História A paixão negra - Capítulo 1


Escrita por: ~

Visualizações 5
Palavras 1.130
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Adolescente, Hentai, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que vocês gostem é minha primeira vez

Capítulo 1 - O início da noite


Fanfic / Fanfiction A paixão negra - Capítulo 1 - O início da noite

     Em uma noite chuvosa nasceu um lindo e doce bebê na família Tsune. Na sala de parto, a senhora Mitsu estava prestes a dar a luz a um lindo bebê, os médicos,quando acabaram deram uma boa notícia que aquele bebê era uma menina, todos ficaram muito felizes, até a pequena bebê que pode rir e sorrir pela primeira vez, seus pais disseram para a bebê “você vai trazer bondade, graça e felicidade. Você minha pequena bebê nunca vai haver dor ou sofrimento nesta família.” mas o que não sabiam é que está bebê iria trazer era o inverso, seus pais deram seu nome de Mary Tsune Yandere Dev, nome do meio de seu pai e o terceiro nome de sua mãe.


     Quando Mary fez 15 anos,ela estava tão bonita com o uniforme para seu último dia de aula, Mary tinha pele branca como a neve, cabelos mais negros que o carvão, seus olhos tão roxos que podia ver sua própria morte e sua voz tão mais doce que sua própria vida, às vezes quando Mary ficava triste tocava piano de acordo com que mais temia que era a própria morte, sua mãe adorava quando Mary tocava e até se orgulhava de sua própria filha.


          NA ESCOLA


     Na escola Mary se despediu de todos, depois arrumou suas coisas e foi embora, mas se lembrou que tinha se esquecido seu livro favorito, então foi buscar. Chegando lá, ela ouviu passos vindos do corredor das salas de aula, Mary foi andando silenciosamente dizendo “quem está aí? Eu não gosto desse tipo de brincadeira, apareça logo quem é?” Mas ninguém respondia, então Mary pegou o machado de incêndio e foi até a sala de aula, quando se assustou


   -Haaaaa, Mary-sam?


   -Izumi-kun? O'Que você está fazendo aqui?


   -Arrumando as minhas coisas, até você quase me matar com este machado de incêndio


   -Me desculpe, eu me assustei


   -É melhor guardar isso, não acha?


   -É claro, é melhor eu guardar isso, bom, adeus Izumi-kun, tenha uma boa nova escola


   -Igualmente


     Mary, finalmente calma foi para casa, teve um bom jantar, então foi para o quarto estudar para a nova escola cheia de desafios, então foi para o seu quarto estudar, no meio de seus estudos começou a chover fortemente. Mary, de repente começou a sentir dor e a chorar depois deixar seus sentimentos desabrocharem, então ela foi para a varanda e gritou o mais alto que podia, depois disse:


   -O mundo é ruim, se você acreditar muito, ele se torna um mundo melhor que você imagina


     Mary voltou para dentro quando de repente ela ficou contra a parede com muita força que quase não deu para respirar, ela viu que era um garoto cuja apenas falou “se você meu bem, pedir socorro, eu irei matá-la” Mary balançou a cabeça e ele a jogou no chão. Mary pela primeira vez ficou com medo, mas ela não parava de olhar seu machucado, então disse para o garoto.


   -Oque houve com você menino?


   -Do que você está falando?


   -De seu braço, eu posso ajudar-te, se tu quiseres?


   -Não quero eu estou muito bem


   -Não confia em mim?


   -Se você me enganar eu mato você queridinha


   -Sim


     Mary correu e pegou seu kit de primeiros socorros e cuidar do garoto que tinha cabelos brancos, olhos vermelhos como sangue e com tons de azul, sua pele era normal só que era um pouco mais clara que o normal


   -esta feio, mas dá para resolver só preciso aplicar isso para você não sentir dor 


   -Hum… O'QUE!


   -Fica quieto ou vai acordar a todos, mas o'que foi?


   -Se-sem agulhas


   -Não se preocupe eu prometo que não vai doer, nem um pouquinho, se doer você pode me bater


   -Hum?...


   -Oque você levou aqui?


   -Tiro, dois tiros


   -Não muito agora, por favor faça pressão


   -Ok, ai


   -Me desculpa, foi sem querer


   -hahahaha


   -Do que você está rindo?


   -De como você é engraçada


   -Sem graça, bom terminei, agora fique aqui, que eu vou ir buscar comida para nós dois


   -Oque? Como vou saber que você não ligará para a polícia


   -Tome, São as câmeras de vigilância, você pode me ver por aqui, já volto


  -Hum?...


     Mary foi até a cozinha e buscou dois pratos de mingau morno para os dois


   -Pronto, tome minha mãe fez para mim, é mingau, mas vou dividir com você


   -Delicioso… Porque está fazendo isso?


   -Hum… que cheiro é esse, vamos termine e vamos tomar um banho


   -Porque?


   -Apenas faça isso


   -Tá bom


     Depois de comer o mingau morno delicioso, Mary levou o menino para o banheiro, para ele ir tomar um banho


   -Tire suas roupas


   -OQUE?!


   -Quieto, eu vou botar pra lavar, quando terminar, basta bater na porta três vezes


   -Ok


     Mary, enquanto isso, foi achar roupas que servissem no menino. Ela achou uma camiseta branca de manga comprida, uma calça preta comprida e um cachecol roxo. Depois do banho Mary pediu para que ele se vestisse, depois os dois foram para o quarto e Mary deu-lhe um presente


   -Tome


   -Oque é isso?


   -Um presente para você


   -Nossa, ninguém nunca já fez algo que você fez para mim, muito menos dar-me um presente, obrigado?


  -Aí, me esqueci de me apresentar, meu nome é Mary Tsune Yandere Dev, mas me chame apenas de Mary, e você, qual é o seu nome?


   -Dimitry Lyrics Hell, mas pode me chamar de apenas Hell


   -Você gostaria de ficar aqui?


   -Hum...

     

   -Digo, ficar aqui até as coisas baixarem


   -Mas eu queria ficar aqui com você


   -Oque?


   -Eu fico aqui com você, se você quiser?


     Mary, toda emotiva deu-lhe um abraço apertado de segundo presente 


   -Mary?...


   -Oque foi?


   -Posso fazer uma pergunta?


   -Oque?


   -Você me ama?


   -Hum?...


   -Nada, onde posso dormir?


   -Bem, vou te mostrar, um… pode dormir aqui


   -Mas aqui não é o seu quarto?


   -Sim, mas eu queria dividir com você, se não quiser que te descubram Hell-kun


   -Ok então, obrigado mais uma vez Mary


   -De nada, eu vou tomar um banho então, não mexa em nada até eu voltar, ok?


   -Tudo bem então 


     Mary foi até o banheiro toda feliz. Ela entrou na banheira, pois não conseguiu parar de pensar nele, e quanto mais pensava nele ficava ainda mais corada, ela não parava de pensar nele, que até pensou “Será que ele vai ser meu amor?” Mary pensava nisso em seu banho, quando Mary terminou seu banho ela se dirigiu ao quarto quando


   -Hum… Hell, posso lhe pedir um favor?


   -Hum… qual?


   -Bom…


   -Ata eu prometo não olhar


   -Não é isso… queria te pedir para me ajudar amanhã para por meu uniforme eu não consigo sozinha, então você pode me ajudar amanhã?


   -Claro


     Mary já vestida foi deitar e Hell a acompanhou, Mary dormiu agarrada no Hell ele não se incomodou, ele apenas se agarrou nela novamente e eles dois escutaram um coração do outro.


Notas Finais


Olhem me mandem perguntas para mim e os personagem responderem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...