História A perfect gentleman - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hidan, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kizashi Haruno, Mei, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Sasusaku
Visualizações 108
Palavras 1.418
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Adultério, Estupro, Insinuação de sexo, Nudez
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu ja estava com esse capítulo pronto, então resolvi postar rsrs. Nesse capítulo começaremos a parte 2 da história.
Obs: Esse capítulo tá bem grandão rsrs
Ah! Obrigada a todos que favoritaram e comentaram,fico muito feliz 💜
Boa leitura 💜

Capítulo 6 - Capítulo 6


Fanfic / Fanfiction A perfect gentleman - Capítulo 6 - Capítulo 6

PARTE 2✨


Mikoto Uchiha declarou em várias ocasiões que não sabe mais o que fazer. Itachi,seu filho mais velho,não escolheu nenhuma esposa ( e essa autora acha que,como ele já chegou aos 30,passou bastante da hora),nem Sasuke,embora este possa ser perdoado pelo atraso, afinal,tem apenas 26 anos.

Crônicas da sociedade de Lady Senju,30 de abril de 1817



Álcool e charutos. Jogos de cartas e montes de mulheres fáceis. Aquele era o tipo de festa que o jovem Uchiha teria adorado logo depois de sair da universidade.

Agora estava apenas entediado.

Não sabia nem porque aceitara o convite. Mais por tédio, imaginava. Até então,a temporada de 1817 de Londres fora uma repetição da anterior. Passar por aquilo de novo era mais do que maçante.

Sasuke nem sequer conhecia muito bem o anfitrião,um certo Sasori Akasuna. Era amigo de um amigo de um amigo dele,e agora desejava com todas as forças ter permanecido em Londres. Acabara de se curar de um resfriado fortíssimo e devia ter usado isso como desculpa para recusar o convite,mas seu amigo - que ele mal vira nas últimas quatro horas - insistira muito,e Sasuke acabara cedendo. Agora,no entanto,estava profundamente arrependido.

Percorreu o corredor principal da casa dos pais do Akasuna. Pela porta à esquerda,viu um jogo de cartas  de apostas. 

Aquilo era loucura. Não queria estar ali. Detestava jogos de cartas em que as apostas eram mais altas do que os jogadores podiam pagar,e nunca tivera qualquer enteresse em se entregar aos prazeres carnais de forma tão pública.

Depois de cerca de dez minutos de procura infrutífera,no entanto,Sasuke começava a desejar que sua mãe não tivesse sido tão inflexível em seus esforços de educar os filhos. Teria sido muito mais fácil apenas sair e pronto.

- Só mais três minutos - resmungou- Se não encontrar o idiota em mais três minutos,vou embora.

Nesse exato momento,um dupla de rapazes passou tropeçando nos próprios pés e gargalhando sem parar. O cheiro de álcool tomou conta do ambiente e Sasuke deu um discreto passo para trás,para o caso de um deles de repente eliminar o que tinha no estômago.

Ele sempre gostara muito das botas que estava usando.

- Uchiha! - chamou um deles.

Sasuke fez um breve aceno de cabeça em cumprimento. Os eram cerca de cinco anos mais novos que ele,e ele não os conhecia bem.

- Não é um Uchiha - disse o outro,com a voz engrolada. - É um... Ora, é um Uchiha. Tem o cabelo e o olhos deles. - retrucou - Mais qual Uchiha? 

Sasuke ignorou a pergunta.

- Vocês viram nosso anfitrião?

- Nos temos um anfitrião? 

- Claro que temos - respondeu o primeiro - Sasori. Sujeito bom,sabe,por nos deixar usar a casa dele.

- Algum de vocês o viu? - resmungou Sasuke.

-Esta lá fora. - retrucou o primeiro que não havia se lembrado de que eles tinha um anfitrião. - Na frente.

- Obrigado - disse Sasuke, e passou por eles rapidamente para chegar até a porta da frente.

Desceua os degraus da entrada, cumprimentaria o Akasuna e seguiria até os estábulos para pegar sua carruagem. Mal teria que esperar.




Sakura Haruno pensou que fora uma grande sorte ter conseguido um novo emprego.

Já fazia quase 3 anos que sairá de Londres, três anos desde que enfim deixara de ser praticamente escrava de Kurenai,três anos que estava por conta própria. 

Depois que abandonara a casa da madrasta,ela penhorara os enfeites para sapatos de Kurenai,mas os diamantes de que a madrasta tanta se vangloriava acabaram não sendo legítimos,apenas cópias,e não renderam uma quantia muito alta. 

Sakura acabara comprando uma passagem num coche até uma cidadezinha afastada da capital,que era o mais longe que conseguiria ir sem gastar a maior parte do dinheiro que tinha. Felizmente,logo conseguira um emprego como arrumadeira do Sr. E da Sra. Akasuna. Era um casal normal,que esperavam que os criados fizessem as coisas direito,mais sem exigir o impossível.

Mas então o filho deles retornou de sua viagem pela Europa e tudo mudou. Sasori estava sempre a encurralando no corredor,e como suas insinuações eram rejeitadas,ele foi ficando agressivo. Sakura já começaram a pensar que talvez devesse procurar emprego em outro lugar quando os donos da casa foram fazer uma visita de uma semana à uma irmã da Sra. Akasuna,e Sasori decidira oferecer uma festa para mais de vinte amigos.


Sakura sabia que devia ter saído da propriedade no mesmo instante,mas a senhora Akasuna sempre a tratara bem,e ela achou que não seria educado ir embora sem mais nem menos.

Decidira ir embora naquele momento.

Tinha acabado de dar a volta na casa e chegado à entra da frente quando ouviu um berro rouco.

Olhou para cima. Ah,droga. Era Sasori Akasuna,parecendo ainda mais bêbado e desagradável do que o normal. 

A rosada disparou a correr,rezando para que o álcool tivesse prejudicado a coordenação motora de Sasori,porque sabia que não seria mais rápida que ele. Logo sentiu os passos dele ribombando no piso, aproximando se cada vez mais. Em seguida, ele agarrou o colarinho de seu casaco, obrigando-a a parar.

- Olhe só o que tenho aqui - disse ele - A pequena Srta. Sakura. Preciso apresentá-la aos meus amigos.

(...)


O ar noturno estava frio,mas Sasuke o achou refrescante depois de ser obrigado a respirar os vapores de álcool e tabaco do interior da casa. A lua estava quase cheia,reluzindo redonda e grande,é uma brisa suave balançava as folhas das árvores. 

Mas primeiro as obrigações. Precisava encontrar o anfitrião, cumprir o protocolo de agradecer pela hospitalidade e informar que estava se retirando.

- Akasuna!

- Uchiha! Junte-se a nós ! - foi a resposta, Sasuke virou a cabeça para a direita.

Sasori encontrava-se com dois outros cavalheiros. Eles pareciam se divertir com uma camareira, empurrando a de um para o outro.

Sasuke suspirou. Nunca gostara muito de bancar o herói,mas não poderia ignorar uma mulher em apuros.

- Solte a moça - egixiu. - Eu não quero brigar com vocês,mas vou se for preciso. 

- Ora,vejam só - disse o Akasuna - Você não pode me dar ordens na minha própria casa.

- A casa é de seus pais.- observou Sasuke,lembrando a todos que o anfitrião era bastante imaturo.

É minha casa -replicou o Akasuna - E ela é minha criada. 

- Eu não sabia que a escravidão era legalizada neste país. - murmurou o Uchiha.

- Ela tem que fazer o que eu mando!

- Tem, é?

-Eu a demitirei se não fizer.

-Muito bem - falou Sasuke dando um sorriso de canto -Pergunte a ela, então. Pergunte se a moça quer ter relações sexuais com vocês três.

- Não vou perguntar a ela- resmungou Sasori.

A moça entreabriu um pouco os labios e Sasuke teve a estranha sensação de já conhecê-la. 

- Srta. ... - ele franziu a testa - Ou melhor, como é seu nome?

- Sakura Haruno -arfou ela.

- Srta Haruno -chamou Sasuke - A senhorita quer ter relações sexuais com esses indivíduos?

- Não,eu não quero ter nada com eles. - A moça praticamente cuspiu as palavras.

- Bem,isso não parece deixar dúvidas- disse Sasuke,ele olhou para o rapaz que ainda a seguras - Sugiro que a solte, para que nosso Akasuna aqui possa demiti la.

- E aonde ela irá? - desdenhou Sasori - Posso garantir que ela não trabalhará mais nesta casa.

Sakura se virou para o jovem Uchiha,com a mesma pergunta no olhar.

Sasuke deu de ombros despreocupado.

- Eu lhe arranjarei um emprego na casa de minha mãe - ele a fitou e ergueu uma sobrancelha - Imagino que isso seja aceitável.

Ela se virou para Sasuke e assentiu com a cabeça,ainda temerosa de falar em voz alta. Sentia - se sufocar, embora não soubesse ao certo se de medo ou alivio.

Muito bem - disse ele- Vamos embora? 

A menina rosada assentiu.

- Você está bem ?- perguntou ele de repente.


Sakura assentiu, fitando o nos olhos, esperando que eleva reconhecesse.

- Tem certeza ? 

Ela assentiu de novo,ainda em expectativa. Ele a reconheceria em breve.

- Vamos embora então - disse ele - O simples fato de estar na propriedade dos Akasuna me faz mal.

Sakura não respondeu,mas empinou o queixo de leve e inclinou um pouco a cabeça um pouco para o lado enquanto o observava.

- Tem certeza que está se sentindo bem? - quis saber ele.

Então ela começou a pensar.

Dois anos antes,quando o conhecera,metade de seus rosto estava coberto por uma máscara.

Seus cabelos rosados,antes longo agora estava com cachos curtos acima dos ombros. Sem a senhora Chyio para cuidar de sua alimentação,emagrecera mais de 5 quilos.

E analisando com frieza,os dois tinham estado na companhia um do outro por apenas uma hora e meia.

Ela o encarou direto nos olhos.  E foi nesse momento que soube.

Ele não iria reconhece -la.

Não fazia ideia de quem ela era.

Sakura não sabia se ria ou se chorava.



Continua...




Notas Finais


Na minha concepção,esse capítulo foi bem grandão rsrs.
Até 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...