1. Spirit Fanfics >
  2. A perdição dos deuses >
  3. Carlos?

História A perdição dos deuses - Capítulo 14


Escrita por:


Capítulo 14 - Carlos?


Fanfic / Fanfiction A perdição dos deuses - Capítulo 14 - Carlos?

Reinos do Sul, Valerian, Andrômeda


    31 de março, 147 anos após o Big-Bang


    Portal


   Héstia, deusa do fogo:


  Depois de garantir à Kathy que estaríamos em segurança, Peyton e eu entramos no portal com nossos primos e, instantaneamente, fomos parar em um planeta completamente diferente de Valerian quando saímos dele.


    Reinos do Norte, Lorien, Andrômeda


      Portal


  Ao colocarmos os pés naquela... Acho que era aquela tal de grama, que eu nunca havia visto na vida fora as aulas de Biologia Planetária; então, ao entrarmos em Lorien, Peyton e eu caímos de joelhos na grama e pude sentir minha garganta queimar e meus pulmões arderem. Logo o ardor se transformou em um frescor extremamente agradável, percorrendo minhas vias respiratórias. Uma brisa pura e fresca passava por nós, balançando meus cabelos loiros no ar.


  Havia muitas árvores, de diversas formas e tamanhos; por todo o lugar. Várias plantas e animais, de diversas espécies e cores. Me levantei junto de Peyton e começamos a caminhar para alcançar nossos primos, que estavam alguns metros à frente.


  Vários animaizinhos que estavam pela floresta foram até a deusa da morte, por incrível que pareça, eles pareciam gostar dela. Achei que eles temeriam-na por tirar a vida, pensei confusa. Logo alguns deles vieram até mim e eu fiquei sem saber o que fazer.


  - Não tenha medo, eles não irão lhe machucar, Srta. Héstia. - Disse o provável gêmeo da deusa, enquanto adentravamos na floresta. - Ah, e a propósito, meu nome é Nicholas; mas podem me chamar de Nick. Desculpem-me por não ter me apresentado em Valerian, minha irmã não me deu muitas opções.


  - Sem problema, Nick. É um prazer conhecê-los. - Comentou meu gêmeo.


  Após hesitar um pouco, finalmente tive coragem de encostar em um dos animaizinhos. Seu pelo era macio e de cores vermelho-vivo e azul-celeste. Lindo! Todos eles pareciam ser dóceis e, pelo visto, haviam gostado de mim. Adoro esse planeta!


  - Parece que gostaram de vós, Srta. Héstia. - Comentou um dos gêmeos loiros, o que me observava atentamente desde Valerian.


  - É, parece que sim - concordei. - Por favor, me chamem apenas de Héstia - sorri simpática.


  - Okay, Héstia. Meu nome é Jason, mas pode me chamar de Jay - disse o mais alto e sorriu.


  - E sou Thomas, mas podem me chamar de Tom. - Falou o outro.


  - Então, vocês são so Visons? - Indagou Peyton e eles assentiram. - E o que vocês fazem? Quer dizer, qual o poder de vocês? - Perguntou curioso.


  - Bom, nós basicamente podemos ver tudo o que acontece no mundo... - respondeu Jay e seu gêmeo o interrompeu.


  - Ou na galáxia...


  - Ou, talvez, no universo inteiro. - Finalizou Jason.


  - É tipo uma _visão absoluta._ - Explicou Thomas.


  - Também podemos ver os... - Jay começou a falar, mas foi repreendido por sua irmã quando chegamos a uma espécie de campo de treinamento para os soldados.


  - Chega, Visons. Já deu - os olhou com ferocidade e eles se calaram. - Bom, vou avisar a um amigo que chegamos e em seguida iremos para o castelo. A Rainha DeRan nos aguarda. - Informou Hela e sorriu. Poxa, como ela é bipolar! Pensei surpresa. Ou falsa.


  Hela, então, caminhou até um dos soldados e começou a conversar com ele. Neste meio tempo, o mais velho dos irmãos e Thomas, foram para o vestuário, de onde saíram prontos para o treinamento.


  Jason ficou conosco, suponho eu que esperando a irmã voltar para irmos ao castelo. Ele me observava de um jeito um tanto... Diferente, quase como se me admirasse. Era estranha a sensação, porém, particularmente agradável.


  Logo percebi que Hela vinha em nossa direção com um garoto e o tal amigo soldado, que estava com a armadura e um elmo prateado; o que o tornava irreconhecível, mas, pelo tamanho, era de se supor que se tratava de um adolescente.


  - Queridos primos - disse a deusa ao chegar até nós -, este é Rodrigo - apontou para o garoto à sua esquerda, que não possuía elmo. - Capitão do exército dos Reinos do Norte de Lorien - finalizou ela e o mesmo sorriu tímido. - E agora, quero que revejam seu querido amigo... Miguel DeRan. - Quem? Peyton e eu nos entreolhamos confusos.


  O garoto de armadura retirou seu elmo lentamente, fazendo suspense, revelando cabelos louros e olhos azuis. Não pode ser, pensei incrédula.


  Vi que, ao seu lado, Hela sorria de uma forma que chegava a ser cruel; como se tivesse vencido algo e estivesse se gabando se seu prêmio.


  - Carlos? - Indaguei perplexa.


  - Oi, Héstia. - Fez uma pausa, sem jeito. - Eu lhe disse que nos veríamos logo.


  Eu deveria ter ficado feliz por vê-lo? Ou por ao menos saber que, mesmo em planetas diferentes, nos veríamos com frequência? Era isso o que eu deveria sentir? Pois não foi. Eu senti... Raiva. Pela primeira vez na vida, me senti como se tivesse sido traída. Carlos havia me deixado para ficar junto de Hela, agora eu sabia a verdade e não fingiria o contrário.


  Quando dei conta, já estava sozinha na floresta, próximo ao portal. Eu queria fugir, desaparecer desse planeta e, instantaneamente, fui parar bem em frente ao portal. Estranho, muito estranho!


  Estava decidida a entrar naquele portal e voltar para Valerian, nunca mais retornaria a Lorien e apenas... Esquecer que um dia gostei de Carlos. Não que isso seja fácil.


  Quando dei o primeiro passo em direção ao portal, umas faíscas pretas apareceram do nada em minha frente, me impedindo de passar.


  As faíscas começaram a formar um círculo e ele começou a se ampliar, revelando o lugar onde eu estava antes de "evaporar" para cá. Dele, saiu Jason com uma feição preocupada e o portal desapareceu.


  - Por favor, Héstia, não vá embora. - Pediu ele, quase com desespero.


  - E por qual motivo eu deveria não ir embora? - Indaguei parcialmente alterada.


  - Porquê... Porquê eu preciso de você - fez uma pausa, envergonhado. - E se você for embora... Eu ficarei triste eternamente por não poder estar junto de ti.


  Acho que aquelas foram as palavras mais fofas e importantes que alguém já havia me dito. Depois disso eu até esqueci que estava com raiva.


  - Suponho que já tenha ficado óbvio que eu... Gosto do Carlos. - Falei sem jeito e ele assentiu decepcionado. - Por quê tu se importaria tanto assim com minha partida? - Indaguei curiosa, mas tentando ficar séria.


  - Porque... Senti uma ligação entre nós no momento em que nos vimos pela primeira vez.


  - Ou seja, a algumas horas apenas - falei tentando não ficar envergonhada e nós soltamos uma leve risada.


  - Sim - soltou uma risada nasal. - E... Só espero que não tenha sido em vão - disse cabisbaixo.


  - Não, com certeza não foi em vão. - Falei quase de imediato. Ele me olhou e sorriu de leve.


  - Então, por favor, não vá. - Insistiu se aproximando de mim.


  - Tenho medo de ficar e me magoar ainda mais. - Me lamemtei, virando de costas e me afastando em alguns passos.


  - Fique e me deixe te ajudar a melhorar. Eu jamais lhe machucaria. - Ah, meu Criador! Que coisa mais fofa! Pensei tentando ficar séria sem olhar em seu rosto. E agora, o que eu faço? Me perguntei, voltando-me para Jason.


  - Promete para mim? - Indaguei indecisa.


  - Eu prometo. - Falou se aproximando mais, ficando frente a frente comigo e me depositou um carinhoso beijo na testa.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...