1. Spirit Fanfics >
  2. A pérola da Akatsuki. >
  3. Não volto mais nesse lugar.

História A pérola da Akatsuki. - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Olá,
Neste cap teremos o objetivo dessa Akatsuki contado, além disso as mudanças de Naruto para minha fic ficarão cada vez mais explícitas pra vocês.
Eu decidi juntar dois capítulos em um só então talvez pareça muito adiantado porém preferi que fosse assim, no próximo já quero mudar totalmente o foco da fic então decidi junta-los.

Ps: muito obrigada a todos que favorita tem, nunca recebi tantos favoritos em tão pouco tempo.

É isso nos vemos nas notas finais.

Capítulo 3 - Não volto mais nesse lugar.


(Hinata)

Instalações da Akatsuki, presente momento.

Sinto os olhares daqueles cinco em cima de mim, coro por minha timidez porém faço o que eles mandaram e me sento no sofá.

Pain estava na minha frente com os braços cruzados e com uma cara seria, já a mulher estava ao lado dele com uma expressão leve no rosto, Deidara e os outros três estavam atrás deles sérios.

_ qual seu nome Hyūga?_ a azulada perguntou como uma ordem.

_ me chamo Hinata Hyūga... Sou a primogênita do clã._ ao dizer isso vejo as expressões de todos mudarem.

Pain colocou a mão em sua testa respirando fundo, os meus sequestradores arregalaram os olhos e a mulher apenas levantou uma das sobrancelhas.

_ você é primogênita do clã Hyūga?_ assinto a deixando perplexa._ por Kami, como vocês puderam pegar logo a herdeira dos Hyūga? Vocês sabem como isso pode fazer nossa imagem fica pior do que já é?_ ela fala irritada com eles.

_ nós não sabíamos, pensamos que era apenas uma criada do clã._ o platinado falou embolado.

_ é claro que voc—

_ Konan!_ Pain fala um nome fazendo a azulada ficar queira._ agora já foi, falar não vai mudar o fato de que eles fizeram merda._ quase sinto vontade de rir após ouvir essa frase porém me contenho._ agora precisamos saber o que faremos com ela, não queria fazer isso mas talvez devêssemos..._ ele não termina de falar porém eu entendo na hora.

Eles queriam me matar, talvez nunca soubessem quem fez isso porém a probabilidade de descobrirem quem me matou não eram tão nulas assim, de qualquer modo eles se ferrariam.

Já eu? Eu apenas esperava minha sentença quieta, nenhuma palavra nada melhoraria essa situação.

_ antes disso Pain, me deixe conversar com ela._ a mulher fala se sentando ao meu lado, a encaro sem dizer nada._ bem... Me chamo Konan, o de cabelo branco é o Hidan, o loiro é o Deidara e o velho é o Sasori, além é claro do Pain..._ ela espera eu falar algo porém permaneço quieta._ existem mais cinco de nós, a maioria de nós são órfãos ou Nukenins injustiçados pelo governo... Nossa corporação é construída para ajudar aqueles que foram injustiçados e passam fome, nós pegamos missões clandestinas e ajudamos vilas pequenas com nossos poderes._ escuto tudo em silêncio porém não entendo o porquê dela está em contando isso.

_ e por que estão me contando isso?_ pergunto sincera.

_ nossa organização é algo clandestino, independente de qualquer tipo de vila ou pais, somos Nukenins que após discordamos de regras e ordens impostas pelos Kages fomos exilados de nossas vilas, alguns aqui foram para o mundo do crime usando suas habilidades para matar e ganhar dinheiro com isso, outros simplesmente viraram andarilhos._ Pain é quem diz fazendo alguns ficarem com olhares profundos como se lembrassem de coisas do passado._ a Akatsuki foi criada por mim a muito tempo atrás na segunda guerra ninja, naquela época eu tinha um grupo com muito mais de 20 pessoas nele, porém as vilas e seus Kages acharam que queríamos poder é isso os fez armarem uma armadilha para nós... Após aquele dia nos fugimos porém não desistimos de nosso objetivo, alcançar a paz..._ ele diz sério.

_ naquela época perdemos nosso amigo Nagato que se matou para não ter que escolher entre nós dois._ Konan fala apontando para Pain._ ele deu seus olhos para Yahiko que aprendeu a domina-los, os poderes destes olhos o concedem a habilidade de acelerar e até mesmo criar alimentos em segundos, usamos deste poder para ajudar pequenas vilas e vilarejos que passam fome._ ela diz me deixando surpresa.

Como que aqueles outros três estavam nessa organização?

_ se vocês fazem tudo isso por que são procurados?_ pergunto já não me importando se eles eram ou não meus sequestradores, eu estava curiosa com essas revelações.

_ somos procurados por motivos distintos, Yahiko e eu somos procurados por termos fugido após a morte de Nagato, Konoha que foi quem nós atacou disse a todos que após matarmos nossos companheiros, nós fugimos e ferimos um de seus ninjas, até mesmo o homem que nos criou acreditou no que falaram na época._ a azulada dizia com pesar na voz._ mas isso não nós mudou, não fez com que nos perdêssemos, somo melhores do que isso e vamos mostrar a todos que o sonho de Nagato será realizado, queiram as vilas ou não._ assinto me comovendo com a causa deles, porém eu ainda mantinha um pequeno receio com eles.

_ você ainda não está acreditando né?_ vejo o platinado falar, não escondo minha descrença.

Como vou acreditar nisso assim tão facilmente? Depois deles simplesmente terem me aterrorizado?

_ eu nasci na vila oculta das fontes termais onde vários turistas viajavam para conhecer nossas fontes, um dia anunciaram a vinda de uma família dos senhores feudais que viriam para negociar com nosso líder, alimentos e água e em troca nós daríamos vinte por cento de nossos lucros com turistas, me lembro até hoje que todos da vila ficaram felizes já que estávamos passando por uma época em que nossas colheitas estavam sendo destruídas por vilas inimigas._ Hidan falava sério.

Eles realmente estavam me contando tudo, o medo de que fossem presos estava os impulsionando a fazer de tudo para que eu não espalhasse o que essa organização era... Falando assim parece até mesmo que as vidas deles estão na minha mão...

_ foi então que nessa mesma noite eu decidi sair de casa para encontrar alguns amigos meus, mas no caminho fui parado pela esposa do senhor feudal que me ofereceu dinheiro e brinquedos e eu como uma criança inocente não pensei duas vezes antes de aceitar... Ela me levou para um hotel de minha vila e... E me abusou..._ ele engole seco me deixando sem reação._ a cada toque, a cada beijo eu ficava mais e mais apavorado, eu sentia todo meu corpo formigar... E quando acabou, eu fugi para casa e contei tudo aos meus pais, meus pais não pensaram duas vezes antes de falar para nosso líder...

Ele aperta suas mãos com força e uma lágrima sai de seu olho, ver aquilo me fez ficar com pena do meu sequestrador.

_ quando eles falaram isso para nosso líder, nosso líder simplesmente disse que não podia fazer nada, que eles eram poderosos e destruiriam tudo, meus pais sem acreditar se opuseram contra nossa vila, falaram que não deixariam aquelas pessoas ruins dominarem nossa vila... Na mesma noite eles acabaram sendo mortos apedrejados pelos demais cidadãos._ ele diz com pesar._ no outro dia quando acordei, eu procurei meus pais em todos os lugares porém não os encontrei... Passei minha vida inteira sem saber o que realmente aconteceu com eles, até que um dia eu e meus amigos decidimos invadir a central de nossa vila, lá encontramos pergaminhos secretos que relatavam a morte de cada cidadão de nossa vila, e lá estava a morte de meus pais, que descobri ser uma conclusão conjunta em que todos aprovaram...

_ e aí você fugiu da vila?_ pergunto vidrada na história, porém ele nega me encarando profundamente.

_ eu os matei, matei todos da minha vila._ sinto minhas pernas fraquejarem e arregalo os olhos._ após descobrir como meus pais morreram eu roubei um pergaminho que relatava a existência de um deus chamado Jashin, que concedia a quem o procurasse a imortalidade e um único desejo, em troca essa pessoa deveria fazer um ritual para que ele despertasse... Esse ritual precisava de sangue humano, o suficiente para encher uma piscina, e sem pensar duas vezes eu assassinei-os, um por um os cidadãos da minha vila, após isso um me ajoelhei e pedi para ele que meus pais voltassem a vida porém eles não voltaram... Assim como esse deus não despertou, me lembro até hoje do quão perdido fiquei, eu havia exterminando minha vila para trazer meus pais de volta por causa de uma crença sem nenhum tipo de prova._ ele pausa antes de terminar._ depois daquilo eu fugi, porém fui perseguido diversas vezes, em uma dessas vezes eu percebi que mesmo ferido eu não sentia nada e meu corpo não parecia sofrer nenhum tipo de sequela após me machucar, eu era praticamente imortal..._ arregalo os olhos com sua revelação._ porém não demorou muito para me capturaram, dei muita sorte que naquele dia Pain e Konan estavam lá para me salvar e sou grato até hoje a eles por isso._ ele termina me encarando esperando que eu dissesse algo.

Respiro fundo tentando ingerir tudo o que me falaram.

_ s-sinto muito por você ter passado por isso... M-mas não a-acho que isso seja razão para você exterminar toda sua vila, poderia haver pessoas inocentes lá._ digo respirando pesadamente, ele assente e diz.

_ é por isso que estou procurando me redimir, ajudando as pessoas como posso, ajudando aqueles que são escravos dos mais poderosos e ricos, nosso objetivo é trazer a paz para todos, independente de seus ideais ou crimes, se essas pessoas querem se redimir a ajudaremos._ ele fala sério, não parecia nada com o homem que estava a pouco brigando comigo.

Se o que eles diziam era verdade, então eu não poderia falar sobre isso, eu não poderia simplesmente acabar com algo tão bom como o que eles queriam construir...

_ podem ficar tranquilos... Eu não vou falar nada sobre isso, vocês tem minha palavra._ digo seria e eles assentem, um silêncio sufocante se faz presente em nossa sala.

Me levanto sendo seguida pelos olhos de todos, dou um sorriso sincero para eles que parece suavizar sua expressão.

_ nos vemos por aí._ digo caminhando até a porta, antes de girar a maçaneta digo._ vocês parecem ser pessoas boas... Não morram antes de nós encontramos novamente._ digo girando a maçaneta e saindo da casa.

_ Hinata!_ olho para trás e vejo o platinado sorrindo._ me desculpe por você sabe... As vezes parece que não sou eu no controle do meu corpo.

_ tudo bem, eu o perdoo, vocês realmente não precisam se preocupar, não vou contar pra ninguém sobre isso._ ele assentem e eu me movo em direção a Konoha.

Estranhei eles terem me deixado sair tão facilmente, eles nem mesmo pareciam com medo de que eu falasse para Konoha, talvez só talvez eles queriam acreditar em mim, e eu não vou decepciona-los, não irei destruir a vida de pessoas que parecem ter sofrido muito.

Não sou esse tipo de pessoa...

Agora preciso voltar a Konoha, tenho que inventar um bom motivo para ter sumido por todo esse tempo...

-___*___-

Chego no portão de meu clã sendo parada por guardas Hyūga, eles me encaram surpresos porém eu me esquivo deles e continuo caminhando até minha casa.

Estava exausta, me explicaria outro dia, não hoje.

Entro dentro de casa e sou abraçada por um vulto marrom que apertava minha barriga com força, sorrio e passo a mão em seus cabelos sentindo minha blusa molhar.

_ onde você estava? Achamos que tinha sido sequestrada!_ Hanabi fala soluçando.

_ me desculpe... Eu estava pensando, sobre tudo..._ digo torcendo para que ela entendesse que estava pensando em Naruto, e foi realmente disso que ela pensou já que sua expressão de felicidade foi para uma de irritada.

_ você estava chorando pelo Naruto de novo? Hinata você não merece chorar por isso, você é incrível e vai achar alguém incrível, ele não vai ser o único em sua vida, pode ter certez—

_ Hinata!_ ouço a voz de meu pai atrás de Hanabi, Hanabi me solta e encara nosso pai com medo._ quero falar com você, na minha sala agora!

Hanabi podia ser alegre e feliz com todos mas quando se tocava no nome de nosso pai ou quando ele estava presente sua personalidade mudava drasticamente, ela parecia um rato com medo do gato, sua personalidade extrovertida era substituída por uma garota medrosa e insegura...

Ele sobe as escada, observo Hanabi mudar sua postura novamente, ela suspira fundo e sorri tentando mascarar para mim seu medo por nosso pai.

_ parece que você tá encrencada._ ela diz sorrindo, decido não tocar no assunto pai e apenas assinto.

_ só falta ele me colocar na Bouke._ digo fazendo gracinha, ela gargalha porém arregala os olhos ao perceber que fiz uma piada.

_ viu como parar de pensar no Naruto te muda Hinata?_ ela diz e eu apenas balanço a mão como se não fosse nada demais.

Sem dizer mais nada me movo em direção ao escritório de meu pai, seguro em sua maçaneta e engulo seco já sabendo que sairia dali com o psicológico destruído.

Abro a porta e me sento sendo observada por meu pai, ele se ajeita em sua cadeira começa a falar.

_ então você gosta do Jinchuuriki da Kyubi?_ ele pergunta como uma afirmação, permaneço queira e isso não parece incomodá-lo._ onde esteve está tarde?

_ estive treinando em uma cachoeira... Estava botando meus pensamentos em ordem._ digo seria, isso parece o deixar surpreso porém ele logo fala.

_ por que não veio até mim como mandei você fazer?_ ele se refere a antes mesmo de eu descobrir de Naruto e Sakura, foi tanta coisa que havia esquecido completamente.

_ m-me desculpe, m-minha cabeça estava em outro lugar hoje..._ ele curva seu corpo em minha direção respirando fundo.

_ Hinata vou ser direto e sincero com você, você é fraca, não possui uma postura de líder e muito menos aparenta querer ser a líder, você é medrosa e insegura, já soube de todos os momento em que seu time foi ferido por sua culpa... E decidi que você irá desistir de ser ninja._ arregalo os olhos ao ouvir sua afirmação.

_ o-o que? E-eu não..._ não consigo dizer nada com o olhar de meu pai._ ma-mas por que?

_ como já disse você não nasceu para ser ninja, você irá ser deserdada e fará parte da Bouke ajudando na limpeza e na alimentação da família principal._ ele fala, sinto meu coração falar e meus olhos arderem.

Meu pai estava me tirando da família, ele estava simplesmente dizendo que não servia para ser sua filha, que não servia para ser ninja.

Minha vida além do Naruto, sempre foi tentar deixar meu pai orgulhoso, sempre foi treinar para o deixar feliz, porém tudo o que eu fazia parecia afasta-lo ainda mais, como se ele simplesmente me odiasse.

Ouvir ele dizer que não me considerava mais sua filha era como um balde de água fria em minha cabeça... Ouvir ele dizer que era fraca era como se estivesse sendo perfurada no meu coração...

_ já pode sair Hinata, se prepare para ser selada amanhã, a cerimônia vai acontecer as oito._ ele diz e me encara esperando que eu saísse porém nego com a cabeça._ o que quer? Se for falar anda logo que ainda tenho reunião com o conselho._ ele diz olhando alguns papéis encima de sua mesa.

Sinto uma raiva súbita surgir em mim ao perceber que ele nem sequer se deu o trabalho de fingir estar triste por mim.

_ agora eu entendo porque mamãe fugiu..._ digo tendo dia atenção, ele parecia surpreso pela minha fala._ você era assim com ela também? Era esse homem insensível que só pensa no clã? Como seu irmão teve a ideia de morrer por você?_ despejo palavras cheias de veneno, deixando meu pai irritado._ quer saber de uma coisa? Se você tivesse morrido as coisas seriam muito melhores!_ grito recebendo um tapa na mesma hora.

_ olha o jeito como fala comigo Hinata! Você não passa de um peso para o clã, deveria estar grata por ainda te manter em Konoha como empregada!_ ele grita, engulo seco sentindo meu rosto arder.

_ nunca pedi sua compaixão, se me odeia tanto por que simplesmente não me esquece?_ grito de volta me levantando rapidamente.

_ se assim que você quer, então quero você fora de Konoha._ ele fala sorrindo de canto._ você tem um dia para pegar suas coisas e sair de Konoha, se não fizer isso mandarei meus homens atrás de você e não será para sela-la._ ele fala calmamente.

_ você está me ameaçando? Está ameaçando sua própria filha?_ grito com ele que apenas observa em silêncio._ o que a Hokage vai achar de um líder que ameaça sua própria herdeira?_ pergunto e ele gargalha forçadamente.

_ a Hokage não tem direito nenhum de interferir em atitudes tomada por lideres de clãs sobre seus próprios moradores, você é tão apta para ser líder que nem ao menos sabe as regras de nossa vila._ ele diz sorrindo, sinto meus olhos arderem e lacrimejarem._ está chorando? Você não cansa de ser fraca? Tudo e qualquer coisa que acontece você sabe apenas chorar, você não toma uma atitude sobre, você deixa as pessoas decidirem por você, por isso não é apta para ser líder e nem para ser minha filha, porque você é fraca fisicamente e mentalmente..

Sem conseguir dizer nada contra as verdades dele eu apenas o empurro e corro para meu quarto trancando a porta.

Deixo meu corpo escorregar pela porta até cair sentada no chão, sinto as lágrimas molharem meu rosto e minha blusa.

Observo o quarto que parecia mais arrumado do que de costume, as roupas de cama eram em tons pastéis e minha roupas estavam amarradas em uma bolsa, provavelmente porque eu iria ter que morar na casa secundária.

O que meu pai disse era a verdade, eu deixava as pessoas decidirem tudo por mim, nunca consegui decidir algo por mim mesma...

De agora em diante serei May Hyūga, não a marionete do clã, não a garota apaixonada, não a menina gentil que perdoa todos... Serei apenas May Hyūga, nome de minha mãe desaparecida.

May Hyūga é dona de sua própria vida, May Hyūga é portadora dos melhores olhos dentro todos os Hyūga, May Hyūga é capaz de viver sem a proteção de Konoha.

Tive vários conselhos e vários ideais mudados hoje, fui construída aos poucos para aguentar o que algum dia iria acontecer, e quer saber... Não irei ficar triste, eu ainda sairei por cima, meu pai não vai conseguir o que ele quer, ele não vai me ver se rastejando até ele.

Nem que eu precise criar meu próprio clã, não volto mais para esse lugar...


Notas Finais


É isso gente, espero que tenham gostado, comentem o que acharam!!

Como viram nessa fic quem está vivo é Yahiko não Nagato, a história do Hidan é apenas uma de muitas que foram mudadas.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...