História A primeira vez que lhe enxerguei - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Sasusaku
Visualizações 134
Palavras 1.448
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Fluffy, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom não sei da onde surgiu isso, só foi saindo.
Boa leitura.

Capítulo 1 - Capítulo Único


A primeira vez que lhe enxerguei

Quando eu? Sasuke Uchiha.

Passei a observar a irritante da Sakura Haruno, para minha total surpresa não eram olhares de irritabilidade de sempre. Em algum momento algo mudou. Nos dias atuais não desperdiço sequer uma oportunidade de poder observa-la sem ninguém sonhar que estou fazendo isso, nem ela tão pouco notou.

E isso é algo bom, já foi difícil explicar a mim mesmo que estava acontecendo imagine se alguém questionar ou ela pedir explicação? Já imagino que responderia algo que serviria mais como uma Kunai para ferir do que qualquer outra coisa. E alguma coisa em mim lá no fundo odiaria o fato de ter Sakura ferida, agora o resto que se foda.

Lembro-me da Sakura antiga, mas por incrível que pareça não é tão antiga assim, porem a mudança dela foi tão brusca que não consigo pensar em outra coisa que não seja a antiga Sakura, a Sakura do presente e a que está em constante transformação.

Ah Sakura me diz quando foi que capturastes a atenção de meus olhos?

Eu mesmo respondo minha pergunta, na verdade é só um chute ou a minha incapacidade de voltar muito atrás nas memorias, antes não a julgava sequer merecedora de uma fala quem dirá uma lembrança, recordo-me de quando pensei que ela e Naruto seriam um fardo.

Foi na prova Chunnin, quando estávamos paralisados de medo odiei aquilo, odiei não apenas por estarmos à mercê do inimigo, isso também, mas odiei olhar para ela e vê-la sem o sorriso costumeiro, seu olhar perdido e suas lágrimas escorrendo sem controle, me forcei a fazer algo. Naquele momento confesso que também fiquei irritado em não poder contar com ela para ajudar. Um fardo. Mas ali meu lado protetor se expandiu ainda mais, acha que percebi tudo isso naquele momento? Claro que não! Foram noites exaustivas e repetitivas, memorias e mais memorias que no inicio pensei estar sendo castigado pela minha própria mente.  

Mas aos poucos fui entendo.

Poucos minutos depois, talvez fosse menos ou até mais, nunca saberemos, o choque daquele dia ainda sinto em minha pele. Naquele dia ela também foi patética, por varias vezes ela realmente me tirou do serio, mas com um inimigo tão forte deixei de lado.

Mas se tem algo que odiei foi o fato de Sakura ter dito todas aquelas coisas, colocando o idiota do Naruto a minha frente. Se eu permiti? Obvio que não. No entanto mostrei pra eles como um Uchiha faz. O que não foi suficiente.

Por mais que Naruto e eu tivéssemos determinação e vontade de derrotar nosso inimigo, era ridículo depois se pensar bem, ninjas da nossa categoria tentando vencer um Sannin?

E em um movimento infinito o desespero de Sakura me perturba. Ó como foi ruim ser imponente. Depois lembro apenas da escuridão.

Do momento em que estive desmaiado apenas sei o que ouvi de colegas que estavam presentes.

Ódio eterno de Lee, porem junto do ódio vem à gratidão a qual jamais direi a ninguém. A partir daquele momento Sakura passou a enxergar Lee. A Sakura... Minha Sakura que antes apenas enxergava a mim.

Outro sentimento que não conhecia se despertou com força total o ciúme.

Naquele dia ela deu um passo à frente para chegar ao futuro brilhante que a aguarda. Mas eu não estive lá para ver. Odiei isso tanto quanto odiei Lee. Só que aquele passo também a levaria cada vez mais longe de mim.

Dá para notar que o que me domina é o ÓDIO.   

Ela lutou bravamente para proteger a mim e a Naruto, ela lutou por seus companheiros, ela finalmente lutou por ela mesma. E eu não vi.

Chego a trincar os dentes de raiva. Queria ter visto para guardar na memoria até quando minha mente ainda conseguir continuar sã. Mas essa memória não a terá.

Quando recobrei minha consciência tanto meu corpo como minha mente estava em colapso. Só piorou quando enxerguei Sakura naquele estado, primeiro pensando alguém ia pagar por aquilo! A questão do cabelo longo tão propagado pelas garotas de Konoha não fazia diferença para mim, não tinha tempo em pensar nas garotas quem dirá se o cabelo é melhor longo ou curto.

Entretanto quando notei as mechas rosas em tamanhos irregulares e de comprimento curto, fiquei irado, tocaram no cabelo dela, fui saber que foi a mesma que corte momentos depois, mas naquele instante alguém tinha tocado, tocado no que era “meu”. As vezes me surpreendo com meus pensamentos, mas fazer o que, a algum tempo venho experimento a falta de controle. Na verdade em tudo o que envolve.

Desci como um demônio sem coração em cima dos culpados, mas com o Sharingan no seu ponto máximo que eu podia alcançar naquele momento, parecia tudo mais intenso. Quando estava passando dos limites veio Sakura ao meu socorro, suas lágrimas me partiram em mil pedaços. Ela não podia ter medo de mim. Parei com tudo e me concentrei apenas nela, em seus braços em volta do meu corpo. Voltei a mim, mas jamais direi que foi por ela.

Para todos que olhasse ela me ajudando a me locomover somente ela estava adorando nossa aproximação, não digo que também estava adorando, mas agora sei que estava aproveitando do meu modo. Apenas em minha mente direi que a soltei por não querer fofocas ou dar expectativas demais.

Novamente perdi outra evolução dela. Naruto contou quando estávamos só como ela se esforçou e sobre os comentários de Kakashi-sensei. Amaldiçoei-me por ter perdido outro momento dela. Vontade mesmo de estrangular o Naruto por falar todo sorridente que foi a sua voz que trouxe a Sakura de volta a si e ela assim conseguiu expulsar a Ino.

Penso se eu estivesse lá assistindo o que teria sido diferente, talvez foi melhor não estar lá mesmo.

Irado fiquei mesmo quando soube que enquanto me visitava e levava flores ela também levava para Lee. Egoísta, serei um eterno egoísta, sei que ela é grata a ele, mas ela tem a mim. Mesmo não sabendo ela tem.

É assustador estar novo e ter essa consciência, ela pedia tanto que a enxerga-se, mal sabe o quanto a vejo. Talvez em até alguns momentos que não devia... Ela não gostaria de saber...

— Ei Sasuke o que tanto pensa? – uma voz estridente entra em meus ouvidos o fazendo doer, Naruto não se manca mesmo.

— Não é da sua conta Naruto! – Acabo me irritando porque ele atrapalhou meus devaneios e observação velada da Haruno, que agora olhava sem entender para nós dois.

Antes ela não se importava tanto com os treinos e até se preocupava em estar mais próxima a mim, mas agora ela está se esforçando e me pego com raiva disso, mesmo sabendo que agora ela está fazendo o certo. Mais uma discussão rotineira entre mim e Naruto começa.

O dia já havia acabado madrugada estava chegando. Agora posso partir de certa forma em paz, não era minha total vontade deixa-la, é meu destino, passei o dia observando e gravando tudo o que podia, para lembrar-me dela, para me motivar quando pensar em acabar com tudo.

Eu sou um vingador, tenho que honrar minha família e acabar com o desgraçado que um dia venerei.

Talvez eu não tivesse contado a Sakura que finalmente a enxergo, que a notei, porque tenho medo que ela assim desista de mim, no futuro, um futuro distante desejo que ela ainda espere por mim, egoísta, já confessei que sou. Ela vai sofrer. Mas porque pensão que sofrerei menos? Nem sequer sei dos meus sentimentos de forma clara.

No fundo sabia que iria encontra-la aqui, mesmo não querendo admitir parece que somos conectados de alguma forma.

Suas falas e juras desesperadas me tentam a sair do caminho que tracei, mas não poderei. Sou um fraco sou um nada, um vingador que ainda não conseguiu sua vingança, desse jeito nunca poderia construir nada que pudesse dar frutos.

Por mais que sejamos novos, isso não significa ingenuidade. Nossos caminhos vão se cruzar muitas vezes ainda, até finalmente fazer parada.

Quando tive que nocauteá-la quis morrer. Mas era a única alternativa. Sakura não é como eu, me recuso a contaminar a minha flor. Ela tinha que ficar em Konoha onde é seguro, é o lar dela. Mesmo que ela seja o meu lar.

Minha família, meu sangue me cobra constantemente. Não posso ficar não posso desviar do meu caminho. Por mais que meu coração queira, minha razão sabe o que deve fazer. Sou capaz apenas de balbuciar um obrigado. Ela merecia muito mais.  

Irei guardar tudo isso pra mim, ela jamais saberá de nada disso, mas eu sei.

Eu sei o que Sakura será pra mim no futuro...

Minha tábua de salvação.

 

   


Notas Finais


Comentem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...