História A paixão de um bilionário. - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Chiyo, Deidara, Inochi Yamanaka, Itachi Uchiha, Kakashi Hatake, Kizashi Haruno, Madara Uchiha, Mebuki Haruno, Naruto Uzumaki, Orochimaru, Pain, Rock Lee, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shion, Temari, TenTen Mitsashi
Tags Madasaku, Naruto, Romance
Visualizações 144
Palavras 5.492
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, Literatura Feminina, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi amoreees, voltei com a continuação.
Perdão pela demora mas não tenho tido tempo para atualizar as minhas fics.
Ando muito ocupada e sobrecarregada espero que entendam, amo vocês

Capítulo 9 - 9


Continuação...


Ele chuta a porta para fechá-la e me senta entre as pias do gabinete do banheiro antes de voltar para trancar a porta. Meu vestido ainda está amontoado em volta da minha cintura, minhas pernas e minha calcinha totalmente expostas.

Olho para o vasto cômodo com o qual estou familiarizada, e meus olhos pousam na gigantesca banheira de mármore cor de creme que domina o centro do recinto. Sorrio, lembrando o trauma que foi contratar um guindaste para içá-la pela janela.

Foi um pesadelo, mas ficou espetacular !

A ducha dupla no lado oposto foi feita de uma parede do chão ao teto de vidro e azulejos travertine preto, e o gabinete em que foi exposta é feito de mármore colombiano de cor creme , com duas pias e torneiras cascata. Um espelho grosso de moldura dourada entalhada ocupa toda a parede sobre a bancada, em uma poltrona grande decora a área da janela em diagonal.

É a personificação do Luxo !

Ouço o clique da fechadura, que me tira da divagação de admirar meu trabalho e atrai meus olhos para porta, de onde Madara me olha com atenção. Ele se aproxima e começa lentamente a desabotoar a própria camisa. Meu estômago se contrai em excitação e esfrego uma coxa na outra.

Esse homem é absolutamente impressionante.

Quando o último botão se abre, ele para diante de mim com a camisa aberta. Não resisto e passo o dedo pelo meio do seu peito firme e bronzeado. Ele olha para baixo para acompanhar a trilha que desenho, colocando as mãos em uma de cada lado do meu quadril, abrindo espaço entre minhas coxas. Ele olha pra mim novamente, seus lábios se abrem num sorriso e seus olhos brilham, as rugas expressivas que surgem em seus olhos, suavisam a intensidade de sempre.

- Você não pode escapar agora - ele brinca.

- Eu não quero escapar.

- Que bom - ele diz em um fio de voz, atraindo meus olhos para aqueles lábios lindos.

Faço o caminho de volta com o dedo sobre seu peito, passando por seu pescoço até pousá-lo em seu lábio inferior. Ele abre a boca, morde meu dedo de leve, e eu sorrio, subindo ainda mais e passando a mão por seus cabelos.

- Gostei do seu vestido - ele passa os olhos pelo meu corpo.

Sigo seu olhar, que para no amontoado de tecido em volta da minha cintura.

- Obrigado.

- Só que ele é um pouco limitante - ele puxa o tecido.

- É mesmo - concordo.

A expectativa está me matando.

Rasgue logo esse vestido !

- Que tal tirá-lo ? - ele levanta uma sobrancelha, os cantos de sua boca denunciando um sorriso.

Eu sorrio.

- Fique à vontade.

- Ou talvez deixá-lo aí ? - um sorriso se abre de uma vez e ele levanta as mãos. Eu me derreto sobre o gabinete. Suas mãos voltam pra mim rapidamente, deslizando pelas minhas costas - Mas pensando bem, já conheço o que há por baixo desse lindo vestido - ele pega o zíper e respira na minha orelha - E é muito melhor do que o vestido - ele sussurra, ò abrindo lenta e tentadoramente. Estou arfando desesperada - Acho que vamos nos livrar dele.

E então ele me coloca de pé no chão por um instante e tira meu vestido, que cai no chão. Ele  o chuta para o lado sem tirar os olhos de mim.

Olho pra ele com uma expressão zangada.

- Eu gosto desse vestido !

Não dou a mínima para o vestido.

Ele poderia tê-lo rasgado e limpado as janelas com ele !

- Compro outro pra você - ele dá de ombros e me coloca de volta na bancada, reassumindo o seu lugar entre minhas coxas.

Pressionando o corpo contra o meu, agarra minha bunda, me puxando para ficarmos grudados. O moreno se esfrega em mim quanto me encara.

A pulsação no meu sexo beira à dor, e estou em sério risco de desintegração se ele continuar com seus movimentos. Quero pedir que vá mais rápido.

Estou lutando para me controlar.

Ele abre meu sutiã, passando as alças pelos meus braços e tirando-o para trás. Eu me apoio pra trás, usando as mãos e expondo os seios para ele, que sem tirar os olhos de mim, pousa a mão na base do meu pescoço.

- Posso sentir seu coração batendo forte - ele diz em voz baixa - Você está tão afetada por mim - então ele desliza por entre meus seios até chegar ao meu ventre, sempre me olhando, ardente e delicioso - Você é muito linda e gostosa - ele se esfrega de novo em mim com força - Acho que vou ficar com você para mim.

Arqueio as costas, lançando meu peito para frente e ele sorri, antes de baixar a cabeça e tomar meu mamilo nos lábios, chupando com força.

Quando aproxima a outra mão para acariciar meu outro seio, dou um gemido e deixo minha cabeça pender para trás, contra o espelho.

Oh, meu bom Deus !

O homem é um gênio !

Sua ereção está dura como aço, fazendo pressão entre minhas pernas, me levando a mexer os quadris para diminuir a pulsação, com um gemido longo.

Não sei o que fazer !

Quero absorver o prazer, porque é tão bom, mas a vontade de tê-lo dentro de mim me consome, a pressão no meu sexo a ponto de explodir.

Como se tivesse lido meus pensamentos, ele desce a mão pelo interior da minha coxa, encontra minha calcinha e, com um dedo ele derruba a última barreira, roça a ponta do meu clitóris.

- MERDA ! - grito, impulsionando o corpo e segurando seus ombros, cravando as unhas em seus músculos tensos.

- Sem palavrões ! - ele me dá uma bronca e então cola os lábios nos meus, enfiando dois dentro de mim.

Minha vulva o agarra enquanto ele move para dentro e para fora.

Eu poderia morrer de prazer.

Sinto o orgasmo se aproximando rapidamente e sei que vai me despedaçar. Agarrada aos seus ombros, solto um gemido dentro da sua boca enquanto ele continua seu ataque.

Ah, aqui vem !

- Goza ! - ele ordena, colocando mais pressão no topo do meu clitóris. 

Eu me desmancho em uma explosão de estrelas, afastando minha boca da dele e jogando a cabeça pra trás, em completo delírio.

- AHHHHH ! - em meio aos gritos, ele puxa a minha cabeça de volta para capturar minha boca com a sua, pegando o final dos meus gemidos.

Estou em pedaços.

Estou ofegante, trêmula e mole, desintegrando sobre ele, totalmente desinibida e sem vergonha do que ele faz comigo.

Estou delirando de prazer !

Seu beijo se torna mais suave, suas investidas mais lenta, trazendo-me aos poucos de volta para a Terra, enquanto cobre meu rosto quente e úmido com beijos doces.

Isso foi bom !

Muito bom !

Bom demais !

O sinto tirar uma mecha de cabelo do meu rosto e abro os olhos, me deparando com olhos intensos e satisfeitos. Ele planta um beijo suave no meus lábios e eu suspiro.

É como ser uma vida inteira de pressão reprimida tivesse se extinguido de uma hora para outra.

Estou relaxada e saciada.

- Melhor ? - ele pergunta, tirando os dedos de dentro de mim.

- Hmmm - dou um gemido como resposta.

Não tenho forças para palavras.

Ele passa os dedos pelos meus lábios e se inclina sobre mim, me observando com atenção e passando a língua por eles, lambendo os resíduos do meu orgasmo. Seus olhos me queimam enquanto nos olhamos em silêncio, e minhas mãos instintivamente tocam seu rosto, acariciando a pele recém barbada.

Esse homem é lindo, intenso e apaixonado !

E pode partir meu coração.

Ele sorri suavemente, virando o rosto para beijar a palma da minha mão, antes de voltar os olhos pra mim.

Deus, eu estou encrecada !

Somos cruelmente arrancado da intensidade daquele momento quando a maçaneta gira. Levo um susto e Madara coloca as mãos sobre minha boca, me olhando com satisfação.

Ele acha isso engraçado ?

- Não escutei nada - uma voz estranha fala, enquanto a porta balança.

Meus olhos se arregalam em horror.

Ele tira a mão, substituindo-a pela boca.

- Shhhhhh ! - ele me censura, com os lábios colados aos meus.

- Meu Deus, me sinto uma vadia - lamento, deixando seus labios e deitando a cabeça em seus ombros.

Como vou sair desse lugar sem ficar vermelha como um pimentão e com CULPA escrita na testa ?

- Você não é uma vadia. Se continuar falando assim, vou se forçado a bater nessa bunda deliciosa aqui mesmo, no meu banheiro.

Levanto a cabeça de seu ombro num segundo, olhando para ele confusa.

- Seu banheiro ?

- Sim, meu banheiro - ele me oferece um sorriso safado - Eu gostaria que parassem de deixar estranhos perambularem pela minha casa.

- Você mora aqui ? - Estou pasma.

Ele não pode morar aqui.

Ninguém mora aqui !

- Bem, a partir de amanhã. Me diga, toda essa merda colombiana vale o preço exorbitante que pediram por esse lugar ? - ele me olha, ansioso.

- MERDA COLOMBIANA ? - grito, totalmente insultada. Ele ri e cogito dar um tapa nele - VOCÊ NÃO DEVIA TÊ-LO COMPRADO, SE NÃO GOSTA DESSA MERDA COLOMBIANA QUE VEM DENTRO DELE ! - disparo, completamente ultrajada.

- Posso me livrar da merda ! - ele brinca.

Minha sobrancelha se levanta em uma expressão de "Você-não-disse-isso"

Passei meses pesquisando toda essa merda colombiana, e esse porco mal-agradecido simplesmente vai se livrar dela ?

Nunca fui tão insultada nem estive tão puta da vida !

Tento tirar minhas mãos das dele, mas ele aperta mas ainda.

Meu rosto se fecha em ódio.

Ele sorri.

- Relaxe, Sakura. Eu jamais me livraria de nada neste apartamento - ele me beija com força - E você está nesse apartamento - que ele toma minha boca de novo, possessivo e ávido.

Não vou me prender demais a esse pensamento.

Minha libido foi chamada ao dever e fico feliz em obedecer. Eu o ataco com a mesma força, enfiandoa a língua em sua boca, envolvendo a dele com a minha, e ele solta minhas mãos que vão parar naquele ombros que tanto amo.

Passando o braço pela minha cintura, ele liberta meus lábios e  me levanta da bancada, enquanto sua outra mão agarra minha calcinha. Ele me põe de volta no lugar e tira meus sapatos e faz barulho ao soltá-los no chão. Estou impaciente, então o acompanho na tarefa de tirar a roupa, passando sua camisa pelos ombros largos, revelando seu peito em toda a sua glória.

Ele é talhadado a perfeição.

Quero lamber cada centímetro quadrado dele. 

Olhando pra baixo, me surpreendo ao ver uma feia cicatriz que desce de seu estômago até o lado esquerdo do quadril.

Eu nunca a tinha notado ! A luz do The Sun estava difusa, mas é uma cicatriz notável.

Já está desaparecendo, mas é bem grande. Como será que ela aconteceu ?

Decido não perguntar.

Pode ser um assunto delicado e não quero estragar esse momento. Eu poderia ficar aqui sentada, o admirando  para sempre.

Mesmo com a cicatriz sinistra, ele é lindo !

Amasso sua camisa transformando em uma bola com as mãos, jogo-a sobre meu vestido, e ele levanta uma sobrancelha para mim.

- Compro outra pra você - dou de ombros.

Ele dá mais um sorriso safado e se inclina para frente, apoiando-se na bancada e capturando meus lábios, todo pensativo, cuidadoso. Abro o seu cinto, tirando-o de todos os passantes de uma só vez e terminando em um estalo.

Ele se afasta, me olhando com suspeita.

- Você vai me bater ?

- Não, imagina - respondo sem convicção, jogando o cinto no chão e deslizando a mão pelo cós da calça. O puxo para frente para ficarmos bem próximos - É claro se você quiser...

Eu disse isso mesmo ?

- Vou manter isso em mente - ele diz com um meio sorriso.

Mantendo meus olhos firmes nos dele, começo a desabotoar sua calça, minhas articulações roçando em sua ereção rígida, fazendo-o estremecer. Ele fecha os olhos enquanto abro seu zíper, enfiando a mão dentro sua cueca boxer, tocados os pelos negros. Ele treme de novo, olhando para o teto, os músculos do peito flexionando e se curvando.

Não resisto à tentação de me inclinar e passar a língua sobre seu peitoral.

- Sakura, saiba que quando eu a possuir, você você será minha.

Estou embriagada de mais de tesão para sequer me dar conta dessa afirmação. Respondo com um "Hmmmm" em sua pele, circulando o mamilo com a língua e retirando a mão de dentro de sua cueca. Baixo sua calça pelos quadris estreitos até libertar o pau dele.

Meu Deus ! 

É enorme !

O sobressalto involuntário que escapa de minha boca é um indicativo de que meu choque e, ao encará-lo, vejo aquele sorriso brincando nos cantos da boca dele. É a prova embaraçosa de que precisava para constatar que ele percebeu minha reação.

Ele recua, chutando os sapatos e as meias para longe antes de tirar a calça e a cueca. Meus olhos são instantaneamente guiados para suas coxas bem torneadas e poderosas. Recuperando um pouco da autoconfiança, passo lentamente o polegar por sua glande, estudando-o enquanto ele observa a minha mão explorando-o.

Quando o seguro cuidadosamente pela base, o vejo  resistir ao contato.

 - Porra, Sakura - ele arfa, pousando   as mãos nos meus quadris. Dou um sobressalto e ele sorri - Têm cócegas ?

- Só aí - soluço.

Ah, isso me deixa louca !

- Vou me lembrar disso - ele diz, me beijando com urgência, enquanto começo a acariciar lentamente o seu membro, aumentando o ritmo quando sinto sua boca mais firme contra a minha.

Sua mão desaparece contra minhas pernas, e com movimento do seu polegar no meu clitoris pulsante, sou subitamente teletransportada para o paraíso do prazer.

Estou ofegando em sua boca.

Ele morde meu lábio.

- Está pronta ? - ele pergunta com urgência, e simplesmente assinto, porque não tenho mais capacidade de falar.

Ele tira a mão de dentro de mim, retira a minha de sí, e com movimentos estudados, coloca as mãos nas minhas costas, me levantando da bancada e me invade com força.

- AHHHH ! - grito.

- Tudo bem ? - ele ofega - Você está bem ?

- Dois segundos, preciso de uns dois segundos - envolvo-o com as pernas, chorando um misto de prazer e dor.

Sei que nem metade dele me penetrou.

Jesus, o homem é imenso !

Ele me vira e me cola a parede, o frio dos azulejos não incomoda nem um pouco enquanto tento me acostumar a imensidão de Madara. Ele descança com a sua testa contra a minha, minhas mãos deslizando por suas costas cobertas de suor. Ele fica imóvel por um instante, me dando tempo para me acostumar a penetração.

Com a respiração acelerada, ele sai de mim e retorna com uma investida decidida e deliberada. Desta vez vai mais fundo e a invasão faz minha cabeça girar.

- Você aguenta mais ? - ele pergunta com urgência.

Mais ?

Ainda tem muito mais ?

Eu consigo !

Eu consigo !

Eu repita o mantra enquanto me acostumo com seu tamanho, respirando fundo. Quando acho que me ajustei, o beijo devagar, arqueando as costas empurrando os seios contra o peito dele.

- Sakura, me diga que está pronta - ele diz em meio a respiração.

- Estou pronta - Nunca  estive tão pronta em minha vida !

Com meu consentimento, ele sai e entra em mim com mais força. Dou um suspiro, inclinando o quadril para frente, e ele geme de prazer e repete as tocadas rápidas, de novo de novo e de novo.

- Você é minha agora, Sakura - ele ofegava, avançando de maneira profunda e deliciosa. Minha cabeça pende para trás e descansa nele - Toda minha.

Em um movimento rápido, ele tira quase tudo e então vem com força.

- AAAHHHH ! - dou um grito.

Estou em capacidade total e amando cada minuto.

Seguro seus ombros, e ele aumenta o ritmo, me invadindo, martelando meu útero a cada estocada. Choro de prazer quando ele procura meus lábios, enfiando a língua na minha boca e me possuindo desesperadamente, nossos corpos unidos batendo e deslizam de um contra o outro. Estou a ponto de explodir em mil pedaços.

Meu Deus !

Eu nunca gozei com penetração !

- Você vai gozar ? - ele pergunta enquanto me beija.

- VOU ! - grito de novo, cravando os dentes no seu labio inferior.

- OHHH ! - ele geme alto. É animalesco mas estou perdendo o controle - Espere por mim ! - ele ordena, me penetrando mais fundo.

 Solto um grito e sinto meus músculos internos latejando em volta dele.

Tento me conter, mas não está funcionando.

Será que ele vai demorar ?

Não aguento mais.

Depois de mais três estocadas, ele grita :

- AGORA, SAKURA !! - e eu rompo ao seu comando, jogando a cabeça pra trás e gritando o seu nome, enquanto sinto o seu líquido quente jorrar dentro de mim - Oh, fodaaa-seeee ! 

Ele geme contra o meu pescoço.

Ele me segura com força, me mantendo o mais perto possível e me prendendo, colando o rosto no meu pescoço exposto.

Ele diminui o ritmo para nos trazer de volta ao êxtase incrível em quem estávamos, e eu abraço forte, me contraindo por dentro enquanto ele mexe os quadris.

- Olhe pra mim - ele ordena com suavidade, o olho para ele, suspirando feliz enquanto procura os meus olhos. Ele senta ntra em mim mais uma vez e beija  a ponta do meu nariz - Linda - ele diz apenas, com a mão espalmada na parte de trás da minha cabeça, me trazendo para perto, meu rosto no seu ombro.

Eu poderia ficar assim para sempre !

Minhas costas desgrudam da parede fria e sou carregada de volta para o gabinete, com Madara ainda dentro de mim, latejando. Ele sai de dentro de mim, me sentar na bancada, coloca uma mão de cada lado do meu rosto e se inclina para me beijar, os lábios parados sobre os meus, em uma demonstração de puro afeto.

- Não machuquei você, machuquei ? - ele pergunta, a linha de expressão surgindo em sua testa.

Eu me desmancho.

Quero apertá-lo em meus braços, e exatamente o que faço. Eu abraço com todo meu corpo, braços e pernas, me prendo a ele como se minha vida dependesse disso. Seu rosto se perde na minha nuca enquanto ele acaricia minhas costas. 

É a sensação mais relaxante que já senti.

Não consigo nem reunir forças para me sentir culpada.

Quem é Shion mesmo ?

Ficamos juntos em um emaranhado de abraços e pernas, respiração ofegante, abraçados por um bom tempo.

Quero ficar exatamente onde estou !

Nós poderíamos, é o banheiro dele.

Banheiro dele...

Não acredito que ele comprou a cobertura

Depois de alguns minutos, ele se afasta um pouco e passa as articulações dos dedos pelo meu rosto.

- Não usei camisinha - ele disse com um genuíno arrependimento no olhar - Desculpa, me deixei levar pelo momento. Você toma pílula, certo ?

- Sim, mas as pílulas não me protegem contra doenças sexualmente transmissíveis.

Eu sou muito idiota !

Esse homem é um Deus que sabe o que faz.

Nem quero pensar com quantas mulheres ele já dormiu.

Meu Deus, e se tiver pego alguma doença ?

Ele sorri.

- Sakura, eu sempre usei camisinha - ele beija minha testa - Exceto com você.

Hein ?

- Por quê ? - pergunto, confusa.

Devo acreditar na sua confirmação ou ele só está querendo me tranquilizar com seu pinto bacteriano e nas infinitas doenças que ele pode ter me passado ?

Ele se afasta ainda mais um pouco e morde o lábio inferior.

- Não penso direito quando estou perto de você - ele veste a cueca e a calça e pega, na estante acima da minha cabeça, uma toalha de rosto.

Estou prestes a protestar quando eu lembro....é dele.

Tudo aqui é dele !

Exceto eu !

Bem, não de acordo com ele, mas acho que aquilo foi só proximidade de um orgasmo falando.

Podem-se dizer coisas hilárias nos momentos de paixão. Ele não pensa com clareza ?

Não posso julgá-lo. Somos dois, então.

Ele abre a torneira, coloca toalha sob o fluxo da água e volta a se posicionar diante de mim. Estou exposta, sentada ali completamente nua. Não é justo, então fecho as pernas para me esconder, subitamente desconfortável com a minha nudez. Mas uma expressão de perplexidade passa por seu rosto bonito, e ele faz um bico para depois segurar minhas pernas e abri-las gentilmente.

- Assim é melhor - ele balbucia, tirando meus braços do meu colo e colocando-os em seus ombros.

Ele coloca a toalha morna e húmida entre minhas coxas e começa a me limpar, fazendo movimentos para cima e para baixo, retirando os resíduos de si mesmo de mim.

É gesto é doce e extremamente íntimo.

Observo seu rosto fascinada, notando a suave ruga em sua testa surgindo com a concentração que dedica ao processo de me limpar.

Seu olhar volta para o meu, seus olhos ônix, suaves e brilhantes.

- Eu quero jogar você debaixo daquele chuveiro e idolatrar cada centímetro seu, mas isso vai ter que servir por hora, pelo menos - ele se inclina e me beija, deixando os lábios nos meus por algum tempo.

Acho que nunca vou me cansar desses beijos simples e carinhosos.

Seus lábios são tão macios, seu perfume... divino.

- Vamos lá, vamos vestir você minha rainha - ele me levanta da bancada e me ajuda a vestir a calcinha e o vestido, antes de fechar meu zíper.

Meu corpo todo convulsiona quando ele cola os lábios em minha nuca, sua boca quente me arrepia.

Acho que não consegui tirá-lo da cabeça de jeito nenhum. 

 isso é ruim !

Pego sua camisa rosa-claro no chão e dou uma sacudida antes de entregá-la a ele.

- Não havia a menor necessidade amassá-la, havia ? - ele sorri, antes vesti-la, abotoá-la e colocá-la dentro da calça azul-marinho.

- O paletó vai cobri... - relembro o momento em que o joguei no chão do quarto e arrregalo os olhos para ele.

- Pois é - ele levanta a sobrancelha e estala ocinto, me fazendo encolher. Ele sorri -Certo, pronta para encarar os fatos ? - ele estende a mão para mim e eu aceito sem pensar duas vezes. O homem é um imã  ! - Ainda bem que a música está alta, não acha ?

Meu queixo cai e ele me oferece um sorriso encantador de orelha a orelha. Depois balanço a cabeça, olhando de relance no espelho.

Ah, estou entregando o jogo.

Meus lábios estão inchados e vermelhos, meu cabelo ainda está preso, mas algumas mechas estão escapando por todos os lados e estou toda amarrotada.

Preciso e cinco minutos para me arrumar !

- Você está perfeita - ele garante, como se sentisse o pânico que me invade.

Perfeita ?

Perfeita não é palavra que usaria.

É evidente que eu acabei de fazer sexo !

Ele me puxa para porta, a destranca e sai sem a menor preocupação, enquanto eu sou  mais cautelosa. Vejo seu paletó caído no chão, e ele o pega quando passamos.

Quando chegamos nas escadaria, de repente me deu conta de que ainda estamos de mãos dadas e tento me desvencilhar, mas ele a aperta com mais força, me olhando feio.

Merda !

Ele precisa me soltar.

Meu chefe e meus colegas de trabalho estão lá embaixo. Não posso passar por eles de mãos dadas com um estranho.

Tento me soltar novamente, mas ele se recusa a deixar.

- Madara, solte a minha mão.

- Não ! - ele retruca curto e firme, sem nem olhar para mim.

Paro abruptamente no meio das escadas e olho para o andar de baixo.

Ninguém  está olhando para nós, graças a Deus ! 

Mas não vai demorar para alguém nos ver.

Madara se vira, me olhando de alguns degraus abaixo.

- Madara, você não pode esperar que eu ande por aí de mãos dadas com você. Isso não é justo. Por favor, me solte.

Ele olha para nossas mãos unidas, suspensas entre nós.

- Não vou soltar você ! - ele murmura sombriamente - Se soltar, você pode esquecer de como é. Você pode mudar de ideia.

Não  existe a menor chance de eu esquecer como somos pele com pele, mas essa não é a parte da frase que me incomoda.

- Mudar de ideia sobre o quê ? - pergunto, perplexa.

Sobre mim - ele diz simplesmente.

O que tem ele ?

Ainda não tenho uma opinião formada sobre nada, então não há o que mudar.

Minha cabeça está um pouco mais confusa.

Preciso concentrar minha atenção em convencê-lo a soltar minha mão antes que alguém nos veja.

Então  faço o registro mental desse comentário, assim como fiz com outros comentários estranhos que ele soltou lá em cima.

Merda !

Quase caio da escada quando vejo Shion andando pelo terraço, a realidade caindo como uma avalanche sobre mim.

Claro que quando ele a vir, vai deixar de ser um tolo irrracional !

Ela está voltando para dentro.

Não tenho tempo a perder, então estreito meus olhos para ele e uso a força para arrancar minha mão da dele, quase deslocando o ombro no processo. Ele me olha feio, mas eu não fico parada tempo bastante para enfrentar sua irritação e desço as escadas rapidamente, indo para a vastidão da cobertura.

A mulher já deixou claro que não gosta de mim, e não posso culpá-la.

Ela me viu como uma ameaça, o medo não era infundado, final.

Chego a base da escada e vejo Pan abrindo o caminho entre os convidados, agitando os braços freneticamente.

- Aí está você ! Onde esteve ? Kakashi está procurando  você por toda parte ! - ele agarra meus ombros, me olhando de cima a baixo, sempre a rainha do drama.

Notando meu estado desmazelado, ele me lança um olhar suspeito.

 Sinto o calor subindo pelo rosto.

- Estava mostrando o local para o senhor Uchiha - respondo, ainda que de maneira pouco convincente, acenando por sobre meu  ombro, na direção de Madara.

 Sei que ele está logo atrás de mim, ou poderia ser seu perfume em mim.

Sinto-me como se tivesse sido marcada... possuída até !

Com as mãos ainda cravadas nos meus ombros, Pan olha acima dos meus ombros e tem um sobressalto, me puxando para mais perto para falar ao meu ouvido.

- Mapô, quem é esse ser divino rosnando para mim ? - ele pergunta, me cheirando.

Eu me desvencillho de suas mãos e viro para ver Madara fazendo um buraco em Pan com o olhar. Eu reviro os olhos diante do comportamento patético.

Pan é o gay mas gay de Tóquio.

Ele não pode se sentir ameaçado por Pan !

- Pan, este é o senhor Uchiha. Senhor Uchiha, Pan. Ele é um colega de trabalho. E além disso é gay - acrescento a ultima parte com sarcasmo.

Pan não se importa, não que não seja óbvio, de todo jeito.

Olho para Pan, de sorri abertamente, e então volto os olhos para Madara, que parou de rosnar, mas não parece menos enfurecido. Pan se adianta, pega nos ombros de Madara e dá um beijinho no ar em torno dele.

Contenho o riso, vendo os olhos de Madara se arregalaram, e seus ombros ficarem tensos.

- E um prazer, de verdade - Pan cantarola diante de Madara, acariciando seu bíceps - Diga, você se exercita ?

- Hahaha ! - uma gargalhada escapa dos meus lábios e, de modo muito imaturo, decido deixar Madara lidar sozinho com o flerte escandaloso de Pan.

Seus olhos me lançam punhais quando me viro para sair, mas pouco me importo.

Ele está sendo absurdamente irrracional !

Encontro Kakashi na cozinha, e ele acena para que eu me aproxime, me oferecendo uma taça de champanhe quando chego.

- Aqui está ela ! - Kakashi anuncia para um homem alto, passando o braço pelos meus ombros e me puxando para si - Essa menina transformou minha empresa. Tenho orgulho de você, cereja. Onde esteve ? - ele pergunta, seus olhos negros brilhando e suas bochechas vermelhas, sinal claro de que já bebeu demais.

- Estive mostrando o local para algumas pessoas - minto, sorrindo com doçura enquanto só esmagada contra ele.

- Eu estava falando de você. Suas orelhas deviam estar queimando - diz Kakashi - Este é o senhor Orochimaru Haurs, um dos proprietários da incorporadora. Eu estava acabando de dizer que você ficará mais do que feliz em trabalhar no novo projeto deles

Senhor Orochimaru ?

Ah, ele é o outro parceiro.

Eu não conhecia.

- Meu sócio me falou muito sobre você - Orochimaru comenta, sorrindo largamente.

Ele tem muita classe, é muito alto e seus cabelos são negros e longos como os de Madara, com um terno feito sob medida e sapatos refinados.

É muito lindo !

E sexy para um homem de cinquenta e cinco anos... outro homem mais velho.

Isso é algum tipo de carma ?

- Estou ansioso para trabalharmos juntos - ele diz, me fitando.

Fico vermelha.

- Será um prazer senhor Oroshimaru. O que tem em mente para o próximo projeto ? - pergunto ansiosa, tentando disfarçar o incômodo que ele me causa.

- Por favor, me chame de Orochi. O edifício está quase pronto - ele aumenta ainda mais a sorriso. E nossa, que sorriso ! - Decidimos por nórdico tradicional. Sendo da Rússia, estamos voltando as nossas raízes.

Seu sotaque leve é muito sexy !

Porra, Sakura !

Para de pensar besteira.

Espera, Nórdico tradicional ?

Isso me enche de pânico.

Isso significa que preciso estudar toda a Rússia e a União Soviética ? Não seria melhor eles contratarem o nórdico para esse trabalho.

- Parece ótimo - digo virando para deixar a taça no balcão, avistando Madara com Shion do outro lado da sala.

Meu Deus !

 Ele está cavando buraco em mim com os olhos e Shio está bem ali.

Volto à minha conversa. 

 O pânico deve estar evidente no meu rosto em chamas.

- Acho que sim - Orochi concorda - Assim que Kakashi e eu chegarmos a um  valor interessante, podemos começar a pensar nas especificidades. E você pode começar a fazer alguns esboços.

- Vou aguardar ansiosamente - estou inquieta, sentindo os olhos de Madara queimarem as minhas costas.

 - Ela não vai decepcioná-lo, Orochi - Kakashi festeja.

Ele sorri.

- Sei que não. Você é uma jovem que além de linda, é excepcionalmente talentosa, Sakura. Sua visão é impecável. Agora, você me dão licença... - sinto um rubor se intensificando no meu rosto enquanto ele aperta a mão de Kakashi e depois da minha - Entrarei em contato - diz segurando a minha mão por um tempo maior do que o necessário, sem desviar os olhos de mim, antes de soltá-la e se afastar.

 Eu ainda estou presa debaixo do braço de Kakashi quando Ino se aproxima e se inclina sobre o balcão, bufando.

- Meus pés estão me matando - ela exclama.

Ao mesmo, tempo Kakashi eu baixamos a cabeça para olhar suas plataformas com estampa de onça e saltos vermelho fogo.

Eles são ridículos !

Kakashi olha pra mim balançando a cabeça, antes de me soltar e anunciar sua partida.

- Kaguya vai me esperar lá embaixo. Tenho todas as fotos - ele agita a câmera diante de mim - Vejo vocês segunda de manhã - ele nos beija - Vocês duas deram duro durante a noite. Bom trabalho - ele sai da cozinha cambaleando um pouco.

Dei duro ?

Eu me encolho.

 - Ah, quase esqueci - lno me faz tirar os olhos do corpo tropêgo de Kakashi - Temari disse que não podia mais esperar você. Ela pediu para dizer que espera que você tenha se divertido e que vai estar em casa.

Espera que eu tenha me divertido ?

Vaca irônica !

- Obrigada, lno. Ouça, acho que terminamos aqui - pego mais uma taça de champanhe quando o garçom passa. Não  posso dirigir, então é melhor aproveitar a ocasião. E caramba, estou precisando - Vou para casa. Vá quando quiser. Nos vemos na segunda-feira - a beijo no rosto.

- Vou ficar mais um pouco aqui com Pan. Ele quer ir a Noite Dirty dançar  - ela balança o traseiro.

- Prepare-se para ir dormir tarde - aviso.

Quando Pan  chega a uma pista de dança, é preciso um guindaste para tirá-lo de lá.

- Não ! Eu disse que não posso ficar até muito tarde. Tenho muito que fazer amanhã você mandar consertar uns moveis estúpidos.

- Boa sorte. Se despeça de Pan por mim.

- Faço isso quando encontrá-lo - ele sai mancando em seus sapatos horríveis, me deixando terminar minha última taça de champanhe.

Olho em volta na cozinha, mas não vejo Madara nem Shion.

Fico aliviada.

Acho que não conseguiria olhar para a Shion nos olhos.

Preciso me dar um chute por ter sido tão fraca e fácil.

Chego ao elevador da cobertura e aperto o código, que será alterado amanhã para o novo dono. Tenho um pequeno ataque de riso ao pensar nisso.

Claro, Madara Uchiha é o novo dono.

Foi um dia cheio, e, agora que estou sozinha, posso sentir a culpa chegando para me arrasar.

Ah, sou uma mulher boba e desesperada !

- Saindo tão cedo ?

Meus ombros se elevam, e me encolho ao som da voz fria e antipática.

Com uma expressão neutra, viro para encarar Shion.

- Foi um dia longo e cansativo.

Ela bebe seu champanhe enquanto me olha desconfiada.

- Você é mesmo uma surpresa - ela ronrrona.

Não sei o que dizer.

- Obrigada e você não faz ideia - digo sem emoção alguma, virando para o elevador assim que ele abre.

De onde foi que eu tirei isso ?

- Não foi um elogio.

- Eu não achei que fosse - retruco sem olhar para ela

Sakura 1 X Shion 0

- Você  sabe que Madara é o dono desse lugar, certo ?

Tenho vontade de perguntar se ela também vai morar ali, mas é claro que não o faço.

- Ele comentou, Afinal fui eu que construí TUDO isso - respondo casualmente, entrando no elevador e digitando o código - Foi um prazer revê-la - minhas palavras saem com superioridade.

Sakura 2 X Shion 0

As portas se fecham e desabo contra parede de vidro.

Merda ! 

Mas eu venci essa.

Continua...


Notas Finais


E então ?
Gostaram desse capítulo ?
Se sim comentem meus amores, e também pode me perguntar algumas dúvidas ou mandar sugestões também.

Madara pagou 10 milhões de dólares por um apartamento só para ficar perto de Sakura. Esse cara é louco !

Beijos e nos vemos na próxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...