História A Porra Do Fim do Mundo - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Acnologia, Anna Heartfilia, Brandish μ, Cana Alberona, Elfman Strauss, Erik (Cobra), Erza Scarlet, Frosch, Gajeel Redfox, Gildartz, Grandine, Gray Fullbuster, Ichiya Vandalay Kotobuki, Igneel, Jellal Fernandes, Juvia Lockser, Kagura Mikazuchi, Kinana, Kyouka, Laxus Dreyar, Layla Heartfilia, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Loki, Lucy Heartfilia, Makarov Dreyar, Mavis Vermilion, Meredy, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Rogue Cheney, Sayla, Silver Fullbuster, Sting Eucliffe, Ultear Milkovich, Virgo, Wendy Marvell, Yukino Aguria, Zeref
Tags Comédia Pesada, Drama, Hentai, Humor Negro, Naer, Nami, Neredy
Visualizações 130
Palavras 1.428
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ecchi, Harem, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um capitulo demorado

Capítulo 6 - 6 - O Objetivo


Já havia se passado um tempo desde que o velho saiu, Erza e eu estávamos a sair do hotel entramos dentro do carro e eu dirigi para as coordenadas e deram em uma casa no meio do nada e com o detalhe de ter a frente cheio de carcaças de carros velhos e enferrujados, aquilo era um ferro velho praticamente, a paisagem arenosa fazia aquilo parecer um deserto, a frente da casa estava o velho quadriciculo desgastado e sujo por areia, eu e Erza descemos do carro e entramos na cabana e lá estava Mira amarrada em uma cadeira e Purehito sentado em sofá mofado bebendo cerveja enquanto assistia a um jogo na  TV, logo ele percebe nossa presença e nos olha 

Purehito : Até que enfim ! Achei que estavam transando de novo ... - se levanta do sofá

Mira : Quê ? De novo ? - pergunta confusa

Natsu : Então é aqui que vai nos manter ? - Falo olhando em volta e percebendo que aquilo só havia estrutura uma pessoa, Erza vai a desamarrar Mira - Isso mal cabe você

Purehito : Você dorme no chão e ela te faz de cama - dá um gole em sua cerveja - Já fizeram isso uma vez né - sorri maliciosamente

Mira : Vocês realmente transaram ? - pergunta com uma cara de '-'

Erza : Isso não é zoeira seu velho bêbado - fala Erza séria

Purehito :No mínimo uns 5 dias, se um bagulho que estou trabalhando der certo em uma 2 semanas estaremos em uma mansão - O encaro com uma sobracelha arqueada

Natsu : Eu realmente não coloco o mínimo de confiança nisso ... 

Erza : Podemos até não confiar, mas não temos nenhum lugar para ir 

Mira : Será que eu existo ?

Purehito : A Er-chan tem razão - termina de beber a cerveja e atira a garrafa pela janeja

Natsu : Tudo bem, mas e a Mira o que faremos com ela ? Ela é a única aqui ainda inocente - 

Purehito : Nós a drogamos e a deixamos  na casa dela simples não ? - sorri irônicamente

Mira : Dá pra parar de falar como se eu não estivesse aqui ?! Porra ! Eu quero ir com vicês seus retardados ! -

Natsu : Desculpe Mira mas isso está fora de cogitação ... - •_• 

Erza : Concordo - •_•

Purehito : Sem dúvidas - •_•

Mira : Eu não ligo para o qu...-

Erza : Não Mira ! Você não está entendendo ! NÃO ! -

Natsu : Nós matamos pessoas Mira ... - falo com um tom frio

Purehito : Tipo ... Muitas pessoas - Uma fina lágrima escorre pelo rosto de Mira 

Mira : Não era zoeira ... mas estão arrependidos não é ? Querem se red...-

Natsu : Não, eu não estou arrependido, pra falar a verdade Mira eu faria tudo de novo  ... me desculpe - Erza sai da cabana essa hora

Mira : Você ... É um monstro ! Me levem pra casa agora, - aquela frase doeu, doeu muito por dois motivos o primeiro é que Mirajane era minha melhor amiga desde a infância, eu era realmente muito próximo a ela e o segundo é que aquilo era verdade, eu realmente sou um monstro, eu gostei de matar aquelas pessoas e eu mataria uma por uma de novo e ainda não estaria saciado 

Natsu : Purehito, leve-a ... agora - falo com frieza sem deixar de encará-la por 1 segundos sequer 

Purehito : Tudo bem ... Missão dada é missão cumprida  - Purehito e Mirajane saem pela porta e fico encarando o nada ... depois de uns 10 minutos vou no pequeno freezer que estava completamente cheio de bebidas alcóolicas pego um copo abro uma garrafa e preencho um copo até metade dou um gole e a bebida era forte pra caralho, olho em volta e vejo um taco de baseball de ferro ao lado do sofá mofado o pego e saio pra fora sento no capor de um carro e continuo bebendo aquela bebida forte que eu mais torcia para ser veneno, ao terminar lembraças e vozes ruins ecoam pela minha cabeça como a primeira briga minha e de Mira em um parquinho ou quando meu maldito padastro bateu na minha mãe e a voz da Mira me chamando pra brincar a Mira me chamando de monstro a expressão de dor e desespero daqueles homens que eu matei e por fim Mira me chamando de monstro, e bom tentar não sentir raiva era o mesmo que enxugar gelo um ódio tomou conta de mim eu só precisava descontar, expelir ou expurgar aquilo em algo, arremessei o copo que eu segurava o mais longe que consegui catei o taco de baseball e saí batendo em todos os carros com toda força e raiva que eu tinha consegui destruir completamente dois carros quando estava batendo no terceiro percebo Erza na porta da cabana atrás de mim, então eu solto o taco

Erza : Calma Natsu ... você ainda tem a mim - sem querer permito algumas lágrimas escorrerem do meu rosto, estava segurando aquilo desde que Mira havia me chamado de monstro, caio de joelhos tentando conter minhas lágrimas as enxugando e me forçando a não chorar mais ainda  Erza se aproxima de mim se ajoelha e me abraça

Natsu : Desculpe ... por ser fraco ... é que ela sempre esteve comigo - Escondo meu rosto em seu ombro tentando engolir meu choro

Erza : Natsu às vezes é melhor chorar tire esse peso de sí ! Divida-o comigo ! Pode chorar sou apenas eu que estou aqui - Ao Erza falar isso eu caí em lágrimas, eu desabafava sem dizer uma palavra - Além de tudo sou sua amiga ... 

Natsu : Erza ... Eu prometo ... Te protegerei a qualquer custo !  - falo em pausas por causa do choro, eu e Erza ficamos ali alguns minutos, 10 no mínimo, foram os primeiros minutos que realmente tive paz  de verdade na minha vida, eu não sei mas, eu acho que amo essa garota, entramos para dentro de casa e ficamos esperando Purehito, eu me sentia mais leve, eu estava deitado no sofá com a cabeça na pernas de Erza, ela me mexia nos meus cabelos e eu olhava para seu rosto que estava com um leve sorriso, a televisão estava ligada, já havia se passado 1 hora e meia desde que Purehito e Mirajane haviam saído até que Purehito entra pela porta

Purehito : Pronto jovens dinâmicos, hora de ouvirem o plano - me sento rápido e Purehito senta em uma poltrona - 

Erza : Então o que quer que façamos ? -

Purehito : O meu plano consiste em reunir nossa velha equipe, Igneel o massacrador Dragão vermelho - fala ele nos mostrando uma foto recente de meu pai - pois é garoto seu pai era nosso massacrador, houve um tempo que o nosso maior inimigo foram os Tártaros a gangue que dominava tudo, seu pai fez uma baguncinha com eles, ele e Acnologia se infiltraram na mansão deles e conseguiram matar mais de 100 homens naquela noite hahaha fizeram um massacre e Igneel ainda matou o chefe da gangue com uma CANETA ! vamos nos aliar a ele novamente e ter a proteção de uma máfia e treinamento adequado para vocês ! - fala entusiasmado

Erza : Mais de cem ?! Caralho ! Foram eles ?! A história com maior derramamento de sangue do nosso país ?! Talvez da história  - fala surpresa

Natsu : Treinamento deve ser foda ! 

Purehito : E é ! Tenho certeza, então Acnologia o bárbaro Dragão Negro - Fala nos mostrando a foto antiga de um albino- Ele e o Igneel eram nossos massacradores, os que deixavam uma trilha de sangue por onde passavam eram como duas peças, as gangues costumavam chamá-los de a arma do massacre. Eileen a estrategista,- nos mostra a foto recente de uma mulher que aparentemente era rica - eles só conseguiram fazer por que um gênio traçou a estratégia para o massacre daquela noite e eles precisaram da ajuda da Belserion ... Eileen é um gênio ! E agora temos Natsu e Erza os assassinos ... - sorri de canto - Eu sou Purehito ! O engenheiro, muito prazer meus assassinos ... o nosso primeiro passo vai ser ir atrás de Eileen, entenderam ?! Fechou ? - Eu e Erza nos olhamos e volto meu olhar a Purehito

Natsu : Pode contar com a gente ... - Sorrio Purehito abre o pequeno freezer ao seu lado, joga duas cervejas para mim e Erza e brindamos selando assim o nosso contrato 


Continua ...




Notas Finais


Thanks for you reading ...

Até a próxima pezoal e perdoem a falta de criatividade rsrs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...