Trish a motoqueira mais experiente chegou primeiro e logo em seguida Nero com Dante em seu encalço, mas todos chegaram aos risos com a diversão da corrida.

O clube ficava fora de Fortuna City em uma planície aberta com grande área verde 8 piscinas incluindo as infantis e 2 olímpicas dentro das instalações também tinha vários chalés para estadia. Como esperado em um dia quente o clube estava cheio com famílias casais e grupos de amigos distintos carregando boias. Procuramos um lugar para colocarmos nossas mochilas queríamos um próximo da piscina, mas acabamos ficando perto de uma quadra que estava fora de uso. As garotas colocaram as mochilas e nós buscamos uma mesa e cadeiras para podermos comer algo mais tarde. A piscina estava vazia, mas à medida que as pessoas estivessem chegando suas brincadeiras poderiam jogar agua em nossa mesa.

- VAMO CAIIII!!! Dante correu gritando enquanto tirava a camisa e jogava no chão e deu um pulo de bomba. Nero correu também como uma criança e pulou na água. As garotas já se preparavam para deitar nas cadeiras para se bronzearem, mas Vergil tirou a blusa e ficou apenas com o calção azul puxou Lira pelo braço.

- Espere o que vai fazer? Ela disse olhando para a agua tentando se soltar e Vergil a pegou no colo e a levou a beira da piscina. – Não me jogue! Não faz isso Vergil! Então ele se afastou um passo e quando ela pensou que ele a colocaria no chão ele correu e pulou com ela nos braços. Assim que saiu debaixo d’água ele estava sorrindo e Lira deu um tapa em seu braço.

- Por que fez isso?

- Você disse mais cedo que estava calor só quis ajudar a refrescar. E continuou rindo. Ela tentou sair fingindo uma cara de chateada e Vergil a puxou novamente e em seus braços a beijou. Foi curto, mas a fez sorrir.

- Aqueles dois estão no maior Love. Disse Lady para Trish e Kyrie enquanto pegava o protetor na bolsa e não viram que Dante e Nero já estavam fora da agua então eles agarraram as três e pularam todos juntos.

Após as gargalhadas as garotas se deitara para se bronzearem e os 3 continuaram na piscina descendo pelo tobogã e apostando corridas de natação.

Até chegaram várias pessoas no clube, mas a cada hora ele estava mais vazio. Mesmo parecendo anormal nenhum deles sentiu nada de estranho então apenas pensaram que todos estariam indo para outro lugar ou simplesmente não estavam gostando do clube.

Algumas horas depois eles comeram no restaurante do clube e deram um passeio pelas suas dependências que tinha uma grande área verde e depois jogaram um pouco de vôlei. A rivalidade dos gêmeos sempre era presente em qualquer disputa de um lado da quadra Vergil e Lira e do outro Dante e Trish enquanto os dois fizeram do jogo quase um confronto sem dar espaço as garotas uma bola veio fácil para Dante dar uma cortada que Vergil não teria como pegar, mas Lira estava preparada para a jogada e mesmo a bola forte de Dante não pareceu problema para ela que levantou para Vergil cortar e vencer a partida.

- Como você fez aquilo como defendeu aquela cortada? Dante gritou boquiaberto.

- Eu gosto de jogar vôlei! Respondeu Lira com um sorriso e todos saíram rindo para poder aproveitar mais a piscina.

A cada vez que eles reparavam o clube estava mais vazio e quando chegaram no ambiente da piscina sentiram uma sensação de que não havia nada no clube ninguém mesmo nem uma alma viva. O ar estava mais pesado, mas nenhum deles havia sentido um demônio por perto.  Quando o ar começou a se distorcer algo estava por vir todos correram até o carro de Lady para pegar suas armas e quando voltaram Vergil estava com Yamato em punho e a fenda estava se abrindo o que estava atravessando era muito poderoso estava rasgando o tecido da realidade pouco a pouco para poder entrar nessa dimensão.

Todos se prepararam o que cruzou foi uma sombra quase sem forma com os olhos vermelhos só era possível ver que tinha o formato humanoide. Dante foi o primeiro a atacar impaciente e ansioso para lutar ele investiu em direção a sombra com um golpe de estocada quando nas mãos dela apareceu uma grande espada e ela imitou o golpe de Dante que foi nulo apoiou a espada em seu ombro vendo que a sombra repetia tudo o que ele fazia. E a cada golpe parecia ser inútil quando Nero também atacou com um soco de seu braço demoníaco em uma fração de segundos a sombra também repetiu o movimento e também adicionou aquilo como um novo poder a cada um que lutasse contra ela aumentaria seu poder e habilidade de combate. Vergil notou isso e impediu que os outros entrassem na luta e disse para as garotas vigiarem a fenda que não tinha se fechado e protegerem Lira e Kyrie. Ele analisava a luta a uma média distância vendo os golpes de seu irmão serem defendidos e contra-atacados. Os golpes das espadas tiniam Dante cortando na altura do peito tinha sua espada rebatida para trás e girava o corpo para o lado contrário mirando o pescoço, mas era sempre defendido não importa o que faça Nero vendo aquilo tentava atacar em conjunto com ele usando Red Queen ele deu uma investida quando Dante deu uma brecha, mas a sombra conseguiu defender a velocidade de reação dela era impressionante até mesmo para ele. A luta continuava com os dois revezando golpes de espada e evitando usar as armas de fogo para não ferir as garotas. Vergil analisava a situação cuidadosamente quando viu um golpe que escapou da vista de Dante uma estocada teve um pequeno desvio da espada dele e Nero trocou com ele nessa hora, mas dois golpes depois ele sofreu um corte em seu peito de um golpe cruzado que novamente desviou muito pouco de sua lamina ele recuou um passo com a mão no ferimento e a sombra também copiou isso, mas sem sofrer danos enquanto Vergil passou aquilo para Dante ele atacou novamente  agora Nero estava em conjunto e no choque da espada o torso da sombra se dividiu em dois para defender os dois golpes.

- Dante recue agora! Vergil gritou para seu irmão a sombra vendo apenas Nero aos poucos voltou a ser uma. – Ela quase se dividiu aí sim teríamos um problema, Nero distraia ela eu tenho um plano. Dante olhou para ele e o semblante de Vergil estava um misto de fúria e tristeza.

Nero lutava com muita raça os golpes pesados de sua espada um corte de cima com as duas mãos depois outro na altura do peito o impacto o fez recuar e ele continuou projetando seu braço no pescoço da sombra que também conseguiu copiar essa habilidade. No reflexo ele tentou cortar o braço da sombra com a espada e viu seu braço também quase ser cortado antes de largar o pescoço dela e o golpe acertar o chão. Naquele momento ele pensou ter visto algo como um sorriso em sua face distorcida. Já ciente do plano do irmão Dante trocou de lugar com Nero.

- Você não sabe o que te espera cara! Então ele girou a espada e arremessou contra a sombra um vulto como a sua espada também foi arremessado eles desviaram e quando as espadas passaram por seus corpos, mas atrás da sombra Vergil surgiu e levou a mão ao punho de Rebellion e a arremessou de volta na direção de Dante que foi atingido no peito vendo aquilo de perto a sombra pareceu ter sido atingida pelo vulto que ela mesma arremessou enquanto Dante caia para trás a sombra também estava caindo então espadas astrais caíram do céu nos membros da sombra a pressão dessas estava distorcendo o ar e limitaram os movimentos da sombra e em menos de um segundo Vergil cortou através dela e parou um metro na sua frente embainhando sua espada devagar e quando terminou os corte foram vistos quebrando o chão e desfazendo a sombra membro a membro que se desfaziam no ar.

Vergil olhou para o irmão caído com uma mão fechada com força e os dentes cerrados ao ver aquela cena mais atrás Lira e Kyrie horrorizadas com a cena que acabaram de testemunhar.

- Por que fez isso? Perguntou Nero desesperado.

- Ela estava copiando vocês e estava evoluindo você viu, a única maneira de matar ela e se algum de vocês também morresse, mas ela não morreria era uma sombra assim que vocês caíssem ela se levantaria e recomeçaria o ataque.

- E você sacrificou seu irmão por isso? Ele ainda estava nervoso e Vergil retirando a espada do peito de Dante.

- Qual é garoto já deveria saber que isso não me mata. A voz veio do chão e a mão de Dante se estendeu e Vergil agarrou e puxou o irmão.

- Você está bem? Vergil perguntou a ele.

- Claro que sim isso não foi nada.

- Me desculpe irmão, mas foi a única coisa que consegui pensar antes que aquilo se tornasse dois.

Enquanto eles terminavam de falar a fenda começou a rachar. Eles foram para perto dela e algo começou a surgir e quando saiu era como um humano normal. Tinha a pele clara cabelos e olhos negros ele caminhava devagar e quando saiu totalmente disse.

- Olá a todos é um prazer conhecer vocês principalmente os filhos de Sparda, mas não estou aqui por causa de vocês hoje vim falar com minha Irmãzinha. Temos assuntos para resolver Lira!


Notas Finais


espero que tenham gostado comentem para eu saber

um abraço


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...