História A Perdida da XJ6 - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Caçadores De Lendas, Maiki021, Renato Garcia, Youtuber
Visualizações 31
Palavras 1.058
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Spoilers
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


GENTE PRECISO DE AJUDA DE VOCÊS COM URGÊNCIA.
Eu não tenho preguiça de escrever e nem bloqueio, tenho preguiça de postar e por isso acabo demorando.
Eu me sinto muito mal por não postar, na questão de escrever eu tenho minha melhor amiga para me cobrar, mas ela não cobra o postar, então peço de todo meu coração, se eu demorar mais que duas semanas me mandem mensagem privada cobrando, me lembrando, pode ser aqui, no instagram, no face, até no whats quem tiver meu número.
PRECISO QUE ME COBREM.
Peço de todo meu coração.
EU tenho muito respeito e amor por vocês que sempre leem e me ajuda comentando, contudo me pressionem, de verdade.

Desculpe qualquer erro não visto.

~Boa Leitura.

Capítulo 18 - Quebra de barreira.


Renato POV

Indignação!

Indignado é como encontro. Deu trabalho fazer tudo aquilo para ela, para essa doida ter a audácia de me perguntar para quem era?

Oh Deus, me diz que eu escolhi certo?

Sambar na cruz não é mais o termo certo, talvez eu tenha dançado Michael Jackson.

"Eu desisto", joguei as mãos para o ar e sentei na cama completamente frustrado.

"Nunca desista dos seus sonhos", sonhos? Isso está mais para pesadelo.

Lição de moral agora não.

"Grazi, isso é para você!", ok, só mais uma tentativa.

"Quem em sã consciência me pediria em namoro?", ela me olhou com descrença.

"Eu perdi meus parafusos faz tempo, então acho que são eu não sou mais não", ri em escárnio com a loucura que eu estava prestes a fazer em definitivo.

"Por que escolher a mim?", Grazi abaixou a cabeça e ficou rodando em torno de si igual o pião da casa própria.

"Você faz perguntas demais", suspirei olhando as alianças pratas que comprei com a ajuda de Ewerton.

Durante o tempo que eu esperava por alguma resposta a infeliz daquela menina tirou um baralho do Ben10 e ficou fazendo pirâmides.

Ela tá de brincadeira né?

Do além a doida vira para mim igual a menina do exorcista, fica me encarando como se lesse minha alma, alguém chama um padre, pastor por gentileza? Ela segue caminho até a cama onde me encontro e senta no meu colo, sela nossos lábios e me belisca para me impedir de protestar.

Com o final do beijo a loirinha pega a menor aliança coloca em seu dedo o outro anel por algum motivo ela coloca no polegar.

"Tudo bem, eu aceito", quanta bipolaridade, não sei se fico feliz ou me assusto.

"Agora vamos comer tamanduás", ela saiu dançando valsa sozinha, eu não quero tamanduás.

Onde foi que eu amarrei meu bode?

Cheguei à cozinha com a baixinha comendo frango com Nutella enquanto tomava água de conversa de milho.

Me diz que eu não me ferrei?

(...)

Quando eu acho que as coisas não podem piorar, elas pioram, não sei por que diacho, todavia minha namorada ainda não se tocou que tem um namorado.

A loirinha ficou o final de semana na minha casa, eu queria curtir minha namorada, estar com ela e fazer alguma coisa como um casal normal faz, porém eu esqueço que a palavra normal já foi deletada da minha mente.

Entrei no meu quarto após gravar um vídeo e dei de cara com a mulher chorando horrores assistindo um filme de terror e ouvindo Xuxa, aparentemente o casal do filme morreu.

"Eu vou morrer sozinha", ela olhava para mim com os olhos mais vermelhos que de um maconheiro, abraça minha perna e fica se balançando feito criança.

"Por que morrer sozinha?", questionei para a maluca que ficava puxando meus pelinhos da perna.

"Eu não tenho ninguém, ninguém gosta de mim", será que ela esqueceu que tem namorado?

"Ei, refresca essa memória de peixe, você tem namorado, olha", apontei para o dedo anelar onde estava a aliança.

"Então não foi um sonho, hum", ela pôs uma mão no queixo e ficou pensando.

"Você tem certeza que não ficou louco? Talvez um piano caiu na sua cabeça, ou quem sabe um trator passou por cima e danificou algo ou...", Grazi ficou falando das mil ideias de como eu fiquei louco.

Relacionamento normal era tudo que eu queria, tudo, contudo após um mês de namoro essa menina voltou para a cidade dela e sequer me liga, eu quem tenho que mandar alguma coisa, mensagem? Pode esquecer. Fui visitar ela e nem um beijo eu recebi, ela está achando o que?

"Grazieli", chamei a garota que brincava com as formigas em um pote.

"O que? Calma Josefina, ele não deve querer nada, não fique triste", ela pegou um pote cor de rosa com uma formiga musculosa de rótulo, uma pá de Barbie e começou a jogar as folhas para as formigas.

"Olha para mim que eu tô falando com você", para mim já deu.

"Grazi, eu sou seu namorado agora, quero cuidar de você, estar com você, fazer parte da sua vida", a olhava nos olhos.

"Até quando? Até simplesmente desaparecer e dizer que sou insuportável, desculpa, isso eu não quero", essa doida tem que aprender que nem todos são iguais.

"A hora que você parar de me comparar com seu passado vai conseguir ver eu quero te fazer feliz, só espero que não seja tarde", coloquei minha aliança em cima da mesa de centro e sai sem dizer mais nada.

Ela não veio atrás nem nada parecido, fiquei na praça mais próxima tomando um pouco de ar, essa barreira que Ewerton disse é mais difícil que imaginei.

Não vi o tempo passar e já estava de noite, eu tinha que passar por um lugar meio sombrio, tinha mato dos dois lados, no meio da rua tinha uma pessoa deitada, essa tá a fim de morrer, desliguei a moto e liguei o choque, fui até a pessoa que encarava o céu, estava bem escuro eu não conseguia ver direito.

"O que faz aí?", perguntei tentando ver direito.

"Meu namorado incorporou o Michael Jackson e terminou comigo fazendo Moonwalker para sair de casa", além da voz familiar quem mais teria essa ideia estranha?

"Eu não fiz nada disso", respondi e a mulher me encarou com os olhos verdes chorosos.

"Sua rena idiota", olha os trocadilhos ruins com meu nome aí.

"Está querendo morrer ficando assim no meio da estrada?", briguei a vendo desviar o olhar.

"Morrer não, mas talvez perder a memória", que memória? Já não tem nenhuma.

"Me perdoa Renato", a loirinha me olhou séria e enfim tive a oportunidade de lhe dar um beijo.

"Renatin, por favor, agora vamos, vou te levar", ela se levantou e começou a dançar Shape of You do Ed Sheeran na placa de trânsito, essa aí já pode ir a concursos de dança.

"Você é a melhor", a peguei feito saco de batatas e a levei para o hotel onde eu estava.

Depois de ter pedido pizza para nós comermos, sermos zoados pelos caras que veio  comigo dizendo para usarmos camisinha e dar um jeito de comprar muito suco de laranja enfim pude sentar, abraçar a menina que eu escolhi para mim e assistir qualquer merda que passava.

"Eu te amo", disse a menina que já dormia.


Notas Finais


GENTE, COMO EU DISSE, ME COBREMMMM.
Não quero demorar a postar de novo, eu me sinto mal.
Amo vocês, comentem viu.
Obrigada por quem leu até aqui.

Bjss da Imperatriz e até o próximo.

ps: ME COBREMMMMMM. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...