1. Spirit Fanfics >
  2. A Princesa e o Demônio >
  3. Dia agitado

História A Princesa e o Demônio - Capítulo 18


Escrita por:


Notas do Autor


Olá gente, cheguei com mais um cap pra vocês queridos leitores!!!

Espero que tenha ficado bom, bora lá conferir o novo capítulo!! Boa leitura pra vocês!! ^-^ ^u^

Capítulo 18 - Dia agitado


Já era de manhã quando a jovem começava a sentir um ventinho frio a incomodar ela então vai despertando abrindo seus olhos devagar sentindo seu corpo ainda pesar e meio dolorida e exausta, provavelmente devido ao que tinha feito com Asta durante a noite, só de lembrar daquilo ela se senti bem e muito feliz. Noelle esfrega seus olhos que ardiam um pouco, a jovem ainda sentia um certo frio devido ao fato de estar meio frio naquela manhã no meio da floresta e também talvez pelo fato de estar nua, ela então se levanta e nota que estava sozinha na cama, ela olha procurando Asta, porém não encontra ele ali no quarto o que de certo modo fez ela ficar meio triste. Entretanto ela logo notou um papel ao lado cama onde tinha algo escrito, a prateada se debruçou até aquele papel e o pegou assim o lendo e vendo que era um bilhete de seu amado.

“Desculpe não estar aí com você, precisei levantar antes para comparecer ao treino com Patri, você parecia cansada então não quis te acordar por isso te deixei dormindo e não quis te incomodar então deixei essa mensagem pra você não se preocupar.

Espero que não fique triste por não me ver quando acordar, mas prometo que quando ver você hoje vou demonstrar minha alegria e meu amor por você pra compensar! Até mais tarde e saiba que eu vou estar sempre pensando em você Noelle!”

– Teve que sair e ainda me deixou um aviso... você é mesmo a melhor pessoa na minha vida – Noelle sorria segurando aquele bilhete deixando uma lágrima escorrer por seu rosto ao se sentir muito feliz em ver que o preocupava com ela – isso parece até um sonho.

A jovem então se levanta da cama pisando descalça no chão frio o que arrepiou ela toda, em seguida ela pegou suas roupas e foi até o banheiro para poder se banhar com água quente na esperança de tirar um pouco daquele cansaço de seu corpo e começar o dia bem.

 

Enquanto isso em outra parte da floresta um pouco distante da vila dos elfos, Asta estava sentado no chão e envolta dele havia um circulo magico desenhado no chão que brilhava enquanto ele era envolvido por uma forte luz brilhante, próximo dele estavam Raia e Patri que realizavam um encantamento com aquele circulo magico fixando seus olhares no rapaz. Depois de alguns minutos o circulo começou a se desfazer e uma aura vermelha cobria o corpo de Asta completamente a medida em que o circulo sumia, quando o corpo dele foi todo envolvido pela aura vermelha ele foi voltando ao normal e em seguida olhando para os elfos que se aproximavam dele.

– Muito bem garoto, com isso acho que mantemos esse monstrengo dentro de você ficar comportado – dizia Raia com seu típico sorriso ajudando o garoto demoníaco a se levantar – como está se sentindo rapaz?

– Não sinto nada fora do normal, acho que talvez uma coceirinha nas costas e mais nada – disse Asta meio brincalhão sorrindo e passando a mão na nuca.

– Certo Asta, acredito que com esse feitiço seu poder de demônio ficara contido para que você possa o utilizar sem forçar demais e sem o perigo dele te consumir – Patri ia explicando para seu aprendiz o que tinha acabado de fazer – com isso deverá ser mais fácil treinar você e ajuda-lo a controlar esse poder dentro de você.

– Entendido Patri e o que deveremos fazer agora para começar o treino? – questionou o menor encarando o elfo que deu as costas para ele se afastando e então Patri estendeu sua mão criando uma espada de luz com sua magia.

– Vou te mostrar um movimento básico de esgrima que aprendi com meu mestre e então você tentara copiar os golpes que você me ver fazer – Patri então criou varias esferas magicas de luz e em um rápido movimento ele avançou contra aqueles obstáculos e em questão de segundos ele atingiu todas elas com golpes certeiros com sua espada.

– Caramba! – Asta olhava impressionado para Patri incrédulo do que tinha acabado de ver, a velocidade com que ele conseguia se mover era incrível e a forma como ele lutava empunhando a espada de luz era algo fantástico – isso foi incrível demais!

– Agora tente fazer o mesmo, concentre-se no seu poder tentando focar ele e assim pense em usa-lo para se mover mais rápido do que você consegue – o elfo instruía o jovem no que ele achava que Asta deveria tentar fazer para imitar os mesmos movimentos que ele tinha feito anteriormente.

– Está bem, vou tentar fazer isso – fala Asta que então concentra-se em seu poder de demônio, as marcas negras surgem cobrindo seu braço e parte de seu rosto, o rapaz ergue seu braço e faz sua espada gigante surgir a empunhando.

Patri usa sua magia para criar varias esferas de luz espalhadas por aquele campo para que Asta tenta-se acertar todas elas, o garoto então concentra seu poder em suas pernas sentindo elas doerem um pouco enquanto ele fazia isso em seguida ele passa seu olhar rapidamente pelo campo vendo todos os alvos que deveria acertar. Asta então segura sua espada com força e fazendo força em seus pés ele avança ferozmente contra os alvos de luz, o rapaz desfere vários golpes com a espada tenta fazer igual a Patri e vai acertando as esferas uma a uma, depois de algum tempo ele atinge todas as esferas, mas ele mesmo já tinha notado que tinha sido mais lento que seu mestre.

– Droga! Não fui bom o bastante, preciso tentar de novo, por favor! – pediu Asta encarando seu mestre elfo que concordou com ele e assim com um estalar de dedos ele cria novamente as esferas de luz para seu aprendiz poder tentar novamente.

Asta novamente avança contra seus alvos dessa vez tentando concentrar ainda mais seu poder para se mover mais rápido e ataca outra vez, o rapaz consegue ser mais rápido, entretanto ainda não era o suficiente e então Patri criava mais e mais alvos para Asta tentar ir aumentando aumentar sua velocidade e forçando seu poder demoníaco, assim o elfo poderia conferir se o feitiço de selamento funcionaria de forma correta. Assim o treino vai seguindo e depois de Asta repetir aquele treinos varias vezes tentando chegar a uma velocidade próxima de seu mestre ele cai de joelhos se apoiando em sua espada por sentir seu corpo muito pesado por conta da fadiga de usar tanto seu poder demoníaco que esgotou suas próprias forças.

– Você ainda quer continuar ou prefere descansar um pouco? – questiona Raia vendo que o garoto parecia bem exausto e ofegante tendo dificuldades para respirar.

– Não... eu consigo... continuar de boa... – falou Asta bem cansado e ofegante se colocando de pé e olhando para Patri que o analisava – eu... preciso ficar mais forte... foi pra isso que eu vim aqui... eu... não vou desapontar ninguém... principalmente você mestre!

– Vejo que você possui a alma de um guerreiro de verdade Asta! Pois bem, se você quer continuar então iremos continuar – Patri então mais uma vez criou vários alvos de luz, porém dessa vez ele criou muitos mais para testar as forças de Asta.

E assim o pequeno guerreiro empunha sua espada e volta a atacar todos aqueles alvos que Patri tinha criado tentando não fraquejar e mostrar seu desempenho no treino, afinal o objetivo de Asta era ficar cada vez mais forte e por isso ele não deixaria fraquejar jamais.

 

De volta a vila dos elfos, Noelle acabara de sair de sua casa vendo que a vila estava meio movimentada, muitos elfos andavam por ali, algumas crianças brincavam perto da praça no centro da vila e ela não pode deixar de se encantar com aqueles pequenos elfos tão alegres e sorridentes.

– Bom dia Noelle! – a prateada escuta uma voz doce e super animada a chamar e ela então se depara com Fana se aproximando dela – Oh você parece mais radiante hoje, seu rosto brilha com muita alegria.

– Oi Fana, você acha mesmo? Eu só estou com meu típico rosto feliz, nada demais – comentava a prateada rindo enquanto arrumava seus cabelos conversando com sua amiga elfa.

– Uh sei, acho que você deve ter acabado seguindo meu concelho de ontem não foi danadinha! – afirmou Fana com um sorriso meio malicioso vendo Noelle ficar ruborizada e segurar o rosto com as mãos meio sem jeito.

– B..bem... vamos dizer que aquele problema que eu tinha falado com você agora está resolvido... – essa foi a resposta da princesa que fala meio envergonhada, mas não sentiu êxito em dizer aquelas palavras – e diga-se de passagem foi algo muito bem feito e que agora me fez ficar muito melhor do que eu imaginava.

– Ora, ora vejam só isso, Noelle você parece até outra pessoa falando desse jeito – disse a elfa rosada dando uma leve risadinha da cara de sua amiga que acabou rindo junto dela – será que essa noite calorosa que você teve mudou você Noelle?

– Eu espero que tenha me mudado pra melhor, porque agora eu me sinto de uma forma tão boa e tão alegre – responde a prateada com um largo sorriso reluzente e as bochechas coradas – só sei que devo minha felicidade a ele!

– Oh que coisa fofa, ela não tira o namorado dos pensamentos – brinca Fana segurando os ombros de Noelle e rindo dela – então jovenzinha apaixonada, por acaso você tem algo pra fazer agora? – perguntou a elfa vendo sua amiga negar com a cabeça – então você quer vir me ajudar? Eu tenho muita coisa pra fazer hoje.

– Se você está precisando de ajuda então eu posso te ajudar, o que você precisa que eu faça, Fana? – Noelle se mostrava prestativa e disposta a ajudar sua amiga elfa no que ela precisasse e a mesma parecia bem animada com aquilo.

– Bem se você não se importar eu tenho uma lista de tarefas pra fazer – falava a rosada mostrando um pequeno pergaminho que ela carregada consigo – hoje eu fiquei de fazer algumas tarefas da vila, cuidar do nosso jardim, lavar e arrumar as roupas e os brinquedos das crianças e depois ir ver se o Vetto está ajudando o pessoal a arrumar as casas mais antigas da vila.

– Nossa... você vai ter muitas coisas pra fazer em Fana – a jovem ficou meio espantada com as coisas que teria que fazer para ajudar a mulher elfa que apenas deu de ombros para ela.

– Normalmente essa é uma rotina nossa, nós elfos somos muito unidos então todos revezamos para cumprir nossas tarefas e contribuirmos com a vila – comentava a elfa que agora estava guiando Noelle para onde elas deveriam ir – na verdade a vila se estende pela maior parte da floresta, aqui é onde nós ficamos porém existem outras construções que se ligam com esta vila e seguem pelas áreas da floresta.

– Caramba! Vocês são bem mais organizados do que eu imaginava – a princesa ficou surpresa com aquela revelação que Fana tinha feito para ela, Noelle nem podia imaginar que a casa dos elfos era toda aquela floresta literalmente.

– Está floresta foi criada a séculos pelos espíritos da natureza se tornando um reino maravilhoso que abrigou a nossa raça aqui e durante gerações nós vivemos cuidando da floresta e construindo a nossa sociedade aqui para vivermos juntos e felizes – explicava a elfa de cabelos rosa com um meigo sorriso caminhando feliz – este é o nosso lar e somos muito abençoados por morarmos aqui.

– Fana é tão bom ver que você é uma pessoa que tem muito carinho por este lugar – comentou Noelle num tom de voz baixo vendo sua amiga olhar para ela e sorrir – vocês elfos tem um ótimo lar, queria eu ter um lugar assim também.

– Você tem bobinha! – diz Fana sorridente para sua amiga prateada que se surpreende com ela a encarando – você está aqui com a gente agora, você tem uma casa aqui com o seu amorzão! Não consegue ver? Este agora é o seu lar também Noelle!

– Meu lar? – a jovem parecia surpresa por ouvir a elfa falando aquilo, de certo modo Noelle ficou muito feliz por isso, afinal ela não tinha nenhum lugar para chamar de lar e agora os elfos lhes deram um lar para viver – então esse aqui será o meu lar.

– Exatamente, este será o seu lar! Você e Asta serão felizes aqui! E eu serei a sua melhor amiga aqui garota! – comentou Fana segurando as mãos de Noelle e sorrindo para ela com muita alegria o que deixou a prateada muito feliz com aquilo que ela dizia – então você acha que isso é uma coisa boa?

– Isso parece ser uma coisa ótima Fana! Muito obrigado por me dizer essas coisas – falou Noelle sorrindo para sua amiga elfa e abraçando ela com carinho e muito alegre fazendo a elfa ficar mais feliz também com aquilo.

– Está certo, agora vamos lá Noelle! Temos muita coisa pra fazer então use essa animação extra pra me ajudar amiga – afirma Fana dando uma leve risada sendo seguida por Noelle a guiando para seus afazeres.

 

De volta ao campo de treino, Asta agora estava caído de cara no chão super exausto e sem conseguir se mexer direito, mas ao que parecia ele tinha conseguido terminar de atingir os alvos de luz ao menos enquanto os elfos olhavam o desempenho dele durante o treino.

– Bem, parece que ele se esforçou até o máximo não é mesmo Patri – comenta Raia que junto de Patri vão se aproximando de Asta que parecia ter perdido a consciência depois de tanto esforço que fez durante o treino.

– Ele fez o que podia para tentar alcançar um novo nível de poder, ele fez bem em focalizar seus poderes para tentar copiar meus movimentos e foi um trabalho impressionante que ele conseguiu realizar durante todo o treino – Patri afirmava tudo aquilo após ter analisado tudo que o jovem guerreiro fez durante o treinamento e realmente ele tinha conseguido um ótimo resultado – entretanto mesmo ele conseguindo um bom desempenho ainda não conseguiu atingir o nível que eu esperava apenas com esse teste básico, mas por ora isso já está bom para o início.

Patri colocou sua mão sobre o corpo do jovem o cobrindo com sua magia de luz e em questão de segundos Asta parecia estar se sentindo revigorado e seu corpo não parecia doer mais além de ele conseguir agora se mexer e então ele se levantou voltando seu olhar para os elfos.

– Oh isso foi incrível! Eu estou conseguindo ficar de pé e até não sinto mais fadiga e dores – dizia o menor mexendo seus braços vendo que não doíam e se sentindo um pouco melhor – beleza, então onde eu parei no treino?

– O treino para aqui na verdade! – ordenou o elfo olhando para Asta que o encarou incrédulo e com um pouco de temor, o rapaz já achava que tinha falhado com seu treinamento – minha magia restaurou você, mas por enquanto é melhor você descansar e se recuperar naturalmente para garantir que suas forças se regenerem e você possa continuar avançando no treinamento.

– Patri tem razão, vamos lá rapaz você precisa de descanso se bem que eu acho que todos nós poderíamos descansar um pouco – comentou Raia com uma cara meio sonolenta e bocejando – além do mais talvez precise se alimentar para continuar treinando rapaz.

– Acho que vocês devem ter razão, eu não quero ficar todo acabado ainda até porque preciso treinar muito pra ficar poderoso e dominar esse poder – responde o rapaz fazendo uma pose de fortão com um sorriso confiante.

– Ao menos você está pensando da maneira correta garoto – disse Raia tocando na testa do rapaz e rindo daquilo – bem venha rapaz, você precisa recompor suas energias e descansar um pouco então vamos voltar por ora e depois vejamos o que Patri tem para você fazer depois afinal eu tenho muita coisa pra fazer também – dizia o elfo sendo seguido pelo rapaz demoníaco que sorria.

– Bem isso é verdade, não quero tomar o seu tempo o dia todo também Raia até porque eu... bem... tenho uma coisa importante também – fala Asta tendo em sua mente a visão de uma jovem prateada que sempre estava guardada em seu coração – preciso ver como ela está.

 

Enquanto isso com Noelle e Fana, as duas estavam em casa espaçosa ajudando a cuidar das pequenas crianças élficas que se divertiam juntas, haviam vários elfos adultos que lavavam e costuravam alguns das roupas daquelas crianças e outros que preparavam a refeição deles.

– Nossa, me desculpe se eu estiver atrapalhando é que eu... bem nunca fui acostumada a ter que fazer coisas assim – afirmou Noelle bem sem graça colocando um cesto de roupas perto de onde Fana estava a costurar um vestidinho roxo de criança.

– Tudo bem Noelle, eu prefiro ver você tentando lavar as roupas das crianças e organizando elas do que furando os dedos por não conseguir mexer com uma agulha – comentou Fana dando uma risadinha vendo a prateada meio envergonhada – acredite se machucar com isso é mais fácil do que parece.

– Eu não fazia ideia de que tinham tantas crianças por aqui – Noelle observa a grande quantidade de pequenos que tinham ali desde os bem novinhos até alguns um pouco maiores todos parecendo muito alegres e aquilo de certo modo a alegrava também.

– Existem muitos deles por aqui e alguns outros jovens que vivem numa praça ao sul da floresta, lá ficam os que são um pouco mais velhos que eles com suas famílias – explicou Fana para sua querida amiga – nós cuidamos desses pequenos, os ensinamos a educação básica e aqui eles podem brincar felizes para depois irem crescendo e aprendendo como eles são importantes na nossa sociedade.

– Vocês são mesmo incríveis, muito bem organizados e bem desenvolvidos! Isso é demais e muito surpreendente – a princesa ficava admirada em como a sociedade dos elfos era diferente da dos humanos, porém era muito bem estruturada e esquematizada.

Noelle então foi pegar mais roupas para trazer para Fana só que acaba sem querer esbarrando em uma criança que corria na direção dela a fazendo cair no chão.

– Opa, me desculpe... aí como eu sou distraída – disse a prateada olhando para a criança e ajudando ela a levantar vendo-a ficar meio triste – ah... que isso... como eu pude ser tão distraída de não ver uma moça tão lindinha como você vindo pra perto de mim – Noelle tentou agir de forma educada tentando animar a menina de cabelos verde para que ela não se entristecesse, logo a jovem viu um ursinho de pelúcia no chão e o pegou – aqui! Acho que deixou seu amigo cair, você deve ser bem legal pra ter um amigo tão fofo quanto você bonitinha – Noelle entregou o brinquedo para a menina que o pegou e sorriu meio timidamente para ela.

Depois de se afastar da criança Noelle pega as roupas e as leva para Fana costurar, a jovem depois vai para outro canto onde arruma as roupas daquelas crianças as organizando nos devidos lugares para entregar aos pequenos mais tarde, porém enquanto ela ia fazendo suas tarefas a menina que tinha esbarrado nela se aproxima dela com cuidado e puxa o vestido que Noelle usava chamando a atenção da prateada que olha para a garotinha.

– Oi meu anjinho, o que foi? Precisa de alguma coisa? – Noelle sorria para a menina sendo super educada e então ela sorriu de forma fofa e ergueu sua mão para a princesa mostrando uma florzinha prateada muito linda.

Noelle pegou aquela flor da mão da menina olhando ela e vendo como era muito bonita e tinha um perfume maravilhoso, a garotinha sorriu para Noelle e logo depois ela correu acenando para a jovem se despedindo e depois voltando para brincar com seus amigos enquanto a jovem prateada olhava a flor com um sorriso meigo no rosto.

– Acho que eu tenho jeito com crianças – disse a jovem segurando aquela flor com carinho e sentindo o aroma doce dela, ela então olhou para aquelas crianças brincando e sentiu uma alegria grande em seu coração e por um momento uma coisa surgiu em sua mente, uma coisa muito linda e fofa – sabe... talvez esse seja um bom lugar para uma criança viver, um lar muito lindo onde se poderia viver bem com a família que tanto ama – comenta ela meio sonhadora e segurando a flor contra seu peito – isso seria algo muito lindo.


Notas Finais


É isso aí gente!!! muito obrigado por acompanharem a fic!!! Vocês são demais gente!!

Até a próxima, um forte abraço e tudo de melhor pra vocês sempre!!! ^-^ ^u^ ^-^ ^u^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...