1. Spirit Fanfics >
  2. A Prince For Her - Jungkook and Yoongi (Imagine Bts) >
  3. Irmão complicado; Assalto a mão armada

História A Prince For Her - Jungkook and Yoongi (Imagine Bts) - Capítulo 9


Escrita por: e winx__


Notas do Autor


Versículo do dia 🌸

"Pense bem no que você vai fazer, e todos os seus planos darão certo."
Provérbios 4:26

Amo vocês ♥️

Beijos da NamSou ♥️

Tenham uma ótima leitura ♥️

Capítulo 9 - Irmão complicado; Assalto a mão armada


___ On

A mão foi tirada da minha boca, só demorou alguns segundos e então um clarão se acendeu.

Fechei os olhos por conta da claridade que bateu de repente, mas logo pude olhar para o ser que me arrastou pra cá sem nenhuma interferência, ele estava me encarando com os braços cruzados e uma cara nada boa.

— Por que você fez isso? Quase me matou do coração.

— O que você pensa que está fazendo?

— Indo dar uma surra naquela desmiolada da sua namorada.

— ___, não se meta nisso.

— Namjoon-ah! Eu não posso permitir isso! Eu já aguentei demais.

— Escuta o que eu estou falando, não se meta nisso ____.

— Então você já sabia que ela estava te traindo? — ele me encarou

— Eu não sabia, até aquele dia que você me contou em casa. — suspirou — Eu realmente...não sabia.

— E por que ainda está com ela?

— Eu preciso saber de algo primeiro.

— Jonnie! Ela só está te machucando, acaba com isso logo!

— Eu agradeço a preocupação, mas é como eu disse, não se meta com ela, e fique longe de encrencas.

— Você gosta dela não é?

— Prefiro não responder essa pergunta, e olha, só pra você saber, ela não foi o único motivo por eu ter brigado com o Yoongi naquele dia.

— Hm, e qual foi o outro?

— Isso eu te conto outra hora.

— Namjoon-ah!

— Outra hora — caminhou então em direção a porta saindo, me deixou sozinha na sala.

[...]

— E aqui está, essa carta é carta é da Soo Jun, essa é da Bong, da Dawon, da Hara, da Hoo, e essa é da... — encarou a carta — Sunmin, ah, quase me esqueci! — começou a revirar os livros — Essa carta aqui é da Jimin.

— Meu Deus, que tantas cartas são essas Jin?

— Foi você quem inventou, agora todas as meninas da escola estão se declarando depois que viram que a novata conseguiu conquistar o Seo Joon.

— Mentira! — o encarei — Ela está mesmo namorando com ele?

— Só andam de mãos dadas no colégio, e ela já assumiu nas redes sociais que a carta que você leu pra ele aqui na rádio era a dela.

— Uah! Não dar pra acreditar!

— Os alunos estão chamando de rádio do amor.

— Rádio de amor — ri — Parece meio piegas.

— Realmente.

Olhei rapidamente as cartas que ele colocou sobre a minha mesa de olhando os nomes, logo conclui:

— Só tem cartas de garotas.

— As mulheres sempre são as que despertam primeiro esses sentimentos.

— É, pode ser. Mas, você não vai escrever uma também para alguém? Eu amaria ler uma carta sua para a—

— Não. Esqueça. Isso é brega demais para eu me envolver — ri alto

— Confessa que você está se mordendo de vontade de escrever! — ele então me deu as costas e caminhou em direção a porta de saída.

— Esqueça ___, eu não sou desses.

— Um romântico apaixonado?

— Um brega. — saiu fechando a porta.

Ri negando com a cabeça.

Ele pode dizer o que for, mas, eu sei que ele está morrendo de vontade escrever uma carta também, você não me engana Kim SeokJin.


Jungkook On


— Tudo bem pode falar.

— Você—

Boa tarde a todos os alunos da High School Seul.”

A voz da ____ começou a ser transmitida em toda a escola através das caixas de som que havia em todas as salas, quadras, corredores e vestiários.

Automaticamente, todos os alunos da sala de informática pararam o que estavam fazendo para prestar atenção no que ela iria dizer.

“Primeiramente, parabéns ao nosso time de basquete que conseguiu mais uma vitória consecutiva nesse final de semana contra o colégio Sakurasou.”

Os alunos ao redor bateram palmas e assobiavam, era interessante ver as interações deles. Nunca tinha visto algo assim em uma escola de ensino médio.

“E não posso deixar de mencionar a nossa brilhante dupla que ganhou destaque de ouro, não só na nossa escola, mas na cidade de Seul, parabéns ao nosso capitão Min Yoongi, e a mais nova estrela Jeon Jungkook.”

Nova estrela, tenho certeza que ela fez uma careta agora.

“Contamos com vocês dois e todo o time na próxima partida que será daqui a duas semanas contra o colégio Leite, que mais uma vitória venha para a nossa escola, por favor permaneçam saudáveis e fortes, o colégio High School Seul conta com vocês! Força!”

E novamente eles bateram palmas e assobiavam animados. Pelo visto essa escola tem muito orgulho desse time.

“Mudando de assunto, o presidente do Grêmio, Kim SeokJin, avisa que os preparativos para o baile estão a todo vapor, e que teremos novidades para os formandos, que, além de ganhar a festa, terão uma viagem de três dias para o Havaí com tudo pago por um doador anônimo!”

— Uma viajem para o Havaí? — um cara pronunciou

— Dar pra acreditar? Esses alunos do último ano são sortudos — outro ditou.

— Quem será que doou essa viajem?

— Com certeza foi um ricaço que não sabe o que fazer com o dinheiro que ganha.

— Deve ser mesmo, uma viajem dessa é cara.

“De já, em nome de todos os alunos do último ano, nós agradecemos pela viajem.”

Doador anônimo, ricaço que não sabe o que fazer com o dinheiro...

Fechei a mão em um punho, só pode ter sido ele.

Mais uma tentativa de chamar a minha atenção. Ele não entende.

Que decepção, pai.

— Jungkook. — dirigi o olhar para ele — Tem algum problema?

— Por que está perguntando isso?

— Você parece irritado. — ditou o mais velho

— Eu estou bem, só lembrei de algo — esbocei um sorriso de canto — Mas, o que você queria me falar?

— Quero saber se você gosta de jogar basquete, se eu realmente posso contar contigo.

— Ah...Yoongi...

— Eu sei que você disse que iria falar com alguém, mas, eu realmente quero que você permaneça na nossa equipe. O jogo contra o colégio Leite é muito importante, e nós dois formamos uma ótima dupla. Você não acha?

— É, eu acho. E quer saber, você tem razão. Eu vou ficar no time de basquete. — ditei decidido

Ele sorriu largo ficando de pé.

— Ya! Pois eu conto com você para mais uma vitória!

— Conta comigo — fiquei de pé — Hyung. — apertamos as mãos.

Tudo indicava que Yoongi e eu seríamos ótimos companheiros de time, e até quem sabe, amigos.

[...]

— Muito obrigado, volte sempre. — coloquei as compras na sacola

— Muito obrigada meu jovem — agradeceu a senhora.

Ela pegou a sacola de papel nos braços e andou em direção a entrada saindo da loja de conveniência.

Acenei um tchauzinho quando ela olhou na minha direção se despedindo, e voltei a anotar as vendas, e contar o dinheiro do caixa.

— Jungkookie!

— Sim tia!

Olhei pro final da loja e avistei a mais velha se aproximando calmamente. Parecia cansada até.

— Como foi na escola?

— Bem. — fui simplista

— Bem, só isso?

— A senhora sabe que eu não ligo muito pra isso.

— Sei, mas, queria que você fizesse pelo menos um amigo, você nunca me pede pra ir pra casa de ninguém, nunca sai com ninguém, só estuda e joga, deveria fazer amizades meu filho.

— Eu fiz umas amizades tia. — olhei pra mesma

— Verdade? — arregalou os olhos surpresa — Você não está mentindo pra sua tia não é? — se aproximou do caixa

— Não estou mentindo — ri

— Minha nossa, parece um sonho — riu contente

— Não é pra tanto tia.

— Quem são? Quero nomes.

— Hm, bem, tem o SeokJin, ele é presidente do Grêmio.

— Gostei.

— Tem também o Yoongi, ele é capitão do time de basquete.

— Super apoio. Tem mais alguém?

— Então...tem uma garota.

— Uma garota? — ficou interessada — Qual o nome dela?

— ____.

— ____? Que nome lindo. E quando você vai me apresentá-la? Você gosta dela? Ela é bonita? — ri 

— Não sei. Ela é só uma amiga, acho que não é pra tanto.

— Oh, meu Jungkook está se tornando um homem misterioso.

Ri alto.

— Eu ainda sou um menino.

— Então eu posso te chamar de bebê não é?

— Aí a senhora já quer de mais. — ela riu

— Está bem. Fique aqui um pouco, eu vou lá em casa tomar um banho pra ver se relaxo.

— Pode ir tranquila, eu vou cuidar de tudo.

— Juízo meu bem — andou em direção a saída acenando um tchau

— Sempre tia.

As portas de vidro automáticas com sensor de movimento abriram e logo se fecharam quando ela saiu.

Terminei de contar o dinheiro e sai do caixa com o caderno de anotação, fui para o corredor ver as coisas que estavam faltando afim de comprar no final do mês.

Fui colocando o nome dos produtos e a quantidade que tinha, dos itens comestíveis aos de limpeza, produtos do uso diário ao de bebidas.

Logo clientes começaram a chegar para comprar algo, então voltei para o caixa.

Enquanto esperava, meu celular vibrou no bolso da calça, olhei as notificações pela barra, e vi que havia novas mensagens do grupo novo que me colocaram: Squad do Basquete!

Os caras do time gostam muito de brincar, e são até um pouco infantis, mas, quando se trata do jogo, o negócio fica mais sério do que xingar a mãe dos outros.

É surreal. Baixa uma aura neles, ficam quase irreconhecíveis.

Infelizmente agora não posso conversar, mais tarde eu apareço pra dar o ar da minha graça.

Desliguei a tela e guardei o aparelho novamente.

Um casal se aproximou com o carrinho de compras cheio, foi colocando os itens sobre a mesa e eu fiz o meu trabalho de passar todo eles pelo computador.

Logo foi entrando mais clientes na loja e uma pequena fila foi se formando.

Tomara que o resto do dia seja assim.

[...]

— Jungkookie, eu já vou indo, você fecha a loja?

— Fecho sim tia.

— Obrigada meu bem, vou deixar o seu jantar pronto.

— Está bem. — tranquei o caixa e guardei a chave no meu bolso.

Peguei o controle para descer o portão automático e as chaves para trancar a porta.

Mas no mesmo instante, a porta abriu revelando que havia entrado um cliente.

Nem olhei pra ver quem era e só dei meia volta voltando para o caixa.

Entretanto, ao contrário do que eu pensei, ele não foi para o corredor, mas veio na minha direção.

Peguei a chave no bolso para abrir o caixa, porém, ela caiu da minha mão.

— Droga. — me abaixei para pegá-la no chão.

— Com licença? — uma voz masculina e grossa soou.

— Sim?! — fiquei de pé para falar com ele, só que...

— Passa todo o dinheiro que você tem no caixa! — apontou a arma pra mim.

Levantei as mãos em sinal de rendição.

No mesmo momento, como se fosse uma piada do destino, entrou mais uma cliente na loja.

Eu e o bandido olhamos na direção da entrada, e lá estava ela.

Entrando na loja toda distraída usando fone de ouvidos.

Ele apontou a arma pra ela e gritou:

— Parada aí!

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...