1. Spirit Fanfics >
  2. A parte mais doce do destino >
  3. A boy with love

História A parte mais doce do destino - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - A boy with love


Fanfic / Fanfiction A parte mais doce do destino - Capítulo 3 - A boy with love

Oh, minha nossa, oh, minha nossa
Eu esperei por toda minha vida
Eu quero estar com você em tudo
Oh, minha nossa, oh, minha nossa
Procurando por algo certo
Agora eu meio que entendo

Eu quero algo mais forte
Do que um momento, do que um momento, amor
O amor não é nada mais forte
Do que um garoto apaixonado

Boy With Love

 [ELLIE ON]

Antes de mais nada irei contar a minha história em poucas palavras. Criada por uma família tradicional e cheia de regras eu nunca me senti parte integrante do grupo. Nos aniversários, Chanseoks e outras comemorações sempre fui  o patinho feio. Enquanto minhas primas iam vestidas de bonecas no estilo Kawaii eu sempre aparentava usar as mesmas roupas. Camisas xadrez, saias pretas e meia calça, blusinhas que passavam alguma mensagem em especial, mesmo que fosse: BE YOURSELF! E aí, o que fez todos estranharem é que a minha mãe, embora fosse super clássica e tradicional, como já disse, sempre me apoiou e me fez acreditar que em tudo eu dava o meu melhor.

O tempo foi passando e a família de meu pai começou a se incomodar muito com tudo isso! Enfim, fiz 19 anos, passei para a Escola Técnica e Ensino Superior, ou seja, além de fazer um curso técnico já tenho vaga garantida na faculdade e agora sim, é a hora de dar um passo ainda maior. Acredito de verdade que irei conseguir um emprego na própria faculdade, nenhuma ideia vem à nossa cabeça sem que ela seja possível de se realizar, por isso, estou alugando uma casa, tendo apenas o dinheiro do primeiro mês.

CASA: família; lar.

Na verdade vou morar num microapê. Mas sim, pra mim ele é um verdadeiro castelo. Aqui eu tenho certeza que serei feliz.

Pois é, agora já se passaram 15 dias que cheguei em Seul. Tenho um emprego e trabalho numa equipe muito unida. Aqui sou querida por todos, recebo elogios diariamente e ando muito feliz. Meu parceiro de trabalho é uma pessoa muito, muito, muito excêntrica. Ele é de poucas palavras e muitas ações. Eu ainda não sei muito sobre a vida dele, assim como não sabe sobre a minha, mas já pude notar o quanto é esforçado e trabalhador. Eu não acredito em acasos, a vida toda fui questionada por ser exatamente como sou e agora fui designada a trabalhar diretamente com uma pessoa que causa estranhamento para os outros, eu já entendi destino, estou aqui para ajudá-lo a se aceitar como é!

Hoje saí mais cedo da aula e decidi ir para o lugar que eu mais amo. Cansada de ser motivo de risadinhas nos corredores, não sei se também se incomodam com as minhas roupas ou jeito de ser, sei que embora eu finja não me importo, alguns dias eu sinto dor.

Entrei na Biblioteca desativada faltando uma hora para começarmos os trabalhos. Fui até a minha ala favorita e escolhi um livro infantil. Eu sempre li bastante e este clássico é de longe um dos meus favoritos, A Branca de Neve. Sempre me encantei por sua pele alva e movimentos delicados de princesa, mas na verdade ela é uma pessoa muito especial. Os seus amigos? Sete anões. Poderia ser melhor? De jeito nenhum! Ela dá uma lição de preconceito zero. Aceitou as pessoas exatamente como elas eram, adaptou-se as circunstâncias que a vida lhe impôs e no final, ahhhh... no final ela encontra um verdadeiro príncipe, um homem que aceita que ela converse com os animais e seja delicada e doce com todos embora o mundo não a quisesse assim. Será que um dia eu vou encontrar um homem assim? Até agora, tá dificil...

Eu cheirei o livro e o abracei com força! Fechei os olhos e me perdi em pensamentos mas fui abruptamente tirada dos meus devaneios pelo som oco e alto de um tiro! Um tiro? UM TIRO? AHHHHHHHHHHH!!!! Eu gritei!

Imediatamente o meu coração se acelerou de maneira que me faltou o ar! Eu queria sair dali mas eu não podia sair dali, não era seguro. Ficar era seguro? EU NÃO SEI O QUE É SEGURO!

A luz de apagou! Eu entrei em pânico.

Senti uma mão forte agarrar o meu punho! Tive medo de encarar!

Levei um susto com outra mão me tampando a boca e deixei o livro cair fazendo um estrondo no chão.

Shiiiiu, nenhum mal vai te encontrar aqui! Sou eu, Yoongi, fica calma, não faça mais barulhos... respire fundo.

Mais um som de tiro do lado de fora da biblioteca e eu não me lembro de mais muita coisa, talvez tenha me desesperado e gritado novamente, só me recordo de quando Yoongi me disse: Me desculpe mas você não me deixa outra alternativa, eu acho que essa será a melhor forma de te acalmar e fazer calar. Ao dizer isso ele se aproximou de mim, beijando-me como eu nunca havia sido beijada.

[JUNG HOSEOK ON]

Eu tinha muitas ideias melhores que trabalhar para essa tarde que já começava com a Lunna agarrada ao meu corpo mas ao sinal do segundo tiro eu vi que a coisa estava realmente preocupante. Precisava dar um jeito de juntar nós quatro para conversarmos sobre o que estava acontecendo.

Lunna, me espere aqui! Eu já volto...

Não! Kadimá, Hoseok, eu não posso ficar aqui sozinha.

Lunna, pense com clareza, precisamos nos proteger, nos unir....

Então, e nós vamos ficar juntos, ela disse segurando forte em meu pescoço e suspirando em meu ombro, me fazendo arrepiar.

Sunbaenin, eu disse com a voz dengosa, isso aí não vai dar certo, é melhor você se afastar...

SAIAM COM AS MÃOS PARA CIMA!

Foi o que ouvimos lá de fora. O clima de romance, sexy e sensual foi cortado, ele dava lugar para a tensão que pairava novamente naquele ar.

Ouvi que Yoongi vinha caminhando e trazendo em sua mão a Ellie. Aquela situação era totalmente nova e estranha para todos nós mas achei melhor não comentar. Somente com a lanterna do celular ligada nós não tínhamos uma visão ampla e real do que acontecia.

Do lado de fora ouvia-se também sons de ambulância e sirenes. Nós quatro ficamos quietinhos sentados no chão daquela sala vazia que em algum dia se tornará a sala dos computadores. Quando a situação pareceu acalmar, Yoongi tomou uma atitude: Meninas e Hoseok, eu vou lá fora. Temos que saber o que está acontecendo, não podemos ficar aqui até amanhã. Já se passaram horas...

Ellie segurou em seu braço pedindo que não fosse mas Yoongi quando coloca uma coisa na cabeça não descansa até fazê-la.

[NARRADOR ON]

Yoogi saiu sem fazer barulho da biblioteca, pé ante pé ele caminhou por corredores totalmente vazios e escuros. O lugar estava realmente assustador. Procurou um chefe da segurança que estranhou a sua presença ali. O Ahjussi disse que foi um assalto ao caixa eletrônico da escola. Dois alunos estavam hospitalizados em situação perigosa. "Menino, é melhor você ir embora, as aulas foram suspensas nessa semana." Esta foi a última frase que Yoongi ouviu antes de avisar aos seus amigos de trabalho que estava havendo.

Depois de tomarem coragem, os quatro decidiram ir embora. Hoseok acompanhou Lunna até sua casa, agora ela teve que contar aonde morava. Yoongi levou Ellie até o seu ônibus e correu para a estação de metrô. Após duas horas chegou em casa e reviveu aquele dia em sua memória, se perguntando como tudo acontecera tão rápido e como no meio de uma situação tão estressante ele pode dar o seu primeiro beijo.

Yoongi pegou seu celular e escreveu muitas vezes uma mensagem para Ellie mas sem coragem de enviá-la, acabou apagando-as e nunca clicando no botão verdinho. Virou-se para a parede e decidiu que precisava esquecer e dormir, a adrenalina que tomara conta do seu corpo estava o deixando exausto. Cochilou e acordou com o celular vibrando:

Querido Yoongi, obrigada por estar comigo hoje! Me senti desesperada e depois feliz e depois com medo e depois segura. Você me fez bem! Bons sonhos.

Ele sorriu, suspirou e apagou.

[LUNNA ON]

Que dia estranho. Preparei um café bem forte e me sentei na varanda... olhando a luz da lua no alto o céu comecei a repensar o que vivemos. Por alguns segundos eu achei que Hoseok estava dando em cima de mim... ai ai eu devo estar ficando maluca, o rapaz tem tudo pela frente, vai querer dar em cima de uma professora mais velha que ele que não consegue nem conduzir seu grupo numa situação de risco?! Quanta pretensão a minha...

Meu celular tocou lá no quarto, fui pegá-lo, era o número de Hoseok.

Lunna, você está indo dormir?

Não, o dia foi tenso demais para isso... você quer falar comigo?

Na verdade não, queria te encontrar. Tem como você descer?

Oi?! Eu pensei... Hoseok na minha casa?! E já passa das 23 horas...

Hoseok, me dê alguns minutos.

Sim, mas não demore demais... ele disse e em sua voz soava um som de brincadeira, um tom de sorriso largo comum daqueles lábios.

°°°°°°°°°

Coloquei um jeans e uma blusinha, desci as escadas correndo e fui encontrar Hoseok. Estava preocupada com essa visita a essa hora...

Hoseok estava de costas para a entrada do prédio. Ele olhava fixamente para frente, sem se preocupar com as poucas pessoas que passavam por ali.

Hoseok, está tudo bem?

Sunbaenin, ele disse com ânimo na voz e sorriso no rosto, eu fiquei pensando em casa, virando de um lado pro outro, não encontrei o sono precisei vir até aqui para tirar uma dúvida.

E que dúvida seria essa?

Bem, eu não sou bom com palavras mas quando estávamos juntos hoje, naquele cômodo escuro eu achei que uma coisa combinava com a gente...

Que coisa Hose... Antes que eu pudesse questionar ele me segurou e beijou-me nos lábios com ardência e doçura.

Eu gostei. Eu me entreguei. Eu sentia seus braços me segurando contra o seu corpo e isso fazia meu coração palpitar. Eu me sentia viva. Durante o beijo não pensei em nada, apenas me entreguei.

Sunbaenin, ele disse passando a mão em seus lábios, obrigada por me tirar esta dúvida. Realmente eu estava certo, isso combina muito com a gente. Agora vá para dentro é muito tarde para você sair... E se outro aluno te ligar não atenda! Ele afirmou esta frase e saiu fazendo uma espécie de dança pela calçada.

Subi as escadas sorrindo... Aquele dia estava realmente muito estranho.

No dia seguinte os professores e instrutores foram chamados para uma reunião extraordinária. Lá nos explicaram a real situação. Um grupo de 8 pessoas se uniu para a assaltar o caixa eletrônico que fica na cantina. Como havia dois alunos utilizando eles foram as vítimas da vez. O que mais nos preocupa é que apenas 6 foram capturados e ao outro a dois estão soltos por ai e podem ser qualquer pessoa. A escola tomou medidas bruscas. Ficaremos uma semana sem aulas. Ao voltarmos todos deverão andar em duplas e o mais importante, evitar corredores vazios (o que não se aplica a minha equipe que vive em uma área deserta).

Assustada, voltei para casa e decidi colocar a mão na consciência. Eu sou uma professora e ele um aluno. Se isso for descoberto ele perde a vaga de estudos e eu o trabalho. O que sera de nossa equipe? Não existe a possibilidade disso acontecer. Ellie e Yoomgi precisam desta oportunidade.

 Querido Hoseok, preciso falar com você. Peço que venha a minha casa ainda hoje, não fique na calçada, o assunto pode ser longo. Por favor, suba , espero que não seja visto por nenhum aluno. Lunna.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...