1. Spirit Fanfics >
  2. A parte mais doce do destino >
  3. Home

História A parte mais doce do destino - Capítulo 17


Escrita por:


Capítulo 17 - Home


Fanfic / Fanfiction A parte mais doce do destino - Capítulo 17 - Home

 [YOONGI ON]

O voo direto que peguei levaria 12h para chegar em Londres, era tempo o bastante para sofrer, chorar, ficar triste e também pensar no futuro! Por mais que eu tivesse triste por deixar Ellie para trás, eu precisava me lembrar que este era o meu sonho da vida inteira e que esta oportunidade era valiosa.

Durante o voo eu aproveitei os lanchinhos que foram oferecidos e dormi bastante. O senhor que sentou-se ao meu lado decidiu conversar, ele disse que estava indo conhecer o netinho que nascera dias atrás.

Hum, que ótimo, e seu filho mora ha muito tempo fora da Coreia?

Ah sim, ele foi fazer um curso, se apaixonou por uma moça e nunca mais voltou.

Engoli em seco. O perigo iminente de Ellie se interessar por alguém já vinha me assombrando há tempos. Eu, em Londres, serei apenas mais um estrangeiro tentando a vida, mas ela não, ela chama atenção por quer que passe. Respirei fundo e o senhor leu meus pensamentos.

Tá preocupado né garoto? É assim mesmo, vocês saem achando que vão voltar mas a vida sempre muda...

Coloquei meus fones no ouvido, fechei os olhos e tentei dormir, eu definitivamente não queria conversar, ainda mais, ouvir tais bobagens.

Abri os olhos por volta de duas horas depois com o aviso sonoro de que a aeronave estava pousando. Arrumei meus cabelos empenados, levantei o encosto da poltrona e fiz uma espécie de oração mental, para que tudo corresse bem. Senti o peito apertar quando imaginei que ninguém me esperaria no desembarque. Eu estava sozinho. Engraçado como a vida muda... Isso era o que todo cara da minha idade iria querer, mas não eu, não agora...

Enfim, tarde demais para me arrepender. Vamos Yoongi, você tem um curso para fazer, dinheiro para arrumar, um caminho para trilhar, fãs para conquistas. Pff, eu mesmo ri de mim! A única coisa que eu queria agora era descer do avião e falar com Ellie.

[ELLIE ON]

Depois de entrar no carro de Hoseok, eles insistiram que fôssemos tomar café, eu não pude dizer que não, afinal, eles saíram cedo para me ajudar... Comi apenas duas torradas e tomei um café forte. Pelo espelho do banheiro pude notar o quanto eu estava horrível. Cabelos desorganizados, olhos inchados, uma roupa mais que desconjuntada... enfim, que dia dificil. Eu queria mesmo era ir para casa.

Quando voltei à mesa, Lunna, com tanto amor disse assim:

Ellie, você sabe que Hoseok e eu moramos pertinho. Se você preferir, fique uns dias na minha casa, eu fico na dele até você se acostumar com a ausência de Yoongi e quando tudo voltar ao normal, nos adaptaremos com mais facilidade.

Eu realmente sabia das suas excelentes intenções, mas eu precisava viver aquele período na minha casa. Esta era uma espécie de luto e ninguém poderia vivê-la por mim. Agradeci mas preferi manter tudo como estava.

Eles me deixaram na portaria do prédio e foi muito, muito dificil, entrar. Abrir a porta e encontrar os vestígios de Yoongi ali era terrível. Falando assim parece que eu to sendo muito dramática, talvez eu esteja mesmo, mas é assim que vejo.

Deitei no sofá e apenas fiquei ali, olhando para o teto. As horas passavam e nada acontecia. Ninguém quicava a bola de basquete para eu mandar parar que o vizinho de baixo iria reclamar. Ninguém cantarolava no chuveiro e levantava um cheirinho bom de sabonete. Ninguém cozinhava algum prato delicioso e me trazia provinhas no sofá. Tudo era vazio e silencioso. O telefone nem tocava, ninguém falava comigo.

Zapeei um pouco e adormeci. Acordei muitas horas mais tarde, com o celular tocando.

Yoboseyo?

Agashii! Cheguei! Tudo aqui é estranho, eu quero voltar, mas já vi que só tem voo direto para Seul na quinta-feira, estou arrependido, eu não quero ficar, me ajude!

Guinho, faz o que eu vou falar, ok?

Sim!

Procure um banco, num cantinho mais escondidinho e me liga por vídeo! Eu to esperando! Anda vai ...

Enquanto ele andava pelo aeroporto eu levantei, passei uma base, um batom, coloquei uma blusa bonitinha, que eu sabia que ele iria gostar, dei um jeito na sala e sentei no sofá. No mesmo instante ele me ligou. Coloquei os fones para ouví-lo falar em meus ouvidos, eu já sentia saudades...

Pronto, agora sim, eu disse sorrindo para ele. Vê-lo com aquela carinha desanimado me fazia abater.

Vamos pensar no que aconteceu para que você chegasse até aí?

Sim.

Você se esforçou por mais de 10 anos Guinho. DEZ ANOS. Você sabe quantos dias tem o período de 10 anos? Eu não sabia, mas calculei durante a tarde. 3650, em média. Agora... estamos juntos há 3 meses, são 90 dias. Esses noventa dias foram os melhores da minha vida, sim, e a notícia boa é que eles não acabaram, não por mim, a não ser que você queira.

Ele fez uma carinha de riso amarelado...

Então, mas se você não tivesse ido para aí, teria perdido tudo o que fez nesses 10 anos, acha justo?

É... não....

Então pronto! Seque esse rosto, quero ver você sorrindo!

Tá, então me diz sobre você, o que você fez hoje?

Eu não vou mentir tá? Eu só chorei e dormi! Mas eu acordei disposta a fazer a diferença enquanto você está fora, vou me esforçar e juntar muito muito muito dinheiro. Eu prometo que não vou perder nenhum dia de trabalho e só vou tirar notas altas, para garantir um bom emprego também.

Tá, mas pra que?

Ué como assim pra que? Pra gente poder comprar uma linda casa de dois andares e ter muitos cachorros quando você voltar. Então eu acho melhor você ir procurar logo um lugar para dormir. Amanhã já tem que ir no curso e não pode estar indisposto. Você já sabe aonde vai ficar?

Sim, a direção do curso organizou umas kitnets para quem conquistou a chance da prova. Se eu passar, a casa será minha pelo tempo que eu estiver aqui.

Então vá para lá, quando sair do táxi me liga, quero entrar junto com você! Vou me preparar para a sua próxima ligação...

É mesmo, preparar como?

Ainda não sei... Alguma dica?

Hummm... o que acha de ... ah deixa, ele enrubresceu. E eu entendi a sua mensagem.

Tá então vai lá e não demore muito. Beijo.

[LUNNA ON]

Senti o coração apertar ao ver a carinha da Ellie ficando em casa, deixá-la sozinha não era uma boa ideia, mas ela não quis fazer nada além disso e eu achei melhor respeitá-la. Chegamos em casa e dormimos mais um pouco, ainda não passava das oito, o clima estava gostoso para dormir e nós apagamos.

Acordamos perto das 15h com uma ligação dos pais de Hoseok, eles avisaram que estavam chegando de viagem e queriam um jantar com o filho. Hoseok logo se animou, me convidando para ir com ele... eu não sabia o que fazer. Se eu fosse, poderíamos ser descobertos na escola, mas eu não queria magoá-lo.

Olha Hoseok, eu acho melhor eu te esperar em casa. Seu pai é amigo do diretor, já pensou se ele decide que não quer você namorando? Ainda mais eu sendo uma mulher mais velha... isso poderia gerar algum escândalo, podemos perder tudo. É mais prudente eu não ir.

Hoseok não gostou muito da minha resposta, eu sei, mas compreendeu a situação e se preparou para ir sozinho. Eu estava muito tensa, algo me dizia que esse jantar seria bombástico. Não costumo ser insegura, mas hoje, eu estava me sentindo assim.

[HOSEOK ON]

Meu pai e minha mãe decidiram que queriam me encontrar. Que coisa boa, isso é tão raro que quando acontece fico muito feliz. Insisti para que Lunna fosse comigo, mas ela não quis e embora eu ficasse triste de não poder apresentá-la à minha família, eu entendia a situação, a sua profissão ficaria em jogo.

Chegou a hora, meu pai exigiu que eu fosse de terno. Assim eu estava. Na hora de sair de casa, passei na Lunna e ela me beijou de uma maneira diferente, parecia um filhotinho de gato, fazendo manha e fofurice. Com a voz doce mando um recado: Hoseok, se ele te arrumar uma mulher, eu te mato, EU TE AMO. O filhotinho de gato foi embora... Eu sorri, correspondi ao seu beijo e disse: com certeza isso não vai acontecer.

....

Meus pais, como sempre tão formais, escolheram um restaurante chique, rebuscado, sei lá que palavra usar...

Mamãe, Papai, boa noite.

Mamãe estava muito bonita e ainda mais esticada, ela definitivamente não sabe a hora de parar com esses botox. Papai, por sua vez, todo engomadinho, parecia muito mais que estava encontrando com futuros investidores das suas empresas do que em um jantar com o próprio filho.

A comida chegou junto com a falta de assunto. Eu tinha esquecido como estar com eles era desconfortável. Ainda nas primeiras garfadas, meu pai começou o assunto.

Filho, você como um herdeiro precisa definir um pouco melhor a sua função da vida.

Ué pai, como assim? Eu venho trabalhando e estudando, como foi combinado...

Eu sei, mas isso não é o bastante, está na hora de você se envolver nos negócios da família. Ainda mais sendo único herdeiro, não dá para brincar de adolescente normal, é hora de fazer alguma coisa efetivamente pelo seu futuro.

Pai, eu não estou entendo onde o senhor quer chegar...

Então serei mais claro. Para o ano que vem pretendemos expandir a nossa menor empresa, abrindo uma filial no interior da Europa, então, eu trouxe uma pessoa que irá dividir a sua casa com você. Ela vai morar no seu apartamento, por favor respeite-a, mas não tanto, faça com que ela se apaixone! Este casamento vai me dar muito dinheiro, o pai dela é um CEO poderoso que está de olho em nossas ações, entendeu?

Entendi, entendi sim, então você está me vendendo em nome da empresa?

Eu não aceito ninguém morando comigo! Eu não vou fazer ninguém se apaixonar, eu não vou me casar com ninguém, ou melhor, com ninguém que você queira e sim, eu estou fazendo algo pelo meu futuro, me tornando independente de você!

Enquanto eu discutia com meu pai, uma moça caminhava sorridente até a minha mesa. Se ele pensa que vai me encurralar, está muito enganado.

A menina era linda, a cada passo, seus cabelos especialmente brilhantes e longos tinham um balanço incrivelmente sexy e bonito, mas ela só era isso! Não representava nada para mim, porém eu não queria ser grosseiro com a menina. Assim que chegou, meus pais receberam uma ligação e precisaram ir embora, às pressas.

Suspeito, eu pensei.

Continuei jantando e troquei ideia com ela. Chamava-se Julia, viera para cá para estudar ballet e precisava de uma casa parar morar. Na mesma hora eu me lembrei de uma coisa e sugeri, torcendo para que ela aceitasse.

Julia, eu tenho um apartamento fechado. Ultimamente estou morando mais perto da escola porque saio cedo e chego tarde demais, ficou mais confortável assim. Eu acho que seria melhor para você ficar nesta casa, que está fechada, concorda? Assim, além de mais bem localizada você poderá morar sozinha, receber quem quiser e será muito mais privativo também, eu tenho certeza.

Julia parecia animada com a ideia, então, ela decidiu falar:

Hoseok, na verdade eu tô aqui porque meu pai mandou eu vir, mas sinceramente, eu não queria morar com você. Desculpe-me se eu parecer grosseira, mas eu já tenho um namorado e não pretendo me apaixonar por mais ninguém, só que a minha família não o aceita, porque não é um chaebol!

Eu não pude conter o riso! Ai que alívio, na verdade eu também já tenho alguém mas a minha família não sabe.

Então este será o nosso segredo, você pode me levar até a sua casa? É que eu to cansada da viagem e tudo mais... preciso desfazer as malas e amanhã tenho ensaio cedo.

Sim, vamos.

Acompanhei Julia até a minha casa, àquele apartamento que eu achava tão frio. Avisei ao porteiro que agora ela seria a dona daquele lugar e mostrei aonde guardava as coisas. Ainda tinha algumas peças de roupas minhas lá, eu as coloquei em uma gaveta e liberei espaço para ela.

Quando fui embora, Julia me agradeceu e prometeu não contar a ninguém a nossa decisão de morarmos separados, e como seu namorado estava chegando para vê-la, espirrou um pouco de perfume que acabou acertando a minha pele. Ela ficou super sem jeito, se desculpou e eu saí, indo rumo a minha casa, minha verdadeira casa.   

Oh sim, eu fiz isso, eu brilho com essas lanternas
Tenho muitos amigos, meu próprio espaço
Você se lembra de quando eu pensava que podia fazer qualquer coisa?
Eu vi o oceano, sim, antes mesmo de abrir a porta
Oh sim
Mas mesmo se eu sair agora, há um lugar
Para o qual posso voltar, então deixo a porta aberta
Olhos semi-cerrados, noites sem dormir
Onde está você?




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...