1. Spirit Fanfics >
  2. A primavera chegou >
  3. Amar é deixar ir

História A primavera chegou - Capítulo 23


Escrita por:


Notas do Autor


Eu tô debulhando em lágrimas escrevendo o final dessa fanfic
Mds eu não quero deixar essa históriaaaa
Enfim, dica do que escutar enquanto ler esse capítulo: Golden Slumbers - LEE HI
É uma música do Beatles que a LEE HI fez uma versão, é maravilhosa e encaixava perfeitamente nesse capítulo.
Enjoy it!

Capítulo 23 - Amar é deixar ir


Eu estava sentada em minha cama abraçando minhas pernas contra o meu peito, pensando em tudo que havia dito para o veterano naquela noite. Já era quinta-feira, e meu casamento se aproximava mais rápido do que eu esperava.

            A semana havia sido difícil, minha mãe tinha vindo várias vezes em minha casa e começava a falar coisas do casamento e eu apenas balançava a cabeça, como apenas uma ouvinte. Não tive coragem de ligar para Nabi e apenas enviei uma mensagem a convidando para o casamento, ela havia me respondido com vários pontos de interrogação e eu apenas não respondi.

            Era doloroso demais aceitar que eu havia perdido, que eu havia desistido dele. Bon-Hwa. O que você está fazendo agora? Será que estaria me odiando?

            Puxei o celular que estava na mesa de cabeceira e verifiquei se havia alguma mensagem. Havia várias da Nabi me perguntando o que estava acontecendo e que se eu não respondesse ela viria até minha casa. Dei um longo suspiro e comecei a gravar um áudio:

“Acabou Nabi. Minha mãe sabia desde o início sobre eu e o veterano. Ela disse que iria acabar com a vida dele, que iria tirar tudo que ele tinha... Eu não posso o deixar perder tudo por mim! Acabou Nabi. Acabou tudo.”

            Enviei o áudio e joguei o celular de volta na mesa de cabeceira. Escondi meu rosto entre meus braços. E agora? O que eu deveria fazer? Depois de amanhã eu iria casar e aceitar a droga de vida que eu teria que ter.

- O que diabos você está fazendo? – Levantei a cabeça rapidamente e vi Yoo Jun parado na minha frente

- Y-Yoo Jun? – Gaguejei

- Eu perguntei: O que diabos você está fazendo? – Ele estava muito sério

- Não sei o que você está falando... – Comecei a me explicar

- Não sabe? – Ele se aproximou da cama e colocou seu coração próximo ao meu – Do nada, meu pai avisa que vou casar no sábado e com você! Logo depois de você me rejeitar em Jeju. O que diabos você está fazendo?

- E-Eu... – Eu não sabia o que responder

- Você acha que meus sentimentos são brincadeira? – Ele parecia perturbado e confuso

- Eu mudei de ideia... – Comecei a falar

- Não minta Ha Rin. Seja sincera comigo. O que está acontecendo? – Ele insistiu

 

            Meus olhos encheram-se d’água e mordi meu lábio inferior tentando me segurar. Não consegui. Joguei-me nos braços de Yoo Jun o abraçando e chorando loucamente. Ele me abraçou de volta depois de um momento de surpresa. Ele afagou minha cabeça e encostou sua bochecha em minha testa.

            Eu não conseguia parar de chorar. Yoo Jun novamente estava no meio disso tudo.

- E-Ela vai destruir tudo que o veterano tem... – Falei gaguejando e me tremendo ainda em seus braços – Ela falou que pra ele ficar comigo vai ter que desistir tudo da vida dele. Eu não posso fazer isso Yoo Jun... Não posso fazer isso com ele...

            Engasguei-me e tossi um pouco e continuei:

- Ele tinha as melhores notas na escola e ele tinha um trabalho de meio período porque tinha que ajudar a mãe, já que eram apenas os dois. Ele deixou de sair conosco várias vezes porque precisava estudar ou trabalhar. A meta dele sempre foi medicina, mas ele não tinha dinheiro para pagar a mensalidade na totalidade. Então, ele conseguiu uma bolsa na Universidade de Seul, lembro-me de como ele estava feliz naquele dia e de como sorrimos e compramos sorvete perto da escola. Ele havia conseguido entrar.

            Enxuguei as lágrimas dos meus olhos. Ainda nos braços de Yoo Jun.

- Então fomos aos vemos cada vez menos na faculdade, mesmo estudando no mesmo local. Ele estudava demais para manter a bolsa. Além de trabalhar no laboratório para poder se sustentar e mandar algo para a mãe. Uma vez nos encontramos na cantina, ele tinha emagrecido muito e comentei que ele devia se alimentar melhor, e ele respondeu com um sorriso cansado: “É que às vezes me esqueço de comer”. Fiquei preocupada e repreendi-o.

            Soltei-me dos braços de Yoo Jun e olhei em seus olhos.

- Quando o vi naquele dia no restaurante, percebi o quão bem ele estava. Ele havia virado diretor do melhor hospital da cidade. O meu veterano era o melhor, mesmo com todas as adversidades. Como posso pedir para ele desistir de um sonho que ele batalhou tanto para conseguir? Como eu posso apenas por egoísmo dizer que devemos lutar, sabendo que ele é o que vai mais sofrer?

            Yoo Jun me olhava com uma expressão triste.

- Eu não vou fazer isso com ele. – Falei por fim

- Ele não tem direito de saber disso? – Yoo Jun falou pausadamente

- Não. Ele não vai desistir – Abri um sorriso triste – Ele iria falar “Vamos resolver isso juntos, sei que vamos conseguir uma saída”, assim como fazia na escola. Não vou deixar ele se afundar por minha causa.

            Uma lágrima desceu sozinha pela bochecha esquerda.

- Amar também é deixar ir quando se está fazendo mal. Ele ficará melhor sem mim.

            Ficamos em silêncio. Um silêncio com várias palavras não ditas.

- Desculpa Yoo Jun, por você está nessa confusão.

- Vamos resolver isso – Ele falou

            Eu baixei a cabeça e mais lágrimas desciam. Ele segurou meu rosto e me fez olhar em seus olhos e disse:

- Vamos resolver. Vamos seguir o seu plano inicial. Em dois anos, as coisas serão outras...

- Não posso fazer isso com você...

- Amar também é cuidar. – Ele abriu um sorriso meio triste – Vamos nos divertir nesses dois anos, certo?

- Yoo Jun...

- Ha Rin, não vou te abandonar. Vamos resolver isso junto, confia em mim?

            Os olhos dele se demonstravam decididos, eu tinha que ser forte. Eu não podia fraquejar vendo o Yoo Jun fazer isso tudo por mim.

- Sim.

- Vamos encontrar uma solução. Por agora, vamos seguir o plano inicial...

- Yoo Jun, e se o veterano não me quiser mais? – Falei com medo

- Se ele te amar, ele não vai desistir fácil assim – Yoo Jun respondeu

- Yoo Jun, vai ficar tudo bem mesmo? – Perguntei tentando ver se realmente estava tudo bem

- Vai. Tudo vai se resolver.

Ele beijou a minha testa e me abraçou.


Notas Finais


Todo comentário incentiva a escritora! :)

"Sleep pretty darling, do not cry
And I will sing a lullaby"


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...