1. Spirit Fanfics >
  2. A ômega de Kihyun >
  3. Uma ômega ciumenta para um alfa possessivo.

História A ômega de Kihyun - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Esse foi um pequeno presente que fiz para uma das minhas ommas, ela não lê por essa plataformas, mas queria trazer para cá também, pode ser que alguém mais goste dele e do cap.

Boa leitura.

Capítulo 1 - Uma ômega ciumenta para um alfa possessivo.


Fanfic / Fanfiction A ômega de Kihyun - Capítulo 1 - Uma ômega ciumenta para um alfa possessivo.

Kihyun caminha suavemente pelo salão da festa, cumprimentava a todos por quem passava sempre com um leve sorriso no rosto.

Todos já estavam acostumados com o jeito serio dele, mas ao mesmo tempo gentil e educado.

A única pessoa que tinha o prazer de presenciar o sorriso encantador dele era sua ômega, ela era a única capaz de arrancar dele seu melhor sorriso e tudo o que ela queria dele.

O alfa se juntou a um grupo de outros membros de sua empresa, os quais estavam conversando sobre seus ômegas, mas todos mais velhos que ele.

- falando serio agora, queremos saber quando vamos ter o prazer e a honra de conhecer a ômega do nosso querido presidente.

- ai esta uma pergunta bem difícil.. ela não gosta muito de lugares cheios, então eu não a trago por vontade dela.

- deve ser bem difícil ter uma ômega que não sai com o senhor, ainda mais por ser dócil.

Kihyun não gostou do comentário do outro alfa, mas para não causar brigas ele resolveu de forma educada.

- não vejo problemas nenhum nisso, assim é até melhor, pois não preciso dividir a atenção dela com outras pessoas e por ela ser dócil torna tudo ainda melhor, ela quer estar grudada há mim o tempo todo quando estou em casa e somente à presença e o cheiro dela me traz alivio pelo dia estressante que tenho no trabalho.

Eles perceberam a “raiva” na voz do mais novo.

- agora se me derem licença vou falar com nossos novos sócios.

...

A festa até que estava sendo legal, mas depois daquele comentário ridículo que teve que ouvir a noite ficou um porre, Kihyun não conseguiu esquecer aquilo.

Mas a melhor parte de seu dia estava por vir, ele estava chegando em casa.

Abriu a porta e estranhou que sua ômega não correu para abraça- ló como sempre fazia.

Subiu as escadas já meio preocupado e entrou em seu quarto.

- alfa.

- oi meu amor.

Chai levantou da cama em um salto e pulou no colo de seu alfa cheirando o pescoço dele.

- você demorou muito – já disse com a voz meio triste.

- me desculpa amor, fiquei preso conversando sobre coisas chatas do trabalho.

- o filme que você disse que iria assistir comigo já acabou.

- eu sinto muito, mas amanhã vamos passar o dia todo juntos... agora o que acha de dar um banho no seu alfa?

O rosto dela se iluminou, até porque ela sabia muito bem o que rolava nesses banhos.

- alfa, mais devagar.

- porque?, minha ômega já vai gozar pra mim?

Kihyun sorriu e voltou a chupar sua ômega, Chai estava em pé no banheiro com as duas mãos apoiadas na parede enquanto seu alfa estava agachado atrás de si lhe dando prazer.

A ômega estava tão manhosa e sensível pelo poder que seu alfa tinha sobre seu corpo que ela não tardou a chegar ao seu limite.

E Kihyun fazem questão de sempre lamber toda a intimidade dela quando ela gozava.

- agora me diz – ele sussurrava em seu ouvido – o que você quer?

Chai passou a mão pelo peito, descendo pela barriga e segurou firme o pau completamente duro de seu alfa – quero leitinho alfa.

Kihyun sorriu, ele ficava completamente louco quando sua mulher pronunciava palavras obscenas com um olhar de inocência, era a perdição dele.

- você sabe que te dou tudo o que você me pede.

Ela se ajoelhou e passou a língua por toda a extensão do marido e abocanhou a cabeça de seu pau o vendo morder os lábios. Chai o sugava com afinco, era gostoso demais e ela mesmo já estava voltando a ficar bem molhada.

Depois ele não fez cerimonia, se sentou ali mesmo no chão do banheiro e logo Chai se sentou nele se penetrando devagar fazendo os dois arfarem.

O alfa começou a beijar o pescoço e os ombros da ômega enquanto ela permanecia parada.

- já sabe como eu gosto amor, pode começar.

Chai sorriu orgulhosa por saber exatamente tudo o que tinha que fazer para que seu alfa gozasse para ela loucamente.

E ela começou pelo pior, rebolando devagar vendo a expressão “irritada” do alfa por saber que ele amava quando ela quicava nele, mas quando rebolava devagar só fazia aumentar o tesão dele e a necessidade de querer mais e mais.

- ômega!!!

Ela entendeu o tom dele e finalmente começou a quicar.

O barulho do ato, o cheiro deles mais fortes e misturados, os gemidos dela e os rosnados dele os deixavam ainda mais loucos por sexo.

Em um dado momento Kihyun colocou um dos seios da ômega em sua boca e ficou o sugando fazendo ela arfar ainda mais.

Ele amava cada pedaço do corpo dela, era sexy, gostoso, cheiroso e acima de tudo, dele.

Antes de conhece- lá ele já havia dormido com muitas outras mulheres, mas depois dela não houve mais nenhuma que despertou o interesse dele, o deixou com tesão ou qualquer outra coisa relacionada a sexo.

Era somente Chaiene para ele e seria para sempre, a prova disso era a marca no pescoço dela.

...

Kihyun tirava o sabão do corpo de sua mulher enquanto ela permanecia paradinha como ele havia pedido.

Ela sempre o obedecia, era completamente submissa a ele e não se importava com isso, amava fazer tudo por ele e para ele.

- quero saber se esta satisfeita amor.

Ele a abraçou por trás.

- eu sempre quero mais alfa, sabe disso.

Ele sorriu pela fofura misturada com a safadeza que Chai tinha, era uma mistura “exótica”, e ele amava.

- então vamos fazer o seguinte.. depois do banho vamos comer alguma coisa e podemos brincar mais, o que acha?

- eu adorei.

Ela se virou e o beijou apaixonadamente com ele a correspondendo.

...

- amor eu tenho algo a pedir.

- o que o amor da minha vida quer?

Chai e Kihyun estava deitados no imenso sofá da sala vendo um filme, ele a abraçava por trás e ela segurava suas mãos.

- eu quero começar a ir a esses eventos com você.

- porque quer ir comigo agora?.. você mesmo disse que preferia ficar em casa.

- eu sei, mas – ela se soltou dele e se sentou – é que quando tem esses eventos você sempre vai sozinho,  e quando sai matérias sobre isso eu sempre vejo você sozinho enquanto os outros estão acompanhados de suas ômegas, além disso você costuma chegar tarde e se eu for com você podemos passar mais tempo juntos.. poxa eu só te vejo no café da manhã e no jantar, raramente no almoço.

Kihyun se sentou e sentiu a tristeza que vinha de sua ômega.

- eu também sinto saudades de você amor, se eu pudesse passaríamos vinte e quatro horas grudados.. mas já que você quer tanto estar comigo eu não me oponho a você me acompanhar a partir de agora... mas me prometa que se vier a se sentir desconfortável com tanta gente em cima de você vai me falar.

- eu prometo.

Chai sorriu toda feliz por ter seu pedido aceito por seu marido.

...

O tempo foi passando, tudo como sempre foi na vida do casal continuava, estavam felizes.

Até que mais um evento em que Kihyun precisaria comparecer apareceu, logo ele compartilhou essa informação com sua esposa que se preparou por dois dias para aparecer, pela primeira vez, ao lado dele nesse tipo de evento.

Escolheu vários vestidos, penteados, as joias que ganhou de presente de seu alfa. Ela queria estar perfeita para aparecer ao lado dele pela primeira vez, queria que todos sentissem inveja por ele ter uma ômega linda, alguém que combinasse com a grandeza de seu poder e de sua beleza.

- nossa, minha rainha você esta linda.

Chai virou- se olhando para seu alfa que tinha os olhos meio marejados.

Afinal a única vez em que tinha visto ela vestida elegantemente foi quando se casaram.

- gostou mesmo?

- claro que sim.

- esse decote está exagerado?

- não gosto muito da ideia de você mostrar mais do que deve aos outros, mas quero que todos vejam o quanto minha ômega, o amor da minha vida, é deslumbrante.

Chai sorriu toda sem jeito ganhando um beijo de seu marido.

- vamos?

- sim alfa.

...

O carro de Kihyun estava a poucos metros da entrada para o salão da festa, ele segurava fortemente a mão de sua esposa que estava nervosa com aquela situação.

- tem certeza de que quer continuar?

- tenho sim, só estou pensando no que vai acontecer daqui a alguns minutos.

- e o que seria isso exatamente?

- vou aparecer em publico ao seu lado pela primeira vez.. tem certeza de que estou bem vestida?

- tenho sim, vai ser a mais linda da festa.

Chai sorriu e suspirou.

- tudo bem, então estou pronta.

O carro foi levado até a entrada e logo alguns fotógrafos já começaram a se aglomerar em cima, como sempre acontecia.

Kihyun saiu do carro e estendeu a mão para sua ômega, que a pegou fortemente e tomou coragem para sair de lá de dentro também.

Quando viram que ele estava acompanhado varias fotos começaram a ser tiradas, varias perguntas começaram a ser feitas, mas Kihyun não respondia a elas, apenas segurou forte na mão de Chaiene a guiando.

Ele sentia que a menor estava atordoada com aquela situação.

Ainda mais pelas perguntas que ela escutava: “essa é sua ômega?”.. “quem é essa mulher ao seu lado?”,

Poxa a marca dela era visível, porque perguntavam aquilo?

Ao entrar, mas alguns, poucos, fotógrafos andavam pelo lugar, apenas os que eram autorizados a estar lá dentro para tirar fotos dos convidados e dos acontecimentos.

Assim que notaram a presença do alfa os olhares voltaram- se para ele, mas eram olhares meio confusos e até atordoados.

Yoo Kihyun estava, pela primeira vez, acompanhado.

Os cochichos, os olhares de avaliação que eram lançados para sua companhia eram muito evidentes e aquilo foi deixando Chai acanhada.

E se estivessem falando mal dela?

- fique calma amor, não vou sair do seu lado.

Ela acenou e tentou sorrir.

- vou te levar para conhecer algumas pessoas, pessoas importantes, tá bem?

- sim alfa.

Kihyun teve toda a calma e paciência do mundo com sua esposa, afinal ela estava em um ambiente desconhecido com pessoas desconhecidas. Ele a guiava suavemente pelo salão, por entre as pessoas.

Era estranho porque elas pareciam ter medo de se aproximar deles.

Sendo muito inteligente Chai deduziu que poderia ser pelo choque de vê- ló acompanhado.

Logo o alfa a levou para dentro de um grupo de homens, seus empregados.

- senhores, essa é Yoo Chaiene, minha esposa.

Eles ficaram espantados ao ver o alfa acompanhado, mais espantados ao saber que a companhia dele era sua esposa e ainda mais espantados ao ver o quanto ela era linda.

- senhor Yoo tinha todos os motivos para mante- lá apenas para o senhor, sua esposa é linda.

Chai sorriu timidamente e Kihyun apertou a cintura dela com mais possessividade.

Ela era apenas dele.

- como eu já havia dito antes eu não a matinha somente para mim, isso era um decisão dela, mas obrigado pelo elogio, meu lobo e eu soubemos escolher bem nossa ômega mesmo.

Conversa vai conversa vem e Chai percebeu que até que esses eventos não eram tão ruins, apesar dos olhares.

Ela começou a se sentir mais a vontade, mas era um tedio ficar ouvindo homens falando de negócios.

Até que apareceu algo que a “salvou”.

- senhor Yoo – uma das mulheres de seus amigos junto a outras três se aproximou – se importa se levarmos sua esposa conosco?.. ela deve estar entediada ouvindo os senhores falando sobre negócios.

- eu não acho que...

- claro – ela o interrompeu – tudo bem alfa, eu posso ir.

Ele hesitou, mas sentiu pela marcar que estava tudo bem mesmo.

- tudo bem, qualquer coisa estarei aqui.

E ela se deixou ser levada.

...

- sabe o senhor Yoo sempre deixou claro que você não vinha com ele por escolha sua, isso é verdade?

- é sim, não sou muito fã de lugares cheios, além disso, não tenho educação sobre o mundo dos negócios, não sei o que seria de mim nesses lugares.

- mas decidiu vir com ele hoje.

- é, eu decidi mudar um pouco, além disso, ele sempre tem esses tipos de lugares para vir e como eu sempre quero passar mais tempo com ele eu pedi que me deixa- se acompanha- ló.

- pelo visto ele deve ser mesmo louco por você, parece que ele faz tudo o que você quer.

- meu alfa é incrível mesmo, sempre leva minha opinião em consideração... desculpem, mas podem me dizer onde fica o banheiro?

As ômegas ali presentes a guiaram até lá e depois voltaram para a festa.

...

- então você é a ômega de Yoo Kihyun?

- desculpe, quem é você?

- sou apenas um amigo de seu marido.. será que podemos conversar?

Chai não viu problema algum em aceitar o convite do tal amigo de seu alfa, afinal ela queria se tornar uma pessoa mais sociável por ele.

O tal cara a levou para a área externa da festa, havia pessoas por lá também, mas estava distante de seu alfa, o que há deixou um pouco apreensiva.

- então são casados há cinco anos?

- sim, os melhores da minha vida.

- mas não tem filhos.

- ainda queremos esperar um pouco mais, na hora certa vamos ter, Kiki disse que quer ter dez, ele é louco.

- kiki?

- é como o chamo às vezes.

- você é uma linda mulher, mas já deve ter ouvido isso hoje.

- sim, muito.

- sabe Kihyun sempre escolhia as mulheres mais lindas para ele, e eu só podia experimenta- lás depois dele, já que elas também o escolhiam primeiro.

Chai ficou sem jeito com a escolha de palavras do homem.

- experimenta- lás?

- ah você sabe que seu marido teve varias outras mulheres antes de você aparecer.. ele soube escolher muito bem a ômega dele.. com um corpo e um cheiro como o seu ele não poderia te deixar passar para outro homem... mas fico imaginando o quanto ele deve se segurar para não pular a cerca com tantas mulheres lindas ao redor dele, sempre querendo chamar a atenção de Yoo Kihyun.

Agora sim o desconforto de Chai aumentou, ela não queria saber sobre os casos de seu marido antes dele torna- lá sua.

Afinal, esse foi um dos motivos pelos quais ela o deixou esperando pela decisão dela de se casar ou não com ele, Kihyun tinha muitas mulheres aos seus pés, mas estava implorando para uma ômega sem um nome, ou dinheiro ser sua. Ela desconfiava, não queria ser uma diversão para ele, ela o amava, mas não queria ser passageira ou usada para tapar buracos.

Mas quando ele conseguiu provar que ela era tudo o que ele mais queria disse o tão sonhado, por ele, sim.

E estava sendo feliz desde então.

O alfa se aproximou um pouco mais, se inclinou e sussurrou para ela.

- Kihyun sempre me deixa experimentar suas mulheres, quero saber se está interessada.

Ela o empurrou e deu um tapa nele.

- sou uma mulher casada, marcada, como pode falar assim comigo?

Ele sorriu tocando no rosto que ardia.

- o que está fazendo?

Kihyun apareceu e não parecia lá feliz.

- alfa.

Ele se aproximou rapidamente tomando a cintura de Chai e encarando seu “amigo”.

- o que faz aqui Hyungwon?

- apenas me divertindo um pouco.

- não chegue perto dela.

- mas sua ômega não pareceu se incomodar com minha presença, não é mesmo querida?

Kihyun lançou um olhar raivoso para Chai que baixou a cabeça.

- fique longe de nós dois.

Kihyun saiu levando sua esposa consigo.

Ele foi até algumas pessoas e disse que já estava se retirando, eles tentaram impedir que o alfa fosse embora, mas ele afirmou que precisar ir sendo compreendido.

Ao sair chegaram ao carro e não quis esperar nem mais um momento saindo dali indo direto para casa.

...

A viagem silenciosa e a raiva do alfa sendo sentida por chai.

Ao chegar em casa ele praticamente correu para seu escritório.

- alfa, vamos conversar, por favor.

- não quero falar com você.

E bateu a porta.

Eles nunca haviam brigado, não de verdade, fingiam brigas quando Chai queria algo e ficava manhosa para conseguir, nada além disso.

Mesmo com medo ela resolveu ir até seu marido, queria esclarecer tudo.

Ela abriu a porta e o viu sentado com os olhos fechados suspirando tentando controlar seu lobo.

- Kiki? – disse manhosa.

- não me chame assim.

- mas o que deu em você amor?

- já disse que não quero falar agora, me deixa sozinho.

- se eu fiz algo de errado me fala logo.

- suba e vá para o quarto.

- mas você disse que quando chegássemos você iria me fazer carinhos.

- mas não estou com vontade agora – Chai ficou magoada, Kihyun sempre queria fazer carinho nela, sempre queria toca- lá – você disse que não gostava de ir comigo a esses eventos.

- mas eu fui hoje.

- e porque mudou de ideia?

- porque eu queria ficar mais tempo com você.

- ME FALA LOGO PORQUE MUDOU DE IDEIA!!.. PORQUE DE REPENTE QUERIA ESTAR SOB OS HOLOFOTES DA MIDIA?, VOCÊ SABIA QUE ISSO ACONTECERIA AO APARECER COMIGO.

Chai começou a chorar, seu marido nunca tinha gritado com ela, nunca tinha usado a voz de alfa desse jeito.

Aquilo doeu tanto.

- eu só queria ficar mais tempo com você.

Então ela saiu correndo.

Kihyun chutou a cadeira a quebrando.

Ele estava com raiva, mas sabia que tinha feito mal ao gritar com sua mulher.

Ela era frágil, dócil, não podia ser tratada daquela forma.

...

Mesmo sabendo que errou ele decidiu não procura- lá, precisava se recompor para falar com ela.

A raiva pelo ciúme o dominou.

Então depois de pensar bem no que fez e no que iria dizer a ela ele subiu para o quarto deles.

Ao entrar encontrou ela deitada na cama, parecia dormir, os olhinhos inchados, vez ou outra suspirava.

Ele se sentou na beira da cama e passou a mão nos cabelos dela.

- meu anjo, eu sinto muito.

Segurou a mão dela, mas percebeu que ela parecia segurar algo com força e com cuidado abriu o punho dela pegando uma folha de revista toda amaçada.

Ao abri- lá ele viu uma foto do ultimo coquetel que ele foi, ele estava no centro da imagem e ao redor dele algumas mulheres, a maioria delas eram casadas com seus sócios, mas não deixava de ser outras mulheres.

E em fim ele entendeu tudo.

- eu só queria que todas elas soubessem que você tem uma ômega.

A mudança de decisão dela foi por ciúmes e ele não soube prestar atenção.

Chai estava olhando para ele, e o alfa via tristeza em seus olhos.

Ela se sentou na cama pegando a folha dele.

- eu já tinha visto fotos como essas antes.. elas me incomodavam, bem pouco, mas não sei porque essa aqui foi a gota d’agua. Você é um homem importante, respeitado, mas sua esposa nunca esta com você, sei que isso gera um impacto negativo, além disso, sei que muitas mulheres dão em cima da você por não andar comigo.

- mas você não tem que fazer coisas que não gosta só para me proteger.

- eu sei, mas agora quero ser mais ativa na sua vida social, eu gostei de ontem, vi pessoas, conversei, usei um vestido lindo só pra você.

- me perdoa por ter gritado, eu fiquei com raiva, aquele homem nunca deveria ter chegado perto de você. O que ele ti disse?

- nada do que eu já não soubesse, não precisa se preocupar.

- então não precisa se preocupar com outras mulheres, eu só tenho olhos para minha ômega.

- eu sei, mas a partir de agora quero andar por ai com você, para marcar território, você é só meu alfa.

Kihyun sorriu todo apaixonado para Chai.

- eu te amo tanto ômega, desde que te vi pela primeira vez eu soube que não poderia ficar nenhum dia sem te ver, você é tudo pra mim, é perfeita pra mim.. você e nossos futuros dez filhotes são meu mundo.

- não acho que vamos chegar a dez não.

- mas eu quero.

Chai sorriu pela teimosia do marido.

- eu te amo Kihyun, você é meu homem, minha luz, meu tudo.. você e nossos futuros dez filhotes.

Eles sorriram e Kihyun a beijou finalmente.

- eu quero tanto ouvir você gemer pra mim agora.

Ele foi se deitando por cima dela, mas Cha foi mais rápida e inverteu as posições.

- só se meu alfa me foder até que eu não possa andar direito.

- mas eu sempre pego pesado a esse ponto.

Ela o beijou começando a tirar a roupa dele. E o alfa fez o mesmo com ela.

Foi tudo tão rápido que logo Chai estava cavalgando em seu alfa, mas então eles mudaram para a posição preferida dele.

De quatro.

A cada investida Chai gemia mais alto, ela não sabia como, mas Kihyun sempre conseguia acertar seu ponto G facilmente.

Talvez pelo tamanho e grossura do pau dele, ou por ele saber exatamente cada detalhe do corpo de sua ômega.

Kihyun a puxou para ele ainda dentro dela e sussurrou em seu ouvido, ele adorava fazer isso porque o corpo dela ficava todo arrepiado.

- quero que minha ômega deixe meu pau todo melado, entendeu?

Ela apenas concordou, já estava quase no limite mesmo.

...

Kihyun estava deitado na cama, Chai em cima de seu peito dormindo enquanto ele acariciava as costas nuas da esposa ainda ligado nela, o nó não havia desatado, mas ela dormiu.

Ele estava ali, com sua ômega em seus braços, dentro dela, com o cheiro dela por todo o seu corpo a ouvindo ressonar vez ou outra.

- Yoo Chaenne, você é meu mundo, é tudo o que eu preciso.

Beijou a testa dela e fechou os olhos suspirando.

- alfa, eu te amo.

Ele sorriu, sorriu porque quem lhe disse aquilo não foi Chai, mas sim a loba dela para seu lobo, deixando os dois completamente bobos de amor.

Kihyun dizia todos os dias para sua mulher que a amava, mas com a primeira briga deles teve ainda mais certeza de que ele nunca se enganou, ela era sua ômega predestinada, sua vida, sua alma gêmea, e faria de tudo para vê- lá sorrir todos os dias.

Esse era seu trabalho mais prazeroso.


Notas Finais


Obrigada por ler.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...