História A Pinch Of Love - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Imagine Jin, Jin
Visualizações 247
Palavras 1.093
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente me desculpem o atraso da fic!!!!
Realmente, admito que fiquei sem criatividade totals nesse capítulo sabe? Só que eu voltei!!! Com altas idéias para o próximos três capítulos :3
A avisando, o especial sai NESSA SEMANA!
Tá quase tudo pronto! Falta só alguns retoques e está pronto!!
Estou tão feliz :v

Capítulo 16 - SeokJin, unknown to me.


Era incrível como SeokJin queria acabar com a minha vida em menos de uma semana. Não era fácil , mas também não era difícil de se conviver com ele. Acho que tudo começava pela manhã. Eu já tinha arrumado o problema de acordar tarde, agora tudo estava perfeito, e o meu problema de chegar atrasada desapareceria em instante.

Ah, eu estou tão orgulhosa de mim mesma.

Após meu banho, visto minha roupa e calço meus sapatos, coloco meu celular dentro de minha bolsa. Desço as escadas e encontro SeokJin na cozinha. 

– Bom dia. – digo pegando uma maçã na cesta de frutas em cima do balcão. Ele me olha de relance.

– Hum, bom dia. – disse, parecia que ele tinha se forçado a me cumprimentar pela manhã. 

– Dormiu bem? – pergunto dando mais uma mordida em minha maçã. Ele suspira.

– Mais ou menos. – murmurou bocejando.

Uma inquietação começou a fluir dentro de mim. 

– Esta tudo bem mesmo? –  pergunto com um tom de preocupação. – Lembre-se o que o médico disse você não pode pegar pressão no trabalho, se não pode ficar igual da última vez. – comento mordendo mais uma vez um pedaço da maçã. 

“E eu servirei de babá novamente.” Penso revirando os olhos lembrando da situação. Hum, até me arrepio só de lembrar no estado que ele se encontrava.

“ – O seu Jinzinho está todo doente...”

Quase engasgo com um os destroços da maçã em minha boca. Jinzinho, acho que eu nunca irei esquecer disso tão cedo.

 – Hey você está bem? – perguntou dando batidinhas em minhas costas. Faço sinal que sim. Logo depois SeokJin olha para seu relógio em seu pulso e da as costas para mim.

 – Aonde vai? – pergunto o seguindo. Ele me olha  como se fosse óbvio.

– Trabalhar. – disse girando a maçaneta da porta. Sorrio.

Só de pensar que não vou mais chegar atrasada no trabalho já me sinto mais aliviada.

– Sim! Vamos! – digo e por alguma razão SeokJin para, fazendo meu nariz bater em suas costas.  – Por que fez isso? – exclamo.

– Não espera que eu te leve não é? – disse se virando.

Com é, que é?

– Esperai, nos trabalhamos no mesmo local e você tem um carro poderia muito bem me dar uma carona! – digo brava cruzando os braços. 

– Escuta, se eu te der uma carona pode ter certeza, um monte de gente não vai te deixar em paz. – disse sério.  

Rio.

 – E daí? Por que as pessoas me seguiriam só por você estar me dando uma carona? – pergunto. Ele arregala os olhos para mim e eu continuo sem entender.

 – Você por acaso sabe quem eu sou? – pergunta.

Não.

 – Sim, você é dono de uns restaurantes mais populares e chiques de Seul. Algo mais que isso, não faço idéia. – digo dando de ombros. Ele fica de boca aberta. 

– Você por acaso, nunca pesquisou, nunca quis saber quem eu sou? – diz parecendo incrédulo com minha afirmação. 

– Você é dono de um restaurante, só isso que eu sei. – digo sincera, mas ele não parece ainda acreditar. 

– Quer saber? Tanto faz. – disse dando de ombros. – Eu só posso dizer que eu não posso te levar para ir, mas posso te pegar quando formos embora. Tudo bem? – disse compreensivo.

Mas que diabos! Como assim não pode me levar? Trabalhos no mesmo local, moramos juntos, saímos – quase – o mesmo horário,  e ele diz que não pode me levar? Suspiro.

Vou te dar uma chance, só dessa vez.

– Certo. – digo ainda desconfiada. Ele sorri voltando a olhar para o seu relógio.

– Bom, sugiro você correr agora.

– Eh, por que? – digo me aproximando, pego em seu braço e olho as horas em seu relógio.

Olho para SeokJin ainda suplicando pelos olhos. 

– Tem certeza que não pode MESMO me levar? – disse quase ajoelhando ali mesmo. Ele negou.

 – Eu já disse, eu não posso te levar.  – disse olhando de novo para seu relógio, deu um breve suspiro. – Não se preocupe eu não irei descontar do seu salário por causa disso. Pode ficar tranquila. – disse virando as costas para mim e indo embora. 

– Bom, se é assim... – murmuro pegando meu celular e discando o número de uma certa pessoa. Coloco o celular em meu ouvido e na mesma hora a pessoa atende. 

– (S/n)? O que foi? Por que está me ligando a essa hora? – indagou.

– Preciso que você venha me buscar, agora.

 

[...]

 

–Eu não acredito que você me fez sair do meu trabalho para levar você ao seu! Ainda por cima de uniforme! – exclamou Hanna dirigido. – Só você mesmo...

Cruzo os braços. 

– Na verdade, se fosse por mim, eu estaria  esse momento no mesmo carro que ele. – murmuro ainda brava. Hanna me olha de relance.

– O que? O que disse? 

Suspirei. 

– Eu disse que eu pedi carona para ela me levar até o trabalho e sabe o que ele disse? – a encarou com cara de indignação.

Ela revira o olhos. 

– Claro. – disse com um sorriso debochado. – Tá na cara que ele disse não. 

Concordei.

– É isso a... espera, o que? – indago. – Você está concordando com ele? – digo sem acreditar. 

 – Mas é claro que eu estou! Imagina, um cara bonito e ainda por cima famoso não dirigia por aí com uma mulher desconhecida não é?

Engasguei ao ouvir a palavra famoso para SeokJin.

– Famoso? Você disse a palavra famoso? – perguntei ainda indignada.

– É o que ele é, oras. – disse me olhando. 

 – Mas o que que tem isso? – perguntei.

Ela deu uma risada sarcástica. 

– O cara tem um milhão de fãs pelo mundo. – disse.

Revirei os olhos.

– Não acreditando que a culinária dele deve ser tão boa assim. – assim q eu disse isso, Hanna faz uma expressão confusa a em seu rosto.

 – O que culinária tem haver com música? – indagou. A olhei confusa. 

 – Música? Do que está falando? – pergunto . E ela parece que fica brava.

– Você por acaso é idiota? – exclama. – Que tipo de pessoa não pesquisa sobre a pessoa que você vai morar?

– Você pesquisou sobre ele? 

– Mas é claro que sim!

– E o que você descobriu? – pergunto curiosa.

– Bom, que ele tem vinte e quatro anos, é solteiro, tem um metro e setenta e nove de altura...

Revirei os olhos .

– Hanna, foca, foca. – digo a fazendo rir.

– Certo, bom, descobri também que ele é chee de um restaurante tradicional...

Bufei.

– Hanna isso eu já sei! Conte algo que eu não sei sobre ele! 

– Cala a boca que você ainda não ouviu tudo. – retrucou me fazendo calar a boca. – E também que ele é um membro de um grupo de música mundialmente famoso chamado BTS.

Arregalei os olhos e fiquei boca aberta.

 – COMO ASSIM MUNDIALMENTE FAMOSO? – praticamente gritei dentro do carro.


Notas Finais


Sim gente, ela é toda por fora no mundo da música. No próximo capítulo irei explicar o por que ;)
Comentem!!! Isso me deixaria muito feliz 🙏🙏🙏


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...