História A ordem eclipse - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias The Seven Deadly Sins (Nanatsu no Taizai)
Personagens Elizabeth Liones, Gabriel, Gelda, Meliodas, Michael, Raphael, Zeldris
Tags Anjo, Annie, Demônio, Descendentes, Elizabeth, Fantasia, Kevin, Meliodas, Romance
Visualizações 26
Palavras 986
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Magia, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


BOA LEITURA 💖

Capítulo 17 - Fica comigo


Fanfic / Fanfiction A ordem eclipse - Capítulo 17 - Fica comigo

Kevin on:

“ Annie me perdoe, me perdoe por favor,eu nunca quis te machucar, nunca quis que tivesse medo de mim e olha o que eu faço, aí se você soubesse o quanto me importo com você, quando eu vi ela sendo beijada por aquele...ai nem vou falar... mas eu juro que se ele fizer isso de novo com ela, não me importo se ele é o mais forte dos arcanjos ou o mais importante,eu acabo com a raça dele. O que está acontecendo comigo? Nunca fui tão possessivo com algo, muito menos com alguém, porém não vou negar que a aparência tão bela,o jeito tão especial e o ser único que ela é, me fizeram depender dela e desses sentimentos,a tornaram alguém importante na vida, algo tão essencial quanto o ar para respirar, ela me mostrou em pouco tempo um mundo diferente do que eu via, me fez várias vezes ter inveja dos humanos, que podem se apaixonar e viver com quem quiserem, ela é a minha razão de viver, de acordar, de sonhar, tudo o que eu consigo é agradecer por ter essa garota-arcanjo em minha vida.

Ainda estava descontrolado mas usava o sentimento que Annie transmitiu no abraço como uma âncora, meu avô estava insistindo em me controlar, me afasto de Annie com medo de machuca-la ainda mais,chacoalho a cabeça para os lados,fecho os olhos, tentando me manter no controle, ela olha para mim, como se estivesse sentindo dor ao me ver assim,tenta se aproximar mas eu a impeço.

— Espere...—respiro fundo cansado e sentindo muita dor, falando dessa vez para meu avô— Pare... de tentar... me controlar... eu... não vou... deixar!

Annie se aproxima de mim ainda com os olhos brilhantes de choro, segura com as duas mãos o meu rosto, dando um beijo em minha testa, sussurrando palavras que pareciam um cântico, me fazendo retomar o controle, relaxando completamente.

(...)

Acordei sentindo um carinho gostoso em meu rosto e algumas gotas de água quentes, ela estava chorando comigo deitado com a cabeça em seu colo,seguro uma de suas mãos na esperança de consola-la.

— Não chore!

Ela respirou profundamente e claramente aliviada, estava chorando por minha causa,sento do seu lado, segurando sua cintura, ela encosta a cabeça em meu ombro, sentindo dor coloco a mão na minha testa um pouco tonto.

— Você está bem?

— Não...e você está?

Procurei ferimentos e acabei encontrando a marca de minha mão em seu braço,eu sou um idiota mesmo.

— Estou bem, você não me machucou!

— Mas o seu braço,eu...

Sou interrompido, quando ela aproxima nossos rostos e me beija de uma forma carinhosa até que somos interrompidos pela falta de ar, ela me abraçou, vendo que ela estava gelada,a pego no colo, e a coloco na cama,eu iria sair, mas ela me segura pelo pulso, me pedindo para ficar com ela, apenas conversar ou descansar, só queria que ficasse com ela.

— tudo bem,eu vou ficar,mas eu vou pela manhã, não quero te increncar e nem te acordar, então não vou me despedir.

Me deito ao seu lado, ela continua gelada, então por instinto a abraço, fazendo ela colocar os braços dentro da minha jaqueta, aproximando seu rosto de meu peito, então aperto um pouco mais o abraço. Começamos a conversar e depois de um tempo acabamos dormindo.

— Annie

 — Ahn

Sussurro enquanto ela dorme comigo.

— Fica comigo?

— Sempre

Sorrio a abraçando mais, Annie você é a minha salvação.

(...)

Acordei bem cedo,o sol ia começar a nascer, Annie dormia profundamente, sua expressão era serena, mas tinha uma certa carência, já que eu não estava lá, ela abraçava uma parte do cobertor dando alguns gemidos baixos, então decido escrever um bilhete de bom dia, para me despedir e desejar um bom dia:

Bilhete de Kevin:

" Bom dia Luna

Obrigado por me deixar dormir aqui e cuidar de mim, me desculpa de novo pelo machucado,a forma como agi e não me despedir.

Um beijo

Kevin"

Coloco em cima de um armárinho ao lado da cama, foi quando eu vi que ela tinha guardado a flor que havia dado a ela no festival, sorrio e antes de sair dou um leve beijo em sua bochecha,vendo-a se ajeitar mas não acordar para meu alívio, já que depois de tudo que ela passou ontem isso seria o melhor.

Abro a janela, vendo a luz bater no meu rosto,respiro fundo,fecho a janela bem devagar para não acorda-la,olho para ela mais uma vez, com a mão ainda na janela,sei que preciso ir mas era difícil e então eu vou para casa feliz, pois sei que vou vê-la novamente.”

Narradora on:

Annie estava acordada,e pode sentir quando Kevin a beijou, sorrindo levemente com essa ação tão simples do garoto mas cheia de significado.

Ela então foi sentar-se na janela, observando o nascer do sol, sentindo ainda o sensação de como era estar nos braços do garoto-demônio,sem evitar ela sorri ao se lembrar cada vez mais dele.

(...)

Annie está nervosa, chegou a hora de colocar em prática suas habilidades, Mizael,o seu primo,lhe dá um abraço dizendo que ela não precisa se preocupar pois ela irá se sair bem, Annie o abraça, mas Nathaniel, que não gostava dela por ser uma furiana, disse que isso era uma bobagem, que ela fraca e nem poderia derrotar ninguém mesmo se fosse uma brincadeira, porém a Annie não é fraca, ela tinha falado com Kevin sobre o teste que lhe deu algumas dicas para que se saísse bem, além de que Daniel que lhe ensinou alguns golpes. Eles se aproximaram do lugar onde ela viu Kevin pela primeira vez, logo eles avistam Soliel em baixo de uma árvore sentado na grama, eles desceram ao encontro dele, onde o mesmo sorri com o olhar apaixonado, quando vê a garota.

— Então quem irá primeiro?

— Eu e Nathaniel não decidimos ainda.

— Tudo bem então eu vou por primeiro.

Soliel se aproxima de Annie, que se posiciona em modo de defesa, enquanto ele com toda a sua arrogância fica parado normalmente na frente de Annie, ela fechou os olhos e respirou fundo, estava na hora de começar a luta.

CONTINUA...


Notas Finais


Blz é isso por enquanto
No próximo capítulo teremos uma luta entre Annie e os arcanjos.
Até mais


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...