História A perfectly liar love - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Aquaman, Arlequina (Harley Quinn), Arqueiro Verde, Asa Noturna, Batman, Batman vs Superman: A Origem da Justiça, Esquadrão Suicida, Hera Venenosa, Justiça Jovem, Liga da Justiça, Mulher Gato, Mulher Maravilha (Wonder Woman), Novos Titãs (Teen Titans), Supergirl, Superman
Personagens Anarquia (Lonnie Machin), Arthur Curry (Aquaman), Asa Noturna, Astra In-Ze, Barbara Gordon (Batgirl), Barry Allen (Flash), Bart Allen, Batwoman (Kate Kane), Beatriz Bonilla da Costa (Fogo), Bruce Wayne (Batman), Carter Hall (Gavião Negro), Cassandra Cain (Batgirl), Cassie Sandsmark (Moça-Maravilha), Cavaleiro Andante (Sir Justin), Chato Santana (El Diablo), Ciborgue, Clark Kent (Superman), Comissário James "Jim" Gordon, Coringa (Jack Napier), Damian Wayne, Diana Prince (Mulher Maravilha), Digger Harkness (Capitão Bumerangue), Donna Troy (Troia), Dr. Jonathan Crane (Espantalho), Edward Nashton/Nygma (O Charada), Estelar, Floyd Lawton (Pistoleiro / Deadshot), Garth (Aqualad / Tempest), Hal Jordan (Lanterna Verde), Harleen Frances Quinzel (Harley Quinn / Arlequina), Helena Wayne, Holly Robinson, James "Jimmy" Olsen, Jason Todd, John Henry Irons (Aço), John Smith (Tornado Vermelho), John Stewart, J'onn J'onzz "John Jones" (Caçador de Marte), June Moone (Magia / Enchantress), Kara Zor-El (Supergirl), Kon-El (Superboy), Lena Luthor, Lucy Lane, Martha Wayne, Morcego-Humano (Kirk Langstrom), Mutano, Nathaniel Adam (Capitão Átomo), Oliver Queen (Arqueiro Verde), Oswald Chesterfield Cobblepot (Pinguim), Pamela Lillian Isley (Poison Ivy / Hera Venenosa), Rachel Dawes, Rainha Hipólita, Ravena, Raymond "Ray" Palmer (Átomo), Rick Flag, Selina Kyle (Mulher Gato), Shiera Hall (Mulher-Gavião), Steve Trevor, Tatsu Yamashiro (Katana), Terra, Thomas Wayne, Timothy "Tim" Drake (Robin), Vicki Vale, Wally West (Kid Flash), Waylon Jones (Crocodilo / Killer Croc), Winslow "Winn" Schott Jr., Zatanna, Zatanna Zatara
Tags Amor Ciúmes, Batman, Confusão, Cortes, Dor, Hentai, Injustiça, Justiça, Justiça Jovem, Lanterna Verde, Liga Da Justiça, Mentira, Mulher Gavião, Mulher Maravilha, Reportagem
Visualizações 189
Palavras 1.473
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Hentai, Luta, Poesias, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


PS: Não sou "NOOOSSA! COMO ELA É INTERADA DOS QUADRINHOS, COMO ELA É FÃ DA LIGA DA JUSTIÇA."

NÃAAAAAOOOOO!!!
Longe de mim, eu apenas gosto do desenho, sempre assisti, Shippo (muitooo) WonderBat, Gosto da Liga, do contexto em si, gosto muito do filme esquadrão Suicida, achei que seria interessante escrever uma fic sobre esses personagens, e etc.

ESTOU TENTANDO ESTUDAR MAIS SOBRE CADA UM PARA UMA ESCRITA E CONTEÚDO MELHORES. Não me julguem se algo passar batido, e etc... Não sou expert em nada!

Enfim, é do fundo do cora, de fã para fã espero que gostem.

Mais um PS.: Isso msm

Ps: A FIC EM SI, TERÁ COMO O FOCO PRINCIPAL, BRUCE WAYNE E DIANA PRINCE. A FIC GIRARÁ EM TORNO DELES ENTÃO SE NÃO SHIPPA O CASAL, NEM VEM LER PRA COMENTAR BABOSEIRA DEPOIS PORQUE OS OUTROS SÃO APENAS PERSONAGENS SECUNDÁRIOS!!!!


Éh isto! Espero que gostem.

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction A perfectly liar love - Capítulo 1 - Prólogo

No começo era divertido, eu achava engraçado. Eu gostava do seu jeito sério, curto e grosso, e às vezes um tanto quanto bruto. Mas com o tempo as coisas foram mudando. Para pior, eu diria. As palavras que saíam da boca de Bruce Wayne me definhavam pouco a pouco. E o seu silêncio também me agoniava. Eu gostava dele; mas será que ele sentia o mesmo? As cantadas baratas, as indiretas cheias de verdades, os sorrisos bobos, os olhares distraídos, cada sinal que pudesse demonstrar o sentimento de algo a mais…” partiram de mim; e não ter certeza se ele também se sentia assim, doía. Às vezes, esse parecia ser um dos piores carmas que eu carregava durante todos esses anos, e pedia forças a Hera, porque sinceramente, elas estavam chegando ao fim. Às vezes, eu achava que ele gostava de me machucar e fazia essas coisas propositalmente. Entre outras, perdida nas ilusões de minha mente eu me enganei achando que, na verdade, ele só queria me proteger.

Ele me reconstruiu, e reconstrói todos os dias o meu coração que ele mesmo destruía -e continua destruindo- com suas palavras. Ele juntava cada caquinho de meu coração partido ao meio. E colava novamente. Para então, destruir de novo com um soco de realidade. Pudera Deus! Ele não percebia que estava me magoando? Que me matava sempre que acabava com minhas esperanças? As esperanças que ele me deu?

Estar do lado dele, a cada dia, era um novo desafio para minha pessoa. Eu precisava agir como a profissional que eu era, mas como? Se ainda fosse o Clark, ou Barry… o John? Eu conseguiria! Mas era ele. Aquele cara. Meu coração acelerava embora eu não quisesse, um meio sorriso a contragosto era forçado em meus lábios sempre que o via amoroso com suas inúmeras fãs, e eu desejava não ser quem de fato sou. A mulher Maravilha. Eu queria ser apenas o meu outro eu, apenas a moça que negocia antiguidades. Apenas mais uma secreta admiradora do homem morcego. Ou não.

Na verdade, só queria não me sentir assim. A cada “Toque”, Cada ato -Mesmo que apenas heróico e comum-, cada frase, não queria me sentir assim. Não ter que secar, o repentino suor de minhas mãos para que ele não note o quão nervosa eu estou em tua presença. Não ter que agir, como uma pessoa super dotada de sabedoria quando na verdade sou apenas eu, frágil e sentimental. Mas ele não se importava com isso, não, ele era mal. O bonzinho Batman a cada dia me mostrava o quão cruel era capaz de se tornar. E continuava mantendo seus inúmeros atos que me tiravam o ar, e reforçavam o meus pensamentos mais sombrios de um dia tornar-me mortal, para me livrar dos malditos Sentimentos que me permiti nutrir por ele.


                         [•••]


O rapaz de capa preta segurava firme em minha cintura conforme me guiava pelos ares. Eu o observava atentamente com o canto  dos olhos. diferente de Minha pessoa -Perdida em inúmeros pensamentos inapropriados-, ele parecia estar bem “encontrado” consigo mesmo. Nos levei ao chão, com força e brutalidade soltei-me de seus braços e corri para então levantar vôo outra vez. Dessa vez, sozinha.

Nossa patrulha acabara de chegar ao fim. Não tinha necessidade de ver-me presa ao homem-morcego; por isso voei. Em velocidade -e nervosismo tal-, que me surpreendi comigo mesma ao imaginar-me numa competição com o velocista da liga da justiça. Voei tão depressa que só me dei conta de tal ato assim que me vi acima de um prédio.  Uma pena que estivesse distraída o suficiente em meus pensamentos para não o perceber em minha frente. Meu corpo chocou-se com o de outra pessoa e meu rosto bateu contra o peito do homem de aço e resmunguei de dor, quando meus pés, que recentemente tocaram o “chão” por impulso me levaram para trás. Clark me estendeu a mão, mantendo-me de pé. Sorria de orelha a orelha de me permiti estampar no rosto uma expressão de puro nervosismo. Superman riu.


-Me Desculpe.- Pediu.-Achei que estava na patrulha com Batman.

-Tá tudo certo em Gotham, aliás eu precisava espairecer. Longe do homem morcego.-Sussurrei minha última frase.

-Seu coração bate acelerado.-Falou-me o mais alto.

-Deve ser consequência de meu rápido vôo impulsionado de última hora. -Improvisei.

-Porque está mentindo? -Ele indagou.

-Não tenho necessidades para o fazer.

-Não?-O filho de Krypton arqueou uma sobrancelha.-Me empresta seu laço?

-Que Droga!-Resmunguei baixinho.-Prefiro não tocar nesse assunto.

-O que ele fez dessa vez?

-Wayne não fez nada.

-Você não chama ele de Wayne quando tudo vai bem.

-E desde quando as coisas vão bem entre nós? Tudo que aquele orelhudo que adora andar nas trevas faz é usar de sua astúcia para me irritar. -Cerrei as mãos em punhos.- Ele. Só. Sabe. Me. Irritar. -Bufei, ao repetir pausadamente.

-O que exatamente te irritou dessa vez?

-Não o quê, mas quem. BRUCE WAYNE!- Gritei.

-Vamos reformular minha pergunta: O que Bruce fez pra te irritar dessa vez.

-Nada!-Resmunguei.

-Como assim nada, Diana?

-Agora, depois do último episódio de Luthor ele fica me tratando como um bebê, cheio de suas gracinhas e Blá blá. Como se fosse meu guarda costas oficial, como se estivesse ali pra cuidar de mim.-Forcei  enjôo ao fazer menção de pôr o dedo indicador da mão esquerda na garganta e o dono da capa vermelha riu.

-Quando a gente ama nós realmente não poupamos esforços para cuidar de alguém.  Mesmo que essa pessoa, ache que a estamos tratando feito um bebê.-Ironizou sua última frase. 

-Droga! Você não entende. Bruce. Não. Me. Ama. Ele não ama. Não gosta de mim. Tudo o que ele faz, é me evitar. E de repente, fica agindo de maneira estranha.

-Agora eu entendo! -Clark estalou os dedos.- É claro, você gosta dele,  você gosta do Bruce.-Revirei os olhos.-É isso, não é? -Permaneci calada quando senti minhas bochechas queimarem.-Okay, mas você não acha bom que ele se importe com você? Isso seria no mínimo… Um sinal positivo, concorda?

-NÃO! Eu não acho isso bom. E ele não se importa, tenho certeza. Ele faz isso pra me irritar, me tirar do sério, eu sei que é isso! Bruce é uma pedra de gelo, que não se permite sentir nada por qualquer coisa, ou alguém. Sempre com aquela cara de Iceberg que tanto me enoja, sempre afastando qualquer um que tenta se aproximar. Ele é um anti social isso sim, um hipócrita que faz meu sangue ferver com a imensa vontade de esmurrar seu rosto perfeitamente esculpido, deixar seus olhos Azuis quase negros e brilhantes que tanto me tiram o ar, roxos e inchados ao ponto de ninguém mais querer olhá-lo - exceto eu obviamente,- face a face sem sua maldita máscara; Acabar com aquele meio sorrisinho de lado, e…. - Clark mantinha um sorriso semelhante ao do Coringa de tão enorme que era formado no rosto.

Antes de xingar meu melhor amigo senti algo como um quente respirar em meu pescoço, assim que abruptamente meus cabelos foram jogados para frente de meus ombros. Virei-me e dei de cara com o cavaleiro das trevas. Aquele que já ria aumentou a frequência e o som de sua risada que agora não era bem, mais um riso contido. Tornou-se uma gargalhada precisamente falando.

-Também não acha errado falar das pessoas quando elas não estão presentes? -O morcego indagou e uma onda de calafrios me percorreu o corpo tamanha a  frieza em sua voz.

-O casal vai me desculpar, o assunto estava realmente interessante mas está tarde e eu tenho uma família.-Clark Kent se despediu. Dei de ombros.

-Então, não vai dizer nada?

-Não tenho nada pra dizer.

-Certeza?-Assenti.-Isso é engraçado de se ouvir, pois bem pensei que eu, era o tema de sua conversa com o Superman.

-Pensou errado. -Respondi serena.-Bom, se me der licença, Bruce Wayne…. Concordo com Kent. Está tarde e embora não possa usar a desculpa de ter uma família eu tenho uma casa para cuidar, aliás… você também deveria descansar. -Toquei a ponta de seu nariz com o indicador. -Até mais ver. Nos vemos em qualquer momento na torre da liga.

-Mas já vai assim? Porque tanta pressa, mocinha? -O dono da voz masculina fechou sua mão em meu braço me fazendo voltar e fixar meu olhar ao seu.

-Não tenho pressa alguma, aliás eu sou uma princesa Guerreira, muito diferente das “mocinhas” com quem andas; e você, bom… Ah, Wayne… você não é um cavalheiro por tanto, não force. Não combina com você.

-Eu não sou um cavalheiro?-Ele perguntou, desacreditado.

-Das trevas talvez. -Corrigi.-Sério, eu não quero discutir sobre o que ou quem o “Batman” é. Só me deixe ir, porque…-Bocejei.- meu sono já está batendo à porta.

-Precisa de mais que isso para me enganar, Mulher Maravilha.

-Não estou mentindo, morcego.

-Talvez não, mas com certeza está omitindo algo.

                         [••••]

“-Não estou mentindo, morcego.

-Talvez não, mas com certeza está omitindo algo.


Notas Finais


Foi isso. Talvez, essa fic se torne uma One, (O MAIS PROVÁVEL POSSÍVEL) mas dependendo do tanto que ela for favoritada, Comentada, querida e etc, talvez eu a prolongue. Eh isto! Bjs e espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...