História A perigosa decisão (Yeonseok-Vkook híbrido) - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Ailee, Bangtan Boys (BTS), Big Bang, Jay Park, Jessi, Mamamoo
Personagens Ailee, G-Dragon, Hwasa, Jay Park, Jeon Jungkook (Jungkook), Jessi, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Moonbyul, Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Solar, Taeyang, Wheein
Tags Assassinato, Bangtan Boys (BTS), Drama, Gravidez Masculina (mpreg), Híbrido, Lgbt, Morte, Romance, Sope, Taekook, Tortura, Violencia, Vkook, Yaoi, Yonseok
Visualizações 16
Palavras 1.651
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Lírica, Luta, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Slash, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ola leitores, esse capitulo é pra mostrar o que Taehyung sente de verdade, já que nos 6 capitulos anteriores, ele nunca falava muito, apenas seguia Hoseok pra onde ele ia.
Espero que gostem amo vuxes

Capítulo 7 - Taehyung


Fanfic / Fanfiction A perigosa decisão (Yeonseok-Vkook híbrido) - Capítulo 7 - Taehyung

                  Taehyung



Desde que cheguei aqui tudo de ruim que poderia acontecer, estava acontecendo, esse orfanato, eu ficar preso, o desprezo das pessoas, não conseguir suprir meu cio, que ainda me incomodava, desde que cheguei aqui não tive nenhum momento realmente bom.

 Quando vim para cá, realmente achei que os seres humanos não me tratariam tão mal se eu fosse bonzinho, mas estava enganado, os seres humanos são maus, menos o alfa do Yoongi os amigos dele e a freira que nos aceitou aqui, mas os outros nos olhavam estranho, me faziam sentir vergonha de ser um híbrido, me faziam sentir vergonha da minha aparência, os olhares na rua, a freira e o que ela fez com o Hoseok hoje mais cedo, tudo estava péssimo e o que eu mais queria era voltar. Por mais que eu não tinha amigos na aldeia, eles ainda me tratavam bem, e eu ainda tinha meu esconderijo especial, que era em um lugar tão escondido que ninguém nunca conseguiu achar. Quando estava estressado, triste ou magoado, eu ia pra lá e lia um dos livros que eu roubava das casas dos humanos, me imaginava em todas as situações dos livros, e era muito bom, mas aqui, nem mesmo tempo para ler um livro eu tenho, e isso me deixa mais frustrado que o normal. Hoseok tentava cuidar de mim, e eu reconhecia isso, ele vem sendo um irmão pra mim nesses últimos tempos, mas em tão pouco tempo tudo se tornou um inferno, e nada que ele fizer vai me fazer sorrir verdadeiramente de novo, e eu queria muito voltar à aldeia, e viver isolado dos humanos novamente, apenas com meus livros, e a solidão que agora sentia tanta falta, e mesmo que não me aceitassem no bando, eu continuaria na floresta. Estava decidido, precisava voltar!


(...)


Estávamos limpando as escadas do orfanato, e fazia pelo menos 6 horas que estávamos limpando o orfanato, estávamos quase acabando, mas depois de acabarmos de limpar, tínhamos que fazer o jantar, e eu não sabia o que humanos comiam então não sabia como poderia ajudar nessa tarefa.

-Tae – Hoseok me chama.

- Hum?

- Hoje foi bom não? Espero que amanhã seja o mesmo – Hoseok diz feliz, e eu dou só um sorriso mínimo para ele. Hoseok não fazia ideia do quanto ele estava cego, Hoseok não conseguia ver as coisas ruins ao seu redor, apenas via o que fazia ele feliz, e isso com o tempo, não irá ser bom para ele.


(...)



Ao acabarmos de limpar as escadas a freira má chamou nossa atenção, e começou a falar com todos nós, em um tom de puro desprezo.

- No mês que vem vai ter uma visita, de pais querendo adotar dois adolescentes, só que eu vou escolher quem vai ser entrevistado e quem não vai, e eu vou transforma a vida de vocês em um puro inferno até lá, então se preparem porque eu não vou dar nenhuma moleza pra vocês, e os que forem mais bonzinhos vão poder ser entrevistados, tudo bem? E qualquer deslize de vocês, vai poder acabar com as suas chances de serem adotados, ouviram bem?

- Sim senhora – Todos respondem com um tom desanimado, e a mulher sai do lugar.

- Quem vai fazer o jantar essa noite? – Um dos garotos pergunta, enquanto recolhi algumas coisas do chão.

- Têm que ser essas duas aberrações aí, eles ainda não cuidaram do jantar desde que chegaram. – O garoto nos olha com indiferença, e eu me seguro para não arranhar a cara dele toda.

- Isso é verdade amor, vocês é que vão fazer a comida hoje, aberrações horrorosas – Uma garota nos ofende e eu me mantenho com a cabeça baixa.

- Eu não concordo, não iria querer isso, fazer a minha comida, não iria conseguir comer – Outro fala.

- Concordo – Três garotos concordam ao mesmo tempo.

- Então tá, vocês vão ficar nos seus quartos, e não saiam de lá, alguém de nós vai levar comida pra vocês, aberrações como não devem ficar com seres humanos, vão logo, já não aguento mais ver vocês. – Eu não disse nada, e Hoseok também não, não queriamos brigar, não estavamos com paciência para isso, então apenas ajudei o Hoseok a levantar e fomos para o nosso quarto.



(...)



Já fazia um bom tempo que estávamos dentro do quarto, Hoseok já estava dormindo, e eu pensava no dia de hoje, e na escola... Jungkook...Jungkook, ele era tão adorável, um garoto gentil, e me tratou muito bem, conseguia conversar com ele e parecia que meu hibrido interior não sentia receio, me sentia confortável e feliz com ele, o que era muito bom, mas de qualquer forma não importava porque eu iria embora.

Alguém bate na porta e logo abro, percebendo que era um dos garotos com uma bandeja de plastico velha.

-Pega logo essa merda seu lixo - Ele estende a bandeja e eu sem falar nada, pego a mesma. - Virou mudi…- fecho e tranco a porta na cara dele, ouvindo um pequeno gemido de dor do outro lado, já que ele estava muito perto da porta.

Acordo Hoseok e como ele estava ainda muito sonolento, comemos um negócio horrível, que eu nem sei o que era aquilo, mas era líquido e estava horrível.  Acabamos de comer e fomos dormir para o dia seguinte, já que iríamos a escola novamente.



                  Dia seguinte




Hoseok acordou como sempre, muito bem humorado, ele ria e conversava comigo como se estivessemos em um paraíso e que nada de ruim estivesse acontecendo, Hoseok literalmente era cego por esse lugar, e isso me preocupava. O pior é que eu não conseguia me impor, não conseguia falar e dizer tudo que penso para Hoseok, meu híbrido nasceu para obedecer e se conformar com a vida, seja ela boa ou ruim, e isso me prejudicava bastante, já que não conseguia dizer o quão triste estava.

Saímos do orfanato, e caminhamos lentamente para a escola. Enquanto caminha pude ouvir alguns barulhos nos seguindo, como se estivessemos sendo vigiados, Hoseok também ouviu, mas achou melhor esquecer já que para ele não era nada demais, mas mesmo assim achei aqueles barulhos muito estranhos. Aqueles barulhos continuaram até nós chegarmos a escola, onde fiquei com aquilo na cabeça o dia todo, algo estava estranho só não sabia o que era

O diretor nos deu todo o material que precisávamos para estudar, nos explicou algumas poucas coisas, e fomos para a nossa sala.

As aulas foram bem boas, e o professor de….portu...português, esse era o nome da aula, sempre faziam os alunos rirem. Depois que entramos para aquela sala, muitos humanos não foram a nossa sala, e isso não me importava, já que era olhos de desprezo a menos para mim.



(...)



O barulho que indicava que era hora de comer, tocou e todos foram para o refeitório, e eu estava ansioso para comer, já que a comida dos humanos era até que bem gostosa.

Após pegarmos nossa comida, sentamos na mesma mesa de antes, e começamos a conversar, Jungkook olhava para mim o tempo todo, e como meu cio ainda estava presente o que eu mais queria era pular em cima dele, e fazer o que eu queria a tempos, sexo, sexo, sexo, eu necessitava muito disso, mas nós  tínhamos nos conhecido ontem, e eu sei que para os humanos, tínhamos que esperar um pouco antes de fazermos sexo, pelo menos era o que lia nos livros.

-Taehyung - Jungkook me chama colocando uma mão na minha perna, e nesse simples toque eu já fico muito excitado.

-S-Sim?

- Vem aqui rapidinho comigo? - Jungkook sorri pra mim

- C-claro - Sorri nervoso, por que eu sabia que a qualquer momento eu poderia sair um pouco do controle.

Fomos andando até uma parte da escola que não dava pra ouvir mais nenhum humano. Entramos em um lugar que tinha um tipo de lago quadrado, Jungkook me imprensou na parede e chegou bem perto do meu ouvido.

- Quer ficar comigo? - Ele diz com uma voz rouca, enquanto sorri.

- Não sei o que significa - Disse com um pouco de dificuldade, já que eu estava excitado ao extremo.

- Significa - Ele faz uma pausa para rir - posso te beijar? 

- Mas te conheci ontem - Eu digo confuso

- Não importa, eu quero ficar com você, então...posso te beijar? - Ele beija meu pescoço

- Pode - Eu respondo um pouco rouco e nós iniciamos um beijo bem calmo, mas depois começou a se aprofundar e tudo ficar em um clima...mais quente, como dizem os humanos.



                   Jungkook




Taehyung era muito gostoso, não consegui esperar até que nos conhecêssemos melhor, sua aparência era tão linda e ao mesmo tempo estranha, que resistir a ele era algo fora de cogitação, por mais que ele e eu tivéssemos conversado uma vez, eu não iria conseguir resistir ao baixinho. 

Sua boca se encaixava perfeitamente na minha, nossas línguas se entrelaçavam uma na outra, o beijo era quente e cheio de desejo das duas partes, sentia o membro de Taehyung duro roçar no meu, me dando muito tesão. Para recuperar o fôlego, comecei a beijar o pescoço de Taehyung, e a dar mordiscadas, deixando também alguns chupões. Taehyung gemia meu nome e eu ficava com mais tesão ainda, Taehyung começou a tentar tirar os botões da minha calça quando o sinal toca, e nós levamos um pequeno susto, cortando completamente o clima.

- Temos que voltar - Digo decepcionado

- Por favor não, eu preciso disso - Taehyung pediu manhoso - Eu te expliquei o que é o cio, ainda tô nele, preciso transar

- Depois da aula você vem pra minha casa, e eu te ajudo com seu problema - Digo já saindo, mas sou puxado por Taehyung 

- Não, agora - Ele abaixa minha calça, tira meu membro ainda duro da calça, me masturbando enquanto toma completamente meus lábios. - Você começou, agora deixa eu terminar.




Continua...




Notas Finais


Desculpa, mas vai ter que ficar pro próximo capitulo, já que não vai ser só uma vez que vão transar, achou que eu ia ser má e enrolar pra eles ficarem juntos? Nada disso, no decorrer da historia vão ver que Jungkook não é desses que enrola
Até o proximo e TCHAAAALALALALAAAU


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...