1. Spirit Fanfics >
  2. A primeira vez que te ouvir cantar >
  3. 1 - a primeira vez que te vi

História A primeira vez que te ouvir cantar - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Usarei os nomes americanos dos meninos hajahahajah

Hyungseo - kevin Moon
Younghoon - Jelly Kim
Jaehyun - Jerry Lee

Capítulo 1 - 1 - a primeira vez que te vi


Fanfic / Fanfiction A primeira vez que te ouvir cantar - Capítulo 1 - 1 - a primeira vez que te vi


    Sabe aquelas pessoas que ficam observando os prédios la fora e imaginado como deve ser a vida de cada pessoa? Fica contando quantas luzes tem em um predio e ate mesmo quando possivel, adivinhar qual programa de televisão que elas assiste, ou ate mesmo andar pelos corredores do predio e tentar imaginar que tipo de pessoa mora ali apenas pelo tapete ou enfeite na porta, bom, eu sou esse tipo de pessoa


Porem, kevin, voce se lembra da primeira vez que eu te vi? Aposto que não, pois você esta ocupado de mais. Mas vou lhe contar como foi.



Primeiro de tudo, moramos no mesmo predio, no oitavo andar, voce tinha acabado de chegar de mudança,  estava escostado no corrimão de madeira da escadas, tomando alguma coisa em sua xícara, o tempo la fora era frio e voce vestia uma blusa social, com um sweater amarelo por cima e jaqueta jeans, enquanto homens arrumavam seus moveis, voce ficava na porta os observando, lembro tambem que havia alguem com você, um menino de cabelo loiro cheio de graça, ele chegou lhe abraçando e roubando um beijo, retribuio com todo sua alegria, pareciam que estavam começando uma vida juntos, mas aquele garoto não morava com você, pois os dias se passaram e eu percebi que morava sozinho. As paredes dos nossos apartamentos não eram tao grossas, então eu sabia quando ele estava em seu comodo, pois você era alguem silencioso e quieto, e eu um escritor que pressa o silêncio,  quando seu namorado te visita, consiguia escutar ate os passos fundo dele e as risadas que ele provoca em ti

Uma vez estava em minha varanda e eu te vi pela janela do seu quarto, estava lendo alguma coisa enquanto andava de um para o outro, estudando alguma coisa, foi ai que ele chegou por tras de ti e te fez larga o livro e te jogou na cama, eu imaginei, que tipo de vida você levava? Era feliz? 

Certa manha indo para o escritório te vi em frente ao elevador, vestia im jeans preto, tenis casual preto e uma blusa social,  um bolsa atravessava seu peito, julguei que voce estivesse indo trabalhar. Entramos juntos no elevador porem nada falamos. Quando voltei, olhei pela janela do meu quarto para o seu apartamento, seu quarto era de frente para o meu devido o formato "L" que o apartamento tinha, você ja estava em casa, lendo novamente, era um garoto que chamava minha atenção, parecia alguem dedicado aos estudos e calmo, mas as vezes fazia bagunça no seu apartamento, eu escutava vocês cantar, e embora as vezes cantasse desafinado de proposito em algumas musica, em outra sua voz saia bem calma, cheguei uma vez a querer te escutar a cantar frente a frente, para ter mais clareza da beleza que você portava em sua voz

Penélope, minha gatinha, muitas vezes ficava na varanda querendo pular para seu apartamento, mas ela temia a altura, mas um dia ela pulou, e quando eu voltava do trabalho la estava voce, sentado na porta do meu apartamento com uma caixa de papelao em mãos, de primeira eu estranhei 


- boa noite - se levantou assim que me viu, eu so fiz um gesto com a cabeça e você me entendeu a caixa - Penélope pulou na minha varanda 

Peguei a caixa e sentir um peso, então a abrir, e la estava aquela bolas de pelo peluda branca

- porque a caixa?

-sou alérgico a gatos

- oh, me desculpe, ela as vezes gosta de explorar

-sem problemas, eu gosto de gatos, so é uma pena eu nao poder ficar muito perto deles

- mas de qualquer forma, me perdoe

-sem problemas, bom eu ja vou indo, tenha boa noite

Você ia se virar para ir embora, e dentro de mim, eu senti que nao poderia lhe deixar isso

- espera - você se virou e eu sentir um frio na barriga, era a primeira vez que falava contigo, e me sentia completamente nervoso - Não quer entrar para tomar um café?

O pedido lhe causo certa surpresa devido a expressão que fez em seu rosto,  jeitou seus óculos e olhou para sua porta e depois para mim

 - eu adoraria, mas meu namorado esta aqui entao... -riu nervoso e juntou as mãos - mas a gente se ver, tudo bem? Bom vou indo vizinho

- Jelly, meu nome é Jelly 

- prazer Jelly, eu sou kevin 

Voce apenas sorrio e entrou. Olhei frustado pra Penélope que estava em minhas mãos ainda e sorri pra mesma

- nao sei se lhe dou um bronca ou se lhe agradeço 

Dias depois passamos a se cumprimentar, tanto pelos corredores, ou quando nos viamos pela janela. 

As vezes tinha receio de olha pra sua janela quando seu namorado estava la, porque ele muitas vezes não se importava com as janelas e eu tinha que fechar as minhas, algo dentro de mim, nao aceitava vocês dois e muitas vezes me peguei me imaginando no lugar dele

Como é te beijar?

Qual a sensação de te tocar como ele toca?

Eu poderia lhe dar prazer como ele da?

Como é tirar risadas tao gostosas sua? 

Como é segurar sua mão?

Eu não negava, tinha sim um crush em você, te achava lindo em todos os algulos, eu lhe admirava da minha janela toda noite, como se fosse a lua, alias, você gosta da lua certo? Tem muitas referencias dela pelo seu quarto, uma dia saberei o porque?


Descobri o nome do seu namorado, você se despedio dele na porta  enquanto eu saia com o lixo, "Jerry" era o nome do garoto mais sortudo do mundo, a forma que você pronunciava o nome dele era tao doce que podia me causar enjoos, vocês dois pareciam perfeitos, sempre sorrindo e rindo, eu sempre o escutava quando ele vinha te ver, ele tira tantas risadas suas assim? 




Finalmente estávamos nos aproximarmos? Peguamos elevador juntos denovo e você puxou assunto, descobri que era canadense e cursava letras e psicológia aqui, e trabalhava em um restaurante cinco estrelas aqui como garçom e em uma lojinha de conivência como caixa, adorava desenhar e cantar. Eu nao tinha muito que falar, so tinha uma vida comum e trabalhava em um escrito e era escritor nada de mais, mas você fez um discurso dizendo o quão minha vida podia ser boa por ser escritor, quando menos esperavamos ja estavamos no ponto de ônibus juntos conversando 


Um ano se passou e ainda estava com Jerry, nos eramos amigos agora, mas nunca saímos,  tinha receio de lhe chamar e levar um fora porque tinha compromissos com seus namorado, eu saia apenas com meus colegas de trabalho as vezes. Eu ainda te observava as vezes da janela do meu quarto, minhas noites favoritas era quando estava sozinho compondo musica no seu teclado e cantando, ficava sentado perto da porta da varanda lhe escutando da sua janela do quarto, um sorriso bobo sempre aparecia nesses momentos, você cantava melodias românticas, melodias que não eram pra mim, e sim pra ele, pro garoto loiro barrulhento que te tirava diversos sorriso sinceros



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...